1. Spirit Fanfics >
  2. Once In A Lifetime >
  3. Capítulo 7

História Once In A Lifetime - Capítulo 8


Escrita por: e SamaraMikaelson


Notas do Autor


Dica: Se quiserem ter o efeito, leiam escutando Illusory Light da Sarah Blasko

Capítulo 8 - Capítulo 7



         -Seus surtos recentes. A explicação sobre eles está no grimório e não é coisa boa.- Bonnie falou, sentando-se a mesa.

- Por favor, continue.- Kaleen respondeu, colocando mais panqueca na boca.


- É algo na língua antiga, não consegui entender bem. É na seção sobre os sifões.


- Latim?- Stefan questionou.


- Sim.- a Bennet replicou.


- Eu sei Latim.- Damon falou, indo em direção ao livro.- Na época que fui a faculdade, éramos ensinados esse idioma.


- Velho.- a de cabelos pretos murmurou, tomando um gole de café.


- Cala a boca.- ele resmungou, abrindo o grimório na página indicada e começando a ler. Logo o Salvatore mais velho voltou aos outros.- Não é bem uma explicação. É como se fosse um enigma, ou uma parábola. Mais pra mal escrito.


- Tudo que eu havia conseguido entender tinha sido que não era boa coisa.- Bonnie falou, cruzando os braços, indicando que o de olhos azuis continuasse.


- "Sifões são ruins, mas Syphoners são mais. Desde que eles começam a enlouquecer, nada pode fazê-los voltar atrás. Suas cabeças pegam fogo, dão seus sinais. Até todas as dimensões..."


   Depois de alguns minutos, todos ainda olhavam para Damon, quem os encarava de volta.


- O quê?- ele falou.- Acabou, é só isso.


- Não tem mais nada?- a garota questionou.


- É como se... não tivesse sido finalizado. Como se a pessoa tivesse desistido de escrever o restante, ou algo a obrigou a parar.- Bonnie falou, uma expressão preocupada em seu rosto.

                              -----------------------

   Kaleen estava na sala lendo um livro, quando Elena entrou as pressas, dirigindo-se a escada a qual dava pro porão. É claro que a duplicata teria de aprontar ou maquinar algo. A garota nem deu muita importância a isso. Até lembrar quem estava no subsolo e as informações que seriam conquistadas.


    Algumas horas depois, a de cabelos castanhos subiu novamente, um pouco aterrorizada. Ela havia provavelmente chamado todos para se reunírem na sala de estar da mansão, pois todo mundo claramente estava ali. Eles discutiam algo sobre Klaus e a ameaça que ele causava a duplicata, quando a garota conseguiu pegar uma frase no meio da conversa:


- Então vamos quebrar essa maldição de uma vez e acabar com isso.- a duplicata resmungou.- Vocês tem a pedra da lua, meu sangue...


- Não são essas coisas que quebram a maldição. Sacrifício é o que quebra. Você precisa morrer.


- Então fuja.- Damon rebateu.


- Se eu fugir, ele vai fazer o mesmo que ele fez com Katherine.- Elena respondeu.


- Se você não tem medo do Klaus, você é um idiota.- Rose rebateu.


- Ok, estamos tremendo, você fez seu ponto.- Damon rebateu.- Como conseguimos saber mais desse cara?


- Slate...


- Klaus Mikaelson, também conhecido como Niklaus Mikaelson, pertencente a família de vampiros originais, híbrido, porém seu lado lobisomem está preso, e é por isso que ele precisa da Elena, além de claro, ele ter sido quem criou essa estupidez da maldição do Sol e da Lua, quando na realidade nada disso existe.- a de cabelos pretos interrompeu-a, falando rapidamente.


- Quê?- a vampira de cabelos loiros escuros soltou, em choque.- Como assim essa maldição não existe? E porquê você está falando isso agora?


- Vocês iriam fazer uma viagem, e Elijah ia tentar matar ambos, além de eu ter muito mais conhecimento do que o Slater, além de claro, tempo é dinheiro.- Kaleen falou.


- Como o Elijah ia nos matar se ele está morto?- Damon perguntou.


- Ele não está morto, camareira.- a garota replicou.- Colocar uma estaca no peito de um Original tem o mesmo efeito que quebrar seu pescoço.


