História One - Shots BTS - Capítulo 18


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jeongguk (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Tags Bts, Dramas, Romance
Visualizações 66
Palavras 2.462
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Esporte, Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Ficção Adolescente, Literatura Feminina, Luta, Mistério, Poesias, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Boa leitura.

Capítulo 18 - Imagine Jeon Jungkook (parte 2.)



2013/Daegu - Coréia do Sul.


Jungkook observou da janela, um carro azul marinho parar em frente á sua casa. Quando viu a porta do carro ser aberta pela sua namorada, ele se atentou em olhar quem estava dentro do carro. Era um garoto. Se mordeu de ciúmes e já estava preparando as suas perguntas para quando (S/n) entrasse em casa. A mesma abriu a porta e a empurrou com o pé, segurando sacolas de mercado na mão. Jungkook cruzou os braços e a observou tirar os sapatos e entrar com dificuldade em casa, e por azar, os cachorros pularam em (S/n) para recebe-lá, fazendo ela derrubar as sacolas no chão. Jungkook correu até as sacolas e guardou as coisas no lugar, as levando até a bancada.

- Obrigado Kook. Seus cachorros levados! - deu bronca nos cachorros logo em seguida cumprimentando Jeon com um selinho, mas não foi retribuída. - O quê foi?

- Quem era aquele garoto que você pegou carona?

- Ah, ele é um amigo da faculdade. Tão gentil. Eu o adoro. - falou simplista guardando as compras.

- E por quê você não ligou para mim? Já está começando a escolher outros para quando eu não estiver presente?

(S/n) encarou o seu namorado incrédula, ele percebeu a besteira que havia acabado de falar, mas não voltaria atrás.

- Eu liguei para você, só checar o seu celular. - falou raivosa. - Mas você não atendeu porquê está muito ocupado com suas coisas que ontem mesmo você pediu para não me intrometer. - se lembrou da briga de ontem. - Então, como ele é um amigo próximo meu e viu quê eu não teria como voltar para casa de noite, me ofereceu uma carona. Ele passou no mercado e eu aproveitei para comprar algumas coisas. Mas então é isso o quê pensa de mim? - começou a preparar um chá. Já previa que a noite seria longa.

- O quê penso de você (S/n)? - perguntou sem paciência.

- Que sou uma garota fácil que não aguenta ficar uma noite sem um homem. É quê do jeito que falou, parecia estar insinuando isso... 

- Não, eu não quis dizer isso, mas eu me incomodei e...

- Então vai ser assim Jungkook? A cada vez que sentir ciúmes irá me atacar dessa forma? Ontem você fez a mesma coisa só porquê eu queria te ajudar com suas coisas para o exército. Mas você praticamente me expulsou do quarto e eu tive que dormir nesse sofá desconfortável. - apontou para o mesmo.

- Você não entende? Eu só tô com medo de ir para o exército, ter que deixar minhas coisas e viver naquele inferno!

- Para de pôr a culpa no exército! Eu também estou com medo, não queria ter quê ficar longe de você. Mas parece que você já está se afastando de mim cada vez mais... 

- Certo. Me desculpe por ter falado isso de você e por ter sentido ciúmes. Eu só tô assustado com as coisas quê irão acontecer daqui para frente. É uma pressão tão grande.

- E mesmo assim não é motivo para tratar os outros ao seu redor mal. Você irá viajar brigado com todo mundo? 

- Desculpe... Desculpe... - sussurrou. 

                         ...

- Do quê é que você mais tem medo? - perguntou após alguns segundos.

- Não sei. De você me abandonar. De encontrar outro garoto e se apaixonar. Você é uma garota apaixonante, muitos garotos já dão em cima de você quando estou por perto, imagina quando eu não estiver?

- Para isso você tem que ter confiança em mim né? Jeon, antes de tudo, nós começamos sendo melhores amigos, e agora somos namorados e melhores amigos. Você me conhece melhor do quê ninguém, eu nunca fiz algo errado. Essa sua falta de confiança me deixa magoada, sabia?

