1. Spirit Fanfics >
  2. ...Onde tudo pode acontecer! >
  3. CAPÍTULO 4 - Fio Dental, Vermelha!

História ...Onde tudo pode acontecer! - Capítulo 5


Escrita por:


Notas do Autor


Oii Taezinhas ☺️♥️
Tudo bem?
Vim trazer mais um capítulo e agradecer também aos favoritos e comentários. Isso me motiva bastante!

Todas as músicas que são citadas na história é interessante colocar para ouvir, isso dá uma sensação de viver o momento.
Boa Leitura 💞

Capítulo 5 - CAPÍTULO 4 - Fio Dental, Vermelha!


Fanfic / Fanfiction ...Onde tudo pode acontecer! - Capítulo 5 - CAPÍTULO 4 - Fio Dental, Vermelha!

FlashBack On.


Pensamentos por Esmy Campbell.

Decidi aproveitar o caminho da volta para passar em um mercadinho, aliás, não se tinha nada naquela casa.


Entrei no lugar sentindo um forte cheiro de cândida, passei pelos corredores estreitos e peguei alguns pães e ovos. Fui até o freezer e peguei algum refrigerante barato, já que lá só tínhamos bebidas.

Fui até o caixa e a moça que parecia estar no tédio, simplesmente passou as compras e disse o valor a ser pago mascando chiclete com cara de poucos amigos.


Tudo era tão chato por aqui! Esperava mais de Los Angeles.


Sai de lá e andei até a casa dos meninos, tudo ainda parecia silencioso, então decidi deixar alguns sanduíches prontos.


Eu estava ainda com a roupa do dia anterior e meus cabelos estavam presos em um coque mal feito. Eu precisava arrumá-los mais tarde.


-És? Já de pé? - Era Duff, ele estava apenas de cueca e camiseta regata.

-Parece que sou a única sóbria da noite! - Ri e ele se apoiou no balcão me observando.

-Não totalmente, juro que vi você beber um pouco! - Brincou.

-Verdade! Está com fome? Fiz alguns sanduíches e tem refrigerante na geladeira. - Apontei para a mesa.

-Tudo que eu preciso! Ah meu Deus ou seila o que, muito obrigada por trazer essa mulher para cá…- Ainda falava divertido.

-Não se acostume, estou fazendo isso apenas por hoje e porque estou com fome também. - Gargalhamos.


Me sentei frente a mesa e ele me acompanhou, experimentando o sanduíche e fazendo uma cara de satisfeito.


-Axl adora sanduíches, ele vai gostar disso! Aliás, cadê ele? - Observou a casa. - Sempre é o primeiro a acordar!

-Ele está na rua! Disse que não quer perturbações. - Suspirei, tomando um gole do refrigerante.

-Ele é um homem difícil! - Murmurou.


Escutamos o barulho da porta ser aberto e em seguida fechada violentamente. Era ele!


-Bom Dia pra você também Axl! - Disse Duff o olhando na cozinha.


Ele não disse nada, apenas abriu a geladeira e pegou cervejas. 


-Não se tem nada para comer nessa casa? - Resmungou sozinho.

-És fez alguns sanduíches, está uma delícia! - Duff apontou para a mesa e o ruivo se aproximou pegando três sanduíches e em seguida saindo dali.

-Ele é sempre assim? - Perguntei baixo e escutamos a porta do quarto ser batida com força.

-Ultimamente sim, ele bebe demais e sempre tem surtos quando alguém pergunta sobre os familiares. - Acendeu um cigarro.

-E porque esse ódio todo da família? - Perguntei.

-Me desculpa És, acho que isso Amy pode te explicar melhor! Eu não pergunto muito, isso é particular. - Me passou o cigarro e eu traguei.


Terminei de comer e decidi ir ao quarto ver como Amy estava.


-Bom dia gatinha! - Disse balançando o corpo dela sobre a cama.

-Me deixa dormir mais um pouco És! - Resmungou se virando.

-Já é quase 17h00 e você precisa comer alguma coisa…- Suspirei. - Vem levanta!


Com dificuldade ela se levantou e coçou os olhos claros.


-Vou tomar um banho! - Disse ela e eu assenti.

-Vou fazer um café para você e procurar algum remédio para essa ressaca toda. - Ri.


Sai do quarto e perguntei a Duff sobre os remédios para ressaca.


-Todos que tem está no quarto do Axl, mas não acho uma boa ideia ir até lá agora. - Riu e se jogou no sofá.

