História One Month Lover - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, D.O, Kai, Kris Wu, Lay, Lu Han, Sehun, Suho, Tao, Xiumin
Tags Baekyeol, Chanbaek, Exo
Visualizações 8
Palavras 3.577
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Musical (Songfic), Romance e Novela, Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Okay
Eu demorei
Muito
Por diversas razões na vdd
1. Faculdade me tirando do sério, pois final de semestre = morte
2. Eu tive um certo bloqueio pra concluir esse capítulo, e quase não postei, porque achei ele bem lixo na vdd. MAAASSSSS, vou seguir em frente (talvez haja uma pequena possibilidade que eu vá reescrever a história ou dar uma pausa nela para trabalhar, eu n achei que 31 cap. seriam tão difíceis de elaborar lol)
Enfim, nas férias eu volto com mais uma att (eu espero)
Boa leitura
P.s. não revisei, então seria legal me mandarem avisos sobre os possíveis erros akpskafs obg

Capítulo 3 - Dia Um pt.2


19h24 p.m

Eu já estava cansado, e mal era meu primeiro dia em El Dorado. Titia quis que meu trabalho começasse, já que eles estavam precisando de ajuda com tudo. Portanto eu já tinha lavado, e arrumado a maioria dos quartos, mas ainda faltava alguns do meu andar.
Entrei no primeiro, e meu Deus. O que era aquilo. Se arrependimento matasse, eu já estaria me decompondo no mundo das bactérias. O quarto estava uma zona. Caixas de pizzas, garrafas de cerveja em cima da cama, e… sapatilhas? O.k., nada daquilo fazia sentido. Provavelmente era o quarto de alguém que iria competir no Sing For You. Ohh. Será que eu deveria...? Puxei o celular e mandei mensagem pro meu fiel guardião.
 

Baekhyunee: Kris!! Acorda!!
Krissy: O qw foi Baejkkie, caraloh
Baekhyunee: O que?
Krissy: qqqqqqqqqqqqqqqqqqq
Baekhyunee: Besta, escuta. To no quarto de um dos competidores.
Krissy: Ok estou acordado agr
Krissy: Cm vamos de xeroque holmes?
Baekhyunee: Nd mal, na verdade.
Krissy: Msm sem seu Watson? Estou ofendido
Baekhyunee: Vc sabe que Sherlock na vdd
Baekhyunee: Se vc analisar bem
Baekhyunee: Nunca precisou do Watson
Krissy: O Q??????????
Krissy: SEU HEREGE
Baekhyunee: HAHAHAHAHA eu gostaria mt de ver sua cara agr
Krissy: Isso n é brincadeira Baekhyun, é caso de término
Krissy: Estou terminando cm vc
Baekhyunee: Tosco, presta atenção!! Vc acha que eu deveria investigar ou n? sinto q esse é o andar dos competidores.
Krissy: E n foi pra isso q vc está aí?
Baekhyunee: Não!!
Krissy: ? sério?
Krissy: Mds. Acho que dormi nql conversa, pq foi isso q eu entendi
Baekhyunee: Mds Kris, preste atenção.
Krissy: Sim, eu acho que seria uma boa ideia
Krissy: Agr ser moralmente correto ou n
Krissy: Pergunte para um advogado
Baekhyunee: Vc não me ajuda
Krissy: Olha, Baekkiezinho
Krissy: Vou te apoiar qual for sua decisão
Krissy: Mas, agr nesse momento
Krissy: Seu amg aqui precisa dar aquela famosa saída
Baekhyunee: Vc vai atrás do Luhan de novo? Tem vergonha nessa cara não?  
Krissy: Eu n vou atrás dele, eu vou COM ele. É diferente
Baekhyunee: Wu Yifan, espero que saiba o que está fazendo. Se pegarem que vcs dois são de menor, sabem que podem acabar em cana, certo?
Krissy: Está td sob controle
Krissy: Não estressa amor ;)
Baekhyunee: Meu deus
Baekhyunee: Eu consigo ver essa sua cara de cínico.
Krissy: Te amo
Baekhyunee: Idiota