- Mas que história é essa da maldição não ser real?- Stefan questionou, sentado ao lado de Elena.


- É uma maldição sobre o próprio Klaus. Não envolve nem vampiros nem lobisomens, envolve ele virar um híbrido completo. Bom, digamos que precisamos que ele cumpra essa maldição. Ou é claro, eu poderia entrar em ação, mas ainda sim, precisaríamos do Klaus híbrido.- a de olhos azuis rebateu.


-  E eu vou morrer por você simplesmente precisar do Klaus híbrido?- Elena questionou, raiva em sua voz.


- Você não vai morrer, gata.- Kaleen rebateu, se levantando e indo em direção a porta para caminhar até a escola.- Eu tenho um plano, pra quando chegar a hora. Até lá, vamos evitar confusão, e aceite o acordo que Elijah lhe oferecer.

                               ---------------------

     No meio da aula de história, o celular de Kaleen começou a vibrar. O que lhe era estranho, pois o objeto era obsoleto. Ela desligou sem olhar quem era, porém logo começou a tremer de novo. A de cabelos pretos se irritou, pedindo licença ao professor e saindo da sala.


- O que foi, Damon?- a garota replicou, irritadiça.


- Elena. Ela fugiu. Rose também. Rose me ligou avisando que o mártir ambulante estava solto e me passou o endereço, e eu estou aqui na frente da sua escola te esperando.


- Me esperando? E porquê eu preciso ir? E quem deveria estar cuidando disso não era o Stefan?


- 1. Você é o oráculo daqui. 2. Stefan está no dever de ajudar Bonnie com tirar o feitiço da pedra da Lua. 3. Eu e a Sabrina não nos suportamos, então aqui estamos.- ele falou com uma voz irritadiça.- Se você puder adiantar...


   Kaleen caminhou até a saída do colégio, se deparando com o Camaro de Damon já lá esperando-a. Ela entrou e sentou no banco de passageiro.


- Essa história de desenfeitiçar a pedra da Lua, é uma má ideia. Não vai dar certo, e se der, vai dar merda.- falou, colocando a mochila no banco de trás.


- Porquê vai dar merda?


- Eu já disse. Precisamos que Klaus cumpra o maldito ritual.- reclamou.- Eu tenho um plano. Ligue pra Stefan e avise isso, por favor.- ele entregou-a o celular e a garota começou a digitar a mensagem pro Salvatore mais novo.- Eu não sei o que vocês tem, mas eu instruo pra vocês ficarem longe de confusão e tudo o que fazem é irem pro perfeito oposto do que eu orientei. Já parou pra pensar que eu estou tentando salvar todo mundo?


- Não sei como você vai fazer isso. Num ritual aonde 3 pessoas precisam morrer e você está querendo prosseguir de boa vontade.- Damon rebateu.


- Se não fizermos, muito mais gente irá morrer. Klaus vai matar a cidade toda, enquanto se ele virar híbrido, ele vai poder procriar, nos livrando dele em média no período de um ano. Sem contar que as pessoas as quais vão acabar falecendo; merecem. Menos a Jenna, mas isso eu dou um jeito. A Elena a solução é simples. Todavia, acho que ela não vai aceitar, não com a mentalidade que ela tem agora.


- Como assim?


- Confie em mim. Isso que eu peço. Eu lembro muito bem o que acontece no final da temporada, e já pensei num jeito de contornar essas coisas.


    Damon estacionou dentro do lugar, os dois subindo os lances de escadas rapidamente. Logo, a garota conseguiu identificar as vozes vindas do apartamento.


- Vamos.- o Salvatore falou, abrindo a porta e indo rapidamente em direção a Elena.


- Não.- ela rebateu.


- Elena, vamos.- Kaleen falou, praticamente implorando. Ela não queria ter de encarar Elijah novamente.

 

- Eu já disse que não vou.- a duplicata rebateu, cruzando os braços.- Vocês precisam respeitar as minhas decisões.


- E quem vai te salvar enquanto você faz decisões?- Damon rebateu, impaciência em sua voz.- Vamos ou eu vou te arrastar até o carro.- ele se aproximou, fazendo a garota de cabelos castanhos tentar dar-lhe um tapa, o qual o próprio segurou no ar.- Nunca tente fazer isso de novo.- a voz era um sussurro, como se fosse uma ameaça.


