História One Kiss - Capítulo 8


Escrita por: ~ e ~Licci

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Suga
Tags Bts, Hoseok, Hoseok!top, J-hope, Sope, Suga, Yoongi, Yoongi!bottom, Yoonseok
Visualizações 159
Palavras 2.673
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Pessoal desculpe por não estar atualizando essa fic, estavamos quase desistindo da nossa filha, mas vejo q muitas pessoas perguntam sobre ela exigindo uma continuação.

Agr é sério, postaremos até o fim. 💙

Capítulo 8 - VIII


Fanfic / Fanfiction One Kiss - Capítulo 8 - VIII

Sob um lindo céu azul, Hoseok estava na frente do estábulo, saboreando o ar fresco. Os aromas da areia e do oceano misturavam-se com o perfume de jasmim brotando, dando-lhe uma sensação de aconchego.

Com as viagens de negócios, sentira falta do lar, e um passeio a cavalo era tudo de que precisava. O exercício beneficiaria o corpo, a mente e o espírito.

Após deixar sua tia, Hoseok pedira que Yoongi trocasse de roupa e o encontrasse ali. Sunhee e Dahyun cuidariam das crianças, proporcionando a Hoseok a tarde livre para ensinar o babá a arte de cavalgar. Aquela idéia pareceu-lhe mais prazerosa do que teria imaginado.

Aquilo não era nada bom. Mas uma visão dos grandes óculos e dos cabelos esverdeados o fez rir. Não havia ameaça nenhuma. Yoongi preenchia as requisições do trabalho com sucesso, apenas isso.

De repente, seu íntimo o avisou que dera a Yoongi mais atenção do que qualquer coisa de que pudesse se lembrar em muito tempo. Mesmo viajando, esperava ansioso pelas conversas noturnas com Yoongi ao telefone sobre seus filhos. A voz sedutora de Yoongi lhe proporcionava uma distração deliciosa dos afazeres.

E agora que estava de volta em casa, o interesse por Yoongi aumentara. Sobretudo naquele momento, quando o observou vindo em sua direção pelo caminho de pedra ladeado por jasmins e primaveras.

Yoongi era uma figura intrigante. As pernas, que Hoseok vinha tentando imaginar por baixo das calças largas, agora se mostravam bem definidas pela atraente calça jeans justa. E as curvas tentadoras dos quadris e das coxas excediam suas expectativas.

A seu lado, um dos cavalos agitou-se, levantando poeira com a pata. Hoseok alcançou a cerca e acariciou-lhe o focinho.

- Paciência, amigo. Logo ensinaremos tudo o que ele precisa saber.

A perspectiva fez seu corpo tremer, e o príncipe quis saber o motivo de sua reação. Aquilo não era nada mais que sua tarefa: certificar-se de que Yoongi era competente com um cavalo era apenas pelo bem de seus filhos.

Yoongi chegou perto e ajeitou os óculos no rosto, olhando para a calça marrom de Hoseok e a camisa de seda branca.

- Por acaso não estou com trajes apropriados?

Hoseok correu o olhar pela camiseta branca de algodão e gostou da maneira como o peitoral marcava o tecido.

- Contanto que fiquemos dentro dos limites do castelo, está bem assim. Se avançarmos para dentro do deserto, você precisará estar mais bem protegido. Porém, hoje não iremos muito longe. Conforme suas habilidades forem aumentando e resolvermos nos aventurar além destas terras, o pessoal de segurança irá nos acompanhar.

- Isso é necessário?

- Apenas uma precaução para mim como membro da família real. Não deixarei que nada lhe aconteça.

Yoongi franziu o cenho.

- Quanto ao traje, como saberei o que é apropriado?

Hoseok não podia ver a expressão dos olhos dele por causa das lentes escuras, mas o viu mordiscar o lábio, nervoso. A boca, notou, era carnuda e tentadora. Estranho, não percebera isso antes... Talvez pela falta de hidratante labial não lhe chamara tanto a atenção. Mas o gesto tenso o instigou. O que o deixara nervoso?

- Não se preocupe. Como seu patrão, é minha responsabilidade providenciar tudo o que for necessário para que realize suas tarefas. - Arqueou uma sobrancelha quando olhou para os tênis dele. 

- Botas são essenciais. Yoongi olhou para os pés.

- Você é o especialista. No entanto, muito ocupado. Deve haver mais alguém que possa me ensinar esses detalhes. Não que eu não aprecie sua dedicação, mas é mesmo necessário que conduza essas aulas de montaria?

- Farei tudo o que puder para me certificar de que meus filhos estarão seguros.

- Certo. Agora, voltemos um passo. Por que é tão importante que eu aprenda a lidar com os cavalos? O que isso tem a ver com os garotos?