Nem acredito que vou seguir as ideias desse chinês safado. Kris é um ótimo amigo. O que não significa que ele seja lá muito certinho. Ele era um cara popular no colégio, e sempre arrumava “parceiros de balada” pra sair. O problema era que: Kris não era assumido para quase ninguém, além de mim. Ele não gostaria que seus pais soubessem, então, quanto menos pessoas sabendo, melhor. Meu pais sabiam sobre a minha sexualidade, o que não significava que apoiavam. Eles simplesmente ignoravam.
Eu não ligava tanto para isso, na verdade. Ok, eu ligava talvez um pouco. Mas o que eu mais queria, de verdade, era minha independência. Depender dos seus pais e morar sob o mesmo teto de pessoas que te discrimina, não coloca crédito em você, e desmotiva seus sonhos… Não desejo isso para ninguém.
Enquanto eu ia mexendo naquele quarto nojento, e criei coragem para abrir o buraco do inferno, também conhecido como banheiro, percebi algo. Quem quer que fosse a pessoa desse quarto, deveria gostar muito de dança. Tinha no mínimo 5 tipos de calçados específicos para diferentes tipos de dança. Tenho que confessar, fiquei impressionado. Havia também alguns CD’s e um vinil meio desgastado que lia “Classical Ballet”, e, incrivelmente, o que parecia ser uma trilha sonora de Corpse Bride. Bem, eu estava impressionado.
Pelo jeito eu não deveria me preocupar, já que minha categoria era diferente. Não que eu fosse sabotar um competidor, eu queria ganhar honestamente. Mas era importante saber com o que eu estava lidando. Se eu cometesse um deslize, e houvesse alguém aqui que fosse perfeitamente a encarnação de Whitney Houston, então eu teria problemas.
Saindo do quarto, segui para o outro à frente. Esse tinha um sinal “Quarto em uso (se é que me entende)” grudado com fitas na porta. Parecia algo que uma criança de 5 anos faria. Abri o quarto e entrei, mesmo com medo do que “se é que me entende” significava.
Ele não estava tão ruim quanto o outro, mas era ruim. A bagunça era inteira nas roupas, com um presente a mais: fuligem. Havia cigarros por todos os lados. O cinzeiro tinha no mínimo umas 8 pontas acabadas. Alguém iria morrer de câncer no pulmão, e seria logo.
Mais uma vez, diversos tipos de sapatos cobriam o chão, o que eu supus ser o quarto de outro dançarino. Quantos deles iam competir? Será que havia menos cantores? Eu duvidava de minha sorte.
O quarto estava fechado, e a cama toda desarrumada, precisando muito de uma lavagem nos lençóis que cheiravam a suor. Quase coloquei uma luva para pegá-los. E me arrependi tremendamente por não ter feito. No meio daquilo tudo, encontrei uma coisa desagradável. Era um preservativo, que parecia ter sido usado não há muito tempo.
Corri pro banheiro na mesma hora, e quase vomitei. Joguei aquilo no lixo com tanta força, que canalizei toda a minha raiva ali. Eu quis chorar. Estava morrendo de nojo do nojento que tinha deixado aquilo ali. Logo abri a torneira e derramei o que eu pensei ser 2lt de sabonete líquido na mão.
“AAAAAAAH!! QUE NOJO, QUE NOJO, QUE NOJO, QUE NOJO.” Eu só conseguia pensar nisso, enquanto lavava as mãos. Fiz uma nota mental para nunca mais mexer entre lençóis suspeitos, principalmente sem luvas.
Simplesmente sai do quarto depois daquilo, sem me importar se seria xingado por não terminar de cumprir minha tarefa. Eu não sou pago para isso. Estremeci só de pensar em outro daqueles “presentinhos” me esperando no lençol embolado.
O próximo quarto estava escuro. Como se fosse o refúgio do próprio Drácula. Tive que abrir tudo para tirar o cheiro de mofo. Até pensei que não havia hóspede ali, quando percebi a mala no pé da cama. Estava tudo devidamente arrumado, o que não sobrava muita coisa para eu fazer. Aproveitei para dar uma pequena olhada, inocente, no que restava do quarto.
Abri uma das gavetas do criado, só a título de organização mesmo, sem segundas intenções. Não havia nada ali além dos itens do hotel. Continuei vasculhando, até que achei um papel. Letra de música. E das boas. A letra era de Mirror, Justin Timberlake. Uma difícil de cantar, mas com uma letra cativante.
Pelo jeito, encontrei meu primeiro cantor.
Ao sair do quarto para outro, no corredor, comecei a pensar. Se cada um dos competidores fossem cantar uma música impactante, eu também deveria fazer aquilo. O problema era: eu não sabia qual música cantar.
Segui no corredor, já que faltavam ainda mais 5 quartos. Estava seguindo para o próximo, quando ouvi uma porta bater. Era a de frente pro meu. Talvez a pessoa tenha voltado. Logo me escondi no quarto do outro lado do hall. Eu não poderia arrumar um quarto com uma pessoa dentro, então teria de enrolar.
Esse quarto em específico, era o mais diferente dos outros. Mas logo imaginei de quem fosse. Havia carneiros, ovelhas e unicórnios, todos eles de pelúcia, espalhados pela cama. Algumas guirlandas de flores, e uma luminária muito maneira em cima do criado. No chão, dezenas e dezenas de folhas, que logo percebi serem partituras. Me aproximei para ver que as partituras eram, de fato, escritas pela pessoa. O que me deixou impressionado. O carinha do carneiro era compositor? E de música clássica? Não se deve mesmo julgar os outros pela aparência.
Eu não tinha como saber se ele iria cantar ou não, mas não me lembro se havia uma categoria para instrumentais no festival. O que me fez suspeitar que sim, provavelmente ele iria cantar.
Não tinha tanta bagunça além dos papéis (que eu não ousaria mexer) e alguns lençóis embolados, então não demorei muito para acabar a faxina do quarto dele.
Ouvi a porta bater no corredor, e suspeitei que a pessoa que havia entrado no outro quarto já tinha saído. Esperei um pouco até abrir a porta do quarto do loiro, e espiei antes de sair. Consegui apenas ver o vulto do qual julguei ser uma pessoa muito alta.
Dei de ombros, apenas seguindo para os próximos.
Em frente ao quarto do cara do carneiro, havia mais um com placa. Dizia “Cai fora”. Sorri, haviam adolescentes competindo?
Logo que abri o quarto, percebi que não. Outro quarto que estava bem arrumado, só com algumas muitas xícaras de café espalhadas pelos cômodos.    
Todas com diferentes cores de bordas, como se a pessoa tivesse pedido o cardápio inteiro do Starbucks e colocado dentro do quarto.

