1. Spirit Fanfics >
  2. Onde as Rosas Selvagens Crescem >
  3. 01

História Onde as Rosas Selvagens Crescem - Capítulo 1


Escrita por: ProngsM

Capítulo 1 - 01


Escola de Magia e Bruxaria de Hogwarts, Escócia

10 de dezembro de 1994

Harry emergiu de seu encontro com o Professor McGonagall em uma espécie de daze, ele tinha acabado de ser informado de que ele precisava de uma data para o Baile de Yule, que ele foi obrigado a participar como um campeão. Ele era avesso à atenção na melhor das hipóteses, mas fazer papel de bobo na frente de três escolas e envergonhar seu encontro não era a ideia de Harry Potter de uma boa noite.

A ideia de Harry de uma boa noite foi enrolada com um livro em frente ao fogo na Sala Comum grifinória, de preferência com Hermione ao seu lado. Harry fez uma pausa no meio do corredor, ele tinha tido a ideia de ler um livro em frente ao fogo antes, mas esta foi a primeira vez que Hermione tinha acompanhado esse pensamento. Não que ele se opusesse a isso, muito pelo contrário, ele gostava da ideia de cud... sentado com Hermione. "Eu quis dizer sentar", ele murmurou admoestantemente.

"Sentado onde Harry?" Uma voz perguntou por trás dele.

Harry olhou para cima e ao redor para encontrar-se olhando para os belos olhos castanhos de Ginny Weasley. Harry teve que piscar, desde quando ele considerou os olhos de Ginny bonitos. Quanto tempo ele tinha para considerar se ela era bonita ou não, dado que nos três anos ela o conhecia Ginny tinha fugido de qualquer lugar em que ele estava devido à sua paixão. Harry esfregou o lado de sua cabeça como ele sentiu uma dor de cabeça chegando.

"Não é nada, posso ajudá-la, Ginny?" Harry pediu para querer mais do que qualquer coisa sair de lá e obter uma poção de alívio da dor de Madame Pomfrey.

"Bem, McGonagall..."

"Professor McGonagall, Ginny", lembrou Harry.

"Oh, claro, bem, o Professor McGonagall disse que ia a um Baile para acompanhar o Torneio. Eu estava pensando já que Ron provavelmente vai com Hermione..."

Harry franziu a testa. "Por que Ron estaria indo com Hermione?"

"Ele gosta dela, eu pensei que você sabia que, além disso, não é como se alguém mais quisesse ir com ela..." Ginny explicou, murmurando a última parte.

A disposição de Harry escureceu neste comentário. "Em primeiro lugar, se Ron gosta de Hermione, você acha que ele a trataria melhor. Além disso, eu acho que você ficaria surpreso com quantas pessoas gostariam de ir com Hermione.

"Oh sim, como quem?" Ginny desafiou.

"Eu".

Os olhos de Ginny se abriram. "M-mas você vai comigo, certo?"

Harry fez careta. "Eu acho que é para eu decidir, não é? Você é uma boa garota, na maioria das vezes, mas você tem essa fixação assustadora comigo, e eu sinto muito se isso soa rude, mas é assustador. Você me vê como o garoto que viveu e não Harry. Hermione me vê como Harry e apenas Harry, e é isso que eu quero."

"Para um encontro?"

"Para um relacionamento!" Harry gritou, e rapidamente fechou a boca. "Você não ouviu aquela Ginny..."

"Tanto faz..." Ginny respondeu em um huff indo embora, batendo em Harry quando ela saiu.

Harry balançou a cabeça e esfregou de novo, Ginny estava fazendo algo diferente com seu perfume, cheirava a torta de melado e outra coisa. Eram dois cheiros concorrentes, mas o dominante era pergaminho velho.

Harry respirou quando sua cabeça começou a clarear e ele retomou seu caminho para a biblioteca, ele estava determinado a falar com Hermione antes de alguém o fez. Infelizmente, quando ele cortou as pilhas para chegar à mesa dela, ele ouviu algo que o fez parar e seu sangue esfriar.

"Você é Her-my-ninny?"

"É Hermione, como posso ajudá-lo, Sr. Krum?"

"Por favor, me chame de Viktor, haverá um Baile de Yule, gostaria que me acompanhasse."

