História Onde esta o verdadeiro "Brasil"? - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Tags Countryhumans
Visualizações 134
Palavras 1.044
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 12 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Fluffy, Luta, Mistério, Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Mutilação, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Oii! de novo, aqui esta, decidir escrever outra historia, só que diferentemente essa não sera "capitulo único" e eu realmente só quero fazer 4 capítulos, para cada uma das versões.


E são 03:34 agora.
EBA!!

Capítulo 1 - Brasil?


— Mas… Que porra!? — Exclamou Espanha, ao ver três versões do Brasil. 

 

Estados unidos estava deixando seus óculos caírem, enquanto ele provavelmente machucaria sua mandíbula, de tanto que sua boca estava aberta, de tão surpreso, e os países que não conheçem o Brasil direito, estava confusos   

 

— Onde Minha ilustre presença, se encontra? — Perguntou, o mais alto, ele parecia ser uma adolescente, tirando que ele tinha roupas de imperadores, sua capa era amarela por dentro, E o resto de seus vestimentos, eram das cores azuis e verdes. 

 

— Hum — Outro resmungou desconfortável, ele tinha correntes em deus pulsos, mas usava roupas portuguesas, simples, mas ainda sim nobres, da época da escravidão, ele parecia ser uma criança.

 

— … — e o último, ele já parecia adulto, ele usava roupas que lembrava o exército. Ele não falava nada, só os olhava com olhos cautelosos, lendo eles, ele parou de olhar outros países e começou a olhar para o grupo onde estava Portugal e América, Ele encarou, Portugal com olhos penetrantes, e frios. 

 

— Será, que algum de vocês não és um incompetente? E poderia me falar onde eu estou agora? — Disse o Império Brasileiro, batendo um dos pés no chão em um movimento frenético 

 

— Será que “você” poderia calar a boca?  — Finalmente o Brasil da Ditadura Militar, disse algo, ele falou com tanta frieza que Argentina começou a pensar que o ar condicionado não era mais necessário. 

 

— O que!? — Disse espantado, com tanta falta de vergonha da parte desse Brasil — Como Tu ousa, falaste isso a mim! Tu sabes quem sou? — Disse irritadíssimo. 

 

— Lógico que eu sei… Um idiota, agora que tal me obedecer? Tenha paciência e deixe eles falarem, sua voz é irritante — Revirou os olhos.

 

— Ora seu ser insignificante!! — Gritou, assustando o Brasil “criança”, ele então se se escondeu atrás de portugal, sem saber quem era. O pobre Brasil estava tremendo 

 

— Muito alto… — Reclamou, se encolhendo atrás de Portugal

 

— Ei amiguinho está bem? — Perguntou Espanha, para o pequeno, que só escondeu ainda mais atrás de Portugal, como resposta para Espanha, os outros países acharam isso muito fofo.

 

— Ha! Eu sou “Insignificante”? Olhe para você primeiro, antes de falar dos outros — Disse com os braços cruzados.

 

Venezuela tinha ficado impressionado com a resposta do “Soldado”  — Eu gosto dele — disse Venezuela, mesmo que ele e o “Brasil” de verdade, tem uma rivalidade a anos.

 

Colômbia o olhou estranho, por nunca esperar ouvir isso do mesmo.

 

— O que foi? Ele retrucou o metidinho ali! — Se defendeu.

 

— Ehhh? … — Exclamou — Militar idiota — Resmungou baixinho por não ter argumento 

 

— Senhores, por favor será que você poderia nos explicar o onde estamos? — Disse o “Soldado” ajeitando sua postura, e fazendo sentido ao Eua, já que era o único em que ele reconhecia ali, no momento. 

 

— Já não gosto mais dele.

 

— Hum, já pode parar Brasil — Disse o Americano, tentando fazer que o Soldado pára de fazer sua reverência. 

 

— Que? Está a falaste comigo? 

 

— Hum… Desculpa, senhor... 

 

— Sim, senhor! 

 

“Ah! meu deus, como isso será difícil”, pensou Eua. 

