História Once in a lifetime - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias As Provações de Apolo (The Trials of Apollo), Os Heróis do Olimpo, Percy Jackson & os Olimpianos
Personagens Apollo, Bianca di Angelo, Hades, Jason Grace, Nico di Angelo, Percy Jackson, Will Solace
Tags Jason Grace, Jercy, Nico Di Angelo, Nill, Percy Jackson, Solangelo, Wilco, Will Solace
Visualizações 217
Palavras 1.704
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Ficção Adolescente, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi (Gay)
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Pansexualidade, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Eu sabia que não ia conseguir me segurar e ia acabar escrevendo outra história, mas prometo que desta vez eu vou atualizar bem rapidinho pra vocês.

Espero que gostem e que leiam minhas outras histórias.

Beijinhos e boa leitura.

Capítulo 1 - I Just Wanna Talk to Him


Nico fechou os olhos, decidido a adormecer novamente. Porém, com a cabeça cheia, ele apenas ficou imóvel por alguns minutos, pensando no novo ano que ele teria pela frente, com um conflito interno dentro de si, imaginando se estava feliz por ver novamente seus amigos ou se triste pelo inferno que seria o segundo ano de ensino médio, com todo os trabalhos e preparações para a faculdade, principalmente se considerasse que sua mãe dava aulas de biologia para a sua classe — Maria sempre fez questão de envergonhar Nico para toda a sala. 


Mas, apesar de reclamar, o moreno adorava aquele lugar e o afeto que criara pelos melhores amigos e professores. Logo, com a imagem de todo a animação do primeiro dia de aula, di Angelo levantou-se e rumou para o banheiro, pronto para o dia agitado que teria. 


Menos de meia hora depois, o garoto já se arrependia amargamente de ter acordado, sentindo o líquido gelado que havia derrubado em seu próprio peito escorrer pela sua camisa. 


— Você é muito desastrado, cara — Bianca resmungou, correndo para seu socorro e o ajudando a limpar a bagunça que havia feito. 


Na escola não estava sendo diferente, toda a aglomeração de adolescentes eufóricos estava deixando-o irritado, mas ao olhar seus dois melhores amigos conversando a um canto, ele se vê obrigado a ignorar todo e qualquer fragmento de pensamentos que incluíam gritar e chutar alguém. 


— E aí? — cumprimentou, não muito interessado nas respostas, apenas tentando ser o mais agradável possível. Raras as ocasiões que ele se importava com isso. 


— Hey, você está horrível — Percy sempre tomando cuidado com as palavras, claramente não mudou nada desde a última vez que di Angelo o viu. Se fosse outra pessoa o garoto talvez retrucasse à altura, mas era difícil encarar seus olhos verdes e pensar em uma frase coerente. 


— Senti sua falta também, Perseu. 


— Não, eu quis dizer que você não parece tão animado quanto eu esperava. Pensa só no tanto de caras que você vai ter a oportunidade de ficar esse ano. Se anime! 


"E nenhum deles vai ser você". Ele queria se bater depois de pensar isso, sabia que Jackson sempre o viu como veria a um irmão, mas não conseguia fazer muita coisa quanto a sensação desconfortável de ciúmes pelo garoto não se importar nada com as pessoas que ele ficava, diferente de como ele agiria com Annabeth. Na verdade era estranho a loira não estar com ele, talvez aquele não fosse um dia tão ruim e ele viesse a descobrir que Percy estava solteiro, embora isso não aumentasse muito suas chances. 


— Uau, até parece que você estava prestando bastante atenção nos meninos solteiros e bonitos desse ano. — Jason o provocou — Talvez fossem bons pretendentes para você. 


O garoto deu de ombros como se deixasse em aberto essa questão, o que surpreendeu um pouco Nico. Nunca pensou que o rapaz ficaria com qualquer outra pessoa que não fosse a Chase, muito menos se tais indivíduos fossem do mesmo gênero que ele. Grace não pareceu menos supreendido com a reação inesperada, talvez se Percy tivesse socado a cara dele ele estivesse com uma expressão menos idiota.


— O quê? — o garoto perguntou depois de um tempo, olhando a cara espantada dos colegas e dando um sorrisinho de lado — Experimentar coisas novas é bom, não é, Nico? 


— Fale por si mesmo — retrucou, jamais se imaginando com alguém do sexo oposto, fazendo os dois colegas rirem levemente, antes de começar a apontar todas as pessoas que poderiam se envolver durante aquele ano. 


Porém, antes que tivesse a chance de achar alguém interessante de verdade, o sinal tocou e foram obrigados a seguir para suas classes. 




Nico nunca imaginou que encontraria alguém que o atraísse tanto quanto Percy, mas olhando para o garoto sentado ao seu lado ele percebeu como estava redondamente enganado. Os cabelos loiros e cacheados cobriam-lhe as orelhas, os olhos azuis como o céu eram delicados e vivos, a pele bronzeada, tinha um corpo magro e de baixa estatura, chegando a ser mais baixo que di Angelo. O garoto havia sido esculpido pela própria Afrodite. 


