1. Spirit Fanfics >
  2. On the other side - Sebastian Stan. >
  3. Cheiro de pipoca no ar

História On the other side - Sebastian Stan. - Capítulo 9


Escrita por:


Notas do Autor


Subindo mais um capítulo genteee❤❤❤

Espero que gostem, eu particularmente ameeeeeei escrever esse capítulo, e foi feito com muito carinho 😊❤❤

Obrigada pelos comentários e os novos favoritos ❤❤

Boa leitura ❤

Obs: pqp, a Lily é linda demaaais😍❤

Capítulo 9 - Cheiro de pipoca no ar


Fanfic / Fanfiction On the other side - Sebastian Stan. - Capítulo 9 - Cheiro de pipoca no ar

—Deus!!! Eu nunca pensei que fosse dizer isso, mas não é nada parecido com o que eu esperava que fosse.. - Helena soltou o ar ao deixar o corpo encontrar o chão da sala de estar da amiga, Scarlett que estava ao lado suspirou e revirou os olhos.

—Pois é... ela é bem complicada, como você pode ter dado o papel principal para ela?

—Bom, eu não tenho culpa, ela e Sebastian são os que mais chegam perto dos meus personagens principais Scar... Eu estou surtando com ela, estou vendo o momento dela pedir para eu comprar o café dela. - disse juntando as pernas e puxando para o cima para relaxar as costas em formato oval.

—Ja está se arrependendo? - perguntou dando risada.

—Não é isso... É que começamos isso a 4 dias e meu Deus... - falou desabafando.

—Hmmmmm, será mesmo que o jeito dela que te irrita? - disse sorrindo de canto.

—O que quer dizer com isso?? - franziu o cenho.

—Quero dizer, que ela anda pendurada no pescoço do Sebastian... - continuou com o mesmo olhar esperando que Helena entendesse, não que ela não entendesse, mas preferia não entender. Soltou o ar e então tornou a olhar o teto.

—Não é nada disso.

—Claro, se você diz... - a amiga zombou dela e então tornou a olhar os chapéus de aniversário sobre a mesinha de centro.

—Porque que eu vim aqui mesmo?! - perguntou franziu o cenho.

—Pra ajudar com a festinha da Rose, oras... Aquele danado do Sebastian disse que ia ajudar, mas nada dele ainda. - disse entre um suspiro começando a ficar sem esperança de que fosse aparecer.

—Ah sim... Não espere por ele, melhor. - disse da boca para fora sem prestar a mínima atenção no que dizia, estava cansada demais para se importar com alguma coisa, em 4 dias já havia mudado o roteiro umas dez mil vezes e isso a estava quebrando no meio. Mas havia dito que iria ajudar e ali estava ela.

Não se lembra ao certo quantas bexigas da cor rosa e vermelha separou para a amiga e as deixou separada, ou quantos chapeuzinhos montou e os empilhou um sobre o outro, só soube que quando acabou deu no pé o mais rápido possível da casa de Scarlett só queria a própria cama, principalmente naquele que tinha apenas um dia de folga e seria o próximo àquele.

Não prestou atenção em absolutamente nada até chegar em casa e cair na cama onde não demorou muito para pegar no sono, mas antes disso, pensamentos dos que queria ignorar vieram a tona, sabia que estava amarga naqueles dias mas preferia pensar que era por causa da pressão que estava sentindo sobre si em relação aos livros e aos roteiros, mas uma inquietação a perseguia, mas não naquela noite, naquela noite ela ia dormir. E foi exatamente o que fez.

Pela manhã acordou com o som de mensagens chegando no celular, o sol estava fraco porém se acentuava em sua janela a fazendo abrir os olhos com dificuldade. Puxou o ar e bocejou alto enquanto se espreguiçava bagunçando mais ainda a própria cama, havia dormido com a roupa que tinha ido a casa de Scar, naquele dia não tinha a menor intenção de ficar olhando celular.