- Está bem. Eu vou me esforçar, eu prometo. 

- Droga, nós brigamos essa semana inteira e você já está partindo amanhã. E em nenhum nomento você se importou em saber como estou com isso, só tem se importado com o seu medo. - pegou a xícara de chá e sentou no sofá.

- Ontem eu não deixei você me ajudar porquê estava escrevendo uma carta para você. Está dentro da minha gaveta, eu quero que você leia quando eu partir amanhã. Tá?

- Ok.

Eles se encararam uma última vez e Jungkook foi para outro cômodo, enquanto (S/n) ficou ali no sofá sozinha, pensando em tudo o quê poderia acontecer. A situação entre os dois não estava nada legal. Há um mês atrás, Jeon recebeu uma carta do governo pedindo para ele se apresentar na sede do exército. Ele foi, e seu nome foi chamado para se apresentar no treinamento desse ano. Como isso é algo obrigatório, ele não teve outra escolha. De começo, (S/n) estava tranquila com isso. Já faziam 10 anos que eles se conheciam, e ela já se preparava psicologicamente para quando ele fosse para o exército. Afinal, esse dia chega para todos. Mas a situação ficou ruim de algumas semanas para cá, Jungkook estava agindo friamente com todos. Como se ele já tivesse se tornado um soldado muito bravo, ou como se já soubesse do quê iria acontecer de ruim. E (S/n) foi a principal pessoa que ele descontou esse "medo".

Então todos os dias eles brigavam por alguma coisa ruim que Jungkook falava, ou por alguma reclamação de (S/n). Mas na maioria das vezes, por mais errado que Jungkook estava, ele não assumia e nem pedia desculpas. (S/n) odiava dormir brigada com ele, já que era acostumada a abraça-lo antes de adormercer. Então, assumia a culpa dele e guardava toda a mágoa para si. E o seu maior medo era de que as coisas esfriassem entre os dois antes de ele ir para o exército e o relacionamento terminasse, depois de exatos 10 anos. 

×××

No outro dia, quando (S/n) acordou, deu de cara com Jungkook já fardado e pronto para partir. Ela admirou essa visão por alguns instantes, um homem fardado é uma perdição! Levantou feito uma felina e abraçou o mais velho por trás, sentindo o cheiro da sua loção pós barba e o perfume masculino.

- Vou sentir tantas saudades disso... - ele disse baixinho segurando os braços da namorada.

- Eu também vou. Mas fica tranquilo, o tempo vai passar bem rápido!

- Meu anjo... - se virou para ela e segurou o rosto próximo ao seu. - Me desculpe por ter sido tão babaca esses  dias, ok? Eu não tenho nem desculpas para ter agido daquela forma, mas eu me arrependo. Te amo. - lhe deu um selinho.

- Aigoo... Você vai ficar fora por 1 ano e 9 meses e só me dá um selinho? Preciso de mais. - ficou na ponta dos pés fazendo um biquinho.

Jungkook observou a sua namorada fazendo biquinho de olhos fechados, e então a beijou com vontade. A saudade já estava presente, eles bem sabiam. Se separaram e os olhares se encontraram, olhares recíprocos entendendo o quê cada um estava querendo dizer. "Eu amo você" diziam. Por mais que (S/n) ainda estivesse magoada, deixou esses sentimentos para lá. 

Jungkook já tinha partido. Antes dele embarcar no avião, ficaram longos minutos abraçados chorando sem parar e sussurrando coisas agradáveis. Tinha sido difícil se soltar, mas ele foi. Quando chegou em casa, derrubou a sua bolsa no chão e permitiu chorar tudo o quê tinha guardado essa semana: sua mágoa e agora, a saudade. Então se lembrou de uma carta que ele tinha escrito para ela. Correu para o quarto dos dois, abriu a gaveta e procurou até encontrar o envelope escrito "abra sempre que sentir saudades". 