Ele não levantou seu olhar em momento nenhum, o que de certa forma foi bom para Nico que pode analisar sua beleza vez ou outra. Nunca tivera problema de puxar assunto quando era de seu interesse, e, modéstia à parte, poucas foram as vezes que fora rejeitado — exceto pelas ocasiões onde o alvo era heterossexual —, mas algo o impediu de seguir adiante, além do fato de nunca ter visto o dito cujo naquele colégio — o que indicava ser um novato —, havia algo em seu comportamento que parecia isolá-lo e deixá-lo distante, como se não quisesse ser incomodado e tirado de seu devaneio. Não tinha certeza se notara isso pelos fones de ouvido que pareciam transmitir uma mensagem de "não quero ouvir o que você tem a dizer" ou mesmo pelo fato de encarar o chão como se não estivesse com a mínima vontade de constatar a quantidade de pessoas naquela sala de aula. Di Angelo não sabia porque estava tentando ler as atitudes do rapaz, mas tinha o palpite de ser por muitas vezes apresentar um comportamento parecido, como se ignorar determinadas coisas fizesse com que elas sumissem.


Decidido por afastar os pensamentos, uma vez que o loiro não era ninguém importante para ele, não havendo porque de se preocupar com o que se passava na cabeça dele e o motivo de parecer tão antissocial, puxou um livro da mochila para se distrair enquanto o professor não chegava. Ele já tinha seus próprios problemas para se preocupar, tirando Percy e Jason, tanto fazia para ele o que seus colegas de classe enfrentavam em sua vida pessoal, nunca se importara, não seria agora que um sujeito qualquer o faria se meter na vida de alguém e perguntar se estava tudo bem. Isso não era nem de longe do feito dele, e ele preferia admitir isso e se passar por egoísta do que ser um hipócrita que fazia discursos de amor e no dia a dia não praticava metade do que pregava.




Will (que ele descobriu ser o nome do garoto) olhava para o cardápio da cantina desconfiado, coçando o cabelo cacheado e parecendo tentar se decidir entre o que deveria comer. Quando finalmente escolheu entre os lanches e fez sua pedido, virou-se para Nico, encontrando seus olhos com o do moreno e o encarando por alguns segundos, antes de corar e desviar o olhar para o lado. 


— Se você não ir falar com ele, ele não virá falar contigo — suspirou Percy, sugando as últimas gotas de refrigerante pelo canudo, fazendo di Angelo mergulhar em diversas possibilidades que envolviam conversar com o menino — Jason, compra outra Coca-Cola para mim?


Sem perceber o que se passava com os dois a sua mesa, caminhou lentamente até o menino, sorrindo quando novamente o olhar de Will encontrou seu rosto.


— Oi, Will — chamou, sem se preocupar com a formalidade para chamá-lo pelo sobrenome. 


— Oi — ele respondeu e naquele momento Nico quis matá-lo. Havia tido a dificuldade de ir até ali e ele deveria fazer o melhor e, pelo menos, responder mais agradavelmente. 


— Então — começou, tentando novamente pensar em algo — Nunca te vi aqui antes, é novo? 


— Sim, eu acabei de me mudar para a cidade. 


O moreno tinha se esquecido de como era difícil conversar com alguém que você não tinha intimidade. Não era como se ele perdesse muito tempo falando com as pessoas que ele ficava, digamos assim. 


— Posso sentar com você?


Os olhos azuis o estudaram como se analisando a porcentagem de uma catástrofe ocorrer com a decisão de Nico de se aproximar dele, o que levou alguns milésimos de segundos antes de Will consentir, mas o suficiente para ele perceber e se perguntar se estava incomodando. Não importava mais, já estava ali e não tinha como voltar atrás, e nem se arrependia. 


— Relaxa, eu não mordo. — garantiu a ele, que respondeu com um sorriso que só o deixou mais bonito — Se mudou com seus pais? 


— É — a essa altura di Angelo não sabia se queria afogar Will no refrigerante ou a si próprio. 


— Já pensou em falar um pouco menos? — ele realmente esperava que a ironia fosse entendida, era ruim o suficiente ter que explicar piadas para Percy, imagina para alguém que não tinha intimidade. 


— Impossível com o assunto fluindo tão naturalmente. — pelo menos ele não foi burro como o de olhos verdes seria, poupando Nico da explicação — E você? Mora com seus pais? Tem irmãos? Como eles são? 


— Tenho uma mãe, um pai e uma irmã. Eles tem dois olhos, um nariz e uma boca igual eu. 


— Eles realmente se parecem com meus pais. 


— Espero que não sejamos irmãos então.


— Tenho certeza que não, ou você seria tão lindo quanto eu — retrucou meio corado pela investida de Nico feita anteriormente. 


— Você tem razão — di Angelo ria levemente, se recompondo antes de continuar — O que está achando da escola?


— Gostei dos professores que vi até agora, dos alunos nem tanto.


— Mas você só falou comigo até agora — ele realmente não se importava que estivesse demonstrando que o observava. 


— Por isso mesmo, oras. 


Durante alguns milésimos de segundo Nico não teve reação, até que viu o canto da boca do loiro tremendo levemente e os dois riam, demorando poucos segundos antes que qualquer um pudesse dizer alguma coisa. 


— Diz isso porque ainda não conheceu a professora de biologia, ela é horrível e todo mundo gosta dela. Mas talvez eu só ache horrível porque ela é minha mãe. 


Foi desta forma que se passou o restante do intervalo e todo o tempo livre nas aulas. A conversa surgia com um pouco de esforço de ambos, que logo puderam encontrar interesses em comum, tornando tudo mais simples. 


Por um momento, Nico se perguntou se realmente gostaria de ficar com o garoto, pensando se deixariam de ser amigos caso acontecesse e constatando que queria que pudessem ser como era com Jason e Percy. 






Notas Finais


Pessoal, peço que vocês tenham calma com os personagens porque o relacionamento deles não vai ser rápido como das outras vezes, eu estou tentando desenvolver os personagens pra história ficar mais legal. Então, de todo coração, não desistam de ler.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...