Se levantou e então soltou o longo cabelo sobre o corpo como um manto enquanto seguia caminho descalça para a varanda tomar um pouco de sol matinal, se espreguiçou mais um pouco com o contato do sol sentindo o corpo relaxar.

—Bom dia!! - tomou um susto ao ouvir a voz do outro lado a cumprimentar.

—Ah! Que susto Sebastian... - disse puxando o ar sentindo o corpo acordar. —Bom dia.

—Desculpa se eu te assustei. - disse rindo.

—Não, tudo bem! - balançou a cabeça e então abriu um sorriso amigável, colocou os fios de cabelo atrás da orelha e então tornou a falar. —Como você está?

—Estou bem e você? Não nos falamos muito nesses últimos dias. - disse calmamente se apoiando contra a barra da varanda.

—Pois é... Bom, eu estou bem. Andei cansada esses dias mas estou bem sim. - disse abrindo um sorriso. —Ei! Eu estava pensando... - começou e então juntou as mãos em frente ao corpo.

—Hmm? - apoiou o queixo sobre a palma da mão.

—O que acha de tomar café comigo hoje?? Estava pensando em fazer umas panquecas. - disse abrindo um sorriso tranquilo.

—Tomar café com você? - perguntou surpreso.

—Sim! Afinal faz tempo que não falamos. - abriu um sorriso ansioso.

—Claro Helena, claro... Só me de uns minutos para me arrumar ainda estou de pijama.

—Então venha de pijama. - disse rindo. —Eu vou descer e preparar a massa, você pode vir se estiver confortável.

—Ok. - deu um último sorriso a vendo sair.

Desceu as escadas em passos rápidos, pegou qualquer panela e então socou todos os ingredientes na mesma, com uma colher de pau, passou a mexer rapidamente, pensou por um momento que não havia escovado os dentes e nem mesmo lavado o rosto, e só de pensar em o receber daquele jeito sentiu repúdio.

Soltou a panela sobre o balcão da cozinha e correu para o banheiro, pegou a escova colocou o creme dental e passou a escovar os dentes rapidamente, escutou a campainha tocar e então cuspiu na pia, lavou o rosto, jogou a escova no potinho, secou o rosto rapidamente e então gritou.

—Já vai!!! - Sebastian do outro lado da porta colocou a mão na parede soltando uma suave risada.

Ela correu até a porta, manteve a postura e então a abriu a mesma calmamente, abriu um sorriso ao vê-lo do outro lado.

—Oi...

—Oi! - abriu um sorriso em resposta ao dela.

—Entra, eu estava batendo a massa da panqueca. - disse sorrindo.

—Hmmm, isso significa que eu posso virar as panquecas. - disse passando pelo batente da porta parando em frente a ela.

—Se souber virar... Claro que pode. - disse desviando o olhar para ele agora um pouco mais séria. Relutante com as palavras de Scarlett ecoando em sua mente balançou a cabeça e então seguiu para dentro. Helena ficou tensa por um momento mas não podia deixar de admitir para si mesma que ficou decepcionada.

—Sendo assim, melhor eu subir as minhas mangas.

—Pois é. - deu risada e então fechou a porta, seguiu com ele para a cozinha onde passou a mexer a massa novamente, ele estava atrás dela a procura de uma panela, quando bateu por um momento, um silêncio. A observou por trás mexendo a panela e então virou-se novamente para frente ao ver seus olhos descerem mais do que deveriam, balançou a cabeça e então procurou a panela novamente. —O que você está achando da história Sebastian? - perguntou por fim quebrando o silêncio.

—Está falando do seu livro? - perguntou colocando a frigideira com um fio de óleo no fogo.

—Uhum. - disse se colocando ao lado dele enquanto batia mais suavemente a massa.

