História On Your Knees - Capítulo 1


Escrita por:

Visualizações 256
Palavras 1.200
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Lemon, Yaoi (Gay)
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Conteúdo extremamente explícito, se não gosta, não recomendada a leitura.

Sim, nas tags estão os atores Jamie Dornan e Froy Gutierrez, pois foi na imagem deles que me baseei para escrever esta one, porém é uma original.
Eles se encaixaram perfeitamente, mas é livre para que você imagine quem quiser.

A escrevi na primeira pessoa e dizendo diretamente ao leitor para que houvesse uma certa... intensidade.
Como tudo o que eu escrevo, lhe desejo uma boa leitura.
Recomendo a música "Heaven - Julia Michaels" ou "Crazy In Love - Fifty Shades Of Grey"

Segure seus gemidos.

Capítulo 1 - Lhe farei ver estrelas


Isso mesmo, de joelhos.

Eu vejo a tua imagem frente a mim e preciso piscar algumas vezes para saber se é ou não realidade. Como pode alguém como você, no meio do meu quarto, de olhos vendados e mãos amarradas para trás... uma pintura renascentista, se me permite dizer.

Olho para tua pele e não vejo a hora de te marcar. Cada centímetro dela é um convite para que minhas palmas e meus chicotes comecem a trabalhar. Passo minhas mãos pelos seus cabelos loiros e logo imagino puxando brusco e fortemente os fios, guiando sua boca macia em direção ao meu pau que pulsa com tanto desejo.

Quero lhe ver engasgar enquanto observo sua expressão de dor quando minhas unhas tocarem o branco de suas costas e ver os arranhões. Também quero que me arranhe, mas isso quando eu estiver te fodendo com tanta força que eu permitirei que me machuque.

Por ora, quero apreciar cada momento. Sua respiração entrecortada, com medo do que está por vir.

            “Costas arqueadas.”

Prontamente, você o faz. Minhas mãos até mesmo tremem de ansiedade pelo oque farei a seguir. Meu chicote é apertado em meus dedos antes do primeiro golpe em seu peito. A vermelhidão me condena a uma excitação que anseia por ser saciada. Mas não, tenho controle.

O outro golpe é em sua barriga, e então em seus braços, e então em suas costas. Seu corpo é lindo a luz da Lua. Suas lágrimas e seu baixo choro tem uma reação direta em meu jeans que fica cada vez mais apertado. Minhas mãos em seu pescoço te enforcam no momento que sussurro em seu ouvido palavras que fazem seu corpo arrepiar completamente.

            “Lágrimas apenas me deixarão mais feroz. Continue.”

Deslizo meus dedos pelos seus cabelos e forço sua cabeça em direção ao zíper.

            “É isto que quer, meu bom garoto?”

Você balança a cabeça em afirmação.

            “Por favor, mestre.”

Lhe dou um tapa, seguido de outro e outro, até suas bochechas ficarem coradas como maçãs recém colhidas e as lágrimas encharcarem a gravata que tampam seus olhos. Não se preocupe meu submisso, logo irei te deixar enxergar e ver o mundo, assim eu verei cada detalhe de sua expressão de dor e prazer no momento que eu estiver dentro de você. Ainda não.

            “Vá para a cama.”

Você se levanta com uma certa dificuldade, mas logo está ajoelhado nela. Coloco minhas mãos em suas costas e lhe deito de barriga para baixo, afastando suas pernas o suficiente para que você esteja entregue completamente a mim – mais do que já está.

Pego duas cordas em minhas cômoda e amarro seus calcanhares nas extremidades da cama. Solto suas mãos para que eu possa segura-las enquanto lhe domino, mas também para lhe dar conforto.

            “Acho que esta pele aqui precisa de cor. Se quiser, grite.”

Minhas mãos vão direto nas fartas nádegas empinadas. Lhe estapeio algumas várias vezes, ouvindo seus gritos e vendo algumas lágrimas em suas bochechas. Me inclino beijando a região entre seu nariz, rodeada de sardas, compondo uma beleza peculiar em seu rosto.

            “Tão lindo... tão meu.”

Ergo sua cabeça e lhe dou mais três fortes tapas em seu rosto, logo mordendo seus lábios e lhe puxando para um beijo calmo e até mesmo... romântico.

            “Desculpe por te machucar, mas como não se descontrolar?”