- Equitação é um esporte da alta sociedade e encorajado pelo rei. E cinco anos é a idade certa para Tzuyu e Wonsik começarem a praticar.

Hoseok pretendera iniciar as aulas quando surgiu a crise com a última babá. Entre as viagens de negócios e a procura por uma ou um substituto, a equitação fora adiada.

- E é sua função cuidar de todas as atividades deles. Por conseqüência, deve ser competente em cima de uma sela.

- Eu não os ensinarei. Só os acompanharei nos passeios. É isso?

- Sim. Não lhe parece razoável que saiba como montar para poder acompanhá-los?

- Se faz parte de minhas funções, por que não estava na lista dos pré-requisitos?

Yoongi se movimentou, e a luz do sol fez com que os cabelos emitissem brilho, criando um efeito suave.

- Hoseok?

- Hum? - Ele se endireitou, esforçando-se para se concentrar no assunto. - Ah, os requisitos... Não era necessário um cavaleiro habilitado. Outras considerações eram mais importantes, uma vez que sua formação superior prova que é capaz de aprender.

- Mas cavalgar é diferente. Requer coordenação e um pouco de habilidade atlética. - Yoongi olhou para os cavalos e franziu o cenho. - E um tanto de coragem.

- Não estou preocupado com isso. Qualquer um que deixa tudo para trás e se aventura a trabalhar numa terra do outro lado do mundo é valente e determinado.

- E quanto à babá que você perdeu por estar com saudade de casa?

- É mais maduro do que ela, Yoongi. E suspeito que tenha certo gosto por aventuras. A menos, é claro, que tenha mentido.

Yoongi ficou imóvel de repente.

- Como?

- Para minha tia - explicou Hoseok, questionando a reação dele. - Você disse a ela que gostaria de aprender a montar. Não foi sincero?

- Oh! - Suspirou, aliviado. - Sim, eu adoraria aprender.

- Então por que a relutância?

- É que não me sinto bem em tirá-lo de afazeres mais importantes. Um dos cavalariços não poderia me ensinar?

As aulas iriam requerer contato pessoal íntimo. Um outro homem iria colocar a mão nele? Hoseok se revoltou com a possibilidade. Porque era sua obrigação proteger o empregado , responsável por seus filhos. E por nenhuma outra razão. Mas Yoongi parecia hesitante em compartilhar sua companhia.

Será que o achava entediante?

De imediato descartou a idéia. Yoongi não dera nenhuma indicação disso. Para ser franco, os encontros deles tinham sido bastante amigáveis. Para ambos, podia jurar.

Hoseok recordou quandoYoongi lhe contara sobre os planos pessoais: viajar, então amor, casamento e filhos. A veemência dele o surpreendera.

Estudou-o e viu a tensão em seus músculos. Se não o achasse desagradável, estaria atraído por ele? Ah, isso, sim, o agradou!

- Eu o ensinarei a montar, Yoongi.

- Mas, Hoseok...

- Sou o cavaleiro mais competente dos Jung, e você está aqui para cuidar de meus filhos. Portanto, é minha responsabilidade ensiná-lo. E não quero mais falar disso.

- Perfeito.

Enfim, Yoongi se rendera. Mas o príncipe achou o processo estimulante. Quando fora a última vez em que se esforçara tanto para convencer Yoongi a passar algum tempo com ele?

Bem, não ia desperdiçar um segundo sequer tentando responder àquela questão. Muito mais interessante era a perspectiva de tocá-lo... no contexto de ensiná-lo.

- Primeiro você tem de conhecer seu animal. Este é meu cavalo, Mang. - Hoseok acariciou o pescoço do garanhão preto, e então apontou para a égua marrom ao lado de Yoongi. - Essa é Shooky. Foi escolhida especialmente para você. Tem uma natureza doce, e o servirá bem. Uma verdadeira jóia.

Como Yoongi?, perguntou-se ele. Precioso e ainda assim forte? Capaz de suportar as condições cruéis do deserto? O tempo diria.

Sem hesitação, Yoongi ergueu a mão e acariciou a égua. Shooky esfregou o focinho em seu ombro, muito afetuosa.

- Boa menina! - Yoongi exclamou, rindo. - Fiz um passeio pelas instalações do estábulo e posso entender por que ela é tão feliz aqui. Os cavalos são muito bem-cuidados.

- Sim, e a temperatura do ar-condicionado é controlada para o, conforto dos animais.

- Só lhes falta um microondas e uma televisão de alta definição. Embora aquelas rações dietéticas que vi os cavalariços lhes dando não me pareçam tão apetitosas...

Hoseok estava hipnotizado pelo sorriso dele e pelo modo como transformava-lhe a expressão, tornando-o quase lindo.