—Devo dizer que eu amo meu personagem. - disse rindo. —O Matthew é um personagem intrigante, é como se eu estivesse atuando em um poderoso chefão. - disse pensando sobre a história, claro que era sobre a vida de um garoto ao entrar para a máfia e ter um romance com a filha do líder mas sobre ser protagonizada por um homem era sim intrigante a maneira como ela o descrevia.

—Fico feliz que gosta. - disse rindo baixinho.

—Só podia melhorar uma coisa. - disse olhando ela colocar a massa cuidadosamente na panela.

—Ah é? E o que seria? - disse desviando o olhar para ele.

—A Elizabeth... - disse baixinho referindo-se a personagem.

—O que tem ela?

—Podia ser interpretada por você. - disse por fim a fazendo prender a respirar ou pelo menos sentir que estava prendendo.

—O-o que? - perguntou confusa.

—É... A Margarita me irrita, você seria perfeita para a Elizabeth... Não me tira do sério, me acalma... uma parceira perfeita. - estava completamente tensa mas o ouvir dizer que tinha raiva de Margarita era o suficiente para a deixar eufórica de tão feliz. Ele se aproximou dela por um momento e então a tocou na cintura a fazendo se contrair, porém antes que ele tivesse a chance de se aproximar o cheiro de queimado subiu a fazendo pular.

—Oh céus!!! A panqueca!! - dito isso ele mesmo deu um pulo e correu para virar a panqueca que estava agora completamente preta de um lado.

—Ops! - disse sem graça.

—Poxa Sebastian... preste atenção na panqueca. - disse o chamando a atenção, suspirou e então abriu a janela para o ar circular.

—Sim senhora, sinto muito por isso. - disse rindo.

—Bobo. - sussurrou enquanto colocava a panela com água no fogo para fazer um café.

—Mas e então... espero que o diretor não esteja pegando muito no seu pé. - disse olhando a panqueca mais concentrado.

—Não está não, mas as vezes penso que ele quer as coisas da forma como ele imagina. Não como eu imaginei. - disse rindo e balançando a cabeça enquanto pegava leite na geladeira.

—Hmmm, já trabalhei com ele outra vez, ele é assim mesmo, você se acostuma. - disse colocando a panqueca em um prato preparando outra na frigideira logo em seguida.

Ficaram em torno de 40 minutos fazendo panquecas o que resultou numa pilha de panquecas, no final acabaram ambos rindo a mesa para saber iria acabar comendo a última delas, já que comeram tanto que não as aguentavam mais.

Claro que apesar de cheia sempre havia um espacinho sobrando para um cafezinho, e era justamente o que ela estava fazendo, tomando um café. Ele por outro lado estava a observando, e permaneceram naquele estado de apreciação durante um tempo, até que ele quebrou o silêncio.

—E quanto ao seu jardim? - disse passando os dedos entre os detalhes da xícara que ela tinha o dado.

—Está ótimo, crescendo firme e forte graças a sua ajuda. - sorriu levando a xícara de café a boca.

—E quanto a seus passeios em NY? Menos perdida? - ela riu com o sorriso travesso dele.

—Temos táxis para isso, não é? Eles sabem tudo.

—Droga de taxistas. Eles sabem mesmo tudo. - fez um sinal com o braço de quem havia perdido e então deu risada.

—Mas sabe de uma coisa que não tá legal? - disse olhando para o café dentro da xícara.

—O que? - perguntou curioso.

—Aquele passeio que por NY para me mostrar a cidade... - deu risada então o vendo ir com a cara ao chão.

—Poxa... isso vai levar um tempo ainda. - disse cabisbaixo.

—Eu imaginei, por sorte, após a adaptação, eu ainda tenho meu livro para continuar a escrever. - disse o fazendo franzir o cenho.

—O que...

—Estou dizendo que temos bastante tempo para compensar isso. - deu risada.

—Ah sim. Claro!! - deu risada com ela e então olhou o relógio estava próximo das 9h. —O que acha de pegar um filme hoje?

