História Onde mora o coração (NaruHina) - Capítulo 12


Escrita por:

Postado
Categorias Naruto
Personagens Gaara do Deserto (Sabaku no Gaara), Hinata Hyuuga, Ino Yamanaka, Naruto Uzumaki, Neji Hyuuga, Sai, Sakura Haruno, Sasuke Uchiha, TenTen Mitsashi
Tags Amizade, Jeans Viajante, Naruhina, Naruto
Visualizações 70
Palavras 3.333
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oi, pessoaaaal! Devo mil desculpas porque eu demorei bem mais do que havia dito que iria postar. Bom, algumas coisas estão bem complicadas por agora, e a faculdade tem me consumido muito. Mas, na verdade, não escrevi mesmo porque tô tendo problemas no meu relacionamento e fiquei tão na bad que tive zero inspiração para escrever qualquer tipo de cena romântica hahahaha enfim, as coisas ainda não estão 100% mas pelo menos usei isso pra me inspirar no quanto gostaria de estar num amor feliz agora.
Espero que vocês aproveitem o capítulo, e os próximos que virão. Sem mais delongas...



Vamos lá...

Capítulo 12 - A aprovação


Fanfic / Fanfiction Onde mora o coração (NaruHina) - Capítulo 12 - A aprovação

Já ouvi dizer diversas vezes que quando estamos com a pessoa que amamos o tempo parece se arrastar. Pois eu duvidava veementemente disso. Eu passava a maior parte do dia com Naruto e mesmo assim não me parecia suficiente. Ainda que passássemos as 24h do dia juntos, ainda parece pouco. A cada nova aventura que vivíamos eu percebia que estava me apaixonando mais por ele. E isso estava me dando um medo terrível. Me abrir para isso significava também correr os riscos de ter o coração partido. Mas toda vez que eu encarava a imensidão dos olhos azuis dele eu esquecia dessa possibilidade. Toda vez que ele sorria eu pensava que valia a pena correr o risco. E toda vez que ele me abraçava eu tinha certeza de que valia a pena sim.

Em uma tarde estava sentada na sala da casa dos meus avós, não estava com Naruto naquele dia pois ele iria ajudar o seu avô com alguma coisa relacionada aos barcos. Mas combinamos de nos encontrar a noite. Aproveitei aquele tempo para conferir meus e-mails, esperava ansiosamente que tivesse alguma notícia das minhas amigas. Estar com Naruto fazia com que eu me sentisse menos sozinha, mas todos os dias eu sentia falta de cada uma delas. Decidi que não contaria sobre a minha transa com Naruto por e-mail ou carta. Era algo grande demais, e especial demais. Precisava que elas vissem em meus olhos a minha felicidade quando eu contasse que havia perdido a minha virgindade da forma que jamais esperei, mas que eu não me arrependia daquilo nem por um segundo na minha vida. E que aquela tinha sido a melhor noite da minha vida, até então. Abri os e-mails e vi que tinham mensagens de Sakura e Tenten. Estranhei não ter nenhuma notícia de Ino, mas imaginei que ela devia estar se divertindo loucamente no acampamento e esquecido de nos atualizar. Basicamente Sakura estava muito irritada porque ao chegar na Carolina do Norte descobriu sobre o casamento do pai, e não estava nada feliz de não ter sido comunicada antes. Sakura sempre detestou ser a última a saber das coisas sobre as pessoas importantes para ela. E Tenten mandou um e-mail reclamando da vida, para variar. Disse que o trabalho de verão era um saco, mas pelo menos tava dando pra juntar um dinheiro para o seu novo equipamento de vídeo. Ri pensando nas minhas amigas e como em pouco tempo estaríamos juntas de novo. Mas, ao mesmo tempo, uma tristeza me abateu quando pensei que isso também significaria estar longe de Naruto. Ainda não havíamos tocado nesse assunto, e eu sentia que ambos tínhamos medo de falar sobre isso. Mas eu também sabia que isso seria inevitável. Voltei para minha caixa de entrada esperançosa, mas isso logo se tornou em frustração ao perceber que não havia nenhum e-mail da RISD (a escola de design da Universidade Brown). Tentei me manter calma, sem pensar que caso a RISD não me aceitasse eu teria que fazer a faculdade que meu pai queria e, com isso, ser infeliz para sempre. Pelo menos desse jeito, talvez, ele me achasse menos inútil. Saí do computador, precisava me afastar dali e, mais ainda, precisava afastar aqueles pensamentos de mim. 

