1. Spirit Fanfics >
  2. Once Upon a Time (Heyna) >
  3. Qual o gosto da cor azul?

História Once Upon a Time (Heyna) - Capítulo 5


Escrita por:


Notas do Autor


boa leitura :)

Capítulo 5 - Qual o gosto da cor azul?


 

 

 

Vermelho: Hey, gente, quanto tempo, né? Bem, eu senti falta de vocês. Sério quase enlouqueci sem ninguém para me escutar. Mas, sem enrolação, vamos ao capítulo de hoje, espero que gostem...

 

 

Vermelho — Qual o gosto da cor azul?

 

    Uma versão remix de Bibidi Bobidi Bu ecoava por todos os cantos no salão comunal da equipe Celeste. Com um copo de plástico cheio de uma bebida de que Sina nem sequer sabia o nome, a princesa de Auradon observava a estranha movimentação entre Royals e Rebels. Parecia que a barreira invisível que existia entre eles, havia caído com a chegada do álcool. Sabia que aquilo pouco duraria, no dia seguinte voltariam para suas realidades frias, ignorando o que havia acontecido na noite anterior.

    De um lado, Sofya de Vil e Joalin Wonderland dançavam próximas, quase coladas, era possível não reparar que Sabina as fitava de longe, ignorando as inúmeras pessoas que a chamavam para dançar. Mais distante, Lamar e Diarra pareciam competir para ver quem conseguiria a atenção da filha de Wart Pendragon. Até mesmo Troye, que nutria um ódio descomunal pelos Rebels parecia estar embriagado o suficiente para flertar com Krystian Wang, fato que não agradava Noah. Sina não sabia dizer se seu amigo estava com ciúmes de Troye ou de Krystian.

    Ela levou o copo até a boca e ingeriu o líquido desconhecido. A bebida desceu queimando sua garganta. Um remix de Let It Go (cantando pela própria Elsa) começou a tocar. Sina sorriu e se aproximou da pista de dança improvisada, pronta para se divertir um pouco.

 

    Não muito diferente de Sina, Heyoon queria se distrair. Mas, ela toda vez que tentava beijar alguma garota, algo acontecia para atrapalhar. Sua situação somente piorou após notar que Krystian praticamente engolia Troye e Hina estava beijando o filho da Mulan. Seus irmãos já haviam realizado a aposta. Ela nunca ficaria satisfeita de não beijar ninguém, agora era uma questão de honra.

    Cantarolou Let It Go em sua mente enquanto se enfiava em meio a multidão de jovens já bêbados. Eu vou beijar alguém, pensou Heyoon. Foi quando uma ideia passou por sua cabeça. Procurou por seus amigos. Ela não apenas ganharia a aposta como também lucraria com isso.

 

    Sofya e Joalin dançavam juntas por bastante tempo, até que de Vil se cansou e precisou ir até à mesa de bebidas se hidratar.

 

— Então você está ficando com a Joalin? — Shivani perguntou. De braços cruzados, ela encarava Sofya.

 

— Se eu estiver, e dai? — Sofya provocou-a com um sorriso convencido.

 

— Nada não. — Shivani se aproximou de maneira perigosa. Sofya de um passo para trás, estava bastante tonta, mas não consegui a baixar a guarda, ainda mais para Paliwal. — É uma pena porque eu adoraria te beijar.

 

— E o que te impede? — Vendo que ela não apresentava perigo, Sofya aproximou-se com cuidado.

 

    Shivani sequer se deu ao trabalho de responder, apenas quebrou a distância que mantinha com Sofya e colou seus lábios aos da de Vil.

 

    Assim que Sofya se afastou, Sabina foi até Joalin.

 

— Você está com a Sofya? — Gritou por cima da música para que a outra a ouvisse.

 

    Joalin fechou a cara.

 

— Vai cuidar da sua vida. — Disse ela irritada.

 

— Olha, você precisa me escultar. — Sabina insistiu se aproximando.

 

— Não, Sabina. — Joalin se afastou. — Você segue o seu rumo e eu sigo o meu. — Ela deu as costas para Vizier.

 

    Sabina não teve tempo de fazer algo, pois, Heyoon a puxou.

 

— Tá louca? — Reclamou quando Heyoon parou de arrastá-la. Percebeu que ela a levou até um canto mais afastado  onde a música não ressoava de maneira alta, Krystian, Hina, Savannah e Lamar estavam lá. — O que aconteceu?

 

— Heyoon está querendo morrer. — Savannah disse.

 

    Vizier franziu o cenho, voltando a olhar para Heyoon.

 

— Me diz que alguém morreu. — Sofya chegou junto de Diarra. — Eu tava beijando a Shivani!

 

— Pensei que você está com a Joalin. — Disse Sabina, confusa.

 

— Eu lá sou cadelinha pra te dona? — Sofya revirou os olhos.

 

— Deixem o fogo no rabo de vocês para lá. — Começou Heyoon. — Eu tive uma ideia.

 

— Manda a braba. — Krystian incentivou, mostrando-se bastante alterado.

 

— Eu vou beijar a Sina.

 

    Todos se encaram confusos.

 

— Você já vai ter que fazer isso sua idiota. — Disse Hina.

 

— É, mas ela me odeia. — Heyoon sorriu travessa, era como se tivesse recebido uma espécie de troféu por ter o ódio de Charming para si.

 

— Qualquer pessoa sensata te odeia. — Murmurou Savannah.

