História One-shots Bangtan boys. - Capítulo 18


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Tags Bts, Dramas, Imagines, One-shots, Romance, Short Fic
Visualizações 224
Palavras 2.751
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Esporte, Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Ficção Adolescente, Literatura Feminina, Luta, Magia, Mistério, Musical (Songfic), Poesias, Policial, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Eis aqui a parte final. Juro quê sentei várias vezes nesses dias para escrever mas nunca saia algo bom rs, por isso demorei, mas está aqui.
Espero que gostem, boa leitura!💗
ps: aceitando pedidos.

Capítulo 18 - Jeon Jungkook (parte final).


Fanfic / Fanfiction One-shots Bangtan boys. - Capítulo 18 - Jeon Jungkook (parte final).


2018/Seul - Coréia do Sul.


Hoje era um dia muito importante, para (S/n) era o dia mais feliz de sua vida. Quem a conhece, sabe o quanto a menina se esforçou por isso e em como isso fez bem para ela: um livro. (S/n) está lançando o seu primeiro livro hoje sobre um dos assuntos que ela mais entende, o amor. O livro se chama: O amor da minha vida não é o amor para a minha vida, e conta a história de um casal que foram separados por uma guerra. Mas a sua principal inspiração foi Jeon Jungkook, e a história é relativamente parecida com a história dos dois. Erina, a irmã de (S/n), e Namjoon foram os que incentivaram a garota a escrever tudo o quê sentia quando Jeon foi embora, e ela não ocultou nenhum detalhe, transformando aquilo em um livro. 

Algumas pessoas que leram disseram que ela tinha muito futuro, e ela foi contratada por um editora, muitas pessoas queriam entrevista exclusiva e nesse momento ela estava em um palco, com várias pessoas e repórteres á sua frente. Os flashs não paravam, estavam cegando a menina já que sorria para as câmeras e era gentil com todos ali. As luzes se apagaram, fazendo todos ficarem em silêncio, e depois reacenderam iluminando (S/n) que estava muito nervosa, mas muito feliz. 

Todos aplaudiram ela, novamente, quando ela se colocou em frente ao grande microfone. Ela ouviu os aplausos com muita satisfação, e enfim começou a falar:

- O-oi... - testou o microfone - Boa noite! Estou muito feliz com a presença de todos aqui, e muito feliz que gostaram do meu livro. Juro que de começo, eu escrevia só por bobeira mesmo, eu não imaginei que ele teria todo esse sucesso e que as pessoas gostassem tanto. Mas gostaram, e eu fiquei tão feliz e surpresa por isso... Bom, queria agradecer a minha irmã maravilhosa - sorriu para ela - Erina, e o meu amigo maravilhoso Kim Namjoon. Foram eles quem me ajudaram e me incentivaram a escrever, foi por eles quê descobri o meu talento.

- Uma pergunta! - um repórter levantou - Senhorita (S/n), muitas pessoas estão curiosas... Você namora? - algumas risadinhas foram escutadas.

- Não gente - abaixou um pouco a cabeça - eu não namoro e não tenho intenções de namorar tão cedo.

- Por que? - ele perguntou de novo.

- O livro meio que conta um pouco sobr... 

- (S/n)! - uma repórter se levantou - Então quer dizer que o livro foi inspirado em você? O que levou você a escrevê-lo?

- Eu estava passando por uma fase muito ruim em um relacionamento de longa data que eu tive, então as pessoas que citei me disseram: "escreva (S/n), coloque no papel tudo o quê sente." E foi o que fiz, foi o que saiu, e eu conto a história do meu relacionamento nesse livro. 

As pessoas ficaram em silêncio, uma tensão se instalou na sala porque perceberam no jeito de falar da (S/n), em como isso a machucava. Mais algumas perguntas foram feitas, e ela respondia todas com a maior paciência do mundo. 

No fundo da sala, na última fileira e na última cadeira um homem estava sentado, no seu maior silêncio como se estivesse em luto, observando (S/n) detalhadamente. Estava atento á todas as respostas da garota, e as vezes o seu coração se apertava quando ela falava do relacionamento complicado que teve.

- Sim, eu pretendo escrever mais livros! Eu acho que... - subitamente o olhar de (S/n) se encontrou com o do rapaz. Um choque bateu em (S/n) e ela ficou presa com o rapaz, algumas pessoas olharam para trás mas não encontraram quem ela tanto olhava. - E-eu... Eu preciso de uma pausa, com licença.