"Você está me perguntando?" Hermione pediu a Harry que pudesse ver pelos livros que Hermione estava corando.

"Sim".

Harry podia ver que Hermione estava pesando as opções em sua cabeça, era aquela expressão fofa que ela chegaria onde suas sobrancelhas tricotavam juntas, e ela mordia seu lábio inferior. Ele adorava essa expressão, significava que ela estava pensando. Harry cruzou os dedos e esperava que a próxima coisa que Hermione disse fosse não.

"Ok, eu acho que poderia ser divertido", o coração de Harry afundou enquanto ele se afastava. "mas só como amigos, certo?"

"Ok".

"Bem, eu estou ansioso por isso."

"Assim como eu."

Hermione olhou na direção das pilhas, ela tinha quase certeza que alguém os estava observando durante sua troca com Viktor, mas ninguém estava lá.

Harry vagou pelo castelo até que era cerca de uma hora antes do toque de recolher. Ele tinha perdido o jantar, mas ele não se importava muito, ele passou toda a caminhada repreendendo-se por não chegar a Hermione mais cedo. Como ele disse à Ginny, muitos caras queriam convidar Hermione para o Baile, ele nunca tinha previsto que não seria ele que ela diria sim também. Agora ele foi pego em duas mentes, ele estava a princípio preocupado por que um garoto de 17 anos pediria a uma menina de 15 anos para ser seu par. Mas havia outra parte dele que era intensamente ciumenta, e ele não conseguia decidir se sua preocupação com Hermione indo com alguém dois anos mais velha que ela era genuína ou apenas uma desculpa para que ele pudesse convencê-la a ir com ele.

Harry deu a Hermione um sorriso fraco quando eles entraram na Sala Comum grifinória, Hermione virou-se para dizer algo a Harry quando Ron se aproximou. "Ei, Hermione, você ouviu falar sobre o Baile?"

Hermione revirou os olhos para Harry antes de se virar. "Sim, Ronald, eu ouvi sobre o Baile, eu estava lá na aula com você quando o Professor McGonagall anunciou, lembra?"

"Oh sim, acho que já tinha afinado o velho morcego até lá", respondeu Ron, arando antes que Hermione pudesse responder. "De qualquer forma, já que eu imaginei que você não teria um encontro, eu deixaria você ir comigo!"

Harry enfrentou isso enquanto Hermione escancarava em choque. "Você me deixaria ir com você?"

"Sim, quero dizer, quem mais vai perguntar a você", respondeu Ron.

Hermione sorriu para isso. "Bem, na verdade, Ronald, eu concordei em ser o par de Viktor Krum."

Harry estremeceu e desviou o olhar, ele pegou a expressão chocada, mas presunçosa de Ginny, mas optou por ignorá-la. Ron riu. "Puxe o outro Herms."

"Não a chame assim Ron, além de ela estar dizendo a verdade, eu estava lá..." Harry acrescentou fazendo Hermione se virar para enfrentá-lo.

"Eu podia sentir alguém assistindo, mas eu não sabia quem", comentou Ela.

Harry deu de ombros. "Você estava ocupado, eu não queria interromper."

"Mas você não veio e se juntou a mim depois que ele saiu..." Hermione observou, soando ligeiramente abatido.

Harry queria responder, mas Ron cortou a conversa deles, agarrando Hermione pelo braço. "O que diabos você está fazendo indo com Krum?"

Harry estendeu a mão, mas Hermione foi capaz de sacudir Ron antes que ele chegasse até eles. "O que você quer dizer, por que eu estou indo com ele?"

"Ele é o inimigo! Ele vai enfrentar Harry no torneio!

"Um torneio que você pensou que eu tinha trapaceado há algumas semanas", observou Harry.

As orelhas do Ron ficaram rosadas na observação do Harry. "S-sim, bem, não é certo, você não deve ir com ele. Todo mundo sabe que você é amigo de Harry Potter, ele provavelmente está indo com você para bombear você para obter informações sobre o que Harry descobriu para a segunda tarefa!

Hermione carrancudo. "Você acha que alguém pode querer ir comigo porque eles gostam de mim?"

Harry estremeceu e olhou para o chão neste momento. Ron zombou. "Oh sim, porque um famoso jogador de quadribol iria querer tanto ir com um sa..."