 

    Diarra se irritou por causa da demora.

 

— Não enrola, Maleficent. Diz logo o teu plano.

 

— Vamos fazer o seguinte. — Heyoon trocou o peso de um pé para o outro. — Eu vou jogar meu charme irresistível para cima dela. — Savannah quis rir muito, mas deixou Heyoon prosseguir. — Irei beijá-la e vocês tiram foto. Se eu conseguir, vocês vão me pagar 100 dólares, cada um de vocês.

 

— E se você não conseguir? — Lamar questionou.

 

— Eu vou limpar nosso salão comunal por um mês.

 

    Os Rebels trocaram rápidos olhares. Então, Savannah disse por todos:

 

— Tudo bem.

 

    Heyoon sorriu vendo o tanto de dinheiro que iria lucrar.

 

 

 

    Sina dançava ao som de Summer in The City. Estava bastante animada e após misturar algumas bebidas, já se sentia mais leve. Pensamentos soltos rodavam sua mente, em geral, coisas sem sentido como, por exemplo, qual o gosto da cor azul.

    Estava virando seu… bem, ela havia perdido a conta de quantos copos já haviam passado por suas mãos.

 

— Hey! — Heyoon puxou o copo de Sina, fazendo com que o líquido caísse sobre a loira.

 

    Tossindo por ter se engasgado, Sina tentou dizer algo.

 

— Santo Lúcifer. Você está bem? — Heyoon a observou com uma falsa preocupação.

 

— Vai se fuder. — Foi o que Sina conseguiu pensar no momento.

 

    Ela saiu depressa, com suas curtas pernas Heyoon quase não a acompanhou. Sina foi para o corredor com Maleficent atrás de si. Estava bastante molhada e não queria permanecer assim, culpa de Heyoon. Elas viraram o corredor. Naquele momento, Heyoon percebeu que Sina estava indo até os dormitórios.

 

— Para de me seguir, sua maluca. — Disse Sina, tentando destrancar a porta de seu quarto (sem a chave).

 

— Não vai conseguir assim. — Disse Heyoon.

 

— É sério! — Sina revirou os olhos, ou o mundo girou ao seu redor. — Temos um Sherlock Holmes aqui.

 

    Heyoon achou patético ver Sina tentar arrombar uma porta.

 

— Só estou tentando ajudar.

 

— Se quer me ajudar. — Sina virou-se para ela. — Vai se fuder.

 

— Eu adoraria. — Heyoon se aproxmou de Sina, um sorriso no rosto. — Se você quiser me ajudar.

 

    Sina engoliu seco, sentiu seu coração saltar. Ela se afastou de Heyoon, foi para trás até que seu corpo colidiu com a fria parede do corredor. Maleficent continuou a se aproximar de maneira perigosa. Seja o corredor silencioso ou a proximidade das duas, a verdade era que Sina ouvia a respiração de Heyoon, tanto quanto escultava a sua própria.

 

— H-Heyoon. — Um suspirou deixou os lábios de Sina

 

    Elas ficaram se encarando por um bom tempo. Sina desviou o olhar para a boca de Heyoon. Se antes ela queria saber qual o gosto da cor azul, agora ela queria saber qual o gosto de Heyoon. Estava quase a beijando, quando uma luz no fim do corredor a chamou atenção.

 

— Monitores. — Heyoon sussurrou.

 

— Puta merda. — Sina falou alto demais.

 

    Heyoon lhe encarou de maneira feia, mas não tinha tempo de mandá-la ficar quieta. Puxou Sina pelo pulso e correu com a garota até o lado o posto de onde vinha a luz. Lembrou-se das vezes em que se escondia em um armário de vassouras para matar aulas. Ele ficava ali perto, ela torceu para que estivesse aberto. Por sorte está.

 

— Entra aí. — Disse Heyoon.

 

— Não me empurra. — Sina reclamou.

 

    O local era bastante pequeno e duas pessoas não podia dividi-lo sem se tocarem. A luz da lanterno do monitor refletia por de baixo da porta, fazendo com que Sina conseguisse observar Heyoon com certa clareza.

 

— Pare de me olhar. — Disse ela fazendo um bico estranho.

 

— Fique quieta. — Heyoon pôs a mão na boca de Sina.

 

    Os passos do monitor podiam ser ouvidos, ele andava de um lado para o outro no corredor. Heyoon deveria admitir, não ouvi um barulho se quer vindo da festa, sendo que o salão comunal da equipe de mauricinhos ficava próximo dali. Os Royals haviam se superado para que ninguém escultasse nada.

    Sina deu um tapa na mão de Heyoon. Ela a encarou com irritação, Maleficent ergueu uma sobrancelha de maneira desafiadora, era como se falasse está brincando comigo?

 

— Quer que sejamos pegas? — Perguntou Heyoon.

 

    Sina a puxou pela camisa e continuou a encará-la. Estavam tão próximas e ninguém podia impedir aquele acontecimento. Num instante Sina se viu pensando que não deveria fazer aquilo, no outro já estava beijando Heyoon com toda a vontade que tinha guardado dentro de si por tanto tempo.

 

 

“Está aceso aqui dentro, não conseguimos explicar

Nunca vamos deixar esse sentimento desaparecer

Sem mais olhar para o passado

Temos que viver este momento

Temos que viver este momento” — Now United

 

 


Notas Finais


esse ficou menor do que os outros, mas né, tem beijo então foda-se


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...