- São todos puros-sangues. É questão de bom senso proteger o investimento e proporcionar-Ihes o melhor ambiente.

- E quanto aos cidadãos neste país? Todos são bem tratados assim?

Ah, uma liberal... Ou, como se auto denominava, um republicrata. Yoongi tinha muito o que aprender, e não apenas como montar um cavalo.

- Temos muitos programas para ajudar as pessoas.

- É bom saber disso. - Yoongi deslizou a mão na sela bordada. - Quando vou me sentar nela?

Pelo jeito, Yoongi escolhera não continuar aquela conversa.

- Agora. Se estiver pronto. - Hoseok certificou-se de que a sela estava bem presa. - Lembre-se de montar sempre do lado esquerdo. Ponha o pé esquerdo no estribo e balance a perna direita por cima do traseiro dela. Muito bem.

Hoseok virou-se para Mang e escutou o ruído de couro. Quando olhou por cima do ombro, Yoongi já estava montado em Shooky, sorrindo largo para ele.

- Perdi sua técnica, mas vejo que foi bem-sucedida.

- Cresci assistindo a filmes de cowboy. Alguma coisa deve ter entrado em minha cabeça.

- Parece que sim. - O príncipe se sentiu um pouco desapontado por Yoongi não ter precisado de sua assistência. Depois de ajustar a extensão dos estribos, montou em Mang.

- Pegue as rédeas, mas mantenha-as soltas na mão esquerda. Isso. Agora, movimente a mão na direção que você quer que ela vá ou puxe de leve se quiser que Shooky pare. Joelhos e coxas firmes em volta do animal.

- Sim.

Quando Hoseok cutucou o garanhão para andar, Yoongi fez com que Shooky o seguisse.

- Acho que todos aqueles filmes de faroeste não foram horas desperdiçadas na frente da tv. Você está indo muito bem, Yoongi.

- Não minta. Não se esqueça de que mentindo você estará arriscando a fúria das tempestades de areia.

- Eu nunca minto.

- Nunca? Existem algumas mentiras que até cabem, se aplicadas no momento oportuno. Mentirinhas, como dizemos nós, chineses. Se sua tia lhe perguntasse se o último vestido que comprou a fazia parecer mais gorda, o que diria?

- A verdade. Eu não seria desonesto. Isso é uma falha de caráter abominável.

- Concordo que certas coisas demandem veracidade absoluta, mas às vezes pequenos detalhes não são importantes para o grande cenário. Por que é tão rígido, Hoseok?

- As razões não são importantes. O que é imperativo que entenda, Yoongi, é que desprezo a mentira em qualquer que seja o assunto ou a ocasião.

- Entendo.

Não, não entendia. O inocente Yoongi jamais poderia sair a maneira como a vida o ensinara quão preciosa era a verdade. A esposa estava fora de seu caminho, mas as cicatrizes permaneceriam. A única coisa boa que ela lhe dera foram seus filhos, que eram tudo para ele. Pelos dois e por todas as crianças da Coréia, Hoseok trabalhava para fazer seu país um sucesso, valorizado na ordem mundial. Para tal, precisava diversificar a base econômica vigente.

Viver só de petróleo era um risco. Por isso, o príncipe viajava tanto a negócios. Naquela mesma manhã, Yoongi criticara suas ausências freqüentes e falara sobre o fato de Tzuyu e Wonsik não terem mãe. Mas se ele tivesse conhecido Yangmi, teria entendido que eles estavam melhor sem ela.

Entenderia também o porquê do comportamento rebelde de Dahyun, bem como a influência que ela exercia sobre os gêmeos ser fonte de preocupação.

Olhando de soslaio, notou que Yoongi estava calado e tenso. A boca carnuda, tão tentadora momentos atrás, mostrava-se agora comprimida. O corpo estava rígido sobre Shooky.

- Relaxe, Yoongi. Você está indo muito bem.

- Obrigado.

Bem demais para seu gosto, pensou Hoseok. Se ele não estivesse indo tão bem, seria necessário tocá-lo.

Questionando sua sanidade mental, deu-se conta de que estivera antecipando o momento de tocar o babá de seus filhos enquanto estivesse a ensiná-lo a cavalgar. Mas Yoongi combinava com um cavalo como um camelo com o deserto.

Bem, o fato era que deveria lutar contra a tentação de descobrir o formato e textura das curvas que Yoongi, por fim, revelava.

Depois de uma hora de montaria, as costas de Yoongi começaram a reclamar, sem mencionar o interior das coxas. Também notou certa tensão nos ombros e braços, mas achou que aquilo tinha algo a ver com seu estado emocional.

Enquanto cavalgavam calados, refletiu sobre a declaração de Hoseok de que ele jamais mentia. Os homens não eram muito comprometidos com a verdade.