—Ue... Eu pensei que não teríamos tempo para sair. - disse calmamente.

—Na minha casa, a gente pode faz uma pipoca e refrigerante, e gritar caso não goste da cena, ou não goste da ação do personagem, já que é isso que pessoas normais fazem em casa. - disse apoiando a mão sobre a mesa.

—Hmmmmm, sabe que não é uma má ideia? - deu risada pensativa.

—Combinado então! Que filme quer ver?? - perguntou animado.

—Algum filme seu. - disse o fazendo puxar o ar.

—Oh não!!! Você não viu nenhum filme meu??? - disse estreitando os olhos.

—Oh não!!! Você não leu nenhum livro meu??? - disse fazendo exatamente como ele que soltou o ar e riu sem graça.

—Tem razão! Isso é muito justo, então vamos fazer assim, você vê um filme comigo e depois eu leio o seu livro. - disse calmamente. —Até porque isso vai me ajudar a entender o Matthew, não é?

—É sim!! Aceito a proposta!! - deu risada apoiando o queixo sobre palma da mão a mesa.

—Então vamos lá!!

—Você pode ir a frente Sebby?! Eu vou só tomar um banho e aí eu já apareço. - disse calmamente, o fazendo travar na cadeira balanço a cabeça positivamente como um robô.

—Claro. - disse calmamente enquanto se levantava e seguia caminho para a porta. —Então, te vejo já.

—Te vejo já. - deu risada enquanto o dia sair, após fechar a porta seguiu caminho para o quarto onde pulou na própria cama e enfiou a cara ao travesseiro para gritar de emoção.

Ele por outro lado ao sair da casa dela seguiu para a própria porta e então segurou o grito da vitoria ao céus mas não deixou de dar um pulo de entusiasmo. Claro que os dia vinham sendo longos, árduos e tortuosos, então em qualquer sinal de paz e de completamente besteira eles agarravam a oportunidade, até porque quem não gosta de passar um tempo com um paquerinha que joga a primeira pedra.

E ela sim, mesmo não admitindo aos amigos, era a paquerinha dele. E mesmo achando que estava a respeitando demais preferiu seguir esse caminho, a ideia de talvez tomar um drink ou dois o deixava animado, mais que qualquer outra coisa. Não gostava de forçar a barra então preferia ir tranquilo.

Achou oportuno também tomar um banho já que ela iria se arrumar, por sorte tinha limpado a casa nos últimos dias e as única coisas fora do lugar eram seus sapatos que assim que entrou em casa aos jogou de canto. Por essa razão, não tinha tanto trabalho.

Tomou um banho rápido e organizou a sala para terem um melhor proveito do momento, não pretendia ficar mexendo naquilo depois. Alguns minutos se passaram mas foram tão lentos que pareceram horas. Estava tão ansioso que a noção de tempo tinha se perdido completamente ante a seu temperamento.

Quando finalmente a campainha tocou ela estava portando consigo um litro de refrigente e ele por outro lado já havia feito a pipoca, era desse tipo de sincronia que ele estava esperando.

—Eu fui ao mercado e comprei o refrigerante, desculpe se demorei. - explicou.

—Não, tudo bem! Eu já fiz a pipoca, aliás. - disse rindo. Ela passou pela porta e tirou o próprio casaco, o qual ele pegou e o pendurou na parede.

—Tudo bem, eu percebi pelo cheiro. - ela riu. —O que vamos ver? - perguntou entusiasmada.

—O que acha de vermos meu último filme? Eu não o assisti ainda e eles me mandaram recentemente um dvd. - disse seguindo com ela a cozinha onde pegou dois copos e deu na mão dela.

—Por mim tudo bem, vai ser legal ver um que não viu ainda. - disse rindo enquanto o seguia com os baldes de pipoca a sala. Ele havia organizado os sofás de frente para a TV onde o tapete vermelho vinho se estendia logo abaixo com a mesa de centro sobre si, ele jogou umas almofadas no chão e então disse.

