História Once upon a Time: The Savior - Capítulo 21


Escrita por:

Postado
Categorias Henry Cavill, Jeremy Irvine, Lana Parrilla, Lily Collins, Once Upon a Time
Personagens Capitão Killian "Gancho" Jones, David Nolan (Príncipe Encantado), Emma Swan, Henry Mills, Lacey (Belle), Mary Margaret Blanchard (Branca de Neve), Regina Mills (Rainha Malvada), Robin Hood, Sr. Gold (Rumplestiltskin)
Tags Ação, Henry Cavill, Jeremy Irvine, Lana Parrilla, Lily Collins, Once Upon A Time, Romance
Visualizações 38
Palavras 4.145
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Famí­lia, Fantasia, Festa, Hentai, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Primeiramente, quero agradecer a todos pelos favoritos na história. Ainda mais por ser a minha primeira fanfic. Vocês são demais. :)
E não desistam de ler, terá ainda muitas aventuras pela frente!

Capítulo 21 - Novas Amizades


Fanfic / Fanfiction Once upon a Time: The Savior - Capítulo 21 - Novas Amizades

- Onde esteve à tarde inteira? – Sofia perguntou, assim que coloquei os pés dentro de casa.

- Fui dar uma volta em Londres. Faz tempo que não vinha aqui. – disse colocando a minha bolsa no sofá.

Sentei-me ao lado do Kevin, e dei um beijo e um abraço em meu tio. Não tinha o visto desde ontem quando cheguei na Inglaterra. Sobre tudo o que passamos, meu tio demonstrava mais carinho por mim, diferente da Sofia que era sempre fria.

- E como estão as coisas na empresa? – perguntei curiosa para o homem ao meu lado.

- Estão indo bem. Mas você sabe como é. Filial nova, novos funcionários. Essas burocracias de sempre. – Kevin comentou

- Entendi. Espero que dê tudo certo! – falei – Tia, a senhora ficou de falar comigo ontem, mas eu acabei indo dormir. O que era? - perguntei

- Ah, claro. – falou, e saiu em seguida.

Olhei para o Kevin confusa. E ele deu de ombros. E eu o conhecia bem, Sofia as vezes fazia coisas as escondidas.

- Antes que a sua tia volte, eu quero te dar isso. – admitiu

Tirou de dentro do bolso da sua calça, um envelope. Ele me entregou, e automaticamente fui para abrir, mas ele me interrompeu.

- Depois você abre. É um presente de aniversário, meu e da Sofia. – disse me surpreendendo, e eu o abracei – Desculpe não ter ligado para você, eu tive muitos problemas, e acabei me esquecendo. E ontem eu cheguei tarde da empresa, e não quis te acordar. - completou

- Tio, não precisava de presentes. Só o fato de você lembrar, já me deixa feliz! – sorri.

- Precisava sim! Não é todo dia que alguém como você faz 18 anos. Você é como uma filha para mim Chloe. Eu te amo, e tenho muito orgulho de ser o seu tio. – olhou para trás e suspirou – Eu sei que a Sofia tem sido dura com você nesses anos, mas um dia você vai entender o por que disso.

Ouvimos os passos da Sofia se aproximando, e rapidamente eu guardei o envelope dentro da minha bolsa. Não queria dar motivos para ela me pedir desculpas pelo fato de ter esquecido o meu aniversário. Kevin já tinha feito o suficiente pelos dois.

Assim que ela entrou na sala, nós dois disfarçamos.

- Aqui está. – me entregou uma sacola com uniformes da CSH e papeis para eu assinar. – Eu te matriculei no “College Stowe High”. Você começa amanhã!

Eu olhei aquilo abismada. Não estava acreditando no que ouvia. Assim como eu, Kevin fechou a cara para Sofia. Ela não mudaria nunca.

- O que foi gente? – perguntou, como se não soubesse o que estava acontecendo

- Você matriculou a menina em um colégio interno, Sofia? – Kevin não acreditava no que via, assim como eu.

- Eu acabei de chegar! Pensei que procuraríamos uma escola juntos. – afirmei

- O CSH é o melhor colégio que tem aqui em Londres, Chloe. Custou muito para eu conseguir uma vaga. E você teve sorte, por que é uma excelente aluna.