Por que Yoongi teve de trabalhar justo para o único do planeta que jamais contava ou aceitava uma mentirinha inocente? A culpa, que agora aumentara, o fez perguntar-se se devia ou não revelar-lhe seu segredo. Mas então lembrou-se das contas médicas de sua mãe.

E das crianças. Cinco babás em um ano... Tzuyu e Wonsik pareciam adorá-lo. Seria justo com eles?

Portanto, decidiu que, quando o pai das crianças pudesse ver que ele era bom para os filhos, abriria o jogo, esperando que o príncipe entendesse. Hoseok, decerto, não iria achar seu comportamento honrado. Mas não era o bem estar dos filhos a razão principal? Enquanto isso, Yoongi sacrificaria seu corpo para o trabalho.

- Foi muito bem para sua primeira aula, Yoongi. E seus cabelos estão desarrumados.

Hoseok acabara de notar? O vento e o balanço fizera com que os cabelos se desarrumassem fazia muito tempo. Com a necessidade urgente de agarrar-se às rédeas, não pudera fazer nada sobre isso.

- Eu deveria ter posto uma faixa.

Mas a expressão nos olhos negros dizia que Hoseok discordava.

- Há cor em suas faces outra vez. Você está rosado. Gostou do passeio?

- Muito. - Yoongi tentou recordar a última vez em que se divertira tanto.

Hoseok parou Mang na frente do estábulo e desmontou como um autêntico cavaleiro.

Virando-se, ficou surpreso ao ver que Yoongi ainda permanecia montado. Um meio sorriso curvou-lhe os lábios.

- Uma coisa é assistir a faroeste; outra bem diferente é estrelar em um, não é?

- Se você está perguntando se minha coluna está infeliz, a resposta é sim.

Vendo o sorriso dele se ampliar, Yoongi resmungou:

- Não precisa ficar tão satisfeito com isso.

- Não estou. Montar é um esporte que exige muito dos músculos, em certas áreas vulneráveis. Até que você se acostume com a sela, o efeito é estressante. - Aproximando-se, Hoseok estendeu os braços. - Eu o ajudo a descer.

- Obrigado, mas posso fazer isso.

Yoongi se segurou na ponta da sela, jogou a perna direita por cima do animal e deixou-se escorregar até que os pés tocassem o solo, poupando os músculos. Pronto, aquela parte não fora tão complicada. Mas, quando soltou a sela e virou-se para dar o primeiro passo, as pernas amoleceram. Hoseok alcançou-o com rapidez, apoiando-o.

- Talvez eu tenha exagerado em sua primeira aula.

- Eu me diverti muito. Além disso, não teria feito diferença o período que cavalgamos. Minhas áreas vulneráveis estariam praguejando contra você de qualquer modo.

Outras áreas vulneráveis estavam muito felizes de estarem aninhadas contra o peito largo de Hoseok. A pressão dos braços fortes e as pernas musculosas pressionadas nas dele provocaram um tipo diferente de tremor que não tinha nada a ver com as aulas de equitação. O coração disparou.

Hoseok sorriu.

- Ainda assim, eu deveria ter sido mais sensível com sua falta de experiência. Prometo recompensá-lo.

Como?

Quando as pupilas dele brilharam, Yoongi chegou a pensar que tivesse feito a pergunta em voz alta. Hoseok o fitava com desejo. Aquela expressão perigosa no rosto dele rouboulhe a habilidade de raciocinar.

No próximo instante, Hoseok baixou a cabeça e o beijou. Um arrepio percorreu a espinha, como se um choque elétrico o tivesse atingido. Aquela era a única explicação para o gemido lascivo preso em sua garganta.

Com um murmúrio indefinido, Hoseok escorregou a língua para o interior de sua boca, intensificando o beijo. Sensações incríveis percorreram cada célula de Yoongi quando Hoseok o abraçou mais forte.

O peito pressionados contra o tórax musculoso latejaram.

As poderosas pernas contra as suas o deixaram não apenas chocado, mas radiante pela evidência da volúpia dele.

Quando o príncipe levantou a mão para acariciar-lhe os cabelos, ele se deliciou. O polegar alisou-lhe a orelha, aquecendo-a por inteiro. E durante todo tempo, os deliciosos lábios o mantinham prisioneiro. Então, Hoseok se afastou um pouco e ofegante.

- Você é cheio de surpresas. Tão brilhante e misterioso quanto o deserto.

Com a pulsação latejando nos ouvidos, Hoseok não sabia o que dizer.

- Hoseok, eu...

Hoseok respirou fundo e tocou o aro dos óculos dele.

- Minha pequena jóia do deserto, deixe-me ver seus olhos.



Notas Finais


Atualização: Segunda e Quarta.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...