Harry estava na frente de Ron em um flash, colocando-se entre Hermione e Ron. "Pelo bem da nossa amizade, vou pedir que não diga o que está prestes a dizer."

"Ou o quê?"

"Ou vou te dar um soco na cara", respondeu Harry calmamente.

Ron simplesmente olhou para Harry, depois para Hermione e perseguiu-se com raiva, enquanto Harry levou Hermione para o outro lado da Sala Comum, para um assento perto do fogo. "Eu não posso acreditar nele; como ele se atreve a me acusar de dizer a Viktor qualquer coisa sobre o que você está fazendo?

"Eu sei que você não faria isso Hermione, mas Ron está certo em um sentido."

"Oh?" Hermione perguntou icily.

"Bem, é um pouco estranho que um jogador de quadribol famoso de 17 anos peça a uma garota de 15 anos para ser seu par..."

"É, você considerou que talvez ele me perguntou porque ele não quer perguntar a uma de suas fangirls vapid, que talvez ele me ache interessante ou bonita?" Hermione perguntou com raiva, ignorando o ronco escárnio do outro lado da sala.

"Essas podem ser as razões, mas ainda é estranho e eu acho que você deve ressligá-lo?"

"Você, o que lhe dá o direito de me dizer o que fazer, você não é meu pai!"

"Mas eu estou tentando cuidar de você, e eu estou dizendo-lhe para não ir com Viktor Krum!"

"Você não pode me dizer o que fazer Harry Potter, e até você perceber isso, não fale comigo!"

Enquanto Hermione se avassava para a cama Harry carrancudo e olhou para o chão. Ele sentiu um tapa no braço e olhou para o rosto sorridente de Ron. "Eu sabia que você concordou comigo."

Harry olhou para Ron. "Foda-se", ele respondeu antes de ir para a cama sozinho.

11 de dezembro de 1994

Harry acordou bem cedo na manhã seguinte, sentou-se na cadeira mais próxima da escada do dormitório da garota. Ele sabia que Hermione sempre foi uma iniciante, ela gostava de passar por cima de seu dever de casa antes de começar o dia. Ele estava certo alguns minutos depois que ele chegou, Hermione desceu as escadas. Quando ela o viu, ela se virou para subir, mas Harry correu de seu assento para a base das escadas. "Hermione, podemos conversar, por favor?"

Hermione huffed e balançou a cabeça relutantemente, descendo para se juntar a ele na Sala Comum. Magoou-o ver a vermelhidão dos olhos dela, e doeu mais saber que ele foi a causa do choro dela. Harry estendeu a mão e reuniu as mãos dele, em parte para garantir que ela não fugisse. "Primeiro, sinto muito."

"Por?"

"Tudo o que eu disse, especificamente que Viktor Krum não gostaria de ir com você porque você não é bonita ou inteligente, vocês dois são. Eu estava e estou genuinamente preocupado com você, mas... havia outra coisa que me fez não querer que você vá com ele.

"Oh?"

Harry corou. "Eu estava com ciúmes... Eu estou com ciúmes, eu queria ir com você, mas Viktor me bateu para ele.

Hermione sorriu e corou. "Eu teria gostado disso, mas eu já disse sim..."

"Eu sei, e você deve ir com ele. Eu só espero que você esteja bem com quem eu vou perguntar em vez disso..."

"Depende de quem é."

Harry sorriu esfregando a parte de trás de sua cabeça. "Vou perguntar ao Fleur Delacour."

Hermione levantou uma sobrancelha. "Sério?"

Harry deu de ombros. "Quero dizer, se eu não posso convidar a garota mais bonita do castelo para o baile, eu deveria perguntar a segunda garota mais bonita."

Hermione revirou os olhos. "Muito suave, vamos tomar café da manhã?"

"Claro, um..." Harry parou, puxando Hermione de volta para ele. "Ouça, p-próximo fim de semana hogsmeade, você gostaria de ir comigo, e-em um encontro, a-a menos, v-você sabe você e K-Krum..."

Hermione sorriu e deu um beijo na bochecha de Harry. "Eu adoraria ir a um encontro com Hogsmeade com você."

O rosto do Harry se iluminou. "Sério?"

