História One Chance - Hiatus - Capítulo 5


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Jihope, Kookmin, Kooksuga, Namjin, Personagens Originais, Yoonseok
Visualizações 107
Palavras 3.541
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ficção, Lemon, LGBT, Romance e Novela, Shonen-Ai, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Sexo, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi gente.
que comeback foi esse Bangtan? eu juro que morri umas 300x assistindo.
Vei eu vou da pro Jimin kkkkkkkkkkkkkkkk
Tá parei vou deixa vocês lerem


O.B.S¹:Sorry se tiver algum erro.
O.B.S²:Cap corrigido.
O.B.S³:Eu escrevi a dança do Yoongi escutando Peek-A-Boo (Red Velvet) caso queiram escutar quando lerem.

Capítulo 5 - 4 Capítulo


 

~ Dias atuais ~

 

 

Meus olhos,mesmo em meio ao cansaço,se abriram lentamente.De primeira não consegui identificar onde exatamente estava,já que minha visão estava turva.Ainda podia sentir os golpes e chutes sendo mandados por toda a intenção do meu corpo magro e fraco feito por Jaehwa e capangas.

Enxuguei o sangue no canto da minha boca e as lágrimas da minha face levemente machucada.Olhei para as minhas vestes completamente rasgadas e sujas,sentir-me podre e sujo naquele estado,não aguentava mais essas coisas que aconteciam comigo quando não era um “bom garoto” para eles.

Com muita dificuldade,arrastei-me para perto da cama de casal que estava alguns metros à minha frente e,quando segurei o pano que cobria a cama,um estalo se fez presente no quarto.Meu corpo travou com pânico de ser o Im e piorou ainda mais ao pensar que ele repetiria os atos novamente por não esta satisfeito com o estrago.

Diminuir a tensão quando no lugar de barulhos de borracha de botas no chão coberto pelo piso de madeira,eu escutei de saltos.Virei o rosto meio pálido e pude ver Yuhen com uma bandeja,carregando nela um recipiente de plástico azul,um conjunto de roupa e sandália,um ou dois objetos de metal não identificados e toalhas novas e brancas.

Elas colocou o objeto em cima do criado mudo e se aproximou de mim,ajudando-me a subir na cama.Sem falar nada a morena pegou o objeto desconhecido,que eu vim perceber que era uma tesoura e,sem pedir permissão,ela prosseguiu cortou os trapos que eu vestia,os jogando em um canto qualquer,logo em seguida molhando a toalha no recipiente e passando nos cortes,que até um certo momento não havia os vistos em mim.Resmunguei algumas vezes por causa da ardência que sentia em algumas lapadas.

Ao quase finalizar,Yuhen sorriu simpaticamente entregando a mim novas roupas e um par de chinelos.Sussurrei um obrigado quando peguei o pano.Ela tomou para si a bandeja e se curvou retirando-se logo após.

Depois de sua saída,eu fiquei encarando a roupa e pensava,até quando eu aguentaria isso diariamente,já que nunca conseguia me controlar.

Vestir-me e com um pouco de esforço levantei e passei a caminhar até a porta,não aguentaria nem mais ficar nem um segundo naquele cômodo que me dava enjoou e arrepios.Girei a maçaneta e me surpreendi quando percebi que,finalmente,depois de um bom tempo,ele voltaram a deixa-la destrancada.Entrei de cara no pequeno corredor,fechando a porta atrás de mim.

Andei apoiando-me nas paredes,para não cair sem forças no chão.Enquanto andava por ele,ouvir vozes conhecidas vindo de uma das portas.Quando avistei uma porta aberta,apressei meus passos para saber do que a conversa se tratava.

– Não brinca com isso. – umas das vozes conhecida comentou rindo.

Olhei para dentro e consegui enxergar Nam sentado em uma cadeira atrás da mesa todo à vontade e com o sorriso nos lábios.

– Até parece que logo eu brincaria com isso. – um moreno a sua frente disse pondo as mãos na cintura.