—Pode se sentar em cima delas, pretendo ficar no chão. - disse rindo enquanto apoiava as coisas sobre mesa de centro.

—Sim senhor capitao! - ela respondeu soltando uma gargalhada em seguida com a reação dele.

—O que? EU NAO OUVI DIREITOOO!!! - dizendo exatamente como ao desenho.

—Sim senhor capitaaaao! - ela respondeu forte rindo.

—Gostei, devemos fazer isso mais vezes. - afirmou apoiando as mãos de cada lado da cintura.

—Meu Deus, eu não fazia ideia de que VOCE tinha dublado Bob Sponja. - disse calmamente o fazendo rir suavemente.

—Calma lá, não é pra tanto.

—Não??!

—Foi IGUALZINHO!! - disse se alterando, o deixando surpreso.

—Hmmmmmm, já estou vendo que alguém aqui é fã de cartoons. - disse dando um sorriso de canto enquanto ela por outro lado balançava a cabeça positivamente de forma frenética.

—Eu amo cartoons, podíamos algum dia fazer o nosso próprio, o que acha?!!!!

—Com esse olhar de cachorrinho sem dono não tem como eu dizer não. - disse se dando por vencido enquanto ria.

—Eu só espero que no final não fure como fez comigo e a Scar.

—Pera Lena... Isso eu posso explicar. - disse se sentando ao lado dela enquanto colocava o Dvd no player.

—Não precisa, eu já sabia que não queria. Não o culpo, eu que o forcei a ir. - disse dando de ombro enquanto levava uma pipoca a boca.

—Tudo bem... só vamos ver o filme. - disse enquanto se sentava ao lado dela e abria a Coca-Cola.

Ele encheu o copo dela e então deu play no filme que imediatamente passou a iniciar o filme com todos os colaboradores e empresas que forneceram patrocínio para o filme. A princípio estava tudo indo bem, ela estava entendendo muito bem o enredo porém, se surpreendeu com o rumo que a história tomou.

Pensou que fosse acabar dormindo pois o inicio era calmo demais, não que o resto não fosse mas tudo indicava de que seria um bom e velho filme Cult, mas era exatamente do que ela precisava, daquele final, daquela sensação de segurança e aconchego, claro que se sentia em casa, mas quanto pensava em casa, não se sentia tão amada assim. Talvez ir para NY, não tivesse sido uma má ideia.

Quase 2 horas depois o filme finalmente acabou e então quando o letreiro subiu e ele acendeu a luz, ela bateu palmas.

—UHUUUL! Que filmaaaao!!! - disse rindo o vendo se sentar ao lado dela.

—Você gostou?! - perguntou surpreso.

—Que que é, você não? Claro que é um filme pornô, mas o final foi lindo. - disse o fazendo rir.

—Claro que eu gostei. - disse entre a risada. —Hmmm, então quer dizer que você vê filme pornô? - disse dando um sorriso sacana.

—Claro que não, mas é completamente isso. Quem que dá o cachorro como desculpas para transar com alguém? - disse entre risadas.

—Pra início de conversa... - ele levantou a mão. —Foi um desculpa para vê-la. - explicou.

—E mesmo? Ele já a tinha visto, porque só não deu no pé? - disse jogando uma pipoca nele.

—Porque o Frank é um cafajeste, é isso que ele faz. É isso que cafajestes fazem, oras! - disse por fim a fazendo o olhar estreito.

—Você é um desses caras? - disse desconfiada.

—Já fui, não sou mais assim. - disse levantando as mãos em rendição.

—Mesmo? - perguntou ainda desconfiada jogando uma pipoca nele desta vez ele a pegou com a boca a fazendo soltar uma risada de desacreditada.

—Mesmo! Pode confiar. - disse rindo enquanto comia a pipoca.

—Confiar?