Ela saiu correndo do palco e correu para o banheiro, se trancando lá. Abriu a torneira e jogou água em seu rosto, se lembrando da imagem dele: mais alto; mais musculoso; mais bonito... Mas o que ele estava fazendo ali? Mas o choque principal da garota foi ter revisto ele, depois de anos com muita dificuldades para esquece-lo, e quando o viu de novo o seu coração bateu forte. Foi inútil todas as suas tentativas. "Mas então ele estava de volta em Seul? Como ele sabia desse pequeno jantar? O quê ele estava fazendo ali?" essas perguntas estavam em loop infinito na cabeça de (S/n). Respirou fundo, beem fundo, e abriu a porta do banheiro calmamente procurando explicações para os jornalistas. Mas então ela trombou com ele:

- Jungkook! - arregalou os olhos, novamente. 

- (S/n)... - ele sussurrou observando cada detalhe do rosto dela, como se acabasse de encontrar alguém desaparecido. - Você está bem? 

- Estou... Estou sim. - olhou para ele - E você? 

- Também. Você está... Está muito bonita! - afirmou confiante.

- Oh, obrigado. Você também está bonito, você cresceu.

Eles deram uma risada, constrangidos pelo momento.

- Bom, eu vou voltar então... - ela apontou para o lugar e se virou para ir, mas Jeon a segurou pelas mãos.

Aquele contato deixou os dois elétricos, as mãos deles se encaixavam perfeitamente e fazia muito tempo quê não se tocavam com calma.

- Espera, eu tenho certeza que você está curiosa sobre muitas coisas, e eu vou falar. Eu vim para Seul quando recebi a sua carta, não queria esquecer você e quis ver como estava. Pesquisei sobre você e vi sobre o seu livro, e então entrei em contato com a sua irmã, que ficou meia hora me dando broncas - riu - mas então me contou dessa noite importante, e eu não pude deixar de vir no dia mais importante da sua vida...

- Você não deveria ter vindo... - mordeu o lábio, desviando o olhar.

- Eu sei que é bem estranho eu ter vindo depois de tudo, mas eu só queria te ver. Eu tinha planejado vir, me sentar bem escondido, ver você e voltar para Busan. Mas eu não consegui, quando eu te vi tão linda e amadurecida naquele palco, eu quis tanto te apertar em um abraço. Mas então você me viu, e eu tive que vir atrás de você, desculpe.

- Bom, obrigado por ter se importado com isso, eu acho...

- Estou orgulhoso de quem você se tornou, (S/n), muito orgulhoso mesmo. Você merece isso.

- Obrigado por ter sido a minha inspiração para esse livro. - riu fraco, dando um soco fraco no ombro de Jungkook.

- Você é uma ótima escritora! 

- (S/n)??! - Namjoon apareceu, correu até ela e suspirou - Eu estava preocupada, o quê você tem?

Ela apontou para Jungkook com o olhar, e Namjoon se virou lentamente para ele. Ele sorriu e deram um aperto de mão casual.

- Quem é ele? - Namjoon perguntou em um sussurro para (S/n).

- Eu sou Jeon Jungkook, o ex dela. - sorriu maroto para Namjoon, enciumado. 

O clima pesou.

- Ah, eu sou Namjoon, o atual. - provocou.

- Namjoon! - ela repreendeu.

- Na entrevista ela te mencionou como um amigo só. - Jeon retrucou.

- Vamos logo! Vem Namjoon.

 (S/n) puxou ele de leve, deixando Jungkook ali. Ela já estava se sentindo sufocada ali no meio dos dois, que estavam prestes a começar uma briga. Jungkook se encostou na parede observando (S/n) se afastar dando uma bronca em Namjoon. Ele suspirou fechando os olhos e percebeu que sempre amará a garota, e prometeu para si mesmo que fará de tudo para tê-la de volta.

○○○

Na mesma noite, as pessoas estavam no jantar organizado pela equipe de (S/n), para comemorar e agradecer. Todos dançavam, bebiam, comiam e se divertiam como se não houvesse amanhã. (S/n) estava orgulhosa e por mais chocada que estivesse, se sentiu feliz por ver Jungkook, por sentir emoções que ela não sentia desde os seus 15 anos, quando se apaixonou pelo garoto.