Eu não compreendi a conversa por ter a pegado já iniciada,porém queria saber o porquê do Nam está tão feliz ele já que eu não via isso a muito,muito tempo.

Iria continuar ali em silêncio até o fim da conversa se não tivesse soltado um pequeno gemido sem querer ao prensar meu ombro na parede para me esconder.

Os dois presentes no cômodo se viraram ao mesmo tempo na minha direção e então pude saber o porquê da voz familiar,o que me fez prender a respiração pela surpresa.

– Yoongi! – o moreno correu até mim esboçando um sorriso maior que sua própria face cabia.– Quanto tempo? – abraçou-me e retribuir sem pensar muito ainda tentando acreditar na figura a minha frente.

– O-Olá,Jin hyung. – disse controlando as lágrimas de saude que queriam surgir em minha órbitas.

Jin se afastou um pouco e bagunçou os meus fios de cabelo,voltando a abraçar novamente com mais força.

– Eu senti tanta falta sua pirralho. – sussurrou apertando ainda mais o braços envolta do meu corpo.– Você não mudou nada estou surpreso,porém parece um pouco mais magro.Mei não tem se alimentado direito não é? – olhou-me dos pés a cabeça.Seu sorriso foi desfeito quando ele focou em alguma coisa.– O que foi isso? Se meteu em um briga de novo Yoongi,eu não te digo mais nada,na próxima sera minha mão na sua cara. – segurou em meu queixo o virando para enxergar melhor.

– Prometo que evitarei. – cocei a cabeça meio envergonhado,ao receber um olhar mortal do Nam de longe tratei logo e mudar o assunto.– Voltou quando? – perguntei.

– Nós voltamos ontem pela tarde.Eu ia vim com o Namjoon para cá,só que ele ficou dizendo que ainda estava com sono por que não conseguiu dormir muito bem na viagem. – revirou os olhos.– Porém todos nós sabemos que ele é um baita de um preguiçoso,não é? – riu olhando para o Nam que o acompanhou.– Vai estar livre esta noite? – voltou se para mim mudando de assunto novamente.

– Sim eu acho… Porquê da pergunta? – falei virando-me para ir,já que pelo olhar do Kim mais velho nem era para eu esta no local.

– Estava pensando em sair hoje como o Namjoon e o Tae para algum lugar,pois foram três anos longe de vocês e eu quero saber o que eu perdi,pois não tivemos contato.Vai ser às 7:00 pm na frente daquele shopping que sempre vamos. – contou.

– Ok pode ser. – sorrir de leve tremendo com o olhar do loiro.– Tchau hyung e Nam. – acenei saindo rápido.

Desci as escadas ao mesmo tempo tentando consertar a roupa que eu vestia,para não chamar atenção de alguém que passasse por mim.Quando eu cheguei em uma porta escrita “Funcionários” passei por ela deparando-me como sempre com um pequeno camarim.

Aproximei-me da penteadeira mais próxima,sentando na cadeira.Consertei a maquiagem,retocando o rímel e o batom,coloquei as lentes azuis,camuflei alguns cortes com a  base,o pó e corretivo.

Levantei-me retirando aquela roupa escolhendo logo uma das fardas apropriadas para o meu estado,assim que achei o vestido o pus,peguei a meia 5/8 preta pondo-a nos meus pés e calcei o salto de oito centímetros.Procurei minha peruca média mel pelo lugar a encontrando junto com algumas outras roupas minhas,coloquei-a na cabeça tomando cuidado para não ficar torta.Olhei-me no espelho e tentei forçar um sorriso.

Pelo o menos o eu pareço convincente,pensei.

Sair andando pelo corredor até passar devagar por uma porta,cobrindo meus olhos por causa da claridade.Estava dentro da cozinha,roubei um doce qualquer para tentar acostumar com o clima de trabalho.

– Bom dia,hyung. – falei pegando o bloco de notas e a cante em cima de uma mesa.

– Olha quem voltou.Esta atrasada. – caminhei até o nosso cozinheiro,recebendo um sela em na em minha testa.– Bom dia pequeno. – ele sorriu parando o que fazia para ajeitando a peruca.– Vê se não se esforça muito viu. – ordenou voltando a mexer algo no fogão.

