1. Spirit Fanfics >
  2. Onde está Julieta? - Jikook >
  3. Denovo.

História Onde está Julieta? - Jikook - Capítulo 1


Escrita por: e m4nteig4_hyung


Notas do Autor


~ @Minjaeshy ~
Hm, eu realmente estou feliz por escrever com a @m4nteig4_hyung. Ela é minha talentosa princesa.

É a primeira fanfic jikook que eu escrevo, estou bem apreensiva. Mas, darei o meu melhor no próximo capítulo!

Enquanto isso, babem a escrita perfeita e criatividade da Wendy.

Capítulo 1 - Denovo.



ㅡ Ai! Que droga, ein Jungyeom! ㅡ disse assustado quando acordara com um estrondo - este causado pelo bendito livro de literatura que Jungyeom utilizava durante sua aula - já fuzilando o mais velho com os olhos.

ㅡ Olha a forma como dirige-se a mim, aluno. Exijo educação de todos os alunos, isso inclui você.

ㅡ Ai, tanto faz. Por que me acordou?

ㅡ Por que dormiu?

ㅡ Qual é Jungyeom, não é pra isso que as aulas de literatura servem?

ㅡ Pirralho! ㅡ disse Jungyeom, enquanto a turma ria do comentário de - ainda um tanto sonolento - Jungguk ㅡ Do que vocês estão rindo? Querem se juntar á ele?

ㅡ Como assim? Estou suspenso? Glória à Deus! ㅡ disse Junggug fazendo gestos totalmente exagerados com as mãos simbolizando rezas e escutando a sala rir.

ㅡ Não, Jungkook.ㅡ disse se dirigindo ao menor, - apenas de idade, porque os longos centímetros a mais que Jungyeom possuía de altura além do mais velho eram consideráveis - este que o olhou confuso ㅡ Pelo contrário, você irá ficar mais tempo.

ㅡ Ah , limpar a sala é bem melhor do que ouvir as baboseiras dos livros. ㅡ disse o mais novo, bufando.

ㅡ E quem disse que você vai ficar limpando a sala? ㅡ o mais novo murmurou um "Ah , e o que eu vou ter que fazer? Fazer a merenda? " , fazendo os risos alheios novamente ecoarem pela sala de aula ㅡ Não Jeon , você irá participar das atividades extras.

ㅡ E o que seria isso?

ㅡ Você irá participar do teatro anual.

ㅡ O que? Não! Você não pode me obrigar a fazer parte dess-

ㅡ Oh! É verdade, até esqueci. A sua mãe havia me pedido para te adicionar nas atividades extras, coitada, deve estar bastante cansada de você não passar do segundo ano e quer que você tenha a chance de aumentar as notas e continuar no time.

"Droga" , pensou o garoto. O mesmo odiava livros,teatro e histórias em geral - apenas com a exceção dos filmes, de ação é claro - e não acreditava que sua mãe havia o posto em tal situação.


[ ... ]


ㅡNão acredito! Você é o azar em pessoa, Jeon! ㅡ disse Hoseok - seu melhor amigo - aos risos ㅡ Vamos ver em que peça você ficou! ㅡ este, que antes falava, agora corria em direção ao corredor de atividades extras ( Teatro, clube de leitura, clube de gastronomia, pintura e dança contemporânea ).

O mesmo aproximou-se dos papéis em frente à sala de teatro.

ㅡ Hum... Os miseráveis não... Rei Lear não... Ah! Aqui, você estará em ... Romeu e Julieta. ㅡ olhou para o “mais novo ator da obra mais famosa e melosa de Shakespeare," parecendo descontente com a reação ... "olá, eu ainda estou vivo" que permaneceu na face do outro ㅡ você não está revoltado com isso?

ㅡ Não. Assim que eu ouvi "teatro" sabia que seria Shakespeare. E, mesmo que minha vida não seja um livro de romance melo-dramático, Romeu e Julieta é o típico.

ㅡ Hum ... ㅡ Hoseok fitou o chão pensativo ㅡ Não havia pensado por esse ângulo mas... é, está correto... é o típico.

