História One Hundred Years of Love - Capítulo 13


Escrita por:

Postado
Categorias Ariana Grande, Austin Mahone, Fifth Harmony, Halsey
Personagens Camila Cabello, Lauren Jauregui
Tags Camilacabello, Camren, Camreng!p, Laureng!p, Laurenjauregui, Normanih
Visualizações 653
Palavras 2.147
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Ficção Adolescente, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oii meus amores, turu bom contigo ?
  
   Não vou enrolar tanto, vou direto pro capítulo, vocês sabem o que fazer, comentar e votar.

   Beijos até lá em baixo.

Capítulo 13 - Capítulo 13


Fanfic / Fanfiction One Hundred Years of Love - Capítulo 13 - Capítulo 13

Escola, 17 de Setembro, 9:35 AM.

Minutos antes...

POV Lauren Jauregui

   Okay, eu havia sido meio rude com Camila, mas ela não me deu escolha, após dizer aquelas palavras, que sua virgindade não era nada importante pra ela, isso meio que me bateu em cheio.

— Jaguari, por que tratou sua futura namoradinha assim em ? — Dinah me perguntou, revirei os olhos, acho que a partir de agora não teria isso não. 

— Dinah, nós não batemos nossos gostos são totalmente diferente, então não vai rolar nada. — Todos os 4 riram, como se eu acabasse de contar uma piada, muito engraçada, revirei os olhos novamente.

— Para de cu doce e vai escutar a garota, ela quer te dar uma explicação, então deixa ela falar ue. — Não olhei diretamente pra mesa, como estava evitando desde de antes, não seria agora que eu iria olhar.

— É escuta a Dinah, eu não gostava dela, mas sei lá, até que vocês formam um casal da porra. — Halsey, abriu a boca apenas pra falar merda, não era possível.

— Okay, vocês me convenceram, eu vou escutar ela tão felizes ? — Sorriram, Halsey e Dinah, bateram uma na mão da outra, e então o sinal tocou, quando olhei pra sua mesa, ela já não estava mais lá.  — Cadê ela ?

— Corredor, banheiro certeza, corre Lauren tira essa bunda branca daí e vai atrás dela. — Levantei da cadeira o mais rápido, dando passadas largas, pra chegar no local logo, então vi o zelador, o parando.

— Oii preciso de um favor do senhor. — Coloquei minhas mãos em seu ombro, então olhei diretamente em seus olhos. — Ninguém entra nesse banheiro, até eu sair. — O hipnotizando, assim ele faria de bom grado.

— Ninguém entra... — Repetiu a mesma frase dita por mim, sorri deixando um tapinha em seu ombros, então adentrei o banheiro, lá estava ela no espelho.

— O que você quer falar comigo ? A garota, deu um pulo, em frente ao espelho, assim se virou encostando no mármore, segurando com suas mãos ali também. 

— Lauren... porra você assustou. — Cruzei os braços abaixo do meu seio.— Sobre nós.

   Caminhei em passos lentos, até ela, parando em sua frente.

— Pode começar, sou todo ouvido por isso. — Cheguei mais perto, ficando com meu rosto, muito próximo do seu, era uma tentação, mas iria ter que aguentar. — Estou ouvindo.

  Tempos atuais...

9:52 AM.

  Camila, abria a boca e fechava, e não dizia nada, seus olhos não saiam da minha boca. Era claro que ela não sabia o que falar pra mim, não sei se ela estava nervosa, por eu estar tão perto, mas se ela não fosse dizer nada eu iria sair, não perderia meu tempo com ela abrindo a boca e fechando sem sair nada.

— Vou sair, já que não tem nada a me dizer. — Quando virei as costas pra sair, ela segurou meu braço, me olhando com súplica.

— Espera, eu não sei o que falar, mas de começo eu peço perdão pra você por ter dito aquelas palavras, eu dei a entender que eu apenas uso as pessoas, mas não é, eu faço o mesmo que fazem comigo, então eu também me sinto usada. — Ela começou, ainda estava de costas pra ela, olhava na parede em minha frente.

— Mas parecia que você não se sentia assim, quando disse aquelas palavras pra mim mais cedo. — Virei, soltando sua mão do meu braço, o cruzei em frente ao meu corpo, agora a olhando diretamente.

— Eu apenas achei estranho isso, você achar que isso não pode se fazer com qualquer pessoa, pra mim não tinha bateu a química, pronto seria cama. — Abaixei a cabeça rindo, esses jovens de hoje em dia eram tão deploráveis, que me dava compaixão de cada um. — Você já não deve ter feito isso com qualquer pessoa, como disse deve ter feito com uma namorada, e tudo mais.