"Sim, Harry, deixei claro ao Viktor que somos apenas amigos, nada mais. É como eu disse ontem à noite, eu não acho que ele quer dar a suas fangirls qualquer incentivo. Ele me viu e perguntou, isso é tudo o que há para ele.

Harry acenou com a cabeça. "Ok, estou feliz."

Hermione riu. "Você está com ciúmes."

Harry corou. "Talvez..."

Quando Harry e Hermione entraram no Grande Salão, ele sentiu um puxão em seu braço. Ele virou-se para olhar para Hermione que acenou com a cabeça para a mesa Ravenclaw. Fleur Delacour estava sentada com uma loira pequena com olhos enormes, ela sorriu serenamente enquanto seu companheiro animadamente explicava algo para ela.

"Agora?". Harry perguntou soar nervoso e ligeiramente alarmado.

"Se você não fizer isso agora alguém vai entrar e perguntar, novamente." Hermione insistiu.

Harry acenou com a cabeça e ajustou os ombros marchando até a mesa ravenclaw com Hermione seguindo uma curta distância atrás enquanto os olhos do salão meio vazio observavam. "Bom dia Miss Delacour."

"Bom Dia Senhor..." Fleur começou, mas parou quando Harry foi cotovelada para fora do caminho por Roger Davies.

"Ei querida, vá para o..." Roger começou antes de parar como um Fleur franzindo a testa deixá-la Allure flare. Uma vez que ela tinha certeza que Roger seria uma bagunça babando para os próximos minutos, ela voltou seu olhar para a menina sentada em frente.

"Um, Miss Delacour?" Harry perguntou novamente nervosamente.

Fleur se virou e levantou uma sobrancelha manicure observando os meninos ao redor de Harry que todos tinham uma expressão vaga babando sobre eles. "Oui, como posso ajudá-lo, Sr. Potter?"

Harry respirou fundo. "Você iria ao Baile yule comigo?"

Fleur re-revoou-o por um minuto inteiro antes de acenar. "Oui, acho que isso seria aceitável."

Harry soltou um suspiro de alívio, em seguida, corou. "Desculpe, eu estava muito nervoso vindo aqui para perguntar."

"Como você deveria ser", Fleur respondeu com um sorriso. "Gostaria de sentar conosco, oh, minha companheira, Luna Lovegood."

"Eu sei quem você é, Harry Potter, os wrackspurts me contaram tudo sobre você", respondeu Luna quando Harry estendeu a mão para apertar sua mão.

Harry fez uma pausa por um momento, olhando companheiro de Fleur hesitante. Luna continuou sorrindo. "Tudo bem Harry Potter, eu sei que eu digo coisas estranhas. Meus colegas de casa me chamam de Louco.

Fleur e Harry desaprovaram. "Isso não é muito agradável, você disse ao professor Flitwick?"

"Ele não fez nada sobre isso..." Luna murmurou.

"Eu vejo..." Harry respondeu olhando para a mesa principal, onde viu o Professor Flitwick conversando com o Professor McGonagall. Seus olhos vagavam pela mesa até onde o Professor Dumbledore estava sentado tomando café da manhã enquanto lia o Profeta Diário. Embora ele nunca fosse capaz de provar isso, ele adivinhou que foi Dumbledore que impediu Flitwick de impedir as pessoas de assediar Luna. A posição de Dumbledore nos olhos de Harry tinha caído significativamente nos últimos meses depois que Sirius foi forçado a voltar à corrida, Harry reexaminou sua interação com o Diretor, fazendo uma lista de todas as vezes que ele poderia ter interferido e impedido que algo acontecesse e não aconteceu. Os resultados não fizeram uma leitura feliz.

Harry balançou a cabeça. "Se as pessoas continuarem assediando você, você pode vir falar com Hermione ou comigo, vamos tentar ajudar se pudermos."

Luna olhou para o prato dela. "Obrigado".

"Luna, olhe para mim?" Harry perguntou e Luna relutantemente cumpriu. "Você nunca precisa me agradecer por ser um amigo."

"Você quer ser meu amigo?" Luna perguntou.

"Eu faço se você quiser isso?"

Luna acenou com entusiasmo, o que trouxe sorrisos para os rostos de Fleur, Harry e Hermione. Harry deu às duas garotas um pequeno arco. "Bom dia senhoras."

