História Once Upon A Time - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias A Bela Adormecida, A Bela e a Fera, A Pequena Sereia, Aaron Carpenter, Adelaide Kane, Aladdin, Alexandra Daddario, Angelina Jolie, Arden Cho, Ashley Benson, Bella Thorne, Branca de Neve, Cameron Dallas, Cinderela, Halston Sage, Jack & Jack, Malévola (Maleficent), Matthew Espinosa, Nash Grier, Peter Pan, Shawn Mendes
Personagens Aaron Carpenter, Angelina Jolie, Ashley Benson, Bella Thorne, Cameron Dallas, Halston Sage, Jack Gilinsky, Jack Johnson, Matthew Espinosa, Nash Grier, Shawn Mendes
Tags Cameron Dallas, Contos De Fadas, Nash Grier, Old Magcon, Romance, Shameron, Shawn Mendes
Visualizações 32
Palavras 2.666
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Fantasia, Festa, Ficção, Ficção Adolescente, Hentai, LGBT, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Adultério, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 1 - 1. Cameron


E r a   u m a   v e z...

   Minha mãe não é a pessoa mais amável do mundo e é claro, ela espalha o mal como uma doença interminável e poderosa e quanto a mim, eu observo seus passos cada vez maiores e cruéis, e admiráveis. Minha mãe é a Malévola. Uma das maiores vilãs e mais temidas, não é atoa que ela colocou a Bela Adormecida para dormir por muito tempo. Mamãe adora contar essa história e como tudo começou e eu também adoro escuta-la. Olhando ao redor, eu sinto o cheiro familiar deixado por ela, a cada pedacinho dessa aldeia ridícula perdida em algum lugar.

   Sigo o olhar para a filha da rainha má descendo as escadas de uma pequena casinha azul com escadinhas douradas, ela me lança um olhar intenso e acena com a mão que carrega uma tatuagem de uma maçã.

—Entediado?— Olho para cima e vejo mamãe e sua capa longa e escura, o sorriso em seus lábios pintados de vermelho é maquiavélico. —Tenho uma coisa para você— Ela afasta a porta, fico de pé nos degraus e os subo para entrar em casa. A pequena construção roxa e preta, com duas camas confortáveis e comida ruim tirada de algum lugar. Sobre a mesa de madeira, um grande envelope com a coroa real dourada estampado está sobre a mesa. Mamãe une as mãos uma na outra e sorri ainda mais quando abro e retiro o papel.

—Você foi escolhido para fazer parte da escola de Delighted com a oportunidade de construir um novo sonho e futuro— Olho para a minha mãe, tendo um colapso nervoso com as mãos ao larga o papel sobre a mesa de madeira riscada. —O que é isso?

—A oportunidade perfeita para uma vingança, amor— Suas mãos geladas tocam meus ombros e um calafrio percorre minha espinha devagar. —Bela Adormecida e o príncipe encantado. Oh céus!— Mamãe sorri, mordiscando o canto do lábio. —É a nossa oportunidade de conseguir o que mais queremos. Controle...— Ela circula ao meu redor, os passos firmes no piso de madeira rangendo. —Vamos poder sair desse lugar e dar início ao nosso cantinho. Controlar tudo e todos...

—Eu não quero ir. Não quero aprender etiquetas ou como ser um príncipe. Só quero ficar aqui. Com os meus amigos — Mamãe bufa alto com meu comentário. No mesmo instante, alguém bate na porta e ela me olha, acenando com a cabeça para que eu atenda. Abro e vejo Halston, Nash e Aaron acompanhado de seus pais.

  Halston é filha da Rainha má. Em termos, ela é uma garota doce que tenta se parecer muito com a mãe. Porém é difícil encontrar a semelhança no cabelo claro e o sorriso carismático. Nash é filho do Capitão gancho e em consolo, sinto dó do Peter Pan e Aaron, filho de Jafar, acho que o admiro por ter uma lábia tão boa, a fim de convencer as pessoas das suas próprias mentiras.. Já Nash Grier, eu sinto que ele é simplesmente uma pessoa destemida e insistente e isso me deixa enlouquecido.

   Minha mãe nos deixa a sós. Batendo a porta ao sair. Halston puxa um espelho de mão do bolso da sua jaqueta azulada e sorri ao passar um batom vermelho reluzente.

—Vocês receberam?— Aponto para o papel sobre a mesa. Aaron assente, puxando o envelope e dado um sorrisinho.

