História Onde os vivos não tem vez - Capítulo 3


Escrita por:

Visualizações 17
Palavras 664
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Hentai, Romance e Novela, Terror e Horror, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Spoilers, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Me desculpem por demorar; é que estou fazendo vários cursos e eles estão tomando muito de meu tempo; portanto decidi colocar esse capítulo mais curto pra não ficar sem história.
Espero que gostem e que comentem.

Capítulo 3 - Calor


Fanfic / Fanfiction Onde os vivos não tem vez - Capítulo 3 - Calor

Odessa / Texas – 09h45min

 

Ah! Texas; o maior estado da maior potência mundial; todos nós amamos dias quentes, mas nesse dia, estava insuportável. 42º Célsius (Ou 106,7º Fahrenheit); o calor do Texas estava matando pessoas de insolação, motoristas usavam luvas para não ter que pegar no volante preto e quente; materiais de construção estavam literalmente derretendo; porém, a maior preocupação dos moradores daquela cidade era a mesma que todos os texanos: Estaria por perto o Leatherface? Qualquer pessoa que já tenha ouvido falar na história do assassino da motosserra, sabe que ele se tornou um refugiado; mas mesmo assim, ele continua um nômade que sempre que pode mata pessoas para comer a carne.

Nesse dia, Phoebe não sabia que seria o ultimo da sua vida. Ela pegou uma mercadoria em um supermercado e começou a dirigir para o local de entrega, que ficava no final de uma estrada muito deserta; ela ia dirigindo até que de repente os pneus da sua caminhonete estouraram todos.

 

Merda – Ela fala quando sente os pneus estourando.

 

Ela volta para trás do carro e vê que alguém deixou estrepes na estrada.

 

Quem fez isso? – De repente, ela ouve o barulho da motosserra sendo carregada; ao olhar para a frente do carro, ela apenas vê o próprio Leatherface balançando sua “espada da lâmina que se desloca”.

Ela apenas correu para dentro do mato, e Leatherface foi correndo atrás dela; o que nenhum dos dois percebeu, foi um homem de chapéu e, sobretudo.

Phoebe ainda corria pela floresta, e o Leatherface ia atrás dela; até que ele a alcança, mas ela não estava sozinha, havia um homem de chapéu segurando ela pelo pescoço e com um revólver na cabeça dela.

 

Erron: Ora! Mas o que temos aqui? – Ele fala ainda segurando a garota em seus braços e a arma na sua cabeça – Você não sabe o quanto eu esperei para encontrar um oponente sério no plano terreno, mas agora eu encontrei, e é você.

 

Erron Black aperta o gatilho do revolver, queimando os miolos de Phoebe. Ele então guardou sua arma de fogo e tirou de suas costas uma lamina tarkatânea.

 

Foi um tempo de silêncio, alguns segundos; até que Erron decide atacar, mas Leatherface defende com sua serra. Erron faz um movimento reverso que corta a barriga de Leatherface; o cara de couro sentiu o corte no ventre, mas se recupera facilmente e move sua serra, acertando de raspão no peito de Black.

Erron ficou assustado mas logo se recuperou; os dois ficaram frente a frente de novo; Leatherface avançou louco com a motosserra, mas Erron da um salto mortal e acerta um tiro na mão de Leatherface, fazendo ele largar a motosserra.

Erron foi em direção a Leatherface e lhe deu uma série de socos e pontapés no adversário canibal, até que Leatherface caiu.

 

Erron: Felicidade é uma arma quente – Ele então se prepara para atirar, mas num movimento rápido, Leatherface sacou sua marreta e acertou o baço de Erron.

O pistoleiro cai para a direita e fica deitado com dor no osso que havia sido acertado; Leatherface então se levanta e pega a sua motosserra; Erron sacou um revolver apontou para ele, mas o maluco logo passou a serra e cortou a mão de Erron. Por fim, Leatherface levanta sua serra acima da cabeça; mas antes que ele baixasse e matasse Black, o seu pescoço é atingido por um dardo de sono; Leatherface larga sua serra e cai no chão desacordado; Com a queda, Erron Black pode ver uma moça de preto recarregando sua zarabatana.

 

Erron: Mas o que... – Antes de levantar, Black levou outro dardo no pescoço e desmaiou.

 

QUEBRA DE TEMPO

 

Depois de muito tempo desmaiado; Black se levantou e percebeu que estava numa cela de prisão; ele acordou com os gritos desesperados de Leatherface, ele não falava uma palavra, mas continuava a gritar e gemer.

Erron viu que nas outras celas se encontraram outros ícones de assassinos, e ele pensou “Ah algo maligno por aqui”.


Notas Finais


Comentem, por favor


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...