Estavam parados em um corredor, literalmente, sem o mínimo movimento.

ㅡ Jungkook-ie. Amanhã será a primeira reunião do clube de teatro, às 07h00 da manhã aqui na escola. Se não aparecer por aqui terá de ter a mesma reunião em sua própria casa, junto de um dos outros membros do clube. ㅡ disse o professor Jungyeom, o fuzilando, com apenas fitares.

ㅡ Tudo bem, até que eu estou animado pra' participar dessa peça. ㅡ mentiu.

ㅡ Que bom, porquê eu já te inscrevi. Você viu?

ㅡ Sim, eu vi.

ㅡ Okay, apareçam aqui. Às 07h00 da manhã em ponto!

ㅡ Está bem, Jungyeom.

ㅡ Se você me tratar informalmente de novo, é daqui para a diretoria.

ㅡ Tudo bem. Eu já entendi, professor. ㅡ disse, dando assim ênfase em "professor".

Jungyeom se dirigiu para uma sala, esta que não ficava no corredor de atividades extras.

ㅡ Vamos logo que eu estou com fome. ㅡ ditou hoseok,fazendo bico e guiando o maior com um puxão na manga da camisa.

...

ㅡ Eu tinha certeza, Taehyung! Está muito na cara. Qualquer um que tenha lido Rei lear mais de 10 vezes poderia acertar.

ㅡ Ah, Jimin... Só você mesmo para apostar 10.000 dólares americanos em algo tão ... medíocre.

ㅡ Medíocre? Medíocre é como deve chamar aqueles bastardos que me desafiaram em um questionário de Rei lear, não a mim.

ㅡ Jimin, nenhuma pessoa normal tem o roteiro inteiro de Rei lear ou de qualquer outra peça de Shakespeare na ponta da língua como você! Isso demonstra o quão medíocre você é.

ㅡ Medíocre não! Sábio.

Os mesmos sempre estavam descutindo porém, todos sabem que eles se amam. Duas pessoas com o mesmo sentimento e opiniões diferentes. E isso sinceramente era bom, diferente de qualquer amizade daquele colégio, pois tudo que tinham em comum era a sabedoria, e olhe lá! Mas soulmates são almas gêmeas destinadas, por isso, embora Park não acredite nessas lendas, sentia que o rapaz de fios escuros houvera nascido para ser seu porto seguro.


[...]


Jungkook acordou novamente com o barulho,- parecia que era a vida com intriga - que para si não era irritante - até aquele exato momento -, esse que era de uma música internacional qualquer.

ㅡ Hum, alô?

ㅡ Jeon! Que droga, já são 09:42h, você por acaso não foi para a reunião do clube de teatro?

ㅡ Querido amigo Jung Hoseok, você achou que eu iria mesmo me levantar tão cedo? Nem agora eu quero me levantar! Não perco meu tempo nem para os treinos. Depois eles me contam o que aconteceu e-

ㅡ Não, Jungkook! Você não se lembra do que o professor Jungyeom disse?

ㅡ O que? Tá maluco Hoseok?ㅡ questionou exaltado ㅡ O Jungyeom falou o quê?

ㅡ Que você vai ter a reunião em particular, com um dos membros?

Não descreverei os pensamentos de Jungkook, mas posso lhes dizer que são milhões e milhões de " * ".

ㅡ Merda! ㅡ Esse é um dos " * " ㅡ eu tinha me esquecido... que droga, e agora?

ㅡ Ué , querido Gguk. Você espera que eu faça o que? Não sou a mãe Diná! Apenas... Não sei, espera alguém passar aí.


[...]


ㅡ Você tá' de brincadeira com a minha cara, não é Tae? 

ㅡ Pior que não. Jungyeom disse exatamente: " Peça para que Jimin se dirija a casa de Jeon Jungkook e o ensine as falas que aprendemos hoje, não podemos atrasar a peça por causa desse paspalho.", e depois me deu esse papel aqui, que deve ser o endereço do moleque. ㅡ disse , tonificando sua voz de maneira engraçada nas palavras entre aspas.