—O que eu posso pegar por lá? A varinha da fada madrinha?— Ele debocha, puxando uma cadeira para sentar. Nash arruma o colete preto com pequenos rasgos e detalhes prateados.

—Nada. É anti ético. Eu posso pelo menos passar uma temporada namorando um príncipe —Halston se gaba com um sorriso imenso no rosto. Nash me olha de lado, apoiado na parede e com os braços cruzados, os olhos dele estão bem marcados por lápis escuro.—E você Cameron, quais são seus planos para Delighted?

—Não sei. Matar a filha da Bela adormecida?— Eles ficam em silêncio e Aaron solta um riso de ironia.

—Sua mãe ainda guarda as mágoas?— Reviro os olhos sobre seu comentário.

—Podemos ter o mundo. Vocês pensam muito pequeno!— Debato. Pegando a folha de inscrição. —Não há nada melhor como o poder. Nenhum príncipe. Nenhuma varinha mágica. Nada é melhor do que ter tudo em nossas mãos!

—Você fala como a sua mãe— Nash diz. Dando um grande sorriso. —É sexy.

—Obrigado— Inclino a cabeça quando Halston estala os lábios e anda de um lado e outro.

—Eu não quero ver a filha da Branca de Neve. Ela me dá nos nervos— Halston espreme as mãos como se estivesse enforcando alguém. Eu dou um sorrisinho divertido. Estalo os dedos garantindo uma caneta e olho às folhas, apertando a ponta com tinta para assinar meu nome. Eu já espero que os outros tenham feito isso também.

   Dou meia volta para olhar meu reflexo pela janela, arrumo as mechas roxa escura caindo em minha testa.

—Desapareçam daqui!— Grito, acenando para a porta. Aaron ergue as mãos um tanto ofendido e os três descem os degraus rapidamente. Mamãe entra devagar, arrastando seu enorme vestido escuro pelo chão.—Você estava ouvindo tudo?— Pergunto. Erguendo as sobrancelhas.

—Bom. Sim. Fez um bom trabalho— Ela sorri. Parece algo que não acontece muito. —O filho do Capitão parece ser muito a fim de você.

—Pelo amor de Deus! Somos amigos e eu não vou falar sobre isso com você.— Giro meu corpo para conseguir chegar até a porta. Ouço o barulho da tranca e arrisco olhar para trás ao ver minha mãe com a mão erguida na minha direção. Seus olhos se iluminam em um verde esmeralda, e sinto a sensação dos meus se tornando da mesma cor. A energia me deixa estático e nervoso. Olho para a mesa e percebo que o papel desapareceu. A expressão de confuso em meu rosto faz mamãe rir. —Já foi mandado para Delighted— Diz. —Surpresa!— Reviro os olhos. Sentando na ponta da cama. O espaço é apenas um retângulo sem divisão da cozinha para os quartos e não temos sala ou uma TV muito tecnológica. —Você vai ser o destaque. Todo mundo tem medo da nossa família —Mamãe abre um sorrisinho e eu me recuso a olhar em seus olhos esmeraldas ao sentir novamente a conexão da eletricidade cruzando meu corpo.

  Apenas cansei de ouvir isso. O tempo todo.

—Vou dar uma volta— Resmungo. Levantando e indo até a porta, desço os degraus devagar. Notando o céu alaranjado e o sol se pondo atrás das construções coloridas. Ando pela trilha em direção ao bosque que parece ser a única coisa interessante na pequena vila dos vilões. Caminho em direção ao lago, A água cristalina se rende aos pequenos reflexo do sol indo embora e rajadas de ventos passam ao nosso redor. Sento em uma rocha gigantesca, deixando meus pés flutuando acima do lago e do gramado.

  Escuto o som de galhos se quebrando e passos que se aproximam atrás de mim. Dou um sorriso, sabendo que se trata de Halston.

—Eu vi você saindo — Ela explica, ocupando um lugar em um tronco de árvore velho. —Está tudo bem?

—Eu não sei se quero realmente ir para aquele colégio do outro lado do mundo. Não é o que eu quero— Engulo em seco ao deixar a verdade sair tão sonora e estranha.

—É uma boa iniciativa para começarmos algo novo. Eu também não estou pronta para ter que lidar com princesas nada bem vestidas. Mas pensa pelo ponto bom. Estamos indo porque podemos tentar controlar aquele lugar. É isso que precisamos— Balanço a cabeça devagar para concordar. Estou pensando demais. —Minha mãe disse que eles chegam de manhã para nos buscar— Solto um vasto suspiro de tédio. Eu ainda não tinha arrumado muita coisa. —Vamos roubar um sorvete em algum lugar— Ela se levanta e estende a mão para mim. Seguro-a e corro junto a ela pela trilha atrás de algo que pudesse nos distrair da realidade.