-Deixa comigo! - Me retirei de lá e fui em direção a porta ruivo.


Escutei sua voz grave,

Ele parecia estar cantando e por sinal sua voz era bela.

Eu não conhecia aquela letra, mas parecia algo bem emocionante e diferente. Fiquei mais alguns minutos o escutando e assim que sua voz sumiu bati em sua porta.


-O que você quer? - Ele apareceu na porta, impedindo minha visão.

-Remédios para ressaca, são para sua irmã! - Passei as mãos em meu próprio pescoço.

-Deve ter nas gavetas, entre e procure! - Suspirou me dando espaço para entrar.


Observei seu quarto e tudo parecia bem diferente, havia pinturas e fotos por toda a parede e alguns armários rústicos com toca fitas e outras bugigangas em cima.


Escutei a porta se fechar e ele se jogou na cama me fitando.


-Pode abrir as gavetas! - Disse e sorriu. -vai ter muito trabalho com isso.


Não o respondi e apenas comecei a procurar, eram muitas e o que havia dentro delas eram coisas pequenas e vários outros medicamentos. Seria impossível!


Sentia seu olhar pesar enquanto estava de costas procurando tudo e isso me incomodava de certa forma, eu detesto o fato de ser observada, ainda mas por ele.


Depois de algum tempo ali, eu acabei desistindo e indo em direção a porta.


-Onde vai? - Ergueu uma sobrancelha.

-Embora, não achei remédio nenhum e não vou mais perder tempo. - Cruzei os braços.


Ele se levantou e o vi subir o colchão, pegando uma pequena caixa de dentro dele. Ele abriu a caixa e tirou alguns medicamentos de lá, finalmente me encarou.


-Aqui está! - Jogou e eu peguei no ar.

-Obrigada! - Fui me retirar e ele me chamou.

-És? - O olhei. - Não vai me perguntar porque pedi para você procurar, mesmo sabendo onde estava?


Suspirei e pensei um pouco, aliás, ele estava jogando comigo.


-Não, não vou perguntar! Eu acabei de chegar aqui e tudo isso já está me estressando. Tá uma merda, só quero ir embora! - virei os olhos.

-Você é fraca! Esse não é seu lugar mesmo, o certo seria você continuar naquele fim de mundo com seus pais e a família perfeita. - Seu tom de ironia estava me tirando do sério.

-Você tem algum problema comigo Axl?

-Nenhum e você tem algum comigo És?


O vi levantar e ele veio em minha direção me prensando sobre a porta gelada do seu quarto.

Senti meu corpo amolecer por um momento e minhas mãos começarem a transpirar novamente. 

Ele agora estava com as mãos apoiadas ao lado de minha cabeça e me encarava com aqueles olhos claros, parecia querer ler meus pensamento.


-Tem ou não tem? - Perguntou passando os dedos em meu rosto.

-Axl… - Suspirei, eu não conseguia dizer nada. - Me deixa em paz! - Ofeguei pesadamente.

-Porque? - Mordeu os lábios e me deu um selinho rápido, se afastando e me encarando na mesma posição.


-ÉSMYYYY? - escutei a voz de Amy, ela estava gritando.


-Parece que tem alguém te chamando Princesa do campo! - Ele riu e abriu a porta, me fazendo passar.


Assim que saí de lá dei de cara com Amy enrolada em uma toalha.


-O que cê tava fazendo no quarto do Axl? - Sua cara era duvidosa.

-Pegando isso! - Lhe entreguei o remédio.

-Vou fingir que é verdade! - Virou os olhos e andamos até a cozinha.

-O que você acha que fui fazer lá Amy? - Me sentei e ela pegou água tomando em seguida, após o comprimido ser colocado em sua boca.

-Sexo, beijos eu sei lá! Só não deixe ele brincar com você És e não se apaixone. Se isso acontecer, eu rasgo ele! - Ela fez um gesto engraçado com as mãos e eu ri.

-Cala a boca idiota, eu sou virgem esqueceu? - Ri e ela assentiu.

-Verdade, mas homens não ligam para isso, eles só querem saber de foder.

-Amy, mal cheguei e já sinto falta de casa… - Suspirei.

-Hoje vamos para Rainbow, é um lugar bem bacana bem no meio de Los Angeles. Lá sim é o paraíso e depois você me diga se sente falta de casa ok? - Rimos.

-Quero só ver! 


Minha amizade com Amy era algo especial, não éramos grudentas mas compartilhava informações necessárias de uma a outra. Eu era a que sempre estava para baixo e ela sempre me animava com as palavras positivas e com suas piadas indestrutíveis.

