História Once upon a time - Capítulo 8


Escrita por:

Postado
Categorias Once Upon a Time
Personagens Capitão Killian "Gancho" Jones, David Nolan (Príncipe Encantado), Emma Swan, Henry Mills, Mary Margaret Blanchard (Branca de Neve), Regina Mills (Rainha Malvada), Robin Hood, Ruby (Chapeuzinho Vermelho), Zelena (Bruxa Má do Oeste)
Tags Emmaswan, Jennifermorrison, Lanaparrilla, Onceuponatime, Reginamills, Swanqueen
Visualizações 19
Palavras 1.453
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Fantasia, LGBT, Mistério
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 8 - Capítulo 7


Eu também amo você - fala fazendo emma sorri e Regina se senti mil vezes melhor por ver seu filho bem e sua garota sorrindo- você me salvou

 

- você conseguiu- assim que ela fala Emma aperta sua mão olhando pra mesma e sorrir 

 

Uma onda de memória estava sendo devolvida à cidade, isso poderia ser bom, menos pra rainha, Emma não sabia o que estava acontecendo e isso a deixava nervosa

 

- henry, o que estar acontecendo?

 

- a maldição- ele senta sorrindo- você quebrou- automaticamente isso fez Emma puxa Regina pra si, soltando sua mão e pondo na cintura dela, regina olha pra ela surpresa mas não poderia nega, ela se sentia mil vezes mais segura ao lado de emma

 

- foi um beijo de amor verdadeiro- diz a freira, ou melhor, a fada

 

- não, não- Regina repete desnorteada, o que iria acontecer com ela? Ela não tem magia, o que aconteceria? O que fariam com ela

 

- se eu fosse você margestade, procuraria um esconderijo 

 

- se eu fosse você, eu não abraçaria as pessoas que eu me importo- diz Emma convicta ainda segurando a cintura de Regina, ela não deixaria ninguém fazer mal a ela, Regina olha pro henry com os olhos banhado de lágrimas 

 

- henry, não importa o que você pense, não importa o que os outros digam, eu amo você- e pela primeira vez, o henry viu sinceridade nas palavras da rainha- eu tenho que ir Emma- diz tirando a mão dela da sua cintura 

 

- ache um esconderijo, e não deixe ninguém te machucar, certo?- diz se aproximando dela e sussurrando no seu ouvido você pediu um voto de confiança, pra mim ouvir seu lado, e eu estou disposta, então não morra certo?- Regina afirma com a cabeça várias vezes- você consegue madame prefeita- Regina se afasta dela andando pra trás e depois literalmente saindo correndo

 

(...)

 

Uma onda roxa cercava toda cidade, fazendo todos ficarem com medos e confusos, Emma havia reencontrado seus pais, todos na cidade se abraçavam, e estavam com alguém importante, menos regina, que chorava no quarto do henry, todos culpavam a rainha pela fumaça, mas Emma não deixaria, ela prometeu uma segunda chance e ela daria

 

- abra ou vamos entrar- diz berrando alto, regina sair com o sorriso mais debochado do mundo

 

- eu posso ajudar?- diz sinica

 

- esse sorriso, ele não vai durar muito, você tirou tudo da gente e agora...

 

- o que- diz interrompendo a fala dele- vão me mata?

 

- em algum momento, mas primeiro você tem que sofrer

 

- ouvir você já foi sofrimento o suficiente pra nós- ela o empurrava a cada palavra sendo dita- é isso mesmo, vocês querem ver a sua rainha? Aqui estar ela- diz tentando jogar uma bola de fogo mas não consegue

 

- ela perdeu os poderes

 

- o que?- diz baixo olhando suas mãos, o doutor a pega forte a empurrando contra a parede e a segurando forte- muito bem, onde estávamos?- diz com puro ódio 

 

- solta ela, solta ela- diz Emma correndo pela multidão- solta ela- diz puxando o braço dele

 

- o que significa isso?

 

- que eu ainda sou a xerife 

 

- e porque ela ainda te salvou, salvou todos nós

 

- não importa o que a Regina fez, isso não justifica 

 

- nós não somos assassinos

 

- não somos desse mundo

 

- mas você estar nele agora- diz analisando se Regina tinha algum ferimento 

 

- muito bem- diz devid o empurrando pra longe da Regina- já chega

 

Enquanto aquela briga toda acontecia, Emma se aproxima de Regina

 

- eu falei pra você fica viva, em um esconderijo, e não no lugar mais óbvio, você estar bem?- Regina afirma com a cabeça 

 

- vou ser presa?

 

- pelo menos lá ninguém vai encostar em você 

 

(...)

 

Devid colocava Regina em uma sela

 

- então é isso, eu sou sua prisioneira

 

- a maldição acabou, por que não voltamos?