Fui até a área externa, onde ficava o restaurante e encontrei Naná arrumando as coisas para receber os clientes que chegam no final da tarde, ou no início da noite. Ela estava concentrada em organizar as mesas e nem me viu chegar, e passei alguns segundos a admirando, e o quanto ela e Nonô mesmo não precisando mais se empenhavam em manter o restaurante aberto, pela alegria que ele representava para o lugar. Ela passava uma flanela em uma das mesas quando virou para os lados e me percebeu ali. Abriu um sorriso singelo, sem mostrar os dentes. 

- Oi, minha querida. Não tinha te visto. Há quanto tempo está aí? - ela me fala gentil, voltando sua atenção para a mesa e continuando a passar a flanela enquanto falava.

- Tudo bem, Naná. Acabei de chegar. Decidi vir tomar um ar puro. - respondi calmamente.

- Ah sim! Tem um tempo que você não fica em casa pelas tardes. Imagino que os desenhos estejam tomando bastante o seu tempo. - ela falou ainda limpando as mesas, mas esboçando um sorriso. 

- Sim. Tudo aqui na Grécia é lindo! Me trouxe bastante inspiração. - eu falei e eu mesma podia perceber a empolgação na minha voz. Naná parou de limpar a mesa e me encarou. Veio até mim e colocou a mão no meu rosto, senti seu calor e o carinho que emanava do seu corpo para o meu. 

- Você tem se adaptado muito bem aqui na Grécia, Hinata. Fico muito feliz por isso. Você pode até voltar para sua casa, mas eu sei que o seu coração pertence a este lugar. - ela me falava sorrindo, e eu não pude deixar de sorrir também. Era verdade. Tudo na Grécia me encantava. As construções, as músicas, as comidas, as pessoas… Mas era a energia e a vida de Naruto que me conectava àquele lugar naquele momento. Me conectava à terra. E eu não podia dizer isso a Naná, mas por dentro eu sabia que conhecer Naruto foi a melhor reviravolta que poderia acontecer na minha vida. 

Saíamos todos os dias, e ele me apresentava coisas novas. Ele me levava a lugares incríveis para que eu desenhasse, andava de Vespa comigo para cima e para baixo. Até me fez dançar! Minhas amigas jamais poderiam imaginar que eu dançaria em público. Mas eu fiz porque Naruto me conduziu. Fiz porque eu senti sua mão segurando a minha e, naquele momento, eu senti que nada seria impossível para mim. Naruto me ensinara a me sentir mais livre, mais confiante. 

Já caía a noite e aproveitei que Naná e Nonô estavam bastante ocupados no restaurante para sair de fininho e encontrar Naruto. Ele me esperava na ponta da escada, como sempre. Ali era melhor para evitar que nos vissem juntos muito perto da casa dos meus avós. Quando me avistou ele abriu o sorriso que eu considero o mais lindo desse mundo. Quando eu estava a poucos degraus dele, ele me pegou pela cintura me carregando, e me rodopiou no ar. 

- Oi, minha pequena. - disse dando um selinho nos meus lábios.

- Naruto, eu não sou tão pequena assim. Você que fez questão de crescer demais, não acha não? - eu lhe disse divertida. 

- Essa é a desculpa de todo mundo que é anãozinho hahahaha. - ele dizia gargalhando e eu dava leves tapinhas no seu braço.

- E então, qual grande novidade que você vai me mostrar hoje? - eu pergunto cruzando os meus braços nos seus. 

- Na verdade, hoje eu pensei em fazer uma coisa bem tradicional. - ele diz me dando um sorriso terno. - Eu vou te levar para jantar. Mas calma, é em um lugar bem especial, tá bom? - ele dizia como se tentasse se justificar. 

- Naruto, não precisa se explicar. Qualquer lugar que você me levar pra mim já é um bom lugar. - digo sorrindo e lhe dando um beijo na bochecha. Não pude deixar de sentir seu cheiro amadeirado e então todo o meu corpo se arrepiou. 

- Ok, madame, então vamos lá. - e então subimos na Vespa. 

