História Once - Camren - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Ariana Grande, Camila Cabello, Fifth Harmony, One Direction, Selena Gomez, Teen Wolf, The Originals, The Vampire Diaries
Personagens Ally Brooke, Ariana Grande, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Harry Styles, Lauren Jauregui, Liam Payne, Louis Tomlinson, Niall Horan, Normani Hamilton, Selena Gomez, Zayn Malik
Tags Bruxa, Caçador, Lobo, Pop Shippers, Vampiro
Visualizações 289
Palavras 1.866
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Ficção Adolescente, Ficção Científica, LGBT, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


GENTE PERDÃO É QUE EU NÃO SEI COMO O POVO FALAVA E NÃO SEI QUANDO USA O "S" OU "STE" bom, é só pra resumir as datas importantes

Capítulo 2 - Our blood


       Pov Camila

   Budapeste, Hungria - 9 de novembro de 1000 d.c

-Cale a boca. - ordenei e ela me olhou surpresa.

-Não fale assim com sua mãe Camila. - falou meu pai e eu me sentei.

-Me desculpa. E se for mesmo verdade?. - perguntei e eles ficaram pensativos.

-Se for verdade. Você vivera a eternidade. - respondeu Sofia e eu soltei uma risada nasal.

-Sabe... Eu não quero viver a eternidade sozinha. - falei e ela ficou tensa por que o incrivel que pareça eu senti o cheiro.

-Eu não vou beber seu sangue. - falou e eu dei de ombro me levantando.

-Eu vou testar. Se funcionar... - falei saindo da sala e da casa.

Agora é escolher quem irei dar lhe meu sangue. O meu e os outros que eu digeri ultimamente. É simples, pelo que eu li é só dar meu sangue e o matar... A parte que eu mais gostei, matar. Tem que ser uma pessoa jovem, com sonhos. Oh, não... Isso é tosco. 

-Volte aqui pestinha. - gritou uma mulher para uma criança que saiu correndo e claro eu fui atras com minha "super velocidade". Sabe... estou amando esse lance de ter "poderes".

-De onde você saiu?. - perguntou ao parar e eu sorri.

-Do inferno e você?. - perguntei de volta e ela sorriu.

-Bom... Eu preciso ir. - falou passando por mim e continuando seu caminho só que andando.

-Porque estas roubando tomates?. - perguntei indo atras dela que olhou para os tomates em sua cesta.

-Porque eu quero tacar-los nos garotos. - falou sincera e eu soltei uma risada nasal.

-Gostei. E porque vai tacar neles?. - perguntei esperando uma resposta mas ela parou.

-Porque eu quero. - falou franzindo o cenho e voltando a andar.

-Tens quantos anos?. - perguntei a olhando que me olhou.

-Treze. - respondeu e eu assenti com um sorriso no rosto.

-Quer ajuda?. - perguntei e ela sorriu de lado.

-Achei que iria brigar comigo. - falou e eu neguei com o cenho franzido.

-Jamais. Eu fazia a mesma coisa. - falei e ela me olhou confusa.

-São eles. - falou olhando para tres garotos brincando e eu sorri.

-Qual o seu nome?. - perguntei e ela negou colocando a cesta no chão.

-Dinah e o seu?. - perguntou de volta e eu mordi o labio inferior.

-Dinah... O meu é Camila. - respondi sorrindo para ela.

   (...)

   12 de novembro de 1000 d.c

-Ele acordou. - falou Sofia e eu olhei para o garoto que estava deitado no sofá.

-Onde eu estou? Quem são vocês? E essas batidas? Argh... - resmungou colocando as mãos no ouvido e eu peguei o copo de sangue para ele que bebeu como se estivesse a anos sem se alimentar.

-O que era isso? É tão bom... - falou e eu soltei uma risada nasal o deixando confuso.

-Sangue... Humano. - respondi e ele arregalou os olhos.

-Porque? E porque eu quero mais?. - perguntou e eu revirei os olhos.

-Porque você é um vampiro agora e porque você precisa de sangue humano para sobreviver. - respondi e só o deixei mais assustado.

-Vam... O que?. - perguntou e eu peguei o anel indo até o sofá e colocando no dedo do mesmo.

-Eu explicarei em detalhes depois... Qual é o seu nome?. - perguntei e ele ainda estava confuso.