—Olha, esse sua desconfiança está me fazendo acreditar na teoria do namorado possesso de Scar. - disse a fazendo ir com a cara ao chão.

—Veja bem, a última coisa que eu quero é lembrar de algum ex namorado, ok?

—Justo! Eu também não quero apesar de trabalhar com uma delas.

—O que?! - perguntou surpresa.

—O que o que?! - disse confuso enquanto comia a pipoca. —Imagino que nunca trabalhou com um dos seus ex namorados.

—Graças a Deus não. - disse pensativa.

—Por isso a surpresa?! - perguntou inocentemente.

—Não é isso... O que quero saber é o que quer dizer com trabalhar com ex namorada? - disse confusa.

—Oh... É... - disse fazendo cara de quem havia muito pisado na bola. —Eu não te contei Lena...

—Oh céus... - ela disse levando a mão ao rosto incrédula.

—É... a Margarita e eu namoramos uns 2 anos a uns anos atrás. - disse abaixando o balde de pipoca.

—E eu os coloquei para contracenar juntos Sebastian... meu Deus, eu sou a única culpada pela sua infelicidade. - disse pensando com mais calma.

—O que? Claro que não!! Ela que é chata demais, difícil de trabalhar... - disse pensativo. —Porque acha que não quis mais nada com ela? Veja bem... - disse pegando de cada lado do corpo dela massageando os ombros. —Relaxe, vamos só esquecer isso, ok?!

—Como posso agora?!!! - disse eufórica.

—Você se acostuma, e olha só... se ela a atazanar, não custe em me contar, ok? - disse tomando o rosto dela com uma mão suavemente.

—Ok. - respondeu soltou o ar.

—Isso aí. Agora vamos ver mais filmes, ok? Tem muito mais para ver aqui. - disse rindo enquanto pegava outros filmes que havia feito antes.

—Aqui. - ela disse puxando o livro que uma capa preta e o deu. —Meu livro.

—Uaaau, como ele demorou. - disse rindo enquanto admirava o livro.

—Perdão, sou nova no ramo dos Correios. - disse rindo suavemente.

—Perdoada, só nao vai ganhar gorjeta. - disse a fazendo gargalhar. —Cúmplices do amanhã, ein? Nome criativo.

—Obrigada. - disse sorrindo.

—Que a agradeço pelo presente. - disse colocando o livro sobre a mesa de centro, a deu um beijo no rosto e um suave abraço. —Só precisa de um autógrafo para ficar completo, não acha? - disse rindo.

—C-claro, porque não? - disse rindo, ainda surpresa com as ações dele.

Após autografar seu livro seguiram o resto do dia vendo os filmes que ele fez, quase não acreditou ao ver as cenas de luta com a Scar, talvez fosse mesmo bicho do mato, filmes tão famosos, como pode não ter visto? Talvez estivesse muito ocupada com seu livro na época, o primeiro a rendeu quase 600 páginas, tinha bastante história.

Estava orgulhosa só próprio desempenho então apenas assistiu com ele os filmes sem pensar onde estava que não tinha visto, mas ver todos os amigos dele que ela já havia visto ali era mesmo de se maravilhar, pensou que se fosse uma garota normal estaria surtando ali, mas não estava. A verdade é que não demorou muito para que pegasse no sono, o cansaço do dia a dia ainda a seguia e talvez, não fosse a deixar por um bom tempo.

Ele por outro lado seguiu firme e forte vendo os filmes mas quando a notou dormindo apenas a deitou no sofá e a cobriu com um de seus cobertores, a observou por um momento e deu um leve sorriso.


Notas Finais


Aaaaaaah, eu amo tanto esses dois juntinhos 😍😍❤❤❤ Heleninha se solta quando tá só com ele, danadinha ksksks mas também, né?

Não julgamos ksksks🤭

Espero que tenham gostado amores, amanhã terá capítulo novo siiiim❤😊

Beijos ❤❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...