– Sim,senhor. – botei os três dedos na testa como um soldado.– Já vou indo senão os meninos me matam. – disse assim que sair de lá,porém fui parado.

– Suga! – voltei para dentro.– Afine a voz,pois você aqui não é o Yoongi e você sabe disso a um bom tempo.Não o quero vê você nem o Park machucado por isso. – repreendeu-me e concordei indo receber os clientes que chegavam.

Sorria gentilmente,falava educadamente e andava como uma bela dama.Onde está meu orgulho de ser homem? Eu realmente não sei,deve ter morrido quando eu tinha dez anos de idade talvez.Trabalho nessa cafeteria de Maid Cafe desde que eu me lembro por gente.Não lembro de mais da minha mãe ou parentes,si é que tive algum.Apenas sei que Nam criou-me junto a seu filho mais velho,que ainda trata-me como irmão mais novo.

– ...,por favor. – o rapaz a minha frente havia dito algo a mim.

– Desculpe-me,pode repetir mais uma vezes. – falei segurando o bloco de papel e a caneta.

– Estava pensando em pedi o número um,já me disseram que bem saboroso. – assustei-me ao ver um sorriso malicioso brota em seus lábios e seus olhos passear pelo meu corpo.– Quando chegará meu pedido? – perguntou o desconhecido,engoli o seco sentindo um frio na espinha.

– N-não pode ter e-sse ped-dido agora... – pingarrei.– Senhor – completei tentando assumir uma postura séria.– Tal pedido só pode ser servido mais tarde após um conversar e acertar com a gerente. – o sorriso no rosto do estranho se desfez instantaneamente após minhas palavras.– Caso o senhor não queira outro pedido estarei mim retirando agora,com licença. – curvei-me retirando logo de lá.

Após um bom tempo servindo e anotando pedidos e roubando algumas coisas da cozinha,tomando varias broncas e tapas leves de Gun hyung.Olhei para o relógio em meu pulso checando o horário,caminhei  até o balconista respirando fundo ao vê a figura a minha frente.

– Tikka,a algum pra hoje? – comentei apoiando o corpo no balcão.

– Sim,Choi Hyun,se eu não me engano. – sua voz saiu grave e sem vontade algumas mascando seu chiclete de menta.– Isso mesmo,você só tem esse hoje pelo visto. – conferiu em seu iPad,assim que seu olhar se encontrou com o meu desviei imediatamente,pois ela dava um pouco de medo.Sussurrei um obrigado e fui embora dali.

 

Depois do meu primeiro período de trabalho iniciou o outro.

Algum tempo depois que cheguei no quarto o Choi entrou,cansado e estressado.

Hipócrita escroto,pensei quando o vi seus olhos repleto de luxúria para cima de mim.

O Choi,com brutalidade,usou o meu corpo,e como um bom garoto obedecia a cada ato e ainda pedia mais,porque esse é meu trabalho,ser uma prostituta para ricos idiotas.

É ridículo ver o sedentarismo do ser em cima de mim como se não se sacia-se a muito tempo.Ele arranhava as minhas costas,beijava meus lábios e mordia meu pescoço com bastante força deixando varias marcas.

Pelo quarto era possível escutar o som de respirações rápidas e descontroladas e dos meus gemidos que eu não fazia a menor importância de soltá-los e ser escutado pelos corredores,pelo o menos tinha que arrancar algo bom para mim.Hyun transa bem quando está nesse estado.

Depois do seus estragos com meu corpo,ele saiu de mim levantando em seguida indo na direção da suas roupas,vestindo-as.Eu sentia a cabeça latejar e corpo com pequenas dores pelos seus atos.

Enquanto ele se arrumava,limpei os rastros de lágrimas voluntárias em minha face graças a quantidade do prazer que sempre tenho.

