História On Top of the Hill - Capítulo 5


Escrita por:

Visualizações 35
Palavras 1.430
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Fantasia, Ficção, Ficção Científica, Luta, Magia, Misticismo, Romance e Novela, Shounen, Sobrenatural, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 5 - .fighting to save


Fanfic / Fanfiction On Top of the Hill - Capítulo 5 - .fighting to save

Bakin se preocupou. Afinal, o que aquele monstro fazia ali? Talvez buscassem o link de Kujo? Não, não era isso. Caso contrário, não chamaria tanta atenção. O método do assassinato discreto seria muito mais prático. Aquele brutamontes buscava uma luta, e certamente não era contra nenhum dos três.

 Hill, Hiiro. Vocês dois, fiquem onde estão. Ele não está atrás de nós.  em tom baixo, resolve não envolver os iniciados nessa confusão. Ao invés de ajudarem, eles só atrapalhariam. Ao menos era isso o que pensava. De certo modo, consegue convencer a dupla facilmente. 

Fácil porque ambos se certificaram do perigo quando notaram a cratera. Caso aquela explosão fosse em seus corpos, não sobraria restos nem pra contar história. Era morte certeira. 

 VOCÊS NÃO VÃO APARECER?! TALVEZ EU FAÇA UMA PEQUENA VISITA PELA CIDADE!! HAHAHA!!  gargalhando feito um lunático, o monstro efetua mais um disparo, desta vez contra o terceiro andar do prédio principal. A estrutura se abalava, ruínas e estilhaços caíam contra o solo devido a detonação abrupta. 

Movimenta-se lentamente para a saída do portão, partindo em direção a vizinhança. Espalhando o odor da morte pelo sangue em seu corpo, Bakin consegue farejar devido ao seu olfato aguçado. Era provindo de um homicídio recente, não apenas isso mas com também um brutal dada a quantidade do líquido vermelho banhando seu corpanzil.

Um bocado irritado mas não ao ponto de perder a cabeça, o meio-cão salta pela janela e se revela para o inimigo. Não poderia perdoar o crime cometido pela aberração ao mesmo tempo em que jamais permitiria o avanço de suas transgressões. 

Uma escolha sábia, contudo não a melhor. Mas antes de sair, fixa os olhos em Hill.  Escute o que disse anteriormente. Não saia daqui mesmo se eu estiver em perigo.  ditando tais palavras, estava ciente da personalidade do delinquente. Embora pareça uma pessoa má, o metaleiro realmente se importava com conhecidos. 

Previa uma atitude benevolente mas impulsiva vinda por Hill, então se precaveu. Encara de relance Kujo conforme assente a cabeça, passando a mensagem para que o caipira auxiliasse-o nessa tarefa apenas por gestos. 

Durante o tempo em que ele pousava, o monstrengo demonstra reflexos e segue em disparada, bombardeando o maxilar do aluno com a sua arma.  ORA, ORA! UM HERÓIZINHO VEIO SALVAR O DIA!! BUÁÁÁ!! HAHAHA! MORRA.  o golpe recarregava a carga de seu link. Embora tenha o dobro de efeito para a recarga contra outros links, ainda assim é possível drenar a energia vital de pessoas comuns, mesmo se elas não possuem conhecimento disto. 

Bakin sobrevoava aos capotes contra uma lixeira, tal qual acaba amortecendo sua queda e evitando seu desmaio, sofrendo com os machucados em sua bochecha e uma tontura que criava seu desenvolvimento árduo no embate.

Compreendendo a situação, Hill desvai de seu companheiro e se retira da edificação pela porta, seguido por Kujo que tenta impedí-lo. Aparece aos gritos quando nota a bazuca da monstruosidade apontada pro rosto de Bakin.  SEU DESGRAÇADOOOO!!!  solavanca sua perna com um único chute em seu pescoço, poderoso o suficiente para quebrar a clavícula de qualquer pessoa, mas não a de seu inimigo.

 Em um piscar de olhos, ele se vê encurralado. Tendo o seu pescoço agarrado enquanto o seu adversário o soergue centímetros do chão, sem chances de reação.  Ughhhh!!  sente a falta de respiração e sua medula espinhal rachando com o aperto da aberração que desvia a atenção pra ele. 

 AAAHHHHHHHH!!  em nenhum ponto de sua vida ele havia sentido esse desespero. A dor era tamanha que ele sentia toda sua vida passar pelos seus olhos.

 HIIIIIILLLLLLLLLLL!!! NÃÃÃOOOO!!!  quando Kujo acelera desesperadamente para salvar seu amigo, o monstrengo arremessa o antrópico canídeo com um chute brutal contra sua robustez, impedindo seu avanço enquanto ambos sofrem o baque sem muitos danos colaterais. Contudo, não havia mais tempo para eles socorrerem o colega, tendo uma sensação angustiante de inutilidade.