As xícaras estavam enfileiradas, o que parecia mais um display para novos sabores de café, do que a louça suja de alguém.

Ajuntei todas elas, e no meio da bagunça percebi algumas folhas espalhadas. Mais letras, mas dessa vez… de um musical?

Congelei. Podem apresentar musicais no Sing For You? Não havia uma regra especificando nada daquilo.

Um musical era um passo muito grande, de muita confiança do participante. Comecei a ficar intimidado.

O musical parecia ser uma versão atualizada de Rocky Horror Picture Show, “Don't Dream It, Be It”. Não era uma música fácil, mas provavelmente daria uma peça muito linda.

Deixei as letras com manchas de café sobre a mesa, e resolvi seguir para o resto do quarto. Havia só algumas bagunças com as roupas, como se a pessoa não tivesse tido tempo de arrumar, mas ainda não queria deixar tudo tão bagunçado. Algumas partes beiravam o perfeccionismo.

Terminando o serviço, segui cansado para o próximo quarto: o penúltimo do dia.

Este era mais sistemático. Não havia como eu dizer que havia um hóspede ali. Tinha apenas alguma bagunça com as roupas, que, eu deveria ressaltar, eram bem engraçadas. Não parecia ter roupas de outra cor. Eram todas pretas, ou cinzas, ou algum tom perto do preto ou cinza. Algumas raras calças claras, e, pelo que eu pude ver, um moletom cinza no banheiro.
Fui voltando para o quarto, quando vi. Algumas cuecas samba canção jogadas na cama. Não acredito, de novo? Ah não.
Me aproximei daquilo como se pudesse me morder a qualquer movimento brusco. O que eu realmente suspeitava que poderia. Olhei e bem e percebi que eram, na verdade, cuecas limpas. Ufa. Apenas dobrei e coloquei no armário novamente. Aquilo era esquisito, porque eu não fazia ideia de quem era aquele quarto, e tinha que arrumar coisas pessoais desse jeito.