"Hey Hey my darling...

Está chorando? Provavelmente sim, do jeito que tu és emotiva. Eu devo ter partido faz pouco tempo não é? Me desculpe por ter ido, mas você sabe que fui obrigado, pois eu realmente queria estar no conforto da nossa casa agora (risos). 

Posso garantir que por este tempo eu pensarei em cada mísero detalhe seu. Enquanto escrevo esssa carta, você está sentada se arrumando para irmos em um jantar de gala que minha mãe preparou. Eu não sou bom com as palavras pessoalmente, mas eu te digo quê você está tão maravilhosa nesse vestido azulado; eu amo o seu cabelo assim, a forma como ele cai de lado em seu pescoço, nos seus ombros e costas. E então pensei em como, daqui á pouco, estaremos rodeados de pessoas que falam demais, e você responde tudo em um simples sorriso, até mesmo as mais frias críticas enquanto eu perco a minha paciência. Mas então você me olha, e você tem um tipo de olhar como se não houvesse nada além de nós, que me mantém erguido.

Caso esta seja a última vez que nos vemos (prometo fazer de tudo para quê não seja) quero que saiba que é o suficiente para mim, porque você é tudo o quê eu sempre precisei. Estou tão apaixonado! 

Agora, acabamos de discutir e você se sentou toda empurrada na cama, de braços cruzados e biquinho. Você está tão bonita nessa luz do abajur, o jeito como isso se destaca, o mel de seus olhos... Ah! O quê eu faria sem o seu sarcasmo? Você me deixa confuso, é sério, não consigo entender você. Mas eu te amo assim, de verdade, até as suas imperfeições perfeitas.

Discutimos de novo. Amanhã já irei para o exército, e você reclamou que não me pergunto como você está em relação á isso. Várias vezes eu quis te perguntar, mas nada saia de mim, não conseguia falar com você sobre isso. Eu estava com medo de você estar triste com isso, ou de querer terminar por causa da distância. E foi por isso quê eu não perguntei e agi friamente com você. 

Quando você sentir saudades, leia esta carta, leia o quê penso de você. Assista algum filme, coma alguma coisa, saia com suas amigas, só não sofra. Não fique chorando em casa, ou se lamentando por saudades, isso não vai te fazer bem e você sabe que sou seu, que sempre volto para você.

Provavelmenre morrendo de saudades, Jungkook (não esquece que te amo)."


2014/Daegu - Coréia do Sul.


(S/n) e Jungkook tinham se (re)encontrado já faziam semanas. Tinham aproveitado para irem em lugares que queriam; ficaram dias grudados; fizeram coisas que casais faziam (se é que você entende). Agora, estavam sentados em um banco de um parquinho comendo lanches, e a mais nova tagarelava sem parar.

- Minha irmã ter se mudado para casa foi ótimo! Foi uma ótima distração, mas agora que você voltou ela prometeu encontrar uma casa. O quê acha de amanhã irmos para o...

- (S/n)! - falou alto, fazendo a mais nova se encolher. Se recompôs e coçou a garganta. - Será que poderíamos ficar quietos, só... só nesse momento?

- Tudo bem, desculpe... - a voz dela saiu baixa, quase inaudível.

Jungkook rapidamente se arrependeu do modo que falou com ela. Esqueceu o quão sentimental ela é e qualquer coisa ela se mágoa. Esperou alguns segundos, observando o céu, e então direcionou o seu olhar para (S/n) e segurou o rosto dela.

- Desculpa. É quê você está fazendo tantos planos para amanhã, para o final de semana... A questão é: não terá amanhã ou final de semana.

- Como assim? 

- O exército tem uma base em outro país, na Arábia, e estão protegendo lá por causa de narcotráfico, cartéis e guerras quê podem ocorrer. Então... estavam precisando de novos soldados, e eu fui chamado, aceitei em ir. Por isso retornei mais cedo... 