 

- porque não temos pra onde voltar, aquele mundo acabou

 

- vamos falar com o gold- todos estavam saindo, menos Emma, que voltou 

 

- não tenta fugir- diz pegando uma cadeira e sentando na frente da sela, ela conhecia a Regina, e sabia muito bem que ela não iria querer ficar presa

 

- fácil falar, não é você que estar aqui- diz tentando fazer sua magia voltar 

 

- gina...- e só então Regina levantar o olhar fitando aqueles verdes intenso- aqui você ta segura, eu vou te tirar daqui, eu só preciso que eles se acalmem, e não queira te matar, então por favor, não foge- diz saindo e na mesma hora o gold entra

 

(...)

 

- olá, quem estar ai?- Regina estava apavorada com a marca em sua mão, e um espírito da morte, aparece arrancando à porta da sua sela, fazendo a mesma estremece, então ele começa a sugar a força vital da prefeita 

 

- para- diz devid jogando uma cadeira no mesmo e logo sendo arremessado pra longe, junto com o biro, fazendo todos se jogar no chão e voltando a sugar a força vital de Regina, então mery, literalmente, taca fogo nele, o fazendo furgir, assim que ele sair, emma corre até Regina que estava no chão torcido 

 

- o que era aquilo?- pergunta a levantando 

 

- um sugado de almas- diz se segurando nas barras

 

- eu matei ele?

 

- se o matou?- diz respirando fundo- não, ele se regenera- mery bufa e Emma olha pro nada se perguntando quando sua vida ficou assim- ele vai voltar, ele não para enquanto não devorar a pressa- ela mostra sua mão e sussurra baixo- eu- ela estava realmente apavorada, não só ela, como Emma, que não sabia o que fazer 

 

- e como o matamos?- Regina olha pro chão e logo depois levanta o olhar pra Emma 

 

- não tem como matar uma coisa que já estar morta- emma estava com os olhos tão arregalados que Regina ficou mais preocupada com ela, do que com si

 

- temos problemas 

 

- não, não temos, a Regina tem 

 

- o que?

 

- devid?

 

- vai deixa- la morrer?

 

- por que não? A coisa vai embora, estaremos seguros

 

- e que belo exemplo estar dando pra sua filha- emma revira os olhos automaticamente 

 

- não, você não pode nós julgar- diz se aproximando com o dedo apontado pra Regina 

 

- deixa eu te fazer uma pergunta, de onde você acha que veio aquela coisa? Gold

 

- eu prometi pro henry- diz entrando na frente da Regina- ela não vai morrer

 

- se não podemos mata-lo, então o que sugere

 

- mandá-lo pra onde não faça mal a ninguém

 

(...)

 

- você realmente não sabe o que significa não morrer né- diz Emma seguindo Regina que estava procurando o chapéu do chapeleiro 

 

- nunca precisei me preocupar com isso

 

- agora precisa, então que tal não morrer?- Regina coloca a caixa do chapéu sobre a mesa

 

- o henry pediu mesmo pra você me proteger?

 

- pediu- diz dando um sorriso sem mostrar os dentes e Regina logo retribuir 

 

- o chapéu, estava com você o tempo todo

 

- como assim?

 

- é o chapéu do Jefeson- Regina a olha fingindo que não tinha entendido 

 

- quem é Jefeson?- e quando Emma iria responder seus pais entram 

 

- é tochas, pra quando ele voltar, são meio antiquadas mas eu também sou

 

- então, como isso fuciona?

 

(...) 

 

- ele abre um portal para o nosso reino, só precisamos mandar o espequitrons pra lá- fala comovendo o chapéu no chão 

 

- apenas isso?

 

- não entendi, achei que nosso reino tivesse acabado

 

- e acabou, mas mandá-lo pra um lugar que não existe mais, é enviá-lo pro esquecimento- então as luzes começaram a piscar várias vezes, fazendo eles ligarem as tochas 

 

- Regina 

 

- estou tentando- Regina tentava de tudo pra fazer o chapéu funciona 

 

- regina- diz em um pequeno pânico tentando tavar fogo no muro de madeira

 

- eu sei- Emma estava bem atrás de Regina, e mesmo que ela quisesse ajudar, ela não sairia de lá 

 

- não estar dando certo, não estar funcionado 

 

- qual é o problema?

 

- a magia, é diferente aqui- emma ajoelhar do lado de Regina pegando no seu braço 

 

- você consegue- diz depositando um beijo na tempora da prefeita, e na hora Regina consegue fazer o chapéu funcionar então ela olha pra Emma espantada e Emma imita seu gesto quase que no mesmo momento 

 

- ele estar indo

 

- Regina- emma a empurra pra impedir dela ser jogada no portal, mas acaba que ela foi puxada fazendo mary pular junto, regina levanta do chão com a respiração irregular



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...