     Sinto um toque frio por minha pele. Deslizando pela minha bochecha. Meus olhos se abriram e encararam Nash e seus olhos intensamente azuis e cílios cheios. Olho para a luz da janela entrando e aquecendo o ambiente pequeno.

—Sua mãe mandou eu te chamar. Acho que você acordou meio atrasado— Olho para o relógio ao lado da cama, Nash se levanta do banco velho de madeira e me observa ficar de pé.  —Não sei de muito. Mas um carro está vindo nos buscar— Esfrego os olhos e checo meu hálito, torcendo o rosto em uma careta.

—Fico pronto em um minuto— Ando até a porta do banheiro. Escovo meus dentes e tomo um banho apressado, vestindo-me com uma camiseta preta, uma jaqueta de couro roxa e calças jeans escuras com tênis preto. Casualmente não sei o que pensar sobre ir para o outro lado de um lugar que nunca vi. Estalo os dedos, fazendo minha mala estar pronta ao meu lado. Nash se oferece para levá-la e desce-la pelas escadas. Andamos até Halston e Aaron que estão sentados nos bancos em frente a casa dele.

—Ele arrumou as malas!— Halston comemora se levantando e erguendo os braços para contornar meu pescoço, ela está usando um perfume com aroma de maçã verde. Ao se afastar, Aaron sorri para ela, lançando uma piscadela.

   Minha mãe está reunida com os pais dos meus amigos. Se aproximando com um sorriso enorme. Ela pousa as mãos em meus ombros, soprando em minha pele.

—Está pronto?— Murmura. Me fazendo assentir automaticamente. —Quero notícias.— Mamãe se afasta, entregando meu celular na palma da mão.  Um carro branco com detalhes dourados está se aproximando em frente ao pequeno sobrado, unindo algumas pessoas para assistir. Cruzo os braços quando a limusine para, e o motorista desce para abrir a porta e andar um pequeno caminho para perto de nós. Mantendo uma boa distância. Ele nos reverencia e mamãe ri com deboche.

—O anúncio que o príncipe Shawn deu. Os quatro foram escolhidos para terem uma chance de um aprendizado real e sofisticado. Terão tudo o que quiserem durante a viagem— O motorista acena para a porta. Aaron olha para o pai que está de braços cruzados e a expressão carrancuda. Ele aperta a mão do filho, e dá um passo para trás, antes de voltar para casa. As despedidas não são tão longas e a da minha mãe muito menos. Ela sorri daquele jeito que diz qualquer coisa e entro no carro, sentando ao lado de Nash, a limusine começa a se movimentar enquanto Halston está mexendo no frigobar de bebidas coloridas, uma pequena fumaça forma um anel no ar e ela começa a rir ao ver Aaron agarrar uma das garrafas de bebidas e a virar na boca.

   Pesco um biscoito de chocolate, dando uma mordida, Nash está me olhando intensamente e isso me deixa constrangido. Engulo em seco, agradecendo a Aaron que me oferece uma bebida vermelha. Olho pela janela, notando as árvores coloridas aparecendo, abaixo o vidro, sentindo o vento fresco batendo em meu rosto, as rosas passam depressa em meu campo de visão quando demoramos muito pouco tempo para estar entrando em Delighted, os portões se abriram  devagar, uma fonte de água em forma de cisne derramava uma chuva cristalina, se misturando ao verde brilhante do gramado bem cortado e das plantas cuidadas.

  Halston grunhe. Retocando o batom vermelho.

—Aquele é o príncipe?— Ela torce a boca em um sorriso quando o motorista assente. Espio pela janela e consigo ver apenas a movimentação esquisita de pessoas em fileiras e roupas coloridas.

—É tudo tão...colorido?— Ergo as sobrancelhas. O homem sai do carro e abre a porta para nós. Aaron é o primeiro a sair e encarar os olhares assustados ao nosso redor. Eu salto para fora, estacionando ao lado de Nash. O garoto mais alto deu um passo, arrumando a mecha de cabelo ondulada em sua testa.