Amy com certeza faz uma enorme diferença para mim!


Passei o resto do fim da tarde arrumando os cabelos de Amy e Izzy conversava com nós duas falando sobre o tal Rainbow.

Todos pareciam animados para ir até lá, menos Axl. Ele não apareceu!


_________________________________


-Você está preparada amiga? - Ela riu passando por fim o batom preto nos lábios.

-Estou bem mais que preparada! - Respondi entusiasmada. - Vamos aproveitar a noite!

-Claro, te espero lá na frente! Vou desocupar algumas coisas no carro. - Deu um beijo em meu rosto e saiu do quarto.


Eu estava pronta e me faltava apenas botas decentes. Me ajoelhei e abaixei para procurar no fundo daquele guarda roupas velho. Tudo estava tão empoeirado!


Pensamentos por Axl Rose.

Sai do quarto pronto,

Estava com calças rasgada, regata branca, tênis , jaqueta de couro preta e cabelos soltos.

Notei a porta do quarto de Amy e És aberta e entrei me deparando com uma cena intrigante.


Conferi o corredor e vi que não tinha ninguém por lá.

És estava ajoelhada com o bumbum pra cima, parecia procurar algo no guarda roupa. Sua saia de couro curta era tão apertada que via a marca de sua calcinha fio dental, tirando o fato de sua polpa estar aparente me dando o prazer de saber que sua lingerie era vermelha.

Analisei por mais algum tempo e acabei dando um tapa violento em seu traseiro, a fazendo gemer de incômodo.

Ela se levantou como um furacão e sua cara era a pior.


-O que você está fazendo seu idiota? - Ela me olhava assustada.

-Bom você estava pedindo! - Ri.

-Pedindo? Eu estava pegando botas! - Mostrou as botas em sua mão.

-Não importa! Você não gostou? 

-Não, eu não gostei! Cai fora daqui Axl… - Ela se posicionou na porta, fazendo um gesto para que eu fosse embora.

-E se eu não quiser ir? - Me deitei sobre sua cama.

Apenas a escutei suspirar, então decidi puxar assunto.

-És, você está em uma casa cheia de homens e ficar assim com a porta aberta não é legal. - Fui até ela e passei as mãos em seus cabelos. - Você anda gostosa demais e mulheres gostosas atraem homens safados.

-Mas que conversa ridícula! - Virou os olhos e cruzou os braços. - Sai da minha frente!


Ela me empurrou e sentou sobre a cama calçando as botas com dificuldade devido a saia.


-Fio dental e Vermelha? Isso é inovador pra mim, na verdade não arranquei muitos fios dentais por aí. - A encarei. - Geralmente as mulheres daqui gostam de usar calcinhas maiores e confortáveis.

-Sério isso? Que legal! De verdade, não me interessa, agora pode sair da frente?


A encarei e bloqueei sua passagem fechando a porta.


-De novo isso Axl? Estou começando a me acostumar com isso! - Ela estava estressada.

-Não seria uma má ideia! - Disse avançando em seus lábios.


Ela parecia estar com urgência e de certa forma eu também estava, a beijava intensamente e agarrei suas pernas a fazendo rodea-las em meu tronco. A deitei sobre a cama pequena e desci os beijos por seu pescoço a escutando arfar e suspirar diversas vezes.


-Você sempre fica assim quando estou por perto e eu adoro te causar esse efeito. - Sussurrei e ela me encarou.

-Que efeito? -Parecia intrigada.

-Não importa!


Voltei a beijá-la e apertei uma de suas coxas a fazendo sorrir maliciosamente. Passei as pontas dos meus dedos por ela e parei em sua calcinha vermelha que agora estava descoberta, devido a saia ter subido.


-Você vai ser a primeira! - Disse e ela parecia não entender.

-Primeira? - Apenas assenti.


Segurei na barra de sua calcinha e ela colocou suas mãos sobre as minhas.


-O que foi És? - Falei de forma sensual e ela soltou minhas mãos.

-Axl eu… - a interrompi.

-Apenas relaxe, não vou fazer nada demais! - Disse e abaixei sua calcinha.


Finalmente podia ver suas formas tão de perto. Ela me encarava envergonhada e eu abri suas pernas de uma forma delicada a fazendo me encarar.

Coloquei dois dedos próximos a sua boca e ela os chupou de forma sensual me causando um efeito estranho, minhas calças pareciam mais apertadas agora.