— Eu nunca namorei, e quando digo que isso é algo importante pra mim, estou dizendo pra senhorita que continuo virgem até hoje. — Digo a última parte baixa, mesmo que eu soubesse que ninguém entraria ali, eu disse como num sussurro.

— Que ? QUE ? Isso é zueira Lauren. —  Deixei ela rir, olhando em seu rosto, ainda seria sem soltar nenhuma risada de nervoso, que ela soltava. — Meu Deus ? Isso é verdade, caralho Lauren me perdoa meu Deus, eu não sei o que falar.

— Eu estou vendo que não mesmo, mais agora você vê, como é ruim, querer continua com isso, mas se tem uma puta de uma gostosa tentando...

— Tirar sua virtude, meu Deus. —  Me interrompeu, colocando a mão na frente de sua boca, a surpresa era gigante mesmo. — Nossa a última virgem do mundo então.

— Claro que não, eu venho de uma época, em que isso era levado na maior seriedade. — Merda, concerta Lauren o que você disse. — Quer dizer, eu escolhi isso pra minha vida, mas por favor não fala pra ninguém.

— Eu...nossa...eu não vou, caramba Lauren isso é incrível, nossa. — Revirei os olhos, será que ela não tinha palavras melhores não ? Seria só essas ? — Você me perdoa ? Por cada provocação que eu te dei, por ter feito aquilo na sala pra você, meu Deus eu estou arrependida agora.

— Já aconteceu, então não tem como voltar atrás, eu te perdoo, mas você sabendo disso agora, você sabe que não podemos continua isso que nós temos né ? — Ela arregalou os olhos, aproximando de mim, me virando contra o mármore.

— Não, Lauren, você é uma pessoa ótima, além de tudo tem um beijo de tirar o fôlego, vamos continuar com isso, pra vermos até onde vai dar.

— Okay, mas você sabe meus limites, vamos pra sala já estamos atrasadas. — Ela assentiu, pelo menos uma vez, e assim saímos daquele banheiro voltando pra sala, que com certeza levaríamos um xingo por chegar atrasada.

***

4:34 PM.

— Lauren vamos fazer um lanche eu estou varada de fome, pelo amor de Deus, depois continuamos essa merda aqui. — Ri de seu desespero, levantei da cama, já tínhamos feito quase todo trabalho, ficamos horas ali trancada no meu quarto.

— Tá bom, vamos lá eu tento achar algo pra você comer, se tiver claro, caso não tenha, eu peço alguma coisa, em alguma lanchonete. — Saímos do meu quarto, descendo as escadas, é pelo jeito não tinha ninguém em casa, além de nós duas ali agora.

— Cadê todo mundo ? — Perguntou ela.

— Acho que saíram, pra se divertir. — Ela me olhou, com um sorriso pervertido nos lábios. 

— Nós temos a casa só pra nós, e você ainda tá nessa meu Deus. — Caminhei até a cozinha, apenas rindo de sua teoria, que não iria acontecer, não mesmo.

— E não tem problema nenhum, vai continua do mesmo jeito, hoje a gente acaba esse trabalho e ficamos livres dele. — Peguei o pão, no armário, colocando sobre a mesa.

— Você é muito chata sabia, deveria aproveitar, eu estou aqui e pronta pra tirar sua virgindade com prazer. — Ela se sentou sobre a mesa, olhando cada movimento em que eu fazia, abri a geladeira, esquecendo totalmente que ali havia também sangue nas bolsas. — Que isso ? Lauren isso é sangue ?

   Fechei os olhos, com força, como foi burra a ponto de deixar a porta totalmente aberta, meu Deus, eu tinha que inventa algo pra tapar esse descuido.

— Que sangue o que ? — Estava rindo mais era de nervoso. — É apenas um suco que fazemos e colocamos nesses saquinhos, você compra isso naquelas lojas de festas, nós gostamos de fingir que bebemos sangue. — A cada palavra dita por mim, um suor imaginário descia pela minha testa. 

— Credo, vocês são estranhos muito estranhos. — Olhei em seus olhos, será que ela havia acreditado ? Eu não iria a hipnotizar, não queria ter uma amizade falsa, controlando ela jamais.

— Eu sei, é o que dizem por aí.  — Peguei a maionese, o queijo, o presunto e suco, assim fechando a geladeira atrás de mim, e levando com ela meus segredos juntos.

— Mas sabe que sinto uma atração por esse seu lado ? Sei lá o segredo é excitante, e me faz querer te conhecer mais, desvenda seus segredos. — Olhei pro chão, desvendar meus segredos, seria algo delicado, não é todo dia que alguém conhece um vampiro não é mesmo.

— Eu sou um livro aberto, não tenho segredo nenhum pra esconder. — Sorri, montando o sanduíche pra mim e pra ela.