- Eu sei que é o melhor colégio de Londres, tia. Mas tinha que ser esse? Um internato? – argumentei

- Você está sendo radical, Sofia. Não precisava disso! – Kevin complementou

- Kevin, é para o bem estar dela. Estudar nunca é demais. Ainda mais em uma boa escola.- olhou para mim, continuando - E outra, você pode passar os finais de semana em casa. – disse, como se fosse a melhor noticia do mundo.

Sinceramente, naquele momento para mim ela parecia ser a rainha má, como se quisesse me ver longe o mais rápido possível. Eu literalmente, fiquei com raiva.

- E se eu não quiser ir? – tentei me esquivar

- Você vai para uma escola pública, já que as particulares estão sem vagas. Isso se você conseguir uma vaga na pública, ainda mais em cima da hora. Por que se não, terminara os estudos o ano que vem. E verá que apenas você estará concluindo o ensino médio, enquanto seus amigos estiverem na faculdade. – ela jogava sujo.

Ai que ódio. Eu não tinha nada em mente, meus argumentos se foram. Só tinha que terminar esse ano, e tudo se resolveria na minha vida. Não dependeria de mais ninguém.

- Ok – bufei

Peguei as minha coisas, e fui para o meu quarto. Saco. Sofia era muito esperta. Mas também só o fato de não ficar olhando para ela a metade do dia, iria ser bom. Isso se não me matriculasse em aulas complementares. Pelo menos teria a minha privacidade.

Com os papeis da matricula ainda em mãos, assinei tudo o que tinha de assinar. O colégio, como a minha tia disse, era um dos melhores em Londres. E eu concordava com ela. Mas me colocar em um colégio interno era demais.

Só os filhos de empresários e famosos estudavam lá. E isso incluiria a mim. Por outro lado, seria bom para o meu currículo futuramente. Com boas notas, eu conseguiria entrar em uma boa universidade e cursar biologia marinha.

Depois de ler todos aqueles papeis e assinar a metade deles, tomei um banho, e deixei os meus pertences prontos. Se soubesse antes, não desfaria a minha mala. Coloquei apenas o essencial. Usaria o uniforme quase o tempo todo, e era a primeira regra da escola. Olhei no relógio e já era quase onze da noite. Acordaria cedo no dia seguinte, então eu teria que dormir bem.

Mas antes, fui até a cozinha procurar alguma coisa para beliscar. Enrolei no guardanapo um pedaço de bolo e apanhei um copo de suco. Voltei para o meu quarto, porém parei no meio do caminho.

- Você deveria contar para ela, Sofia.– Kevin conversava com a esposa – Você não deveria ter colocado em um colégio interno!

- Eu preciso de mais tempo. Quando eu descobrir onde ele está, tudo se resolverá. – afirmou – Eu amo aquela garota, Kevin. Ela se parece muito com o Ian. Mas ter de vê-la todos os dias, me faz sentir-me fracassada. Como se eu não fizesse nada para ajudar a encontrar os pais dela. Eu só faço, o que faço, para protegê-la. Chloe deve me odiar por causa disso. Contudo, espero que um dia me perdoe. – sua voz de choro era evidente.

Então toda aquela insinuação era apenas teatro? Sofia tinha um coração em vez de uma pedra de gelo. E o que eles escondiam de mim? O que os meus pais tinham a ver com aquilo tudo? Eu teria que investigar sozinha. Minha tia não iria me contar nada. Talvez eu consiga falar com a Alice novamente.

...

Nove horas marcava no meu despertador. O caminho até Buckingham era longo. E eu queria chegar cedo na minha “nova casa”. Me arrumei tranquilamente. Com tudo pronto, eu desci com a minha mala, e a minha bolsa. Susie foi logo me ajudando a levar as minhas coisas para o meu carro. Kevin e Sofia apareceram no hall da casa. Os dois já estavam arrumados para ir trabalhar.

- Nem chegou, e já está indo novamente. – Kevin suspirou.

Pelo menos alguém sentiria a minha falta.

- Ficarei bem! – respondi

- Você não quer nem tomar café da manhã conosco? – ele perguntou novamente.

- Não. Eu vou passar no Starbucks, e sigo meu caminho até Buckingham. - respondi

- Nos vemos no final de semana, Chloe. – Sofia comentou

- Ta bom – falei. Depois que eu escutei ontem, não conseguia enxergar a Sofia como uma vilã. Ela tinha compaixão, mas não queria demonstrar na minha frente. – Tchau

...

O caminho para Buckingham era longo. Mas a essa hora da manhã, não havia muito trânsito. Então acabei chegando mais cedo do que imaginava. A escola ficava distante da cidade. O terreno era imenso, e era privilegiado pela natureza ao seu redor. E no meio de tudo, la estava, o “College Stowe High”.