Passei meus dedos molhados em seus grandes lábios vermelhos e senti sua entrada molhada. Oh céus, ela estava com muito tesão!


Estimulei seu clitóris e a vi mudar o olhar, seus dedos do pé de contraíram e parecia que finalmente havia encontrado seu ponto de tesão.

Fiz mais alguns movimentos circulares olhando seu rosto repleto de prazer e sua dificuldade em se manter naquela posição devido o tesão.


-Axl…Ah! - Ela gemia baixo.

-Você está gostando pequena És? - Perguntei ofegante e ela apenas assentiu.


Eu estava ficando muito excitado, meu pau latejava por dentro de minhas calças e eu queria fode-la logo.

Me Inclinei sobre ela e seu rosto me apresentou um tom de surpresa quando beijei o interno de suas coxas o mordiscando levemente.


Ela se balançava na cama e seu corpo se mexia de forma intensa para cima e para baixo segurando meus cabelos. Passei minha língua levemente sobre toda sua extensão e a olhei virar os olhos, voltei a me deliciar nela e comecei a chupá-la de forma mais violenta.


-Ah, que delícia! - Ela gemia e afagava meus cabelos.


Seu gemido era tão gostoso, eu adorava ter aquela sensação de satisfação.

Adentrei meus dedos nela e continuei a chupando de forma intensa. Sentia as paredes de sua boceta apertar meus dedos e caralho, ela era incrivelmente apertada.


-Eu não… - A interrompi.

-Goze para mim És! - Disse intensificando os movimentos.


Em um piscar de olhos a vi se tremer e a segurei firme continuando com os movimentos. Eu queria dar a ela um orgasmo intenso!

Suas pernas balançavam e ela dizia besteiras de forma sensual, se desmanchando sobre a minha boca.

Senti seu gosto em minha língua e me deliciei com satisfação.


Ela se apertou contra seu próprio corpo e tentava procurar ar, enquanto eu abria minhas calças sentado sobre a cama.


Escutamos batidas na porta e eu pela primeira vez na vida, queria pedir para "Deus" uma chance daquilo ser apenas uma alucinação.

-És, você está aí? - Era Amy.


Fechei minhas calças e virei os olhos!

-Mas que porra! - Disse olhando És arrumar sua saia e pentear seus cabelos com os dedos, ainda ofegante.

-Eu vou sair e depois você vai! - Ela disse e eu a barrei.

-Para com isso! Não devemos nada para ela… - Me levantei e abri a porta.


Amy me olhou espantada e parecia não entender nada.

-O que está fazendo aí? - Perguntou e eu apontei para o meu pau excitado dentro das calças.

-Você acabou de interromper algo importante pelo que vê! - Virei os olhos e sai dali deixando aquelas duas meninas para trás.


Eu podia imaginar És quicando sobre mim sem parar, era a única coisa que eu queria naquele momento.



Pensamentos por Esmy Campbell.

Ainda estava ofegante e Amy me encarava com os braços cruzados.

-Que porra é essa Esmy? - Perguntou se referindo a cena que Axl fez.

-Ele é doido! - Disse e ri sem graça.

-Vocês transaram? - Ela fechou a porta e se sentou comigo.

-Não, apenas… aí não interessa! - Respondi cruzando os braços. - Vamos logo? Por favor, sem perguntas!

-Use camisinha e não deixe ele te ganhar, eu já disse isso a você, agora vamos…


Saímos do quarto e fomos para a garagem entrando naquele carro apertado.

Amy estava no banco de trás comigo e com Saul e Izzy estava no volante.


-Axl tá demorando! - Resmungou Saul abrindo as janelas.

Amy me cutucou e soltou uma risada alta, fingi não ter ligado mas Izzy a encarou pelo retrovisor do carro. Parecia querer saber qual era o Problema!


A porta da frente foi aberta e Axl entrou a batendo e olhando para Izzy.

-O que foi? - Ele perguntou para o moreno.

-Não é nada! Podemos ir? - Perguntou e o ruivo assentiu.


Levantei os olhos e o vi me encarar rapidamente pelo retrovisor. O que estava acontecendo?


A viagem foi silenciosa e o trânsito estava péssimo, podia por fim ver Los Angeles de verdade e aquelas luzes iluminando as ruas me animava cada vez mais.


-Você viu como aqui é incrível? - Saul disse me olhando.

- Sem dúvidas! - Sorri e me deparei com os olhos do ruivo me encarando novamente.


Assim que o trânsito melhorou chegamos naquele local onde muitas pessoas entravam de forma rápida.

