1. Spirit Fanfics >
  2. Onde tudo começou >
  3. Uma surpresa

História Onde tudo começou - Capítulo 26


Escrita por:


Capítulo 26 - Uma surpresa


Todas as meninas se encantavam com ele perto, e podia ouvir suspiros, e ao mesmo tempo cochichos de ódio.

   -O que ela tem que eu não tenho? Ela é sem sal e tem dois caras lindos desse.

   -Ela namora dois ?

   -Você não ouviu? Ela é a menina do 1° ano que levou uma surra por beijar o namorado da amiga.

   -Nossa que talarica, e esse namorado dela não sabe?

Eu podia sentir minha dor de cabeça vindo aos poucos, eu não tinha contado isso a Andrey, e como eu escutei tenho certeza que ele também, até porque ele parecia acompanhar tudo ao redor.

   -Quem foi que te bateu ?

   -Podemos conversa em outro lugar? Estão todos olhando.

 -Não vou sair daqui até você contar.

Laila não conseguia tirar os olhos de Andrey, parecia tão hipnotizada quanto as outras meninas.

    -Oi, sou amiga da Diana, me chamo Laila.

    -Ela fala muito de você, satisfação me chamo Andrey.
Eu podia sentir o braço dela tremer sobre o meu.

Puxei ela e ele para longe um pouco da roda dos fuchiqueiros, ficamos de frente ao carro, mas parecia que os alunos não tinha nada mais importante para fazer, estavam todos parados em frente ao portão bloqueando a saída, até mesmo tinha chamado a atenção de alguns professores.

Parecia que a vida alheia era mais interessantes para eles do que cuidar de suas próprias vidas.

   -Então não vai me contar o que aconteceu? Venho aqui para te fazer uma surpresa mas na verdade quem foi surpreendido fui eu.

   -Foi só uma briga de amigas.

   -Foi a tal da Kamila ne ? Sabia só de ouvir que não era flor que se cheire, e aposto que foi coisa do outro.

   -Não não, ela só ficou chateada com um comentário.  

   -E não seria um qualquer já que seu rosto ficou assim.

   Laila: -Kamila só é muito cabeça quente, logo logo elas vão fazer as pazes, não tem porque criar um alvoroço sobre isso.

   -E você apoia isso? Olha como ela ficou arranhada.

   -Tudo bem ta, vamos esquecer sobre isso, nem eu mais lembro, já está sarando.

   -Então tava pior que isso?

Ele deu quase um murro na lataria do carro, podia ver as veias de seu braço aparecendo, ele parecia nervoso sobre aquilo, por isso mantive segredo.

Ele me deu um abraço bem apertado, e quando se afastou não parou de acariciar meu rosto, então ele beijou minha testa e podia ouvir vários sonzinhos.

   -Não quero te ver machucada, isso me entristece, me desculpe por não estar por perto.

   -Você está aqui é o que importa, já estou bastante feliz. Na verdade até queria saber como chegou aqui.

   -Seu sobrinho me deu o endereço da escola, pedi um dia de licença e então vim, sua voz no telefone parecia triste.

   -Obrigada por ter vindo. -Naquele hora percebi que Laila ainda estava do nosso lado e os alunos pareciam não ir embora, então resolvi levar ele pra outro lugar. - Bom Laila preciso ir, depois conversamos.

Ela deu tchauzinho, e então ele abriu a porta do carro, podia quase ver as meninas desmaiarem ali, mas então alguém parou do lado da porta.

   -Saia desse carro.

Quando olhei pro lado Matheus estava parado de frente pra Andrey bloquiando que ele fechasse a porta.

   -Quem é você?

   -Isso não importa, Diana saia saia dai.
Matheus foi puxando meu braço me fazendo sair do carro, meu braço doia conforme o aperto de sua mão, Andrey tentou me puxar mas Matheus empurrou Andrey o fazendo bater as costa no carro.

   -Você ta loco? Me solta.

   -Você vai pra casa comigo.

   -Quem você pensa que é, ele é meu namorado.

Empurro Matheus e vou até Andrey ele parecia sentir dor pelo impacto.