--

Depois de algum tempo na garupa, Naruto estacionou perto de um cais e me ajudou a descer. Nos direcionamos ao final do cais onde um pequeno barquinho nos esperava. Me surpreendi, porque se Naruto queria um jantar no barco bastava termos ido até o barco dele, que estava bem mais próximo. 

- Naruto, um jantar no seu barco seria mais confortável. Ele é maior do que esse barquinho. 

- Hina, não é aqui o nosso jantar. Você acha que sou tão sem criatividade assim? - ele pergunta com um sorriso nos lábios e a sobrancelha arqueada.

- Hahaha não acho! Mas sei lá, pra onde vamos?

- Mocinha, você precisa aprender a usar esses lindos olhos perolados. Olha só ali pra frente. - ele então fica atrás de mim e então com as duas mãos direciona minha cabeça para uma visão no meio do mar. Aperto os olhos tentando entender o que ele me mostrava e então percebo várias luzes. Dou uns passos para frente e então minha boca se abre em uma perfeita surpresa. Existia uma rocha no meio do mar e em cima dela uma construção que parecia uma cabana rústica, mas que tinham barquinhos parados ao redor dele. 

- Naruto… Aquele é o lugar onde vamos jantar? - eu perguntava incrédula.

- É sim, minha princesa. Se você tá impressionada agora, imagina até chegar lá. - ele abre um pequeno sorriso e pega na minha mão. Desce a escadinha do cais até o pequeno barquinho e eu me sento enquanto Naruto organiza tudo para partirmos. Ele liga o motor e então seguimos viagem. 

Ao chegarmos lá percebo um rapaz que ficava na frente para nos ajudar a descer do barco e nos recepcionar. Ele me estende a mão para que desça sem precisar me molhar, depois fazendo o mesmo com Naruto. Após isso Naruto se dirige até o concierge e pede as reservas em seu nome. Ao adentrar o espaço meus olhos não podiam acreditar no que viam. Era uma linda caba rústica com muitas cores, típicas da Grécia, almofadas com lindos bordados estavam espalhadas pelo chão, uma música ambiente tocava, e haviam várias luzes que davam um ar intimista ao ambiente. O concierge nos levou até a parte externa onde havia uma mesa central preparada com vinho e taças, as almofadas ficavam no chão ao redor da mesa e eu percebi que era um daqueles lugares em que sentamos nas almofadas mesmo. Mas a melhor parte era a vista, onde dava pra ver o mar, mas o restaurante deixava tudo bastante iluminado para que pudessemos aproveitar a beleza do mar da Grécia. O concierge pediu que ficássemos a vontade e saiu. Olhei para aquele lugar tentando tirar uma foto mental de cada cantinho que existia ali. Eu nunca estivera em um local tão lindo e aconchegante como aquele. Não acreditava que Naruto havia me levado em um local tão especial. Percebi que ele estava distraído mas não me importei, dei um abraço tão forte nele e daria ainda mais se tivesse mais forças. Afundei minha cabeça no seu peito.

- Eu devo entender então que você gostou, minha pequena? 

- Eu amei, Naruto! Eu nunca estive em um lugar tão lindo assim! - ele me afastou e me encarou com um rosto sereno. 

- Que bom! Eu fico feliz que mais uma primeira vez sua tão especial seja comigo. - ele sorria e eu sentia meus olhos marejados. 

- Como você descobriu esse lugar?

- Ah, eu sou pescador… Eu passeio pelos lugares. Mas outro dia eu tava no barco olhando pro céu e não parava de encarar a lua e lembrar dos seus olhos, sabe? Eu queria ser um pouquinho romântico pra você. Acho que você merece. - ele sorria sem mostrar os dentes. Eu senti todo o meu corpo se aquecer. Não era possível que aquele homem existisse. E já que existia não era possível que ele gostasse tanto assim de mim. Abracei ele de novo.

- Obrigada, Naruto. De verdade. Por tudo.

Continuamos a noite conversando besteiras e pedindo itens variados do menu. As risadas de Naruto eram altas e escandalosas, e de vez em quando ele ficava com medo de que os outros clientes se incomodassem. Mas eu não estava nem aí. Eu só queria que ele estivesse tão feliz quanto eu estava naquele momento. E por causa dele. A noite estava ótima, mas eu não conseguia parar de pensar no fim daquelas férias. Eu já não sabia mais se era organicamente possível para mim ficar longe de Naruto. Eu não sabia se conseguiria superar aquele romance de verão. Devo ter ficado um tempo perdida em meus pensamentos, porque Naruto percebeu que havia algo errado.