Harry estava prestes a voltar para Hermione quando a voz de Fleur o atraiu de volta. "Você gostaria de se juntar a nós para o café da manhã?"

"Enquanto Hermione pode se juntar a nós também?"

Fleur sorriu e acenou com a cabeça. "Oui, eu gostaria disso, ouvi muitas coisas boas sobre ela desde que cheguei ao castelo."

Hermione retribuiu o sorriso de Fleur enquanto os dois se sentavam com Fleur e Luna. Enquanto comvam Harry olhou, ele podia sentir os cabelos em seu pescoço em pé, como se lhe avisasse que algo estava errado, mas quando ele olhou em volta, ele não podia ver nada errado.

O que Harry não viu foi o diretor observando-o sobre sua cópia do Profeta Diário. O jornal também escondeu a carranca que cruzou os lábios quando ouviu Harry convidar o campeão francês para o Baile de Yule. Dumbledore já podia sentir a dor de cabeça induzida por Molly Weasley se desenvolvendo atrás de seus olhos, ele estava ciente dos planos de Molly para sua filha e o Menino-Que-Viveu e nenhum desses planos envolvia uma bela Veela francesa. Mas Dumbledore sentava-se e esperava, nada seria ganho alienando Harry e era apenas o Baile de Yule. Molly Weasley teria um genro, ela teria que praticar sua paciência raramente usada, ele decidiu.

Dumbledore gemeu e mudou seu papel ainda mais para se esconder da vista quando ele avistou Ron Weasley entrando no Grande Salão. Ele às vezes se perguntava se o menino mais novo de Weasley foi jogado em sua cabeça quando bebê, isso explicaria muitas coisas. Independentemente disso, enquanto Ronald não herdou a astuta de sua mãe, ele herdou seu temperamento, algo que ele estava fazendo uso total neste momento.

"Que diabos, seu maldito traidor! Eu pensei que você ficou do meu lado! Ron rugiu enquanto marchava até a mesa Ravenclaw.

Harry suspirou enquanto esfregava seu rosto. "A palavra-chave lá é que você pensou que eu concordei com você, Ron, eu não. Eu estava sendo um idiota para Hermione, ela está autorizada a ir com quem ela quiser e se ela quiser ir com Viktor Krum então eu vou apoiar a decisão dela porque ela é minha melhor amiga."

Ron parou e olhou para Hermione. "Eu sei que ela é sua melhor amiga Harry, mas nós caras..."

Harry levantou-se e colocou-se entre Hermione e Ron. "Não, eu disse que meu melhor amigo, meu melhor amigo estava ao meu lado quando meu nome saiu do Cálice, meu melhor amigo me ajudou a pesquisar a melhor maneira de sobreviver enfrentando um Dragão. Meu melhor amigo estava lá para mim quando todos no castelo se voltaram contra mim. Você não fez nada dessas coisas Ron, você tem sido um idiota para nós dois você tem sido um prat para Hermione por quatro anos e você nunca se desculpou. Então, eu terminei com você, talvez um dia, se você crescer e se desculpar pelo seu comportamento, podemos ser amigos novamente até então você pode ir embora."

Harry estendeu a mão para Hermione. "Devemos ir, não queremos nos atrasar para a aula."

Hermione acenou com a cabeça e pegou sua mão, o dois se despediu de Fleur e Luna e saiu do Grande Salão. Alguns minutos depois, eles pararam em uma sala de aula vazia e Harry sentou-se em uma das mesas, enterrando seu rosto em suas mãos. Hermione sentou-se ao lado dele, esfregando os ombros suavemente. "Você está bem?"

Harry acenou com a cabeça." Sim, eu acho que sim, ele tem sido um recentemente que eu não podia deixar passar mais."

"Eu sei, mas ele foi seu primeiro amigo, tem certeza..."

Harry virou-se em sua cadeira para enfrentar Hermione, tomando a mão dela na dele. "Tenho muita certeza. Tudo o que você fez por três anos foi me apoiar e eu tenho sido um idiota sobre isso. Mas não ter ron por perto me deu muito tempo para pensar, e eu percebi que você é meu melhor amigo, não ele, você age como um melhor amigo deveria. Então, me desculpe por ser um completo quando eu tenho o Firebolt, eu deveria ter confiado em você.

"Harry, você já se desculpou por isso."