O lugar era um tipo de castelo, muito bonito de se ver. Não podia me enganar, fiquei encantada. Muitos carros importados paravam na frente da escola, com os alunos dentro. Os manobristas os ajudava com as malas, e depois levavam os seus carros para garagem.

Assim que eu estacionei o meu carro, o manobrista me ajudou com as minhas malas. E depois levou o meu carro. Ao entrar dentro do colegio, me deparei com uma enorme escadaria. Havia castiçais por todas as paredes e um enorme candelabro no meio do hall. Eu me senti, como se já estivesse naquele lugar. Tudo muito rico. Existia algo de familiar ali. Só não sabia por onde começar.

Um aluno do CSH veio ao meu encontro. Usava uma calça larga com um sapatenis. Uma camiseta branca, com um paletó por cima. Seu chapeu dava um ar mais estiloso. Era bem estiloso, e bonito por sinal.

- Você parece ser nova por aqui – o menino anunciou, se aproximando.

A voz do garoto era bem suave. O aroma do seu perfume da Paco Rabanne havia chegado primeiro que ele.

- Parece que sim. – respondi meio sem jeito, tentando segurar a minha mala e minha bolsa ao mesmo tempo

- Sou Simon Wood. E antes de você perguntar, eu sou gay. – disse me ajudando com a mala.

- Sou Chloe Swan. E eu não ia dizer nada. – falei, corando

O que era verdade. Meus pensamentos seja bons ou ruins, guardaria sempre para mim. A não ser que alguém pedisse a minha opinião. Mas nesses poucos segundos que estou com o Simon, vejo que ele parece ser um cara bem simpático. E não parece ser um tipo bichinha de ser. Ele era apenas um garoto bonitinho com um sorriso simpático.

- Mas eu gosto de deixar tudo nas claras. E dizer que vocês mulheres estão seguras perto de mim! – contou, o que me fez sorrir. . Ele ficou me observando e disse:

- Pelo seu sotaque, você é da america. – afirmou

- Sim. – respondi – E você? É daqui mesmo?

- Sou irlandes. Mas passei os meus ultimos 5 anos aqui. – falou – Em que lugar dos Estados Unidos você morava? Por que pela sua pele bronzeada, com certeza era perto da praia.

- Los Angeles. Pois é. Sempre que podia, eu frequentava a praia. Eu gosto de sentir a água salgada em meu corpo. Surfava muito também.

- Água para mim, só se for doce. Minha pele não se dá bem com areia, sou alergico.. Bom, eu serei o seu guia hoje... E a nossa pimeira parada será na secretaria. – falou, olhando para os papeis que eu segurava nas mãos.

- Pois é, eu preciso entregar isso assinado. Ou fico sem estudar – brinquei.

- Seja Bem-Vinda ao College Stowe High! – anunciou - Eai, o que fez você vir para aqui?

Ele era um cara bem curioso, não via maldade nele

- Como assim? Eu vim estudar.

- Eu sei. Todos nós estamos aqui para isso. Mas a maioria dos alunos aqui, não se dão bem com os pais, ou fizeram algo de errado na justiça., ou simplesmente vêem só para estudar mesmo – contou dando de ombros.

- Bom, eu não tenho pais. Moro com os meus tios.

- Isso vale também. Tios que não gostam de você, e te mandam para longe para que não os pertube. – ele disse, mas logo vi que se arrependeu – Me desculpe. Eu tenho mania de falar tudo o que vem na minha mente sem pensar. Não era a minha intensão! – falou olhando em meus olhos.

- Não, tudo bem. Em partes você tem razão. Minha tia me mandou para cá. – desabafei – Ela disse que era o melhor para mim. Meu tio meio que tentou interferi, mas não adiantou.

- Eles sempre dizem isso! “É o melhor para você.” “Se sairá bem lá” “Você conseguiu entrar, por que é um ótimo aluno” “ E pode voltar nos finais de semana” – afinou a voz - São típicos dos responsáveis. – deu de ombros – Eu já sou acostumado com isso. Esse é o meu terceiro internato.

- Terceiro? – perguntei

- Pois é. Os dois primeiros não me aceitaram muito bem. Eram internatos religiosos, e eu era gay. Não me sentia a vontade lá, sendo algo que eu não era. Então minha mãe, me mandou para cá. Ela também não aceita quem eu sou.