- Terra pra Hina! Alô! - ele me chamava estalando os dedos perto do meu rosto.

- Desculpa… Eu tava pensando em algumas coisas.

- O que aconteceu, pequena? - ele perguntou e eu pude ver preocupação nos seus olhos. Será que ele pensaria no mesmo que eu?

- Naruto… - ele assentiu. - Você pensa no final do verão? - ele arqueou a sobrancelha. - Quero dizer… Quando eu for embora…. Pra você vai simplesmente ser o fim de tudo? Vamos ser só um casal de verão mesmo? - eu perguntei abaixando os olhos e encarando as minhas mãos que a essa altura já estavam frias. 

- Hina… Eu evito pensar nisso tudo, vou ser bem sincero. - ele usa o dedo indicador para levantar o meu rosto e fazer com que eu o encare. - Eu não sei como, Hina, mas se você não quiser eu não vou deixar que isso acabe. Eu sei que vai ser difícil, mas a gente talvez possa dar um jeito… Ah, sei lá… Mas que merda! - agora ele falava um pouco alto. - Eu não quero que uma coisa mínima como a distância nos afaste.

- A distância não é tão mínima assim, Naruto. Você vai estar aqui na Europa. Eu vou estar lá na América… É uma distância de dois continentes. Como isso pode ser mínimo?

- É mínimo perto do que eu sinto quando eu tô com você. - ele falou sério, encarando os meus olhos. Eu senti minha garganta ficar seca. Eu não sabia o que falar. - Não me importa onde vamos estar nos outros dias. Para mim só vai importar a Grécia, e nós dois juntos aqui. - sorriu para mim. Decidi deixar o assunto para lá, eu não queria estragar aquele momento com minhas inseguranças. A verdade é que eu pensava em Naruto conhecendo novos lugares e novas pessoas, conhecendo garotas muito mais interessantes do que eu. Muito mais bonitas. Mas de nada adiantava sofrer antecipadamente por aquilo. Era muito mais importante aproveitar aquele momento com ele ali e agora. Me aproximei dele e beijei os seus lábios. Beijei com todo desejo que pulsava dentro de mim e senti suas mãos tocarem minha cintura. Me arrepiei com o seu toque, e me separei o encarando nos olhos. Sorri para ele, que me retribuiu. Virei de frente e me enconstei no seu peito, admirando o mar azul e a lua. 

--

Na manhã seguinte acordei já quase na hora do almoço. Eu e Naruto chegamos de madrugada do restaurante e dei muita sorte que o restaurante ficou animado até altas horas, não dando para Naná e Nonô sentirem minha falta. Meu corpo reclamava de cansaço, mas minha alma ainda estava maravilhada pela noite que eu tivera com o meu loiro. Depois daquela noite eu tinha certeza que me separar de Naruto era uma alternativa fora de questão. Me levantei me espreguiçando e fui fazer minha higiene matinal. Tomei café, dei bom dia aos meus avós e algumas das primas que estavam na entrada da casa. Me dirigi ao computador para atualizar o meu e-mail, talvez Ino finalmente tivesse decidido mandar notícias. Não havia nenhum e-mail da loira, mas tinha um que fez meu coração disparar como se fosse sair da minha boca. A RISD havia me mandando uma mensagem! Fiquei alguns segundos sem saber como agir. Não tinha certeza se teria coragem de abrir aquele e-mail. E se ali estivesse dizendo que eu não era boa o suficiente para estar numa escola como a RISD? Lembrei do meu pai me diminuindo e dizendo que se eu seguisse essa carreira de artes eu jamais seria uma pessoa bem-sucedida. Sua voz ecoava na minha mente. Mas outras vozes também ecoavam. Das pessoas que me amavam e me achavam uma artista muito boa, uma artista de verdade. Sakura, Ino, Tenten, minha mãe, Hanabi, Naná e ele. Naruto. Puxei forte o ar para os meus pulmões e abri o e-mail. Meus olhos não podiam acreditar no que liam. 