– Porque estás calado? – surpreendi-me com a pergunta do Choi,se aproximou,não o respondi e continuei com o olhar vago no nada.– Ei! – chamou-me a atenção segurando o meu queixo para olhá-lo.– Normalmente você costuma ter um sorriso nos lábios e uma carinha de malícia bem fofa que me dá vontade de repetir a dose; só que hoje nem isso você fez,e olhe que sou um do seus clientes favoritos,se eu não me engano?! – afirmou se gabando.

Ao perceber que eu não diria uma palavra sequer,o moreno mordeu os lábios inferiores por frustração.

– Ok – suspirou e diminui nossa distância para sela meus lábios,como sempre fazia,porém virei o rosto fazendo ele beijar a minha bochecha.

Por eu ter recusado seu ato,ele golpeou-me com um tapa forte em um dos lados do meu rosto,deixando um ardor de sua palma na região.

– Até a próximo dia caro Suga. – pegou o resto das suas coisas,jogou uma quantia alta em cima da mesa e foi embora.

Permaneci na mesma posição depois da saída do Hyun.Olhei o relógio no criado-mudo,marcava 6:45 pm.

Me pus de pé apanhando a roupa de trabalho jogada de qualquer jeito no chão.Chequei o estado do quarto e se eu não havia esquecido nada importante.Peguei o dinheiro e fui para fora trancando a porta com a chave que possuía.

Caminhei até o elevador adentrando-o meio tonto,apertei o botão cinco.Quando a porta estava se fechando em minha frente escutei alguém gritando para segurar,então por educação obedeci.

O rapaz entrou e apertou um botão que eu não soube qual por estar com a cabeça abaixada encarando minhas mão enquanto o efeito da droga rapida passava.

Enquanto a caixa de metal descia para o meu andar,percebi,mesmo não querendo,o desconforto do mais alto ao meu lado.O moreno encarava e deslizava o dedo pela tela do aparelho telefônico com muita rapidez e força para uma pessoa calma atraindo ainda mais minha atenção.

Assim que soou a parada do elevador,erguemos a cabeça no mesmo tempo,então parei de olhar para ele e seguir em direção do meu apartamento,sacando as chaves do bolso.

Ao adentrar em casa respirei fundo largando a chaves no sofá e indo para a banheiro.Despir-me e consegui de primeira enxerga as marcas em meu corpo,tanto as da manhã quanto as recentes feitas por Hyun.

Entrei no box,liguei o registrador do chuveiro recebendo a pancada da água em meu corpo.Juntei as minhas mãos de uma maneira que eu conseguisse pegar um pouco de água e molhei a face tentando tirar um pouco do efeito final droga que não tinha se esvaído do meu corpo.Ensaboei meu corpo bem e lavei o cabelo,não queria rever meus hyungs com um perfume não meu no corpo.

Após eu acabar de banhar-me,fui para o meu quarto.

Enquanto eu escolhia uma camisa confortável,dispensei a hipótese de vesti-la quando vi as marcas avermelhadas em meus braço,então optei por uma camisa cinza de manga longa,uma calça jeans escura e um converse high tradicional.

Faltava um minuto paras as sete então tratei de apressar-me para fora do apartamento o mais rápido que eu pude pegando o elevador para a garagem.Montei na moto prendendo o capacete sem pensar duas vezes.Girei a chave partindo em alta velocidade pela saída da garagem já dando de cara com a pista movimentada.

Desviei com perfeição dos carros ou qualquer coisa em minha frente,para adiantar,porém tive que para junto com os outros automóveis faltando pouco para chegar no shopping.

Avistei de longe os meus hyungs conversando entre si ao lado de um dos carros do Jin hyung na parte aberta do estacionamento,então tratei logo de adiantar passando pelo sinal vermelho não me importando com a multa que tomaria depois.Estacionei próximo a eles,retirei a proteção da minha cabeça checando no retrovisor os fios verdes fora do devido lugar.

Desmontei prendendo o capacete no banco da moto guardando as chaves no bolso da calça e em passos lentos aproximei-me deles abraçando o único moreno entre os três.

– To atrasando? – perguntei,surpreendendo o mais velho que soltou um grito nada másculo depois sorriu ao se recupera.