Empurro sua cabeça contra os tecidos e levanto sua pélvis. Meu polegar passeia pelas suas nádegas até chegar a um centro que eu tanto adoro. Deixo movimentos circulares lhe enlouquecerem, como pode uma região lhe excitar tanto? Minha outra mão desliza pelos seu pênis ereto e molhado, levo um pouco do líquido aos meus lábios e saboreio seu sabor.

            “Não se preocupe, meu caro, lhe farei ver estrelas.”

Meu polegar então lhe adentra lentamente, apenas o começo, mas o bastante para você gemer baixinho e pedindo cada vez mais. Lhe darei mais, meu submisso.

Retiro lentamente e retiro a coleira do bolso de trás de minha calça. Envolvo-a em seu pescoço, tendo cuidado para que não sufoque, mas que aperte. Durante o ato, meu ato, nosso ato, irei aperta-la ainda mais. Quero que use seus gemidos e gritos para implorar por ar.

Retiro do outro bolso um pequeno frasco. Despejo o líquido em sua entrada, o suficiente.

            “Embora eu queira muito lhe foder apenas usando minha saliva, ainda temos uma longa noite pela frente.”

Lhe observo tremer. Tiro meu jeans observando a posição que você se encontra, tão lindo, tão meu. Não preciso de preservativos, você é só meu. Meu submisso.

Fico atrás de ti, meu sêmen se mistura com o líquido transparente. Suas costas arqueadas, perfeitas para o toque, com vermelhidões espalhadas, causadas por mim. Lhe penetro lentamente, sentindo o apertar em meu pênis e ouvindo seus gemidos. Sou paciente, sei que tem consciência disso, por isso não há preocupação em suas expressões de dor.

            “Agora, meu caro, peço que grite.”

E então eu lhe fodo do jeito que eu gosto. Estocadas fortes, o som das nossas peles preenchendo o lugar fazendo uma sintonia juntamente com os seus gritos. Aperto ainda mais a coleira enquanto meto, rápido, porém não tão fundo, você não gosta. Vejo seus olhos sumirem em suas pálpebras pois estou te fodendo do jeito que você gosta. Vez ou outra seu interior se fecha em meu pau e eu gemo grosso em seu ouvido.

Você é o único que me faz perder a cabeça e o controle de meu próprio corpo. Paro de estocar e, saindo levemente de ti, desamarro seus pés e o viro de barriga para cima, quero ver seu rosto, sua dor e seu prazer. Coloco seus calcanhares em cima de meus ombros e volto a fazer a magia acontecer ao adentrar novamente em seu interior tão delicioso.

Te dou estocadas tão fortes que saliva escorre de seu rosto. Um rosto tão lindo desses que minha mão parece escorregar quando lhe dou um tapa, seguido de outro e outro, até estar te esbofeteando tanto que você geme alto e bom som. Tiro a coleira, pois quero eu mesmo realizar o trabalho. Envolvo minhas mãos em seu belo pescoço e o assisto engasgar conforme aperto.

Seu rosto começa a mudar de cor e sua barriga misteriosamente começa a estar encharcada com um líquido branco e pegajoso, justamente quando você geme tão alto que o som invade meus ouvidos e minha mente.

            “Isso mesmo, baby.”

É nessa hora que eu também atinjo o meu máximo. Lhe preencho com mais que meu tamanho, agora também com meu licor. Faço questão de gemer em seu ouvido.

            “Meu.”

Saio de dentro de ti e retiro a coleira, limpo o suor de seu rosto e sua barriga com uma toalha. Logo iremos tomar banho, mas agora quero observa-lo enquanto ainda retoma seu fôlego.

            “O que aquela música diz é verdade”, você murmura deitado em meu peito.

            “O que?”

            “Dizem que todos os garotos bons vão para o céu, mas os garotos maus trazem o céu até você.”

Uma longa pausa até você beijar tocar seus lábios aos meus e sussurrar.

            “E você de fato traz o céu até mim.”

 

Fico feliz que saiba disso, meu garoto. Agora descanse, temos uma longa noite pela frente.

            Você é meu.

 


Notas Finais


O trecho da música é de “Heaven” da cantora Julia Michaels para a obra “Fifty Shades Freed”.
Bem, foi isso.
Espero muito que tenha gostado desta one! Tenho outra na mesma temática, “Seja Meu”, sei que irá adorar.
Eu escrevi essa com muito do meu lado poético, espero não ter decepcionado.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...