ㅡ Mas por que eu tenho de gastar meu precioso tempo com esse marmanjo? Eu tenho um livro para terminar de ler e esse menino só vai me atrapal-

ㅡ Jimin. ㅡ Tae transformou os lábios em um traço e franziu o cenhoㅡ Você já leu "Rei lear" 7 vezes. Acho que deveria parar.

ㅡ Nunca é o suficiente , cada vez temos mais coisas para grifar! Coisas importantes, que passaram despercebidas! E eu sempre leio um livro, no minimo, 10 vezes.

ㅡ Ah, Jimin. Você decorou "Romeu e Julieta" tão bem que nem faz parte da peça, é o diretor-roteirista. Você apenas tem que ensiná-lo, okay?

Jimin revirou os olhos, choramingou e esperniou internamente, entretanto, na realidade apenas bufou impaciente.

ㅡ Que saco, eu entendi. Irei lá... ㅡ olhou para a tela de seu celular , este recentemente tirado de seu bolso ㅡ ainda antes do almoço.

ㅡ Bem, pega isso aqui. Obrigado, por nada.ㅡ entregou o papel com o tal endereço ㅡ Bye! ㅡ Hoseok se afastou, acabando nem dando para Jimin o devido tempo de se despedir.

ㅡ Okay... ㅡ o quase moreno saiu de seu local, com sua casa em mente como o destino. E, assim como em um GPS, pode escutar a voz robótica feminina lhe citar os caminhos que deveria tomar.Sorriu por isso. Uma coisa tão simples e boba.

Sorriso esse que permaneceu desde o início ao fim de sua trajetória.

Tomou um banho curto e normal, assim como o que vestiu. Uma camisa branca social, com um parte do cós do tecido por dentro do jeans, claro.

O mesmo seguiu por as ruas de Busan, esta calmas e sem muito movimento. Ouviu o soar da campainha assim que pressionou a mesma. O que estava por lhe esperar?

A porta foi aberta - depois do terceiro toque da campainha mas , mesmo assim , foi aberta - por um rapaz de cabelos longos e acastanhados.

Jimin esperava um "Como posso lhe ajudar?" ou pelo menos um " Oi. " mas , fora surpreendido por um:

ㅡ Que' que' foi?

ㅡ Nossa, não esperava tamanha arrogância. Onde estão seus modos, garoto?

ㅡ Nem te conto... perdi.

ㅡ Dai-me tamanha paciência para aturar tamanha estupidez.

ㅡ Estupi...o que?

ㅡ Vai me convidar a entrar ou vou ficar plantado aqui no batente?

ㅡ Eu tenho um regador, se quiser eu te rego.

ㅡ Chega! Juro pela lua que banha em pratas o mar, que se não me responder corretamente, suas notas caem ainda mais, e fique pronto para dar adeus ao futebol!

ㅡ Banha em pratas o rio? De onde tirou essa asneira?

ㅡ O mar!

ㅡ Continua sendo uma asneira.

ㅡ Misericórdia... ㅡ sussurou ㅡ dê-me licença.ㅡ Pediu ainda intruso, empurrou o de fios castanhos, que olhou para Park ofendido. 

O lugar era de fato bem mobiliado e decorado, apesar dos tons bem vintages, lembrava casas tradicionais americanas - das quais tinha visto na última viagem -. Um ponto de interrogação surgiu na cabeça de Jimin, sem timidez nenhuma questionou:

ㅡ Mora sozinho? ㅡJeon jogou-se no sofá, pondo os pés sob o móvel, foi como uma facada no peito do mais velho.

ㅡ Não. Moro com minha mãe, mas ela deve estar no trabalho. ㅡ Jimin assentiu debochado, sentando-se confortável na poltrona de veludo vermelho. ㅡ Veio para ficar de papinho, baixinho?

Park encarou o garoto á sua frente, os olhos matando Jeon e os lábios boquiabertos. Super ofendido, quem era ele para o menosprezar? Afinal.

ㅡ Não aguento ficar nem 10 minutos dialogando com você, seria uma indubitável escolha na minha vida. ㅡ Jungguk revirou os olhos.