- Hã...gente...- a de cabelos pretos falou assustada,  quando a porta se abriu violentamente e dois vampiros passaram por ela.- Puta merda.- ela xingou baixinho, sabendo o que estava por vir.


- Cadê a duplicata? Klaus quer vê-la.- o mais alto falou.


- Ela está...- Elena começou a falar, indo na direção deles, quando Damon segurou-a pelo braço, puxando-a de volta.


- Cale a sua boca antes que eu arranque a sua língua.- ele falou num tom irritado. No momento em que algum deles iria dizer algo, Elijah apareceu, fazendo Rose fugir.


- Tem alguém além de vocês dois que sabe disso?- o Mikaelson questionou.


- Não...- um deles falou, porém antes do próprio terminar a frase, o Original matou ambos, arrancando seus corações. Os corpos caíram ao chão, e ele foi embora do mesmo jeito que chegou.


    Depois disso, os três caminharam até o carro, silêncio permeando entre eles. Até Kaleen começar a falar:


- Elena, eu sei que você não quer que ninguém morra, e pra isso eu preciso que você me escute estritamente.- a duplicata prestava total atenção na outra garota agora.- Primeiro; tire Jenna e Jeremy da cidade, mande-os pra longe. Eles não podem morrer. Damon, você e eu vamos precisar fazer um resgate mais pra frente, porém enfim, assunto pra outra hora. E eu preciso que vocês me tragam a Isobel. Assim temos Lobisomem, Dooppelgänger, Vampiro e Bruxa.


- Quem seria o lobisomem?- o Salvatore perguntou.

- Você vai saber.- ela rebateu.


- E como ela não vai morrer?


- Sangue de vampiro.- Kaleen replicou.


- Eu não quero me tornar vampira!- a duplicata disse com desespero.


- Elena, é isso ou o John vai se matar pra você viver. Eu sei que você o odeia, mas estou tentando impedir que a sua família inteira simplesmente morra. E você vai virar vampira de qualquer jeito. É agora ou daqui há um ano e meio mais ou menos. Entenda que eu estou tentando te salvar de ter de enterrar mais algum parente além da Isobel. Apenas siga o acordo com Elijah, e quando for a hora, Damon vai acabar eventualmente te dando o sangue. John e Bonnie vão tentar interferir, mas isso é um problema realmente pra mais tarde.


   Ninguém mais falou nada a viagem inteira.

                                      

                               ---------------------------

     Kaleen estava servindo pessoas no bar naquele dia mais tarde, quando uma mulher sentou à mesa. Jules. Ela devia estar na cidade procurando Mason.


- Posso ajudar?- a garota perguntou, ainda lavando um copo.


- Whiskey, com limão por favor.- a lobisomem pediu.


   Enquanto a de cabelos pretos preparava a bebida, Alaric se sentou ao lado da moça trazendo sua bebida e falando com uma voz arrastada:


- Bom, olá. Posso ter um uísque e um do que essa moça linda está bebendo?


- Ah não, um é o meu limite.- ela respondeu.


- Ah vamos lá, não é como se eu estivesse sendo um louco. Apenas estou sendo amigável com a pessoa nova da cidade.


- Ok, se você diz.- Jules falou.- Como você sabe que eu sou nova aqui?


- Porquê eu nunca te vi aqui antes. E eu estou aqui todos os dias.


- Licença, esse cara está te incomodando?- Damon entrou na conversa, Kaleen ainda os observando de longe e limpando copos.


- Eu não estou incomodando ninguém.- Ric respondeu, ainda com a fala arrastada, a qual a garota já sabia ser falsa.


- Perfeito, então, faça isso em outro lugar.- o Salvatore rebateu, indicando com a cabeça pra ele ir a outro lugar. Kaleen entregou-os a bebida, voltando a seu antigo ponto.


- Pode deixar, ele é inofensivo. Sabe, meio que o bêbado da cidade.- enquanto Damon falava, Alaric colocava Wolfsbane na bebida pertencente a Jules.- Quando a gente se cansa dele, joga num táxi e manda ele pro lugar de origem.


- Não fale de mim como se eu não estivesse aqui.- o de cabelos loiros replicou, empurrando a bebida batizada na direção da lobisomem.


- Por que ainda está aqui?- o de cabelos pretos falou, olhando para o amigo.