– Não,acabamos de chegar. – disse retribuindo o jeito de afeto.

– Só existe ele aqui é? Garoto mal educado,eu não te criei assim não. – comentou o loiro fingindo estar chateado,ri desprendi-me de Jin para abraçar o meu querido hyung.

– Claro que não,hyung. – ainda rindo,rodeei meus braços em volta do seu tronco.– Você fez tanta falta hyung. – sussurrei entre o abraço.– As coisas não esta-...

– Depois conversamos ok? – ele segredou em meu ouvido e eu acenti.

– O que você tanto conversão? Se esqueceram que tem duas pessoas aqui é? – virei o rosto na direção de Taehyung mostrando a língua e ele fazendo o mesmo.

– Não sinta ciúmes Tae. – Namjoon tentou puxar a atenção do primo pra si.– Ele não mim ver a três,quase,quatro anos. – apertou-me de forma protetora.– Deve estar cheio de novidades para contar,não? – completou encarando-me sério,concordei com um pequeno sorriso em meus lábios.

– Vamos entrar,o filme vai começar e já comprei os ingressos. – o mais velho segurou meu pulso arrancando-me do seu noivo e passando pela porta de entrada.

O filme era de comédia.Rimos,conversamos e recebemos reclamação pelas risadas altas de Namjoon e do Tae,que nem as escutaram e continuaram com sua risadas.Assim que acabou fomos comentando das idiotices do protagonista e seus clichês até a praça de alimentação do local.Jin hyung só faltou comprar tudo o que tinha de comestível lá,queixando-se que não havia comido antes de buscar o Kim mais novo.Porém o seu parceiro discorda plenamente,falando que ele quase esvaziar o estoque da cozinha e rimos da expressão do moreno ao perceber que o noivo não estava cooperando com sua gula insaciável.

Em meus lábios havia um sorriso grande,alegre e feliz comparado algum tempo atrás,eu comentava as vezes e fica calado na maioria do tempo pensativo os observando.

Quanto tempo não saia com os amigos assim depois dos acontecimentos?,pensei encarando a mesa a minha frente.

– ... né Yoongi – o castanho cutucou meu ombro sem muita força.

– Hã? Foi mal,tava pensando em um teste do colégio. – me desculpei.– O que vocês estavam falando mesmo? – tentei focar no assunto acabando em seguida meu milk shake de baunilha.

– Estamos comentando se você tem algum compromisso para amanhã,já que é sábado? – eu teria,porém mentir negando com a cabeça,eu queria ter pelo o menos essa noite só para mim.– Ótimo.Um amigo meu abriu uma boate aqui perto,dá para a gente ir. – comentou checando uma mensagem em seu celular,que acabara de chegar.

Os outros e eu levantamos indo embora.Tae passou o endereço para mim,já que eu iria de moto e eles de carro.Li o enderenço pelo KakaoTalk,me despedir com um aceno voltando a montar na moto pondo o capacete.

Como Taehyung havia dito,a boate realmente era perto do shopping.Estacionei em um lugar bom e sem esperar os outros saírem do carro,entrei na boate.Passei pelos guardas e falei que era amigo do Taehyung,como o próprio mandou responde para eles caso eu não entrassem juntos a eles.

Adentrei o lugar que estava cheio de pessoas bêbadas que dançavam no ritmo,ou não,da música remixada no fundo.Revirei os olhos quando senti alguém passar a mão pelo meu corpo,empurrei a pessoa e as demais a minha frente e sem importar-me de ser ainda de menor,andei até um dos diversos bar mais próximos,eles não ligariam para minha idade mesmo.

– Olá – o barman que estava ocupado ergueu o rosto para mim,sentir uma leve impressão de o conhecê-lo de algum lugar,porém deixei o pensamento em um canto.– Uma vodka com limão,por favor. – ele nada falou e,sem hesitar,se virou para preparar a bebida,essa que não demora nem um minuto para ficar pronta.– Obrigado – agradeci encarando-o querendo lembrar-me,mas não deu para processar com Jin mim chamando de longe.