   -Você está bem? 

   -Estou sim e você?

Balancei a cabeça que sim, então ele levantou o rosto e olhou em direção ao Matheus, o ódio no seu olho começou a aparecer.

   -É esse o cara ?

   -Não importa, vamos pra casa.

   -Diana, eu falei que você vai comigo.

Eu também já estava sentindo meu sangue ferver, ele ja estava passando do limite, não bastava eu ser chamada de talarica pela escola toda, agora ele fica buscando essa situação? O quanto ele queria estragar minha reputação na escola ? Ele não se toca ou é idiota demais para ver a situação ao nosso redor.

   -Matheus depois nos conversa ok, mas me deixe ir.

   -Você não tem nada para conversa com ele, deixe ele ai que ele não merece uma sequer palavra sua.

Matheus passou por mim como uma bala, só pude sentir o vento, e então foi pra cima dando um murro no rosto de Andrey, não pude fazer nada a não ser ficar em choque naquela situação, se eu tentasse os afastar eu que sairia machucada, já que não aguento com nenhum daqueles brutamontes.

Andrey só virou o rosto rindo e limpou com a mão o sangue que saia da sua boca.

    -Isso é divertido, você resolve as coisas batendo? Que adulto, isso só mostra que você não é merecedor dela.

Meus olhos estavam cheio de lágrimas, aquela situação me entristecia, Andrey me puxou pelo braço e me fez entrar no carro, e então entrou logo atrás. 

   -Aponta o caminho.
Apontei pra frente e procurei pela minha bolsa lenço ou papel, a boca dele não parava de sangrar, assim que achei estiquei o braço para limpar o sangue  e ele fez uma cara de dor.

   -Ele me acertou em cheio.

   -Vai ficar um roxo ai.

   -Droga, estamos ferrados.

   -Porque ?

   -Hoje meus pais vão fazer um jantar e convidou todo mundo e mandou eu te levar.

   -Ah, que sorte, você aparecer roxo e eu toda arranhada, vamos ser falados, posso não ir ?

   -Sera pior se eu for sozinho.

   -Ela já me odeia, ver o filho dela machucado vai ser pior ainda.

   -Tudo bem, vou pedir pra minha irmã da um jeito, mas não podemos faltar, é um jantar importante, por isso vim te buscar.

Ele foi o caminho todo conversando, e contei tudo o que aconteceu, e ele parecia ter vontade de voltar só para bater no Matheus.
Assim que chegamos na porta da minha casa alguns vizinhos que estavam na rua não parava de olhar, abri a porta e falei para ele entrar.

Ele se sentou no sofá e minha mãe já vinha do corredor gritando.

   -Diana eu pensei que você não vinha mais pra casa, ia te buscar puxando pelos cabelos.

Tentei correr para que ela não falasse nada que ele não deveria ouvir mais foi tarde demais.

   -Esqueceu que tem vida? Ou prefere ficar na escola para apanhar ?

Quando ela chegou na sala deu de cara com o Andrey sentado no sofa.
Ele se levantou e foi até ela estendendo a mão. 

   -Oi senhora, me chamo Andrey. Sou o namorado da Diana.

Os olhos da minha mãe quase esbugalhou para fora, mas então reparou na boca dele.

   -Meu filho o que aconteceu com você?
Ele levou a mão até a boca e gemeu de dor.

   -Não foi nada.
Ela saiu correndo pegando remédio para machucado, nunca a vi tão preocupada, se eu tivesse caido e me machucado ela me bateria novamente para aprender a não prestar atenção.

   -Diana eu sei que você gosta de brigar mas não arraste os outros com você. 

   -Por acaso sou borraqueira agora ?
Ela me entregou o remédio e Andrey se sentou no sofá para que eu passasse a pomada, ele me olhava com olhinhos de cachorro sem dono e quase ri.

   -Então vocês estão namorando?

   -Eu vim justamente para me apresentar formalmente, e também meus pais ira fazer um jantar e queria levar ela, e depois a deixo na casa da irmã dela.

   -Você realmente está sério sobre esse relacionamento?

   -Sim, eu quero realmente que você me aprove.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...