   Alaric levantou a própria bebida em sinal de despedida.


- Obrigada pelo drink.- Jules falou levantando o próprio copo, antes dele se retirar.- Você sabe onde tem lugares para se hospedar por aqui?


- Tem uma pousadinha lá pra baixo e tem um motel na interestadual.- o Salvatore replicou, bebendo a própria bebida.- Mas sabe, se quer saber, é um engano.


- Não precisa luxo.- a lobisomem sorriu.- Só vou ficar uma noite. É uma longa história. Vim procurar um amigo.


- Ah, quem?


- Mason Lockwood.


- Eu conheço Mason.- Damon respondeu.


- Conhece?


- Sim, ele é um cara bacana.


- Ele está desaparecido.- Jules disse, com impaciência.


- Como assim?- o de cabelos pretos semicerrou os olhos em falsa confusão.- Tipo desaparecido, sumido?


- Como você conhece Mason?- a lobisomem questionou-o.


- Amigos de amigos.- ele respondeu, estendendo o copo como se sinalizasse pra ela beber. Kaleen bateu a mão na própria testa ao fundo. "Ele acabou de se entregar." pensou.


    Jules mexeu ao seu próprio copo, revirando a bebida cor de rosa, enquanto isso Damon e Alaric trocaram olhares de impaciência.


- Se acha esperto, não é?- ela falou, arrogância na voz.


- O que você quer com Mason Lockwood?


- Ele é meu amigo.


- Bom, lamento te informar que provavelmente você não vai encontrá-lo.- o Salvatore falou, ameaça em sua voz.


- E por que não?


- Você devia sair da cidade.- ele ainda mantinha o tom ameaçador.


- Está me ameaçando? Na lua cheia. Mas como você é idiota.


- Damon, que tal eu pegar a próxima rodada?- Alaric disse, voltando a se intrometer na conversa.


- Eu acho que acabamos, Ric.- Damon o respondeu, acidez na voz.- Você acha que eu tenho medo de você?- ele falou, se dirigindo a Jules.


- Não, não acho. É a sua arrogância de vampiro.- Kaleen ficou chocada lá atrás. Ela não lembrava direito dessa parte da série, geralmente a mesma pulava esses episódios que o Stefan estava na tumba por achá-los muito chatos sem muito de seu personagem favorito. "Como Jules sabe que ele é vampiro?"- Devia estar. Farejei você na hora em que você entrou nesse bar junto com essa erva patética. Sabe, estou nisso há muito tempo. E em qualquer outra noite do mês, a situação seria inversa, mas essa noite não é uma boa noite para comprar briga comigo. Você está marcado.

 

   Damon continuou encarando-a até ela sair do bar, a face sem entender muito. Ele olhou de canto para a garota de cabelos pretos, que tinha uma face confusa.


- Porquê você está confusa, Criatura não identificada?- ele a questionou.


- Eu não lembro do que acontece agora. Eu só assisti esses episódios uma vez e depois sempre pulei.- ela estava em desespero.- Eu não lembro o que acontece, Damon...


   Kaleen ainda estava tentando se forçar a lembrar do que ocorria nos episódios enquanto terminava de arrumar o bar pra fechar, sem sucesso algum. Ela nunca se arrependeu tanto de pular episódios quanto se arrependeu naqueles momentos. A garota foi caminhando até em casa, rezando pra não bater de frente com algum lobisomem em seu caminho.


   A sorte estava a seu lado, pelo menos naquilo. Ela abriu a porta da mansão e entrou, encontrando Damon e Rose sentados ao sofá. Ela vestia um roupão roxo, e ele estava com ela no colo, porém o Salvatore olhava para o ombro da vampira com preocupação se desenhando em seu rosto.


- Eu já disse pra vocês...- a garota começou a reclamar por estarem praticamente se engolindo de novo, porém ela parou quando viu a preocupação nas feições de Damon.- O que aconteceu?


- Jules.- ele respondeu, indicando com o dedo para que a garota fosse até aonde o mesmo estava, lhe dando oportunidade para ver.