- Nossa, Simon. Eu nem sei o que te dizer. – fui sincera.

- E nem precisa. Era um saco ficar naquela casa. Meus pais brigavam o tempo todo, e nem davam a minima para mim. Pelo menos aqui, eu tenho uma família de verdade. E quando eu terminar o colégio, vou para a faculdade e terei a minha vida! – admitiu

Eu pensava da mesma maneira. Não via a hora de ter a minha própria vida, e não depender dos meus tios. Eu tinha uma herança, mas eu só poderia resgatá-la quando fizesse 21 anos. Até lá, eu ainda era presa ao Kevin e a Sofia.

Simon me contou sobre o que havia nos dois primeiros subsolos. No segundo subsolo era a garagem. Onde ficava todos os carros do alunos. E no caso, eu teria que guardar o meu carro lá. Consecutivamente, fomos para o primeiro subsolo. Simon me disse que ali ficava a piscina aquecida, e alguns laboratórios.

A cada lugar que nós entravamos, as pessoas cumprimentavam o garoto ao meu lado. E não era só ele que se vestiam bem. Todos os adolescentes ali estavam na moda. As garotas pareciam modelos. Cada uma mais linda que a outra. E os garotos, não estavam na mesma situação. Belos e e atraentes.

- É, eles são umas gracinhas. – Simon disse sorrindo, principalmente para um loiro que passou ao lado dele, que te deu uma piscadela.

A Secretaria, ficava no térreo, juntamente com a coordenação, sala do diretor e a sala dos professores. Passamos lá para eu poder entregar os meus papeis assinados, pegar minha grade dos meus horários, e a chave do meu dormitório. Pela estrutura do lugar, cada aluno tinha o seu quarto.

Em outro corredor no mesmo andar, ficavam o ginásio e a academia para os alunos e professores. No primeiro andar, era onde tudo acontecia. Os alunos passavam a maior parte do seu tempo. Em suas salas de aulas e na enorme biblioteca que tinha. Passaria bastante tempo ali. Adorava livros.

- Ei Simon, nós precisamos conversar sobre a festa desse final de semana. – uma garota saiu do meio das pessoas que passavam entre eu e o garoto.

Uma morena linda. Alta e magra, o corpo farto em curvas. Usava uma calça jeans justa, e uma camisa que realçava o seu busto. Mas o que a destacava era seus olhos pretos brilhantes e os seus cabelos encaracolados.

- Nós iremos resolver isso, meu amor. – Simon falava com carinho – A propósito, essa é a Chloe. – ele nos apresentou

- Ooi, sou a Elizabeth - a morena me abraçou. – mas pode me chamar de Lizzie

- E eu a Chloe. – sorri.

- Ela está nas mesmas aulas que a gente. – Simon disse, mostrando os papeis que pegamos na secretaria para ela.

- Legal. Você vai se divertir com a gente, Chloe.

- Obrigada.

A morena se juntou a mim e ao Simon. Estava feliz por ter feito amizade antes das aulas começarem. Pelo menos teria alguém para me ajudar a ajudar as salas corretas. Lizzie tinha quase a mesma personalidade da Aisha. Elas eram parecidas em quase tudo. E de cara eu acabei gostando dela.

No final do corredor, existia uma enorme porta de carvalho. Quando eu vi, me assustei. Ela era idêntica ao que existia em meus sonhos. Tinha os mesmos detalhes. O corredor na qual eu passei lembrava ao meu sonho. Será que aquilo era algum tipo de aviso?

- Algum problema Chloe? – a morena perguntou, tirando dos meus devaneios.

- Não. Estou bem! – sorri.

Ao abrir a porta, Simon me mostrou que ali era O grande salão. Onde nós fazíamos as nossas refeiçoes, e onde acontecia os bailes de inverno.

O ultimo andar era os dormitórios. O lado oeste era o dormitório feminino, e o leste, o masculino.

- Já que eu te mostrei tudo detalhadamente, você se dará bem hoje. – ele disse olhando o relógio.

- Eu vou acompanhar ela até o quarto. Nós encontramos na sala – a garota disse

Simon nos deixou na frente do dormitório. Eu e a morena fomos andando até o meu quarto. Muitas meninas andavam de um lado para o outro. Umas abraçando as outras, e discutindo o que fizeram nas férias. Algumas me olhavam de um jeito estranho, mas eu não dava atenção para os cochichos delas.