 

— Ok! Ok! Países! Reunião, e vocês fiquem aí — Falou Eua, nervoso — Hey! Portu… — Quando, Eua ai xingar Portugal, por não deixar o Brasileiro menor com ou outros, Chile, tampou sua boca rapidamente. — Hum! HUM! 

 

— Você está louco!? — Sussurrou Chile na parte do “Louco” — Esse provavelmente é o Brasil da época da escravidão, ele teve medo do Portugal em num momento da época, quando ele explodiu de raiva! Nós não sabemos se ele se lembra desse momento da  época… mesmo que já esteja muito claro para mim pelas correntes nos pulsos dele, que sim… — Explicou tirando a mão da boca do americano. 

 

— Então o que faremos? tenho que falar algo em particular com vocês! 

 

— Hey! Brasil — Portugal tendo um idade se ajoelhou na frente de Brasil — Olha por que não fica com os outros? Eu e meus amigos temos que conversar… será só por um breve momento. 

 

Brasil, com medo de ter feito alguma coisa errado, começou a tremer violentamente

 

— Sim senhor… Desculpa ter te incomodado… — Disse Brasil com medo, de o portugal que ele conhece, está o testando, e o observando.    

 

— O que, não precisa, pedir desculpa Brasil, você não fez nada de errado — disse portugal pegando as duas mãos brancas, de Brasil — Eu só preciso, conversar rapidinho com esses chatos, sabe depois poderíamos jogar algo, o que você gostaria de jogar? — Perguntou carinhosamente. 

 

— Hummm! Capoeira! Meu povo tem jogado… quero dizer os escravos do povo de meu pai tem jogado muito isso — Disse Brasil alegremente, mesmo tendo tido uma recaída, na parte de quem era o seu povo. Brasil ficava triste ao lembra que ele tinha que chamar seu povo de “Escravos”, era ridículo na opinião dele. Mas o que ele poderia fazer contra o seu pai? Nada.  

 

— Brasil! — repreendeu Portugal — Eles são o seu povo, e de mais ninguém, se lembre disso no futuro, eles não são escravos, ninguém é —  Disse Portugal confiante. 

 

— Mas… Meu pai…

 

— Olha, aposto que seu pai é às vezes muito legal — Suspirou —  mas lembre se, que você é o filho dele, você merece respeito dele… 

 

— Cof... Cof... — Tossiu desmascaradamente, para chamar a atenção de Portugal. 

 

— Hum… Chato! — Se virou para Eua, e depois para angola — Angola, será que você poderia ficar ali como o Brasil, jogando capoeira? Até eu voltar? — Pediu para Angola

 

— OK! — Angola pegou a mão de seu irmão e foi jogar capoeira com ele. 

 

Portugal sorriu com a cena, ele se lembra claramente, quando Brasil conheceu Angola… Mas agora não era hora para lembrar, então ele se levantou do chão e se juntou com os outros. 

 

— Então o que faremos, e que porcaria aconteceu com o Brasil?! — Perguntou Eua confuso e preocupado. 

 

— temos que achar um forma de trazer o nosso Brasil de volta — Explicou México. 

 

— Mas como? — perguntou Noruega.

 

— Eu vou ver com o “Nasa e a ONU” se eles tem alguma ideia — Disse Eua — Mas agora, que tal darmos nomes para eles? — Sugeriu o americano.

 

— Por que faríamos isso? —  Perguntou Argentina achando essa ideia completamente idiota.

 

— Para não dar confusão depois igual a que aconteceu antes? se eles estiverem na mesma sala, e chamamos só um Brasil, os outros dois acharam que estamos falando deles também. — Fazia muito sentido, então todos concordaram. 


 

— Então vamos, decidir isso depois, agora vamos tentar conversar com eles — Disse Rússia sério. 

 


Notas Finais


Eba! Eu realmente estou em duvida se eu deveria colocar algum apelido para eles , já que vai ser cansativo escrever, Esse é o Brasil da Ditadura, entende?

se alguém tiver ideia, aceito.

E a capa foi feita por mim, como o de Ansiedade também


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...