ㅡ Que língua você tá' falando? Quer saber, esquece. Só descola o roteiro aí. ㅡ Falou, enquanto arrumava a postura no sofá e fixava os pés no tapete. Jimin arqueou as sobrancelhas, vasculhou na mochila por os papéis e, antes de os entregar nas mãos do rapaz, retirou o grampo que prendia as folhas. ㅡ Tá louco cara? Por que fez isso? ㅡ Park riu com sarcasmo, quando teve o roteiro arrancando de sua mão, com certa brutalidade.

ㅡ Foi você quem disse para descolar as folhas, seu brutamonte! ㅡ Respondeu - aumentando o tom -, como se fosse óbvio.

ㅡ Mas Não assim! Não entende gíria, não?

ㅡ Ah, por céus! Não falo essa sua língua.

ㅡ Percebi, agora é tarde. Me fala logo o que eu tenho que fazer.

ㅡ Ainda não organizamos as cenas, mas a sua primeira cena é no quarto, conversando com o seu primo. Fique em pé.ㅡ Ordenou o Park. Jeon bufou, ficando em pé logo em seguida.ㅡ Agora leia, encene a fala.

– Como assim? Já é dia? ㅡ Leu o rapaz. Sem muita entonação.

ㅡ Não disse para ler, disse para ler e atuar.

ㅡ É o que eu estou fazendo! ㅡ Jimin jogou a cabeça para trás impaciente. Andou até o garoto, porém, ficou à bons centímetros de distância. 

ㅡ Presta atenção! ㅡ Pediu, pigarreou tomando o roteiro. ㅡ Bom dia, primo meu! Para que essa armadura de homem triste, se nada lhe falta? Você é rico e amado por sua família. ㅡ Falou enquanto estufava o peito, mantendo um dos dedos presos no cinto da calça. Jeon não deixou de rolar os olhos, pegando os papéis de volta.

ㅡComo assim?! Já é dia?! ㅡ Perguntou exaltado.

ㅡ Você está parecendo um maníaco louco. ㅡ Ele indaga sem alegria, mas com o tom normal.

ㅡ Não vai dar certo.

ㅡ Vamos logo! Denovo.

ㅡComo assim? Já é dia?!

ㅡHumhum, denovo!

ㅡComo assim?... Já é dia?...

ㅡ Denovo.

ㅡ Tá' zoando com a minha cara? ㅡ Jimin negou, e Jungkook estreitou os olhos desconfiado.ㅡComo assim? Já é dia? ㅡ Park abriu um sorriso esperançoso e agradeceu ao céu. ㅡ Ficou bom?

ㅡ Ficou, mantenha assim. Assista o filme e treine mais a sua atuação, não deixe transparecer que é mentira. Entendeu?

ㅡ Já vai? ㅡ Os dois jovens assustaram-se com a voz doce e feminina. ㅡ Só por que eu cheguei? É seu coleguinha, filho?

ㅡ Mãe! Quando chegou?

ㅡ Desde a parte “Denovo”. Prazer, sou a mãe do Jungkook.— cumprimentou Jimin, fazendo o rapaz ficar envergonhado.

ㅡ Prazer, Srta. Jeon. Eu me chamo Park Jimin.ㅡ A mulher sorriu largo, mas Jungkook tomou voz, antes que ela começasse a constrange-lo.

ㅡ Ele já estava de saída, não é?

ㅡ Ah, sério? Não quer tomar uma vitamina? Você é tão magrinho.

ㅡ Jimin olhou para Jungkook, que estava fitando ele, gritando: “Dê o fora daqui, anão.” e foi aí que Park decidiu voltar para 9 de janeiro, e gritar para a mulher: “Digam ao povo que fico.” ㅡ Aceito a vitamina, Srta.Jeon. 



Notas Finais


~ @Minjaeshy ~
Ele é afrontoso.

Hey, a Wendy conseguiu ser perfeita mais uma vez, senhoras e senhores. Dêem uma olhada nas fanfic's dela, e se gostar não esqueça de favoritar! :)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...