– Finalmente te encontrei,pensei que tinha te perdido em meio a essa multidão. – apontou para as pessoas a sua volta.

– Não,vim pegar uma bebida para começar a me divertir aqui. – disse engolindo quase metade do líquido alcoólico em minha boca.

– Ok então,porém vá com calma não quero tomar reclamação do Nam se o filho dele provocou alguma confusão hoje. – avisou começando a andar por meio das pessoas.

– Não sou você hyung muito menos o Taehyung. – gritei rindo para ele antes de desaparecer bebendo o resto da bebida.

Acabei com o resto do líquido em um só gole e pedir mais outro,porém decepcionei-me por ser atendido por outro não aquele de antes.Questionei-me em minha mente onde ele poderia ter ido simplesmente por curiosidade já que ele até que era bonitinho,mas esqueci ele assim que o segundo copo em minha ficara vazio mais rápido que o anterior.

Me sentir mais leve já sabia o por que,o efeito da bebida com o restante da droga que não queria ir embora do meu corpo.

– Se soltar um pouco não machuca ninguém,não? – baguncei um pouco o cabelo ao avista a primeira vítima do meu corpo essa noite.

Estalei os dedos para ficar ainda mais relaxado e caminhei em sua direção da minha presa.Uma trio passou por mim e foi como eu ia começar.Passei pela presa de um jeito que fizer-se me desequilibra para o lado da o lado dele,e o plano deu certo.

Escutei o som longe de algo se quebrando e olhei direto para baixo fingindo surpresa pelo acontecimento.

– Desculpe-me – levantei o rosto para encara o rapaz a minha frente.

Ele balançou a cabeça em negação e voltou para a sua conversa,mas antes o empurrei de leve atraindo seu olhar novamente.

Isso já serve,pensei.

Fui para a pista de dança,movia meu corpo ao ritmo da música pop que tocava.Brinquei com as minhas mãos as passando pelo meu corpo  de uma forma sexy no ritmo da minha da musica.

Depois que a música acabou,meu plano não estava funcionando com a pessoa que eu queria e eu já estava perdendo a paciência.

Olhe para mim,caramba.pensei choramingando focado em sua direção.

E poucos minutos depois,como um passo de mágica,o moreno olhou rapidamente fazendo-me retribuir com um olhar cem por cento malicioso.Dei uma piscadela para ele mordendo meus lábios inferiores.

Uma das pessoas o cutucou  chamando-o de volta a conversa porém ele erguendo uma das mãos como se pedisse licença.Ele saiu de perto do grupo largando a bebida em um canto e vindo até mim.

– Ei! – disse perto do meu ouvido,por causa da música alta.

– Olá – respondi.

– O que faz uma pessoa tombar propositalmente em outra e ainda a encarar dançando de um modo muito tentador? – perguntou.Afastei-me e cinicamente voltei o olhar sobre ele.

– Eu estava? Oh desculpe-me,não tinha percebido realmente. – atuei em uma falsa exclamação.– Não irei incomodá-lo,porém é impossível não ficar encantado quando se ver uma pessoa muito tentadora ao meu olhar. – aproximei dele segurando a suspensório da sua causa.

– Seu nome? – sorri ao ouvir a pergunta.

– Pode me chamar de Yoongi. – disse soltando-me pela mudança de música.– E o seu? – retruquei.

– Jeongguk – acompanhou-me no ritmo.– Garoto qual é a sua idade? Não se achar muito novo para paquerar um cara mais velho que você? – soltei um pequeno riso.

Entrelacei meus braços em volta do seu pescoço colado nosso corpo.

– A minha idade não importa aqui e nem agora,mas sim as sensações excitantes,prazerosas e muito gotosas que eu provoco. – falei sensualmente.– Ggukie hyung – usei minha melhor voz sussurrando em sua ouvido e em seguida juntando nossas bocas de uma forma muito carnal.


Notas Finais


Gente e ai?
Esse final gente senti um arrepio aqui kkkkkk
Gente ate o próximo amores da minha vida.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...