- Puta merda, puta merda, puta merda...- a garota xingou, tremendo.- Klaus ainda não virou híbrido, o sangue dele é inútil! O que vamos fazer?- ela tentava procurar uma solução para isso, tentava pensar em algo rápido, em algum caso de mordida de lobisomem sendo curada sem ser com o sangue do híbrido original, porém Kaleen não conseguia achar nada que viesse a sua memória naquele momento.

                             ------------------------

- Eu fiz o acordo com Elijah.- Elena falou, entrando na sala.


- Ótimo.- Kaleen respondeu, bebendo mesmo sendo de manhã.- Continue seguindo isso até a segunda ordem.


- Porquê você está bebendo?- a duplicata a questionou, sentando-se ao lado da outra garota.- Eu nunca te vi beber antes.


- Rose vai morrer, Elena.- a de cabelos pretos choramingou.- Alguém vai morrer e eu simplesmente não sei como impedir por ter sido burra e ter pulado episódios!- as prateleiras começaram a tremer levemente. Lágrimas escorrendo das suas orbes azuis.- Eu literalmente poderia ter impedido isso, Elena!


- Shh, Shh, vai ficar tudo bem.- a duplicata a abraçou, tentando acalmá-la. Depois de um tempo, ela se desvencilhou.- Vou subir, preciso ir ver Stefan pra irmos pra escola. Se você quiser carona...


- Não vou ir hoje...porém obrigada.- Kaleen respondeu, sorrindo fraco.


   Depois de ter finalizado a garrafa, ela tomou coragem e foi até a biblioteca, aonde Rose estava sentada, olhando para a lareira.


- Eu nasci em 1450, então isso significa que eu tenho 560 anos.


- Se você fosse uma garrafa de vinho...- Damon falou, chegando com uma bolsa de sangue da cozinha e começando a colocar num copo de vidro. Agora eles tinham que armazenar o líquido na geladeira, graças a duplicata presa no andar de baixo.


-Então eu posso morrer. Já vivi muito.- Rose o ignorou, completando a frase.


   Kaleen não falou nada, apenas ficou sentada no sofá a frente do da vampira.


- Sabe, se você começar de bobagem, eu mesmo te mato. Só pra me livrar dos seus lamentos.


- Damon...- a garota de cabelos pretos falou pela primeira vez, em repreensão.


- Que isso, é só uma mordida de lobisomem.- ele cantarolou.


- Só uma mordida de lobisomem que é fatal pra vampiros.- a de cabelos loiros escuros rebateu, a voz de choro, porém rindo ao final da frase.


- Bom, segundo a lenda, que não é uma fonte confiável. Você viu que a Maldição do Sol e da Lua era uma mentira.


- Não, Damon.- Kaleen o interrompeu, seu olhar vidrado.- É verdade. Eu não lembro de ver a Rose em outras temporadas futuras...


   Ele não falou nada, apenas entregou o copo a vampira mais velha e ela bebeu.


- Bebe. O sangue cura.- o Salvatore disse.


- Sim. Mas não parece que está funcionando.


- Vamos dar uma olhada.- Damon respondeu, descendo o roupão dela para poder verificar a ferida. A de cabelos pretos nem tentou olhar. Era óbvio que estaria pior.


- Como está?- ela perguntou. Só pela feição dele já dava pra perceber o fato de ter piorado.


- Definitivamente...melhor. Não está, Elena?- o de olhos azuis falou, olhando para a duplicata, pedindo confirmação.


- Hum...não está...ruim.- a mesma gaguejou.


- Cadê o Stefan?- o Salvatore mais velho sussurrou.


- Ele saiu. Eu preciso que você fale com ele. Ele tá decidido a encontrar Isobel, mas acho que isso vai incomodar o Elijah.


- Eu estou com o Stefan nessa.- ele rebateu.


- Puta merda Damon, não!- Kaleen xingou, irritada.- Se vocês acharem Isobel, Klaus vai ter a vantagem, ele vai pegar a Elena antes do tempo!- a garota caminhou até a duplicata, estendendo a mão.- Me empresta seu celular.


- E o seu?


- Até eu colocar o número dele aqui, ele provavelmente já fez merda. Me dá.- Elena a entregou, e logo a garota já ligou pra o Salvatore mais novo.- Stefan, eu preciso que você pare de procurar Isobel, agora, no sentido de AGORA.


- Porquê?- ele questionou, do outro lado da linha.