Estava saindo do penúltimo quarto do dia, quando Kyungsoo apareceu.
“Ooh..” ele se assustou novamente. “O-o que você… estava fazendo?” perguntou.
“Aah… limpando o quarto...?”
“Aah. Sim. Claro. Me esqueci” ele riu “Como sou idiota”
Não entendi o que ele estava falando, então só sorri amarelo.
“É que, hum, esse é o meu quarto” Oh, agora fazia sentido. Engraçado, pois o quarto dele era do lado do meu. Não sei se isso era uma boa coisa, ou não.
Sabendo disso agora, parecia que eu tinha invadido sua privacidade. E, pelo jeito, ele sentia o mesmo. Já que estava um pouco nervoso.
“Eu não mexi em nenhuma cueca, se é o que está pensando”
“O-o quê?” ele arregalou mais ainda seus olhos, não sabendo para onde olhar. Meu deus, eu não queria ter dito isso.
“Aah, quer dizer… Não sei, vai que você acha que sou um tipo de pervertido”. sorri para amenizar. Puxa, eu só queria fazer uma piada. “Mas, er, não sabia que esse era seu quarto.”
“Ah… entendi”. ele ficou em silêncio, e deu um pequeno sorriso. “É, só… eu deixei tudo meio bagunçado, sinto muito por isso. Talvez eu deva avisar a Senhora Kim para deixar minha bagunça para mim mesmo”.
“Ela não vai admitir isso. E, este é o meu trabalho, no fim das contas. Então, não se sinta mal” sorri, com a consideração dele. “De qualquer forma, seu quarto foi o mais limpo até agora. Os dois ali no começo, ugh, não quero pensar” disse pensando nos quartos furacões do começo do corredor. E a maldita camisinha. Nojo.
“Sinto muito por isso” ele riu.
“Aliás, obrigado por mais cedo. Por me ajudar, e, principalmente, pelo muffin.”
“Você, gostou do muffin?” ele perguntou sorrindo.
“Bastante. Você é talentoso” Kyungsoo sorriu ainda mais o seu sorriso coração.
“Na verdade é uma receita da minha avó. Ela sempre fazia um tipo de boas vindas para novos funcionários no restaurante, então… acho que me acostumei.” ele arregalou os olhos, novamente. “E-eu não quis dizer que você é meu funcionário ou nada do tipo. Mas, que somos parceiros agora, certo? Quer dizer, não somos parceiros, parceiros desse jeito. Somos parceiros de trabalho… e… ah, Deus” ele colocou a mão na testa. Sorri
“Eu entendi o que você quis dizer. Muito obrigado, cara. Isso foi legal. E sua avó deveria ser uma pessoa maravilhosa.” Isso pareceu acalmá-lo, porque ele sorriu.
“Sim, ela era. Se eu pudesse-” ele parou, como se estivesse falando demais. “Me perdoe Baekhyun, preciso entrar.” ele disse abruptamente. Percebi que estava bloqueando a porta.
“Oh, desculpe.” sai do caminho, e ele sorriu antes de abrir a porta.
“Não tem problema, te vejo no almoço amanhã. Boa noite, Baekhyun.” Ele fez uma reverência antes de fechar a porta. Imaginei que ele estava apenas envergonhado com a situação. Sorri. Ele era uma coisa.
“Boa noite...” disse pro nada.

22h53  

O último quarto era de frente pro meu. Ele era todo diferente dos outros. Escuro e com uma aura de “Não se aproxime”. Porém, para a minha surpresa, já parecia arrumado. Bem, talvez eu não deveria ficar tão surpreso, já que eu tinha visto o gigante saindo dele.
A cama estava até com a colcha dobrada, e o quarto cheirava limpeza. Não tinha nem pó. Será que ele estava realmente hospedado aqui? Titia tinha me dado a chave mestra, e disse que o chalé estava lotado. Então, teoricamente, sim. Dei de ombros, e fui para o banheiro. Limpo. Só com algumas toalhas secando. Troquei-as por novas, e procurei por algo pra fazer. Não poderia deixar nada passar.
Abri os armários do banheiro, pra dar de cara com um armário cheio de produtos cosméticos, e alguns remédios. Os produtos eram caros, eu sabia daquilo. Não pareciam para o bico de alguém que normalmente frequentava o chalé. Sim, vinham ricos aqui, mas não ricaços. O que eu suspeitava que esse hóspede era.
Sai para vasculhar se deixei algo passar, quando eu vi pela mesa algumas letras de músicas. Eu realmente tentei vencer minha curiosidade, mas ela foi mais forte. Peguei algumas para ler.