"Eu sei, mas estou me desculpando de novo, eu deveria ter escutado você e não Ron. Ele sempre foi um para você, e eu fui um covarde por não dizer algo antes. Espero poder ser um melhor amigo de agora em diante."

Hermione sorriu e acenou com a cabeça, apertando a mão suavemente. "Você já é, e não é covarde querer manter um amigo. Ron sabia que era seu primeiro amigo e usou para ser horrível com as pessoas e se safar. Ele é a pessoa má aqui, não você.

Harry acenou com a cabeça. "Obrigado, Hermione."

"Você é bem-vindo, agora precisamos ir para a aula."

Quando Harry e Hermione saíram da última aula, Harry ouviu alguém chamando seu nome. "Olá Ginny."

Ginny parou no meio do corredor, sorrindo brilhantemente para Harry. "Poderíamos conversar, sozinhos?"

Hermione levantou uma sobrancelha olhando para Harry, que acenou com a cabeça, embora relutantemente. "Eu vou encontrá-lo de volta na sala comum."

Harry seguiu Ginny pelo corredor e rapidamente encontrou uma sala de aula vazia, Harry refletiu que foi apenas por causa de Voldemort que muitas dessas salas de aula estavam vazias. Antes da primeira guerra de sangue, havia muitas crianças mais mágicas no Reino Unido. Harry sentou-se em uma mesa de frente para Ginny, a dor de cabeça do dia antes de voltar com força total.

"Então, você vai me perguntar agora?"

Harry piscou em confusão. "Pergunte-lhe o quê?"

Ginny revirou os olhos. "Peça-me para ir ao Baile de Yule com você! Granger vai com Viktor Krum, então você perdeu sua chance, mas você ainda tem uma chance de ir comigo, mas só se você perguntar primeiro!

Os olhos de Harry se abriram e ele latiu uma risada que confundiu Ginny. "O que é engraçado?"

"Estou espantado com o que aconteceu esta manhã não chegou a todos os cantos do castelo até agora, Ginny, eu pedi a Fleur Delacour para ir comigo no café da manhã. Eu não sou e eu não quero ir com você para o Yule Ball, ou qualquer bola. Eu não gosto de você dessa maneira.

"M-mas por que não!" Ginny exigiu com raiva.

Harry suspirou esfregando a parte de trás de sua cabeça. "Eu já te disse isso, você gosta do Menino-Que-Viveu, aquele naqueles livros estúpidos. Não sou eu, sou apenas Harry Potter."

"Mas Harry Potter é o garoto que viveu!" Ginny protestou.

Harry balançou a cabeça. "Não Ginny, o Menino que Viveu que mata um Dragão e salva uma Donzela em perigo é uma fantasia ele é um personagem em um livro. Harry Potter é um estudante do quarto ano da Escola de Magia e Bruxaria de Hogwarts que deve ver a garota que ele gosta ir a um baile de Natal com outra pessoa porque ele não foi rápido o suficiente para perguntar a ela primeiro. A única coisa que temos em comum é aquela noite de Halloween em 1981, é que perdemos nossos pais."

Harry deu a Ginny um olhar duro quando ele saiu da sala de aula e voltou para a Sala Comum de Grifinória. Ele suspirou e balançou a cabeça quando caiu em uma cadeira em frente a Hermione que já estava derramando sobre seu dever de casa. "Problemas com garotas?"

"Problemas com Ginny, ela está convencida de que devemos ir ao Baile juntos, eu recusei duas vezes agora, mas ela não parece entender."

"Ela tem uma queda por você Harry, você sabe disso desde que a conheceu."

"Ela tem uma queda pelo  Menino que Viveu, há uma diferença", respondeu Harry.

Hermione bateu o lábio inferior com o fim de sua pena e acenou com a cabeça pensativamente. "Eu suponho que você está certo."

Os dois olharam para cima quando Ginny ruidosamente entrou na Sala Comum, ela jogou um brilho na direção de Harry enquanto ela caminhava para cima para o dormitório da menina. Hermione suspirou e olhou para suas notas. "Você provavelmente deve ficar longe dos Gêmeos por um tempo, eles adoram sua irmãzinha."

Harry gemeu em resposta. "Onde está um Dragão quando você precisa de um..."



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...