Amy pegou em minhas mãos e me puxou para dentro daquele bar.


A música tocava alto e várias garotas nos olhavam de forma estranha. Talvez inveja?


-Olha só que garotas ridículas! - Resmungou ela próximo ao meu ouvido.


Nos aproximamos de um balcão e logo os garotos chegaram e pediram as bebidas para brindar.

O homem que estava servindo as bebidas logo se aproximou trazendo as doses e uma bebida exótica.


-O que é isso? - Saul perguntou se referindo a bebida.

-Para a bela moça! - Fez um gesto com a cabeça apontando para mim. - Por conta da casa!


Sorri e peguei a bebida, mas logo ela foi tirada de minhas mãos. Era Axl!

-Você não vai beber isso! - Ele disse e todos da turma me olharam, principalmente o barman.

-E porque não? - Perguntei e ele olhou para o Barman.

-Você não sabe o que esse idiota colocou aí! - Ele olhou para o rapaz que parecia amedrontado.

-Me desculpe amigo, não sabia que ela estava acompanhada! - Disse o homem sem graça.


Peguei a bebida de suas mãos e a bebi sorrindo para o Barman que ainda parecia sem graça.

-Não estou acompanhada! - Disse e Axl saiu de lá com Saul.


Vi Duff e Steven se aproximar e eles estavam bem felizes.

-Quantas gostosas! Isso parece o paraíso…- Steven dizia sorrindo.

-Vocês só pensam nisso? - Perguntei e ri.

-Drogas também minha querida És! - Ele respondeu se sentando ao meu lado.


Continuei bebendo a bebida e Amy me arrastou para um lugar nos fundos.

Lá tinha alguns estofados e mesas de jogos, todos estavam ali, inclusive o ruivo raivoso.

Ele segurava na cintura de uma mulher morena e a ajudava a jogar.


-Esse é meu irmão És! - Amy me abraçou de lado e olhou minha cara intrigada. - Eu apenas te falo mais uma vez, não compensa.

-Eu já sei disso Amy! Vamos logo nos sentar!


Sentei em um sofá e Amy sentou no colo de Izzy já me fazendo presenciar a cena romântica entre eles, e pornográfica também.

Saul se sentou ao meu lado e Axl se separou da morena se sentando acendendo um cigarro em sua boca se acomodando ao meu lado.


Me senti estranha e estava envergonhada por lembrar de horas mais cedo. Amy nos entre olhava e ele se divertir falando sobre algo que eu não entendia.

Na verdade, meus pensamentos estavam me impedindo de prestar a atenção naquilo tudo.


Senti sua mão quente em meu braço e ele apontou um cigarro me fazendo pegar e tragá-lo de forma leve.

Saul o pegou e voltei minha atenção ao ruivo que agora encarava meus olhos.

Ele se aproximou, parecia querer me dizer algo.

-Eu não terminei! - Sussurrou em meu ouvido e eu sorri sem graça.

Ele se afastou levemente e selou meus lábios ali, na frente de todos.


Cedi e o beijei de forma suave, sentindo nossos gostos de tabaco se misturarem com a bebida que havíamos consumido.

Nos afastamos e ele sorriu relaxando sobre o sofá.


Olhei em volta e todos pareciam não ligar para o que acabava de acontecer. Peguei o cigarro das mãos de Saul novamente e tentei descarregar meu nervosismo ali.


-Vai com calma És, só tenho mais dois. - Disse o cabeludo sorrindo.

-Eu compro mais depois… - Suspirei.


Quando me virei Axl não estava mais ali, de longe o vi com a mesma mulher da mesa de bilhar.

Ele acariciava seu rosto de forma leve e ela apertava seu corpo contra o dele.


Senti um ódio percorrer meu corpo e me senti uma otária por aquilo. Mas que merda eu era?

Não entendia seu temperamento, sempre indo e vindo, sempre me deixando de lado e me tratando bem quando lhe convinha.

Eu não poderia facilitar as coisas!


Minha vontade era de bater naquela mulher até ela pedir clemência e chutar as bolas daquele ruivo metido.

O que estou pensando?


Eles começaram a se beijar e eu virei meu olhar para o outro lado do salão, eu não queria mas ver aquilo.

Amy me encarava, seus olhos eram de reprovação, a vi se aproximar e sentar entre eu e Saul.


-Eu disse para você Amy, Axl é um filha da puta! Eu lamento… - Suspirou. - Vamos dançar?