 Ei, você se chama Hill, né? Não é? Quer saber a melhor parte disso tudo? Quer? Pois bem, te conto. É ver formigas como você sendo esmagadas pelas minhas mãos!! HAHAHAHAHA!!  completamente insano, se enchia de alegria ao escutar os gritos exaltados do estudante. Desespero total. A morte está vindo. Alguém me ajude. Por favor!!! Era só no que ele pensava.

A sua hora não é agora, Hill! Num vislumbre da luz que alcança o final do túnel, uma mão o puxa pra fora do corredor da morte! Tão rápido quanto um projétil, o braço do monstro era arrancado, jorrando litros de sangue. 

Num instante ele não estava lá, mas agora ele está! Um homem segurando uma espada ensanguentada com cabelos pretos longos e desleixados, trajando um colete preto com uma camisa branca por baixo e uma gravata também escura. Hill nota em segundos que aquele sangue era do talho feito pelo desmembramento no brutamontes. 

— ARRRRRGGGGGGHHHHH!! COMO OUSAAA!! VOCÊ, UM MERO HUMANO DESAFIA A MIM, O PRÓXIMO CAMPEÃO DE ZLATAR?!?!  expõe sua bazuca para o homem, extremamente enfurecido.

Calmo, a resposta vem em um tom de voz preguiçoso enquanto pesca um cigarro de sua carteira. Põe sobre os lábios e acende-o com um isqueiro. Vira-se para o monstrengo enquanto traga do tabaco, expelindo fumaça pela boca e narinas.  Você tá errado em duas coisas. Primeiro, você não é o próximo campeão de Zlatar. Segundo, isso não é um desafio, mas sim um massacre.

Furioso, o ogro dita uns ritos  Vy, gospodin sozdaniy, merzkiy. On dal mne sily unichtozhit' moikh vragov, kak i v Kolizeye.  a potência muscular já ameaçadora agora se tornava mil vezes pior quando se torna cada vez mais robusto e rígido ao mesmo tempo em que aumenta de tamanho, comparando-o com um titã de três metros de altura. 

Depois de tamanha apresentação, a ponta de sua bazuca brilha em um feixe multicor, representando a amplificação de poder em níveis drásticos. 

 E-eita! B-becca, não demore com isso! — surpreso, o homem se engasga com o cigarro brevemente e cospe-o pra fora em seguida ao socar três vezes seu estômago. Cria uma posição defensiva com sua espada oriunda do ittoryu, preparando-se para o pior.

Quando o ataque estava prestes a colidir com o homem, Bakin havia se levantado e puxado um bastão longo de um suporte nas costas. 

Alcança a bazuca da criatura monstruosa e, vindo por baixo, fortalece o ímpeto de seus biceps e faz força para içar o link adversário, obtendo êxito na ação. 

Em um jato cintilante que alcança até mesmo os céus, o feixe da bazuca é liberado. A luminescência é tanta que, mesmo próximo da noite, era como se estivesse o Sol aparecendo no meio-dia dado um clarão que corresponde a cidade inteira. Claro que, desse jeito, entende-se o poderio daquele impacto de feitio bárbaro.

Eis que uma flecha repentinamente alcança o pescoço do alvo em questão e, ao transpassar sua pele até o outro lado, o óbito é obtido visivelmente. 

Ele cai de joelhos, desacreditado  C-o-m-o... M-e... V-e-n-c-e-r-a-m...  o projétil no meio de sua garganta impedia o jeito correto da fala, e finalmente ele cai morto no chão em um vale de sangue.

 Guuh, querido... Se você não tivesse se apressado para completar a tarefa duma vez, não teríamos tido esses problemas... Tudo culpa da sua impaciência! Quer que eu soletre? I-M-P-A-C-I-Ê-N-C-I-A.  uma bela mulher caminhava para perto do espadachim, que agora é revelado como Guuh. 

 A dama vestia um vestido branco curto. Tinha seios fartos e duas orelhas pontiagudas. Cabelos lisos, curtos e loiros. Fácil dizer que era uma elfa. 

O fumante passa os braços atrás da cabeça, fazendo beiço  Boah... Até onde me lembro, você que ficou demorando pra vir porque as roupas tavam apertadas, lembra? Por causa dos seus pei...  ele é interrompido com um murro enfurecido no queixo que o leva pros ares. 

Corada de vergonha, a elfa quem surrou o fumante retruca.  O-oi!! C-cala a boca!! Não fala o que você ia falar!!  revira os olhos para cima, suspirando de nervosismo. Ela nota Hill no chão, completamente atordoado.

 Ei, quem é esse aqui? Guuh? Ajudantes?

 Sei lá. Eles tavam aqui quando eu cheguei. Devem ser estudantes. Booah... tenho que saber de tudo...

 Hmpft. Ei, você está bem?  conforme a moça se aproxima amigavelmente do corpo de Hill para checar sua condição, a visão dele vai ficando cada vez mais turva.

A última visão que ele tem antes de apagar de vez é a da elfa levantando ele com certo esforço, como se ele fosse uma noiva.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...