(S/n) se levantou bruscamente.

- Então quer dizer quê você está indo para longe de novo? Dessa vez para muito longe? Por quanto tempo isso? Me diga que ouvi errado... - sua voz estava embargada.

- Sim, estou indo, e tenho vontade de ir. Eu gosto da profissão que exerço agora. 

- Mesmo sabendo que ficarei por aqui, sozinha, por mais tempo?

- Tempo indeterminado. Eles disseram que treinei bem e quê eu deveria ir...

- MAS E EU JUNGKOOK? COMO EU FICO NISSO?

- Eu... Eu não sei, eu não sei!

- Você escondeu isso de mim, fazendo eu planejar a nossa vida finalmente depois desse tempo longe de você, e agora você vai ir embora de novo... - falou se aproximando do garoto, com raiva e tristeza.

- Se eu te contasse antes você ia ficar assim comigo, (S/n), e não iríamos aproveitar. Você ia ficar triste e eu não iria aguentar.

- Eu odeio você... - as lágrimas começaram a cair. - Eu te odeio tanto.

- Não. Não, você não me odeia.

- Eu fiz tudo para fazer você feliz! Você quer saber do quê tenho medo, finalmente? Eu tenho medo de tudo! Eu estou com medo de mudar! Você me fez te amar, você me deixou entrar e então VOCÊ ESTÁ INDO EMBORA! Não posso perder você, eu não vou sobreviver, e a culpa é sua...

- PARA! PARA DE ME CULPAR POR ISSO! Eu quis, e eu não tenho culpa de querer estar fazendo o bem. Nós poderemos conversar, manter nosso relacionamento, é só fazermos dar certo! - (S/n) estava pronta para sair, mas Jungkook a puxou. - Por favor... por favor, me escute. Eu sinto muito, tá? E...

- Só... não. - se soltou, o impedindo de se aproximar. Se você pedir desculpas, vou me sentir uma idiota por não conseguir te perdoar, mas se eu te perdoar você simplesmente vai embora e eu não consigo lidar com isso. De qualquer forma, eu perco. 

- Não, (S/n), você não perde nada. - lágrimas também começaram a cair de seus olhos. - Por favor não fala essas coisas, eu prefiro morrer do quê te deixar assim.

- ENTÃO POR QUÊ ME DEIXOU ASSIM? E POR QUÊ ESTÁ INDO PARA LONGE? VOCÊ PENSOU OU SE IMPORTOU COMIGO ANTES DE ACEITAR? Eu tenho certeza quê você não é obrigado... 

- Por que está agindo assim? (S/n), você é a minha pessoa favorita, minha melhor amiga! Você acha que eu estava bem? 

- Você estava lidando com isso...

- Eu não estava lidando, eu esta cobrindo... Por você... eu estava... para não preocupar você... O quê te irrita tanto?

- Eu sobrevivi. Você sobreviveu. Mas eu acho que não vamos sobreviver á isso. 

- (S/n)? O quê você tá querendo dizer? Está zangada só porquê eu quero ir? Porquê é algo da minha vontade e não fui obrigado?

- Estou zangada porquê você está me deixando novamente. E eu me odeio por amar você, sofrer por você, enquanto você só pensa em ir para cada vez mais longe...

(S/n) limpou suas lágrimas e sorriu para o garoto, sentindo as gotas de chuva cair cada vez mais forte em seu corpo. Ela nem tinha percebido que estava chovendo, mas não se importou, o clima combinava com os seus sentimentos. Os dois se olharam uma última vez até quê ela saiu andando, com um segredo guardado, e não revelaria pois isso estragaria a vontade de Jungkook. Mal sabe ele...





Notas Finais


Será que essa última parte ficou um pouco dramática? Eu garanto quê na parte 3 isso ficará bem explicadinho.

Obrigado por ler até aqui, se gostou comenta e favorita para me ajudar, Sz.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...