1. Spirit Fanfics >
  2. One Moment in Time >
  3. Duelo de Demônios

História One Moment in Time - Capítulo 24


Escrita por:


Capítulo 24 - Duelo de Demônios



        Narradora

            Reyna estava invocando todos os mortos para ajudá-la a fechar aquela fenda de uma maneira que não desse mais dano no solo, pois tudo que ela não queria era manter o inferno com passagem direta para a Terra. Pensava se Brave sobreviveria depois daquilo, a ideia de jogar o Psycho para cima da Phoenix foi genial, mas ao mesmo tempo arriscada, Bearhumans sugam o poder de demônios e de pessoas normais, se Ember era poderosa em sua essência sem a ave, com ela era um prato principal, isso poderia causar a morte da amiga com toda certeza.
            Não queria matar a amiga, mas também não queria matar todos, aquilo sim era uma decisão difícil, a humanidade ou a amiga? Quem você sacrifica? Quem ama ou desconhecidos? Aqueles pensamentos assombravam a Escorpiana.
            Do outro lado um Urso de quase dez metros de altura se aproximando sedento por morte da Ave que pegava fogo que o observava com seu olhar sem sentimentos, apenas esperando-o para o confronto. O urrar de Psycho deu a entender que ele iria atacar, Phoenix respondeu à altura com seu gutural, ou nas palavras de Reyna, um cacarejo de horror, o grande urso pulo para a ave que se atirou contra o mesmo, dando um choque de corpos, fazendo a poeira antes se estabelecendo subir, todos se agachando, correndo daquele confronto de titãs.
  Ezra tinha consciência em meio aquela briga, mas temia que Ember não, temia que a machucasse, mesmo que sem a intenção. O fogo não fazia efeito no urso, parecia que a grande camada de pelos eram como uma carapaça forte, feita para enfrentar todo tipo de atrocidade, como o fogo de outro demônio. Sem piedade, Phoenix com suas garras conseguiu pregar as costas de Psycho o fazendo urrar de dor, jogando-o contra um prédio que já estava para desabar devido ao fogo que o consumiu.

            Todos se alarmaram quando viram o prédio desabar em cima do grande urso, a grande ave já ia “cantar” vitória, mas logo notou que dos escombros o urso saíra, a mordendo pela asa, puxando-a para a terra firme, com suas grandes patas, tentava com seu peso segurá-la ali mesmo, as bicadas feitas no urso eram sem nenhuma cerimônia, Phoenix não se importava em molestar, porém Psycho se importava muito menos, começando a depenar a mesma.
            Dentro da Phoenix, Ember começou a sentir uma certa dor, a dor de estar sendo dilacerada, não estava entendendo o que ocorria, mas pressentiu que havia ainda alguém tentando enfrentar sua maldita forma de demônio, foi então que decidira esvair suas resistências de leonina, isso daria alguma vantagem para quem que estivesse enfrentando a fênix, mesmo que isso significasse ser torturada.
            Do outro lado da batalha, Reyna terminava de trancar a fenda, estava cansada, permitiu-se relaxar o corpo e caiu no chão, quando pensou em fechar os olhos, escutou passos e uma voz apenas.
            - Pode se levantar Rey. – Pam disse. – Não vim até aqui com meu filho para ver você desistir.
            Reyna deu um salto, Ember iria matar ela se soubesse que Pam estava no campo de massacre.
            - O que você está fazendo aqui mulher!? – Reyna disse com os olhos arregalados. – De macacão que dá pra por o bebê ainda, você é doida? Aqui não é lugar para o Miguel brincar!
            - Olha, já vingaram meu irmão, - Pam disse séria. – Não sei onde está meu marido e tem dois demônios enormes se mordendo, quero ajudar em alguma coisa. – Antes de Reyna contestar Pam continuou. – Quanto ao Miguel, relaxa, ele está seguro comigo.
            - Se eu apanhar da Ember por sua causa, pode esquecer os brinquedos que prometi pro Miguel! – Reyna disse e Pam apenas sorriu. – Vamos, temos que achar os outros para conseguir estabilizar depois o Ezra.
            - Como assim estabilizar? – Pam questiona.
            - Não me culpe, mas foi a única maneira que eu achei para enfrentar aquela coisa. – Reyna disse com a feição de culpada. – Os Bearhumans sugam poder, matam até os demônios mais fortes para continuarem sendo os soberanos. – Respirou fundo. – Se o Psycho conseguir ao menos desacordar a Phoenix, posso trancafiar ela novamente dentro de Ember, ou jogá-la direto pro inferno, até ela renascer, já vai ser outra época.
            - Mas o que isso pode causar na Ember? – Pam pergunta mesmo já sabendo uma das respostas.
            - Ember pode realmente morrer, os ferimentos de um Bearhuman são irreversíveis. – Reyna disse. – Ezra não sabe disso, e não vamos contar.
            Aquilo foi como um baque para Pam, perder Spencer foi doloroso, uma ferida que nunca cicatrizará de fato, mas perder Ember também, isso seria demais, a única coisa que podia pensar, era que ela sobreviveria, mesmo depois de tanta dor.
            Ezra

            Estava achando tudo aquilo muito errado e suspeito. Não sei o porquê, mas algo me diz que Rey está me usando, dá pra sentir o medo dela e ao mesmo tempo a forma que ela me colocou para brigar contra a Phoenix de maneira tão impensada. Outra bicada me atinge nas costelas, sinto dor, mas Psycho parece ficar mais forte à cada mordida que dá nas asas de fogo, como ele não se queima? Sério, até agora estou me perguntando isso. Não faz sentido eu estar brigando com minha namorada, ou melhor, com a coisa que possuí ela, mas diretamente também nem sou eu, e sim a coisa que está me possuindo. Difícil, difícil nos diferenciar, depois de um tempo essas coisas acabam sendo parte de nós, como uma doença crônica. Espero não estar fazendo besteiras.
            Narradora

            Ember se sentia uma carne moída, sentia que algumas partes do seu corpo não estavam intactas, se sentia quebrada, cansada, como se a própria idade de mais idosa do mundo tivesse lhe alcançado. Era preocupante para ela se de repente a morte lhe ocorresse sem saber o que sobrou da Terra, e se morresse estaria livre da Phoenix, mas também ela poderia muito bem procurar outro ser para morada, até tentar explodir novamente.
            O medo de tudo dar errado estava acabando com a mente da Escorpiana, tudo estava lhe dizendo que algo ia mal, tentava alcançar Ember sem o demônio interferir, mas a ligação de corpo e espírito entre as duas era profunda demais, uma conexão de séculos estava ali e não mudaria nem tão cedo.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...