Senhorita Hyuuga, é com prazer que informamos que você foi aceita na Rhode Island School of Design, devendo se apresentar nos dias listados abaixo para realizar sua matrícula…”. O e-mail continuava mas eu não conseguia compreender nada mais além do fato de que eu tinha sido aceita. Eu queria gritar, queria correr, queria abraçar alguém. Queria que minhas meninas estivessem aqui agora para que comemorássemos esse momento que esperei tanto. Mas fiz a única coisa que podia naquele momento, mandei uma mensagem para Naruto pedindo que me encontrasse perto da igreja em 20 minutos. Ele logo respondeu dizendo que estaria lá. Desliguei o computador e coloquei um short e uma blusa regata, sem me importar com mais nada. Peguei uma bolsa simples e saí correndo pela porta sem deixar Naná e Nonô entendendo nada. Corri até a igreja e já encontrei Naruto lá me esperando, ele devia estar por perto. Eu corria com lágrimas nos olhos e quando ele percebeu isso mudou sua expressão feliz para uma preocupada. 

- Hina, aconteceu alguma coisa? - ele falava enquanto enxugava o meu rosto. 

- Aconteceu! A melhor de todas! - eu falava pulando e gritando e Naruto me olhava animado, mas também espantado.

- Deve ser muito boa mesmo! Olha só, você tá usando short. - ele falava divertido. 

- Naruto! A RISD me aceitou! - eu falei gritando e vi o rosto dele se abrir no sorriso mais largo que já presenciei na minha vida. Ele então me carregou e começou a me rodopiar, e eu passei meus braços pelo seu pescoço, compartilhando minha alegria com ele. Ficamos daquele jeito por um tempo, com Naruto me parabenizando e dizendo o quanto eu merecia. Ele me beijou tanto me parabenizando que meus lábios já estavam ficando roxos. Depois de muito comemorarmos ele me levou para tomar um sorvete.

Enquanto tomavámos sorvete sentandos em um banco observando o mar senti que Naruto estava um pouco cabisbaixo. Aquilo não era típico dele, e então me preocupei.

- Naruto… Tá tudo bem com você? - falei enquanto dava uma mordida na minha bola de sorvete.

- É… mais ou menos, Hina. - ele falou coçando a nuca e eu fiquei ainda mais preocupada. - Sabe, eu queria falar com você mais tarde sobre isso. Mas já que estamos aqui, né… - e eu assenti. - A Escola de Economia de Londres também me notificou. Eles também me aceitaram. - dei um pulo em Naruto feliz pela notícia. Por que ele não havia me contado antes? Eram boas notícias para nós dois. Meus olhos brilhavam de orgulho dele, como vi os dele brilhar por mim mais cedo, mas percebi que talvez eu estivesse mais animada que o próprio. 

- Naruto… Você não tá feliz? Eu achei que era isso que você queria fazer. - digo num tom triste.

- Eu tô muito feliz, minha pequena. É um sonho realizado. É só que… - ele parecia tenso demais.

- Fala, Naruto. Seja o que for, eu tô aqui com você. - eu digo sorrindo e colocando a minha mão sobre a dele. Ele sorri fraco e assente.

- Hina, eu tenho que ir embora para Londres daqui a 3 dias. - ele me olha com um olhar triste, e vejo que seus olhos azuis estão um tanto cinzas. Meu corpo fica paralisado, eu não consigo me mexer e nem pronunciar nada. Só estava tentando digerir aquela notícia. Deveríamos ter mais duas semanas antes disso tudo acontecer. Mas agora era real. Naruto estava na minha frente dizendo que daqui a 3 dias ele iria embora, e aquele sonho iria acabar. Eu não podia acreditar. Antes que eu percebesse meus olhos já estavam fechados e diversas lágrimas rolavam na minha face. A mão de Naruto tocava o meu rosto, mas dessa vez as lágrimas não tinham um pingo de felicidade. Eu acabara de levar um soco na boca do meu estômago. 


Notas Finais


É isso, pessoal. A fic tá se aproximando lá daquela cena que inicia a história, no prólogo. Se você não lembra mais dela, corre para dar um confere. Ainda tem muita coisa pra rolar com o nosso casal. Mas essa primeira temporada também tá chegando ao fim. Novos desafios virão na próxima temporada e novos personagens também. Enfim, não vou antecipar muito não. Espero que tenha sido bom pra vcs esse capítulo tanto quanto foi pra mim hahahaha então, por hoje é isto. Vou tentar não me ausentar tanto assim novamente. Beijooooos! Até a próxima.


love always,
B.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...