Ela me arrastou para perto do ruivo na pista de dança que ainda estava aos beijos com a loira. Fingi não ligar e comecei a dançar no ritmo da música, junto a minha amiga. 

(Girls Just Want to have Fun - Cindy Lauper.)

Ela sorria para mim e balançava a cabeça de forma alegre, eu fazia o mesmo e movimentava meu corpo no ritmo da música.

Estava contagiante e começamos a cantar a música alto sem se importar com todos ao redor.



"Alguns caras ficam com uma garota linda

E a escondem do resto do mundo

Eu só quero poder andar sob a luz do sol

Oh, as garotas querem só se divertir."



Logo Duff e Saul se aproximaram e dançavam de forma engraçada, rindo e bebendo direto do bico. Izzy observada tudo de longe, parecia achar aquilo ridículo e ria de forma vergonhosa.


Olhei em volta e não vi Axl por ali, talvez ele tenha saído.



Pensamentos por Axl Rose.

Stephanie beijava meu pescoço no banheiro apertado e tentava tirar minha camiseta de forma violenta.

-Calma, me deixa respirar um pouco porra! - Disse e ela me encarou.

-Algum problema? - Perguntou tirando o sutiã.

-Nenhum, mas calma gatinha. Você está muito afobada! - Sorri e a beijei.


Eu fiz todo o trabalho com a morena e ela sorria feito boba.

Na verdade eu e Stephanie sempre ficávamos quando tínhamos tempo e isso era ótimo, pois eu nunca ficava na seca. Com ela, ou sem ela!

Já tentamos ter um relacionamento durante um tempo, digamos que não deu muito certo. Eu não a amo como ela gostaria, então decidimos ficar vivendo apenas de casos, já que nosso sexo era ótimo.

-Axl eu estava pensando… o que você acha de me abrigar por um tempo na sua casa? - Perguntou ela colocando as roupas.

-Como assim? - A encarei. - Não tem como porra! 

-Apenas por alguns dias! Até às coisas em casa melhorar, eu estou passando por momentos difíceis, você sabe. - Me olhou manhosa.


Ela sempre me falava sobre seus problemas com a família e isso era uma bosta. Eu realmente não sabia recusar aquele tipo de pedido, já que havia passado por isso antes e não pensaram duas vezes em me abrigar.


-Você pode dormir em casa hoje e amanhã veremos como fica. - Disse e ela pulou feliz.


Não era uma boa ideia colocar ela na mesma casa de Esmy, aliás, eu queria foder a minha ex vizinha ainda, isso não me saía da cabeça.

Talvez eu esteja sendo um babaca, mas Stephanie além de tudo era minha amiga e És era apenas minha ex vizinha "Perfeitinha."


Voltamos para o local onde os outros estavam e eles a comprimentaram de forma receptiva, menos Saul. Ele não gostava dela!


-Amy essa é a Stephanie! - Apresentei ela a minha irmã que sorriu gentil.

-Seja bem vinda a Los Angeles Amy, espero que goste daqui. - Stephanie disse sorrindo.

-Já estou amando, espero que fique aqui por bastante tempo! - Respondeu com as mãos na cintura.


Me sentei junto a Stephanie um pouco afastado dali e vi És e Amy conversarem e saírem da Rainbow.

Não me importei, apenas continuei ali com a Sté curtindo a noite. Porque a madrugada iria render!


Flashback off:

1990


Pensamentos por Esmy Campbell.

Stephanie,

Eu me lembro de você até os dias de hoje e eu achava incrível sua capacidade de se rebaixar para Axl.


Tinha inveja da sua coragem de enfrentar a todos e fazer o que bem entendesse.


Eu? 

Só queria o melhor a todos em volta e acabei como estou hoje.


Talvez se fosse você o amando, hoje isso não teria acontecido.


Problemas, problemas e problemas!

Era essa a definição certa para ele.


Porque suas mãos estão suadas agora Axl?

Antes eram sempre as minhas!

Você se lembra?

Você parece mais ofegante do que eu naquela noite!


Não seja fraco! 

Não era assim que você dizia?


"És não seja fraca!"


Eu acho que até agora eu só tenho sido forte, me parece que o fraco sempre foi você…


Notas Finais


O que acharam desse capítulo?
Aguardo os feedbacks para novas atualizações ❤️☺️♥️😍
Beijinhos, até a próxima!

Observação:
Nesse capítulo parece que tudo está indo muito bem e romanticamente, porém não é nada disso meninas.
Fiquem tranquilas, que não ficará tudo tão fácil assim.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...