Foi para a área de lazer fora do salão de festas e se encostou na grade da sacada, observando o céu e as estrelas. Jungkook não saia da sua cabeça, e com isso se lembrou de todas as noites que passou com ele sentada em um ponto alto, observando as estrelas e discutindo sobre os seus sonhos e medos com ele. Na última noite que se deitaram em um gramado e observaram o céu, eles prometeram ficar juntos para sempre e agora ela não sabe se poderá cumprir essa promessa. 

Por mais que ainda o ame, e por mais que tenha esperanças, a mágoa que ela guarda é muito grande, os dois se machucaram muito e (S/n) escondeu algo muito sério de Jungkook. Ao se lembrar de tudo, o seu peito começou a arder com saudades e algumas lágrimas começaram a cair em sua bochecha. Mas limpou suas lágrimas rapidamente quando um casaco foi colocado em seus ombros, e uma sombra se fez presente ao seu lado.

- O céu está muito bonito hoje. - a voz grossa pronunciou lento e baixo.

- Está mesmo.

- Isso me faz lembrar de algumas coisas... Você sabe?

- Sim, eu também me lembro Jeon. 

- A festa está muito divertida lá dentro, por quê está aqui fora sozinha?

- Eu precisava pensar um pouco, hoje foi um dia cheio de surpresas.

- Aquele Namjoon é o quê você me falou na carta? - perguntou depois de um tempo. A garota só concordou com a cabeça - Então vocês estão namorando?

- Não - deu uma risadinha baixa - Saimos algumas vezes para falar a verdade, mas somos muito mais amigos do que casal. Talvez eu tenha exagerado um pouco na carta.

- Você me escreveu que minha mãe te contou de uma médica... Eu não tive nada com ela, eu apenas contei sobre como ela fez um milagre em uma ferida que tive. Você sabe em como minha mãe se preocupa com você então talvez ela tenha exagerado só para você, não sei, seguir em frente.

- Eu tentei, mas eu não consegui.

- E eu não poderia ficar com alguém já que para mim, nós ainda temos um relacionamento. Não me lembro de termos dito um "terminamos".

- Mas você foi embora sem mesmo se despedir de mim.

- Você disse coisas duras, eu entendo o seu lado, mas foi como se você não acreditasse no meu amor...

Ela ficou em silêncio, uma coisinha a incomodava e essa era a hora certa.

- Quando você me contou que ia mudar de país... - começou baixo - Eu fiquei muito triste, porque eu não queria que você ficasse longe de novo enquanto eu... enquanto eu carregava uma criança.

Jungkook virou para (S/n) com os olhos arregalados e a boca aberta, sem conseguir pronunciar uma palavra sequer.

- Eu estava grávida - retomou - E eu iria te contar, mas então você me diz que era uma vontade sua de ir para lá e eu pensei que isso só iria atrapalhar você. Foi por isso que me irritei. Mas quando você foi embora sem se despedir eu fiquei mais sentimental e sensível do quê nunca, então eu perdi o meu bebê. 

Jungkook não pode impedir de chorar e se odiar por isso. As lágrimas caiam sem parar, deixando (S/n) com muita dor no coração, mas não igual a que Jungkook estava sentindo agora.

- Você passou por muita coisa enquanto eu estava sendo um puta de um egoísta! Você estava... grávida! E eu tava indo para um país longe da minha família! Droga, como eu sou burro! - deu vários murros na grade de pedra, machucando a sua mão.

- Jungkook pare!!!!! Você está se machucando!!  - ela puxou a mão dele toda ensanguentada e enrolou o casaco ali - Fazer isso não muda nada. Mas já foi, já passou, é uma coisa que está marcada em mim mas eu superei!

- Me desculpa... - ele ajoelhou, chorando frenéticamente - Me perdoa por tudo isso que eu te fiz passar, eu era um moleque, e droga... Como você aguentou tudo isso?

- Se levanta seu besta. - ela puxou ele - Eu também não sei como eu aguentei...

Jungkook puxou (S/n) com força para os seus braços, lhe dando um abraço muito forte e com muita vontade, percebendo o quanto ele amava essa garota, o quão forte e boa ela era. Depois de ter sido abandonada com um bebê e ter perdido o bebê, ela continuou com um sorriso no rosto e se esforçou para viver uma vida, enquanto ele estava longe.

- Me desculpe... - ele sussurrou em seu ouvido mais uma vez.

- Era uma vontade sua, Jeon... E você não fazia idéia, se eu te contasse tenho certeza que ficaria, mas eu quis que você ficasse por querer, não por obrigação. 