-Ha-harry. - respondeu e eu assenti olhando para Sofia que assentiu tambem.

-Harry, eu preciso ir ali. Sofia cuidará de você. - falei e ele assentiu hesitante.

    (...)

 

Lisboa, Portugal - 6 de maio de 1329 d.c

-São vampiros, lobos e bruxas para todo lado Camila!. - exclamava minha mãe e eu revirei os olhos.

-Vampiros é culpa do Harry e de Dinah. Lobos... Eu mordi forte na garota durante... - minha mãe me interrompeu.

-Eu não quero detalhes. - falou saindo da sala e eu ri sendo acompanhada por Sofia.

-Clara?. - perguntei ao sentir o cheiro de verbena e sai la de fora.

-Que enxame é esse?. - perguntou e eu dei de ombro.

-Acontece sabe. - falei com um sorriso cinico e ela apontou a besta para mim.

-Não somos capaz de lutar contra todos. - falou se referindo a familia dela e as minhas crias.

-Se vira. Eu te ensinei como lutar contra eles. - falei e ela atirou bem no meu peito fazendo com que eu abaixasse por conta da dor. Eu não morro por madeira mas doi. Tirei a estaca do meu peito a jogando no chão.

-Preciso de mais verbena e aconito. - falou e eu assenti brava entrando em casa.

-Clara Campbell, só pode. - Sofia falou se encostando na porta.

-Essa garota é insuportavel. - falei e ela olhou para o buraco da minha camisa e soltou uma risada nasal.

-Acho que você esta amando. - falou ela e eu franzi o cenho a olhando.

-Amando quem? Clara? Claro que não. - falei e ela arqueou as sobrancelhas.

-Por que não a matou ainda?. - perguntou e eu dei de ombro indo para o meu quarto.

Troquei de blusa e deitei na minha cama.

   (...) 

 

Lisboa, Portugal - 2 de outubro de 1329 d.c

 -Você fez o que?. - perguntou Sofia assustada e eu revirei os olhos.

-Coloquei Clara para dormir. - respondi com tedio e ela fez uma cara assustada.

-Tipo... Por quanto tempo?. - perguntou e eu bufei me jogando no Sofá.

-Não sei Sofia. Por quanto tempo eu achar melhor. - respondi e ela negou se sentando no sofá.

-Não fez isso por medo, não é?. - perguntou e eu franzi o cenho indignada.

-Como?. - perguntei de volta e ela revirou os olhos.

-Ela tem 17 anos. - falou e eu dei de ombro fechando os olhos.

   (...)

 

Denver, Colorado - 1 de janeiro de 1992 d.c

-Esta correndo boatos que Clara acordou. - falou Sofia com uma cara de interrogação e eu dei de ombro.

-Uau Clara, nunca pensei que fazia tanto sucesso. - falei ironicamente e ela bufou se sentando.

-Precisamos ir para o Brasil. La tem uma estatua de Jesus, enorme. - falou Dinah entrando no escritorio.

-O Cristo redentor?. - perguntei e ela assentiu se sentando na cadeira do outro lado da mesa.

-Ja foi la?. - perguntou Dinah e eu assenti voltando a escrever.

-Porque tem milhares de diarios? E continua escrevendo?. - perguntou Sofia e eu suspirei jogando a caneta na mesa.

-Eu tenho que escrever. Eu tenho que relatar tudo... Vai que meu bisnetos precisem. - respondi sarcasticamente e ela revirou os olhos.

-Papai e mamãe vem para cidade amanhã. Eles querem ir no restaurante de sempre. - falou Sofia e eu a olhei confusa.

-Fecharam aquele restaurante. - falei e ela fez cara de surpresa.

-Bom... Então ta. - falou saindo do escritorio e eu olhei para Dinah que babava na cadeira.

Por pura maldade eu empurrei a cadeira para tras com meu pé debaixo da mesa o que fez com que ela caisse para tras.

-Aí!. - resmungou quando caiu e eu sorri voltando a escrever no meu diario.

-O que acha de Miami?. - perguntei sem olhar para ela que levantou emburrada, fato.

   (...)