—Olá. Sejam bem vindos— Diz. Estendendo a mão para Aaron que aperta, Nash o encara quando ele o cumprimenta e acaba negando. O príncipe fica constrangido, abaixando a mão e encolhe os ombros. Halston enrola uma mecha de cabelo em seu dedo, sendo recebida pelo príncipe com um beijo no dorso da sua mão. Na minha vez, seus olhos pararam nos meus e ele abre um sorriso acolhedor. Segurando minha mão e levando até seus lábios devagar. Demorando muito mais tempo do que eu poderia contar. —Meu nome é Shawn Mendes...mas  podem me chamar de...

—Príncipe Shawn— Uma garota loira se introme, surgindo entre as pessoas ao redor de Shawn. Ela arruma o cabelo loiro sobre os ombros e o vestido rosa até os joelhos em seu corpo curvo. —Você não é o filho da malévola?— A boca lotada de gloss se abriu em indignação.

—Cameron— Shawn diz. Olhando para mim. Ele pigarreia —Pessoal. Essa é a...

—Ashley. Filha da Bela adormecida, a mulher que sua mãe colocou para dormir para sempre. É uma pena que ela tenha saído péssima no trabalho dela.

—Você não sabe do que a minha mãe é capaz. Nem do que eu posso fazer — Cerro os olhos. Nash toca meu ombro quando dou um passo.

—Tudo bem...vamos mostrar os quartos para vocês — O príncipe Shawn não para de sorrir. Como se tentasse sustentar sua expressão todos os dias dessa forma. O seguimos pelo corredor enorme, olhando as pinturas nas paredes, Halston ri, cuspindo no desenho da Branca de Neve e os anões. Que antiético. Entramos em um outro corredor, cheio de portas douradas, Shawn pega quatro chaves em seus bolsos e estende para cada um de nós ao pararmos em duas portas uma ao lado da outra. —Qualquer coisa que vocês precisarem pode...

—Pedir para a Adelaide. Ela é filha da fada madrinha— Ashley interrompe. Enroscando o braço ao de Shawn. —Vamos ursinho— Seus lábios enchem a bochecha dele de gloss e ele sorri envergonhado.

—Tchau ursinho— Aceno para ele, vendo suas bochechas se pigmentarem de vermelho. Halston abre a porta do nosso quarto, quando os meninos entram no deles. Duas camas afastadas, cortinas brancas, paredes em um tom pastel de dourado, quadros de paisagens e mesas de escrivaninha com cadeira de estofado vermelho.

—Ele é uma graça— Halston comenta. Sentando na ponta da sua cama com lençóis brancos e dourados. Fecho a porta, finalmente podendo estender minhas pernas em uma cama confortável. Nossas malas seriam deixadas depois de ser verificadas. —Pode ser uma oportunidade legal...

—Sei— Resmungo. Amassando os travesseiros. Apoio meu cotovelo no colchão mole, bocejando.  —Eu só não quero que você desvie do principal foco aqui— Sussurro, olhando para cima. Espero que não tenha câmeras por aqui. Ouvimos uma batida na porta e Halston ansiosa se levanta rapidamente para atender. Sua boca se abre em surpresa e ela estende um braço apoiando-o na abertura de madeira.

—O que a vossa majestade faz no quarto de pequenos plebeus?— Olho pela brecha e posso ver o detalhe azul marinho e dourado nas roupas.

—Eu só queria garantir que vocês estão sendo bem tratados. Ashley não me deixou dizer muito —Ele ri, parecendo afetado. —Mas vai ter um jantar mais tarde. Vocês estão convidados.

—Iremos aparecer— Halston garante. Me olhando de soslaio. Levanto, acelerando meus passos devagar.

—Vamos estar lá— Sussurro. Seus olhos ficaram encarando meu rosto de maneira esquisita. —Ursinho— Toco a ponta do seu nariz e pela segunda vez. Consigo ver suas bochechas coradas e os ombros encolhidos.

—Tudo bem. Preciso ir. Vejo vocês depois— Ele se despede. Arrumando a coroa nos cabelos ondulados e anda desengonçado pelo corredor. Empurro a porta quando Halston entra.

—Você espantou ele!— Grita. Colocando as mãos na cintura.

—Quem precisa dele agora?— Abro a porta, pegando Nash com a mão no ar prestes a bater. Deixo que Aaron e ele entrem. Se unindo a nós.

—Vocês vão ao jantar?— Nash pergunta. Olhando de lado para mim.

—Com toda certeza. Não iríamos perder essa diversão— Ergo as sobrancelhas um tanto empolgado. Halston morde o lábio ansiosa. Estamos prontos para colocar um pouco de diversão em Delighted.


Notas Finais


:)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...