- Klaus tem ela! Se você trazê-la pra cá, você vai trazer quem? Klaus! Não, não, não e não! Ele vai sequestrar a Elena!


- Como assim?- Stefan perguntou.


- PARE.DE.IR.ATRÁS.DE.ISOBEL!- Kaleen falou pausadamente, para não haver dúvidas e então desligou a linha.


- Mas você disse que precisaríamos dela...- Damon respondeu sem entender.


- Não agora! Agora precisamos manter um perfil baixo e seguir o que Elijah está dizendo. Quando a hora de pegarmos Isobel chegar, eu avisarei a vocês.- ela reclamou, estralando os dedos em impaciência.- Vocês precisam parar de fazer as coisas sem me perguntar antes. Simplesmente vai fazer com que todos morram.


- Bom, se vocês puderem bancar as enfermeiras por um tempo...- o Salvatore mais velho pediu.


- Não é necessário.- Rose rebateu.


- É necessário.- ele falou, saindo. Elena o seguiu, deixando Rose e Kaleen sozinhas.


- Quer mais sangue?- a garota ofereceu.

                               --------------------

   A duplicata voltou depois de alguns segundos, encontrando as duas outras deitadas e a vampira parecia contar alguma coisa. Quando ela sentou no sofá ao lado da de cabelos pretos e começou a escutar o que era falado.


- Eu sempre quis ir a Londres. Desde pequena. O interior parece ser a parte mais linda.- a adolescente comentou, deitada no sofá, olhando para o teto como se sonhasse acordada.


- E é.- a vampira comentou.- Faz muitos anos que não tenho estado na Inglaterra, porém o interior é a parte mais linda do país, de certeza.- ela pausou a fala, pois a mesma começou a tremer. Elena colocou a mão em sua testa, vendo que estava febril. 


   As duas ajudaram Rose a levantar-se, direcionando-a ao quarto de Damon. A duplicata a ajudou a se deitar na cama enquanto Kaleen trazia mais uma bolsa de sangue e um copo já servido.


- Eu sou uma vampira. Não pego um resfriado há cinco séculos.- a de cabelos loiros escuros falou, mancando até se deitar a cama. 


- Vai para a cama.- a de cabelos castanhos falou, ajudando a mais velha a tirar seu casaco.


- A gente não adoece. Quando morre, é de repente. E agora uma doença está me fazendo definhar.


   Kaleen pegou o copo e o colocou na boca de Rose, fazendo-a tomar o líquido vermelho.


- Você não vai morrer.- Elena falou, ajeitando as cobertas.


- Algo tão humano de se dizer.- a vampira rebateu, deitando-se.


   A duplicata começou a olhar pelo quarto, notando os detalhes.


- Você nunca esteve no quarto do Damon antes, esteve?- Kaleen a questionou, pegando um livro a pilha e o examinando. E o vento levou, o título. Mesmo tendo assistido o seriado inteiro, ela não esperava o Salvatore mais velho lendo esse tipo de livro. Elena havia descido para buscar mais sangue na cozinha.


- Não era o que você esperava.- Rose comentou.- Mesmo tendo assistido o seriado inteiro, você não esperava vê-lo lendo esse livro, Kaleen?


- Não, é só que...- a garota falou.


- Você tem sorte, sabe.- Rose se dirigiu ainda a de cabelos pretos.- Ninguém nunca se preocupou comigo do jeito que Damon se preocupa com você.


- Ah, eu duvido.


- Trevor era meu melhor amigo. Só isso. Eu passei todos esses anos fugindo do Elijah. Nunca achei que seria uma boa ideia criar raízes. A ideia de se apegar a pessoas não é exatamente compatível com um vampiro.


   Kaleen serviu-a com o último sangue restante, encostando o copo na boca da vampira, porém ela bebericou apenas um pouco do líquido, depois de ter indicado que não queria mais.


- Eu estou tão cansada.- ela falou, a voz fraca. A mesma começou a fechar os olhos, como se tentasse dormir.


   Elena havia acabado de chegar com mais sangue e colocou o líquido no criado mudo de vidro. Assim que viu Rose quase dormindo, ela começou a se direcionar até a saída, a de cabelos pretos indo atrás.


- Não, para, espera.- do nada a vampira começou a falar, fazendo as duas virarem abruptamente para ver o que era. A mesma estava com olhos abertos e uma expressão séria.- Diga para prepararem os cavalos.