- Não liga para elas. São umas cobras venenosas. – Lizzie falou em alto e bom som.

Eu me admirei. Ela enfrentava as garotas e na cara dura. Nós seriamos grandes amigas!

- Você esta aqui há muito tempo? – perguntei

- Desde o ensino médio. Meus pais viajam muito, e não queriam que eu ficasse mudando de escola o tempo todo. Então decidiram me deixar aqui, até eu terminar o colegial.

- Entendi. Mas você os vêem?

- Só nas férias. E você, por que veio pra cá? Você não tem cara de rebelde, e nem de nerd. – eu ri com o que disse

Eu expliquei para ela o que aconteceu comigo quando eu cheguei, e ela sorriu. A mesma reação do Simon foi a dela. Era de se esperar.

- Você vai gostar daqui. Tem alguns encrenqueiros, mas no fundo nos damos bem uns com os outros. – explicou

- Espero que sim. – respondi

- Bom, aqui é o seu quarto. E o meu é aquele ali. – apontou para o dormitório em frente ao meu.

- Obrigada por me acompanhar.

- Passo aqui depois, para irmos a aula. – disse, e depois saiu.

Entrei em meu quarto e fechei a porta. A primeira coisa que eu fiz, foi olhar o meu dormitório. Ele era todo planejado. Minha cama era embutida junto ao guarda roupa. E ao lado havia uma janela, com uma mesa para estudo ao lado. Lá continha todos os meus livros e cadernos. Ainda bem, por que eu nem tive tempo para comprar os meus materiais. E na parede, havia dois nichos individuais. E uma televisão. Perto da porta do meu quarto tinha um banheiro. Era um quarto pequeno, mas bem aconchegante.

Depois de arrumar todas as minha coisas “novamente”, eu fui me trocar. A regra era clara ali, o uniforme era obrigatório. Não que eu entenda muito de moda, mas as roupas do colégio eram horríveis. Eu não acredito, que teria que usar aquilo. Meias até o joelho, saia longa, camisa feminina e um blazer. Fora a gravata.

Eu vesti toda a roupa, e tentei dar alguma ajustada. Sem sucesso. Sofia comprou um tamanho maior que o meu. Minhas roupas estavam enormes no meu corpo. Porém não adiantou muito. Olhei no espelho e fiquei completamente triste com o resultado. Ficou horrível.

- Chloe, você precisa de ajuda. – me assustei com a morena atrás de mim

Seu uniforme estava totalmente diferente do meu. Sua saia era mais curta, e a sua camisa, estava amarada na cintura mostrando um pequeno pedaço da sua barriga. A gravata completamente frouxa, no seu pescoço dava um ar de rebeldia nela. E por último o blazer, com as mangas arregaçadas. Eu queria ser ela.

- Estou horrível. – desabafei, admirando-a.

- É, você está! – ela riu – Mas podemos dar um jeito. Mas não agora, por que iremos nos atrasar.

- Mas eu vou assim? – abri os braços

- Ninguém vai reparar, hoje é o primeiro dia de aula. – ela disse. Fiz uma cara de tristeza – Sobe a saia até a sua cintura, e coloca a camisa dentro dela. – disse, e eu fazia tudo as pressas.

- Ficou melhor?

- Dá para o gasto! – ela disse, e eu concordei.

Peguei os meus livros, e seguimos para sala. No meio do caminho encontramos o Simon. E como eu suspeitava, com o uniforme totalmente customizado. Calças com a barra dobrada, tênis casual, a camiseta branca por debaixo do paletó fechado e seu chapéu preto. Ele se arrumava super bem.

Não só o Simon, como os outros alunos também. Cada um tinha a sua personalidade exposta ali. O uniforme, só deixava as pessoas mais bonitas.

- Precisamos dar um jeito no seu uniforme. – ele disse sério.

- Ah, eu esqueci de te falar. Foi o Simon que customizou o meu uniforme. – Lizzie contou animada

- Sério? Você leva mesmo o jeito. – afirmei para o garoto.

- Pois é. Eu pretendo seguir carreira na moda.

- Você se sairá muito bem. Minha prima é modelo, aposto que você vai conhece-la. – disse.

Nós íamos para o primeiro andar. Nossa primeira aula era história.

- Chocante. Quem é ela? – perguntou interessado. – Espera, deixa eu adivinhar? Kate Moss? Erin Heatherton? – neguei

- Alice Clark – falei, e vi os olhos dele brilhar. Eu sorri com o espanto em seu rosto

- Alice Clark é a sua prima? – Lizzie perguntou surpresa

- Sim, por que?