  Denver, Colorado - 20 de janeiro de 2018

-Denver... Eu estou de volta. - falei ao entrar na cidade e logo Dinah com sua "super velocidade" chegou parando ao meu lado

-Essa cidade tem nosso cheiro. - falou e me olhou abrindo um sorriso convencido, eu sorri junto.

-Essa cidade é nossa. - falei começando a correr com a minha "super velocidade" pela floresta até sentir o cheiro de Sofia e segui-lo. Mas uma flecha se aproximou e eu parei pegando-a antes que ela chegasse ao meu corpo.

-Como passou pela barreira?. - perguntou um homem com uma estaca na mão e eu sorri soltando a flecha.

-Não intendi?. - perguntei e ele fez uma cara de tedio.

-Porque ela não é somente um vampiro. - respondeu por mim uma garota pulando de um tronco.

-Um hibrido? Em Denver?. - perguntou ironicamente e eu dei de ombro.

-Você esta falando da barreira... - eu estalei os dedo e uma onda de eletricidade percorreu em meu corpo, senti as almas das bruxas entrarem no meu corpo. Alma por alma. Poder por poder. Linhagem por linhagem.

-A que você acabou de destruir. - falou desapontada a garota se aproximando e assim pude ver seu rosto, seu corpo. Que por sinal era uma perfeição, olhos verdes, cabelos escuros e longos, e o corpo... É até pecado. E o modo que ela segurava a besta, do mesmo jeito de clara. A besta se encaixava perfeitamente em sua mão.

-Não fica triste... Princesa. - falei imitando a cara de emburrada dela.

-Vampira, loba, bruxa... O que mais?. - perguntou apoiando a besta em seu ombro.

-Hm... Se lhe agrada, a pessoa mais velha da terra. - falei com um sorriso e ela suspirou negando.

-Minha mãe disse. Ta vendo Tyler?. - perguntou olhando o homem de lado para o homem.

-Ela. - falou com um olhar de desapontado mas o coraçãozinho dele acelerou.

-Esta com medo Tyler?. - perguntei cinicamente e ele negou firmemente mas o coração dele só acelerou mais.

-Somente ansioso para te matar. - falou e eu parei na sua frente ao piscar os olhos.

-Me matar?. - perguntei pensando na hipótese.

-Clara encontrou um jeito. - o nome me chamou atenção e eu sorri.

-Hm... Clara Campbell em Denver?. - perguntei adorando a noticia e ele desfez sua expressão confiante.

-Conhece mesmo minha mãe?. - perguntou a garota atras e eu assenti sem olha-la.

-E então, Tyler... Eu estou com fome... Que tal ser meu almoço hoje?. - perguntei e ele engoliu seco.

-N-não. - gaguejava ele e seu coração estava como rock para adoradores de country.

-Poxa... Mas... Eu mando aqui. - falei e ouvi Dinah chegar parando atras de mim.

-Aqui não Camila. Aqui ninguem morre, não lembra?. - me lembrou Dinah e eu a olhei com tedio.

-Lembro mas acontece que a cidade esta infestada de caçadores e Clara esta aqui. - falei me aproximando da garota de olhos verdes.

-Clara?. - perguntou Dinah assustada e eu assenti olhando bem fundo nos olhos verdes.

-Dirá para Clara que eu preciso ter uma conversa com ela. Tomar um chá, quem sabe?. - eu não a compeli como outros vampiros fazem pois o seu cheiro de verbena e aconico faz meu nariz arder. Eu usei uma tecnica de hipnose que eu aprendi.

-Nunca mais faz isso. - falou e eu arqueei as sobrancelhas. E parei para ouvir seu coração e eu me surpreendi. Ele batia normalmente.

-Não tem medo?. - perguntei meio confusa e ela sorriu de lado como deboche.

-Porque eu teria medo de você? Porque todos tem?. - perguntou ironicamente e eu neguei por raiva.

-Copia da Clara... Espera. - parei para racionar e fiquei totalmente surpresa.

-Todos falam isso. Esta chato ja. - falou com cara de tedio e eu mordi o labio inferior.

-Você não se parece nada com sua mãe, fisicamente. - falei impressionada por cada traço daquela garota.

-Camila, o jantar... - lembrou Dinah e eu a olhei assentindo desaparecendo de la.


Notas Finais


Espero que tenham gostado
Beijus
Desculpa eu qualquer erro
Até o próximo capítulo ☺️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...