- Tudo bem, Rose. Dorme um pouco. Vai de sentir melhor quando você acordar.- a duplicata lhe disse.


- Trevor, não seja idiota.- ela parecia alheia ao que Elena tinha lhe dito, e enquanto falava, a mesma rolava de um lado para o outro.- Nunca vamos chegar lá antes do amanhecer.


   Rose se levantou de uma vez, caindo de volta na cama. Sua expressão era dolorida, e ela pediu:


- Elena. Elena. Preciso de mais sangue.- a duplicata foi correndo até o criado mudo e serviu a vampira. No momento o qual a mais velha começou a bebericar o líquido, Kaleen olhou em seu celular. Ela havia avisado a Bonnie que não iria praticar magia naquele dia, porém a mesma precisava ir trabalhar.


- Elena, você acha que consegue lidar com ela até Damon voltar? Eu preciso ir pro trabalho...se não vou me atrasar.


- Sim, sim, claro. Pode ir.


   A garota chegou até o Grill no ponto exato. Se ela demorasse mais um minuto, se atrasaria. O barista anterior entregou-lhe o avental e seguiu o próprio caminho.


   Kaleen ficou servindo bebidas, meio aérea, preocupada com a situação de Rose e tentando pensar numa solução. Até sem a menor explicação, sua cabeça ter viajado para bruxos-sifões e disso ela começou a pensar em Kai Parker. E com isso, a mesma lembrou de uma cena lá na sexta temporada, a qual ele deduziu que bruxos-sifões conseguiam sugar a magia da mordida de lobisomem, curando-a. E no momento que isso apareceu em sua mente, ela gritou no meio do bar, enquanto servia uma moça de idade.


- PUTA MERDA MEU DEUS!- a mulher acabou se assustando, mas a de cabelos pretos se desculpou rapidamente, pegando o próprio telefone, tentando ligar pra Damon desesperadamente. O telefone dele só caía na caixa postal, como se tocasse e tocasse, porém o mesmo não ouvisse ou ignorasse.- Atende, atende, atende!- ela gritou, tirando rapidamente o avental e falando com Matt.- Você pode cobrir pra mim? É uma emergência!


   Ela deixou a peça de uniforme em cima do balcão e saiu correndo, o telefone no ouvido discando o número de Damon desesperadamente. Seu coração batia rápido em euforia, ela conseguiria salvar Rose! Após a décima vez que o ligou, ela deixou um recado na caixa de mensagens:


- Damon, Damon, Damon, eu achei eu achei a cura pra a mordida da Rose, eu achei, eu achei!- ela tremia e quase tropeçou no meio da calçada.- Eu achei!


   Depois disso, ela continuou a correr até a casa, o mais rápido que podia. A mesma abriu a porta violentamente, o coração batendo rápido, e subiu as escadas o mais rápido que pôde sem tropeçar.


- DAMON! DAMON! DAMON!- Kaleen gritava em euforia enquanto se apressava para conseguir subir.


   Assim que chegou ao último degrau, ela já o pulou rapidamente e correu trôpega até a porta do quarto do Salvatore. A mesma a abriu violentamente, sem fôlego.


- DAMON, EU ACHEI...- quando ela olhou para Rose, quem estava ao colo do Salvatore, ela caiu de joelhos. O corpo estava cinzento, uma estaca em seu coração. - Eu cheguei tarde demais.- ela murmurou, lágrimas saindo de seus olhos massivamente.- Eu cheguei tarde demais. Eu poderia ter salvado ela. É tudo culpa minha.

                                 -----------------------

  Kaleen havia descido as escadas, lágrimas ainda saindo de seus olhos. A culpa a engolia viva. Elena estava sentada ao seu lado, lhe dando conforto, ou pelo menos tentando.


   Depois de alguns minutos, Damon passou pela porta, parando quando viu as duas garotas sentadas ao sofá. A duplicata levantou-se:


- Só passei pra ver se vocês dois estavam bem... mas já estou de saída, só não queria deixá-la sozinha aqui.- depois de falar isso, a mesma saiu pela porta rapidamente.

   

 Kaleen ainda encarava o nada, trêmula. Repentinamente, ela virou a cabeça e olhou o Salvatore nos olhos.

- Você vai...