— Então me passa o creme que você usa, pra ter uma pele sem nenhuma espinha, cravos e nem cortes. — Olhei pro seu rosto, que me olhava curiosa.

— Eu não uso nada, apenas sou eu mesmo. — Entreguei seu sanduíche, encostei na mesa ao seu lado, dando uma mordida no meu.

— Até parece, olha esse pele, preciso desse creme, não adianta esconder eu vou descobrir. — Comi meu sanduíche em silêncio, após essa sua frase, que me pensar, caso ela descobrisse do que eu me tratava ela me aceitaria ?

***

7:37 PM

Parei a moto, em frente a casa dela, esperando ela descer, assim fazendo o mesmo também.

— Entregue, acabamos nisso trabalho estamos livres dele, mas agora daqui uns dias tem outro, podemos fazer de novo. — Ela sorriu, me fazendo sentar de lado na moto, entrando entre minhas pernas, e ficando muito próxima de mim.

— Iremos fazer sim, e...— Olhou em minha boca, mordendo seus lábios carnudos. —... Eu quero te beijar passei o dia todo me segurando pra não fazer isso.

   Nossos lábios se chocaram, assim matando a vontade em que não só ela estava sentindo de beijar. Suas mãos foram parar, em baixo da minha blusa, assim dando leves arranhões.

— Eu também estava, e muito com saudade desses lábios nos meus. — Aprofundei o beijo deixando minha língua adentrar, sua boca.

   Minhas mãos, estavam entre seus cabelos, em alguns momentos, davam alguns puxões, a puxando mais pra mim, deixando seu corpo o mais próximo possível de mim. Seus lábios saíram dos meus, assim descendo deixando uma mordida em queixo, assim então ela logo atacou meu pescoço, com lambidas, mordidas e beijos, que quem estivesse olhando de fora, poderia ver a malícia ali em cada toque da parte dela.

— Merda eu tenho que ir. — Disse, querendo por um fim em sua provocação, que estava me deixando louca, querendo bem que uns beijos com ela. — Amanhã se quiser, eu te levo pra escola, claro se você quiser.

— Claro, quero sim. — Sorriu, deixando um beijo casto sobre meus lábios.

   Assim deixei o capacete com ela, subindo na moto ligando a mesmo, olhei mais uma vez, dando partida na mesma.

POV Ariana Grande.

  Havia visto, toda aquela nojeira do lado de fora da casa de Camila, eu não estava espiando, eu apenas ia dormir com ela ali, e quando fui fechar a janela, vi aquele beijo nojento do lado de fora, qual era o problema dela ? Lauren iria me pagar por isso.

   Sequei algumas lágrimas que caíram sem querer de meus olhos, ao ver a tal cena. 

— Ari... oii meu pai disse que veio dormir aqui. — Ela foi logo jogando suas coisas sobre a cama, sua boca estava vermelha, e eu sabia o por que.

— É sim... sei lá pensei, poderíamos repetir aquela noite novamente né ? — Disse toda entusiasmada, querendo ouvir um sim de sua boca.

— A... Ari hoje não eu to cansada, passei a tarde toda com Lauren, aquele trabalho me consumiu. — Olhei sem entender, ela me deixou no quarto sozinha pra poder tomar seu banho, apertei o lençol da cama, com raiva de Lauren, provavelmente liberou pra ela, e por isso ela estava cansada.

   Depois dela ter voltado do banheiro, não fizemos nada, apenas dormimos, ou melhor ela dormiu, eu fiquei acordada, pensando em minha vingança pessoal, que iria fazer contra Lauren Jauregui.

***

  Escola, 18 de Setembro, Sexta-Feira, 6:53 AM.

  Aquela garota, teve a audácia de buscar Camila, e assim tive que ir sozinha, Camila não teve nenhuma consideração por mim, e aquilo havia doído em mim, mesmo que eu não demonstrasse.

   E ver a felicidade no rosto de Camila quando ela estava lá fora, pareciam um casal, e o abraço que elas deram, Camila deu o foda-se pra mim, correndo até ela, pulando nela, quase matei Lauren ali mesmo, e eu ainda não podia falar nada.

   Quando pisei naquela escola, estavam as duas, indo em direção ao vestiário, sem ao menos disfarça, eu iria atrapalha essa pegação sim, Camila seria minha. 


Notas Finais


Mais um capítulo, como prometido, espero que gostem, comentem muito e votem também, amo vocês minhas crias.

Infidel Love : https://spiritfanfics.com/historia/infidel-love-9900093

Infidel Love ( 2 temporada ) : https://spiritfanfics.com/historia/infidel-love-2-temporada-10662580

Até a Próxima. ❤

TT: @FAcidente.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...