- Simon é apaixonado por ela. Se não fosse gay, casaria com ela.

- Ela é incrivelmente linda. Todos os modelos que eu desenho, eu peso se um dia ela iria usar. Ela é a minha inspiração! – seus olhos brilharam.

Minha prima tinha grandes fãs, disso eu tinha certeza. Mas também. Com a beleza daquela mulher, quem não teria?

- Eu posso apresenta-la algum dia á vocês. – disse

- Seria uma honra conhecê-la.

Quando entramos na sala de aula, a maioria dos alunos estavam sentados nas mesas em grupos conversando. Lizzie e Simon foram direto para a turma do fundo. E eu os acompanhei.

- Quem é a novata? – um garoto sentado na mesa perguntou a Lizzie, assim que me viu aproximando.

- Chloe Swan.– a morena respondeu. – Chloe, esses são Xavier Hampton, Charlie Daughty, Max Albuquerque, Luci Evans e Mary Stuart

Começando pelos meninos, um era mais bonito do que o outro. Eles se pareciam muito. Os três eram morenos e tinha um porte atlético. Olhos castanhos, pretos e mel. E haviam as garotas. Luci, tinha a pele branca, e seus cabelos ruivos ondulados destacam ela no meio de qualquer multidão.. E por fim vinha a Mary, com seus cabelos platinados e seus lindos olhos esverdeados. Todos ali com seus uniformes rebeldes por assim dizer.

- Você veio de que lugar? – Xavier perguntou, puxando assunto

- Los Angeles. – respondi

- Legal, eu sou de lá. Max veio do Brasil, e o Charlie da Austrália. – falou

- Deixa que nós nos apresentamos, idiota! – Dessa vez era o Max que falava. – Eu sou o Max! – falou beijando a minha mão, como cavaleiro.

- O prazer é todo meu. – falei em português, que o deixou surpreendido.

- Nossa, é difícil ter alguém aqui que falar português. E você por ser americana, fala muito bem. – respondeu na mesma língua.

- Obrigada. É que eu passei um tempo no Brasil. – contei.

- Será que podemos falar o velho e bom inglês? – Mary se intrometeu – Garota, você precisa urgente arrumar o seu uniforme. Isso esta um caos. – informou

- Deixa a garota, Mary! Ela provavelmente deve ter chego hoje, e não teve tempo de arrumar as suas coisas – A ruiva disse, me defendendo – Seja bem vinda Chloe, ao nosso grupinho dos inconvenientes. – ela disse sorrindo carinhosamente.

- Obrigada Luci. – sorri

- Já que todos se apresentaram, agora é a minha vez. Eu sou Charlie, serei o seu servo – disse se curvando, comigo rindo.

- Idiota. Esses meninos são uns retardados – falou a loira, empurrando o garoto – Eu sou a Mary. Venha, senta ao meu lado. – disse séria, tirando a sua mochila da mesa ao seu lado.

Foi legal fazer novas amizades. Os amigos do Simon e da Lizzie, eram animados. Cada um tinha uma personalidade diferente. Mas eram muito amigos, respeitando o espaço do outro. Conversei um pouco com cada um. Mary veio do Canadá. Ela era herdeira de uma empresa de jornalismo. E pelo seu modo de conversar com as pessoas, iria seguir essa carreira. Ela parecia ser a mais solta, conversava sobre tudo e todos. Não ligava para o que dizia dela.

Luci era tranquila, porém discreta para falar sobre a sua vida. Só dizia o essencial. De restante, conversava sobre tudo. E ela era uma pessoa muito amável e apaixonada. Eu via que tinha uma queda pelo Xavier.

E por fim, vinha os garotos. Não é de surpreender que o Charlie era o mais exibido, era um cara bacana. Mary brigava com ele o tempo todo. Era bem briga de casal. Era evidente que ela tinha ciúmes dele. E ele por ela. Xavier era o mais calmo dos meninos. Educado e gentil, ele dava atenção para todos, principalmente para a Luci. Eles se gostavam, mas não admitiam. Queria ver até onde isso ia dar. Por último, vinha o brasileiro Max. Ele era encantador, e muito charmoso. Cativava a gente por inteiro. Por onde passava levava a sua contagiante alegria.

Seria bom passar o meu ultimo ano no ensino médio com essa galera!  


Notas Finais


E ai, gostaram? Até a próxima!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...