- Eu sei que você quer saber como eu me sinto, e eu agradeço pelo gesto.- ele rebateu, se servindo de bebida.- Mas fico feliz por ter acabado.


- Eu sei que você está magoado.- ela o cortou.- Provavelmente muito mais do que eu estou. Você era apegado a ela.


- O que você quer ouvir? Que eu sinto?- ele respondeu, irritado.- Eu sinto, ok? E é uma droga! Porquê era pra ter sido eu. Jules estava vindo atrás de mim.


   Kaleen levantou-se do sofá e o envolveu com os braços, sem esperar que ele retribuísse. Após um momento abraçando praticamente uma pilastra, Damon também a envolveu com os braços


- A culpa não é sua.- ela sussurrou.- Eu poderia tê-la salvado. Se eu não tivesse ido trabalhar e...- ela deixou de falar, os soluços sufocando as palavras. E quando a garota parou pra respirar, ela viu que ele estava soluçando também.

                              ----------------------

      Kaleen sabia o que estava pra acontecer. Ela sempre lembraria daquela cena desde o momento que a própria tido uma briga na internet e usou a cena de argumento para provar o quão ele era um monstro. E agora que a garota conseguia entender, a mesma se empenhou para evitar isso. Então ela estava caminhando pela noite tentando achar a estrada interestadual. No momento o qual a de cabelos pretos chegou, ela conseguia ouvir.


- Qual o seu nome?- Damon falou para a mulher em pé a sua frente.

- Jessica.

- Bom, Jessica, eu tenho um segredo Um segredo muito grande. E eu nunca o falei em voz alta Quero dizer, qual é o ponto?! Isso não vai me fazer bom! Não vai me fazer adotar um cachorro! Eu não posso ser o que os outros querem que eu seja! Isso é quem eu sou, Jessica.


- Você vai me machucar?- a mulher perguntou, com a voz trêmula.


- Eu não sei.- o Salvatore respondeu.- Porquê você é minha crise existencial. Eu te mato? Eu não te mato?


- Por favor não!- a mulher implorou. A esse momento, Kaleen havia conseguido aproveitar a distração dele para começar a se aproximar.


- Eu tenho que, porquê eu não sou humano. E eu sinto falta disso. É a coisa que eu mais sinto falta no mundo!- ele falou, com a voz de choro.- Esse é o meu segredo. Mas tem sempre uma quantia de dor que uma pessoa consegue aguentar.


- Por favor...


- Ei!- a de cabelos pretos gritou, ou pelo menos tentou gritar. Ela havia colocado as próprias mágoas de lado e seu objetivo agora era tentar ajudar o Salvatore a não cometer mais um erro.- Damon...- a voz agora era suave.- Vamos. Por favor.- ele apenas a olhava, como se pensasse a respeito.- Damon. Sou eu, Kaleen, criatura não identificada, princesa do castelo de areia, por favor, vamos pra casa.- lágrimas agora escorriam dos olhos dela.- Deixe Jessica ir, vamos pra casa. Por favor. Eu sei que você está magoado, eu sei que dói, mas eu estou aqui por você. Vamos pra casa...por favor.- ela implorou, se aproximando e estendendo a mão pra ele.- Faça ela esquecer e vamos pra casa.- Damon ainda não havia estendido a mão de volta, ele estava congelado em seu lugar.- Damon...eu me importo com você, por favor, eu sei que você vai se arrepender depois, me deixa te ajudar. Por favor. Não se torne esse monstro que todos acreditam que você é. Não os prove certos. Por favor, vamos pra casa.- ela implorou novamente, ainda com a mão estendida. Ele hesitou por um tempo, porém segurou a mão dela.


   Sem pensar duas vezes, ela o puxou para um abraço, e ele começou a chorar livremente enterrando a própria cabeça no pescoço da garota, e os dois ficaram assim até Kaleen lembrar que Jessica ainda estava em pé, graças a hipnose. Depois de hipnotizá-la para esquecer e ir embora, eles dois voltaram para a mansão.


   Ambos sentaram-se ao sofá, e sem pensar muito, ela indicou para que Damon colocasse a cabeça em seu colo e ficou ali, massageando as medeixas pretas do cabelo dele, até o vampiro ter cair no sono.

  


Notas Finais


REVIEWS?!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...