- Eu poderia ter sido pai... (S/n), não consigo imaginar a dor que você sentiu, meu Deus, você é tão forte... - a admirou - Eu me esforçarei para merecer o seu perdão, de verdade, eu quero te fazer feliz!

- Você vai precisar de um tempo para processar tudo isso... - ela se livrou do seu abraço com cuidado - Eu preciso voltar - limpou as lágrimas - Até mais...

○○○

Alguns dias se passaram e (S/n) estava se sentindo totalmente livre de um peso que carregava após contar sobre a gravidez para Jungkook. Ela sabia que ele tinha se arrependido e que ele tinha amadurecido, por isso o perdoava, mas as mágoas eram grandes e ela não sabia se conseguiria ter algo com Jeon novamente. 

Hoje (S/n) estava saindo de mais uma entrevista e caminhava sozinha pelas ruas, pensativa, queria se encontrar com Jungkook e saber como ele estava.

- Ei! EU AMO VOCÊ! - ela virou para trás, surpresa com o grito e avistou Jeon correndo até ela - Eu amo você.

- Jeon Jungkook o quê você está fazendo?

- Mostrando para o mundo que eu amo você. EU AMO VOCÊ (S/N)!!!! 

- Você bebeu garoto?!

- Não, eu só... Queria voltar a ter aquele relacionamento de doido que tínhamos, no começo, quando não nos importávamos com nada. Eu sei, eu sei que a gente se machucou muito e tem coisas que não irão ser esquecidas ou perdoadas... Mas foi uma fase, eu fui o culpado e quero consertar tudo, eu só preciso saber se você está disposta a me dar uma chance.

- Bom... - ela ajustou o casaco - eu não sei Jungkook! Não sei!

- Escuta, você tem todo o direito de estar magoada comigo. Mas eu amo você, e você é a única certeza que eu tenho na vida. 

- Está falando isso porquê se sente culpado...

- Não, eu estou te falando a verdade garota. Deixa eu falar. - respirou fundo. - Eu falo isso pois nunca deixei de pensar em você, você é a dona do meu coração (S/n)

- E você quer voltar como se nada tivesse acontecido? Quer simplesmente ignorar tudo o quê aconteceu? - sentiu um nó na garganta.

- Eu não sei, mas conseguimos dar um jeito porquê você é uma das únicas certezas que tenho na vida...

- Jungkook...

Jeon pegou o rosto de sua ex e pediu para que ela ficasse em silêncio, fazendo ela ficar muda. Ele arrastou suas mãos pela nuca de (S/n) e então a puxou para perto, colando os seus lábios, fazendo com que todos os sentimentos se esclarecessem e todas as confusões sumissem. Era um beijo calmo, intenso e cheio de todos os sentimentos bons e as dores que fez os dois se abraçarem, procurando conforto um no outro. A saudade estava grande.

- Eu... - ele retomou o fôlego - Eu não te deixo escapar de mim, nunca mais, entendeu?

- Deus, a gente se machucou muito... - ela pronunciou ainda lenta.

- Mas não vamos mais, vamos concertar as coisas e superar toda a dor - acariciou a bochecha avermelhada da mais nova - Não posso deixar você escapar desse vez, eu não irei suportar. 

- Eu tenho medo de não conseguirmos Jeon...

- Eu também tenho, mas tenho mais ainda de te perder para sempre. Vamos refazer as nossas promessas, nossas juras de amor, me deixa tentar... Me deixe te ter todos os dias, me deixe te amar como sempre amei... por favor arco-íris - eles sorriram. 

- Eu amo você... - ela sussurrou com a maior certeza da sua vida.

Os olhos de Jungkook brilharam e o seu coração bateu rápido. O mundo e as pessoas ao seu redor ganharam cores, a sua vida recuperou o sentido e ele jurou para si mesmo que faria (S/n) a menina mais feliz do mundo. Ele a abraçou novamente com muita força, e ouviu uma risadinha gostosa vinda de (S/n) junto com um tom choroso. 

- Nunca mais me deixe. - ela pediu.

- Nunca, eu nunca mais irei cometer esse erro meu amor. Eu vou te fazer a pessoa maia feliz do mundo. Eu amo você!


 




Notas Finais


Tadinha da (S/n) gente! Mas eu tenho certeza que as coisas serão resolvidas com todo o amor.
Espero que tenham gostado, favorita e comenta. Obrigado.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...