Enquanto sentado no escuro quarto
Com o silêncio estridente a me acompanhar
Minha mente me trai,
Julga e condena
Com pensamentos sobre você
Provocando meu tormentar

Era só isso. De resto tinham algumas outras frases rabiscadas e algumas melodias escritas por todo lado. A folha inteira estava rabiscada, mas só os versos pareciam intactos.
As outras letras seguiam o mesmo padrão. Vários riscos, alguns versos jogados. Algumas folhas estavam rasgadas, e outras amassadas com tanto afinco que pareciam embrulhar todo ódio e frustração daquele escritor.
Eu conhecia bem o sentimento, e ele tinha duas palavras: Bloqueio criativo. E dos grandes.
Senti pena do gigante, bloqueio criativo era o tormento de todo artista no mundo inteiro.
Eu senti que era melhor deixar tudo como estava, se não quisesse arrumar confusão.
Olhando bem para o quarto, antes de sair, que eu pensei quem seria a pessoa que provocou o tormento daquele poema...

23h47

Entrei em meu quarto cansado. Já passava das onze horas, e meus membros estavam queimando com o esforço físico depois de tanto tempo parado. Desabei na cama, ainda suado, tentando puxar algum fôlego e fazer um check up do dia de hoje.

Eu não pude acreditar que estava tão perto de realizar um sonho como esse. Cantar no Sing For You seria um desafio grande a se fazer, mas que eu estava animado de realizar. Eu queria muito isso. Levar minha voz para as pessoas, tocar alguém com a música.

Sempre acreditei na música como uma maneira de força para as pessoas. Inclusive a mim.

Eu sempre tive minha força vital na música, como se a frequência dela fosse uma corrente de energia que me impulsiona para frente. Para seguir a vida. Para conseguir respirar de novo.

E era aquilo que eu queria. Ser a frequência. Ser alguém que toca no coração das pessoas, assim como elas me tocam. Impulsionar e ser impulsionado. Aquela energia mútua que você compartilha com o público, e cantar o seu coração pra eles, e eles, para você.

Eu amava a música, e a vivia como se fosse o próprio oxigênio.

E eu queria fazer isso pro resto da minha vida.

Me perguntei como as pessoas deviam se sentir estando em cima de um palco. O que pensar? O que esperar? O que temer?

Eu realmente só queria poder me encontrar. E sei que a música tinha esse poder sobre mim. Eu me encontrava cada vez que cantava. E me sentia pleno. Completo.

Suspirei, sorrindo. Isso era bom. Imaginar as coisas funcionando.
Resolvi levantar para tomar um ar, então peguei um sobretudo que estava atrás da porta, me enrolei e sai na sacada escura.

A paisagem estava linda, como sempre. E reparei que o jardim estava arrumado novamente, com um palco montado. Não sabia que teríamos um evento aqui amanhã.
Parecia um tipo de coreto, porém todo enfeitado. Com lenços brancos e suaves, mini luzes brilhantes e arrumado para parecer encantado.
Titia talvez voltaria a alugar o chalé para casamentos.
As vezes, quando o movimento era pouco, Tia Bong Hee alugava o chalé para casamentos ou outros tipos de evento. Como o jardim era bem bonito, muitas pessoas tinham interesse em fazer festas nele. Era uma paisagem montada. Cerejeiras, pedras, e uma piscina natural (ou feita para parecer natural) bem confortável. Era uma loucura para os românticos.
Olhei bem para tudo, até que eu consegui ver muito bem que tinha um piano lá em baixo.

Eu estava tão distraído vendo tudo isso, que não reparei que havia uma melodia soando lá fora.

Era uma melodia suave, quase como uma canção de ninar. Parecia melancólica, como se a pessoa estivesse se lamentando pelas notas. Foi se arrastando, devagar, como a maré chegando à areia da praia.

A música continuou crescendo, e crescendo, como se estivesse formando uma onda ao fundo, cada vez maior. Assim, o que antes era um toque suave, começou a ser tornar uma onda forte, seguindo em frente para o final. Foi se alastrando, até chegar em seu ápice com a última nota forte.
E depois  desceu.
Suave novamente.
Parando aos poucos.
Como se estivesse...
dando...
seus últimos...
suspiros...
e depois não se ouvia mais nada.
Abismado, fiquei parado tentando digerir o que tinha acabado de ouvir.
Era uma música muito linda, que eu nunca tinha ouvido antes. Eu não conseguia ver quem era a pessoa que estava no piano, mas sabia que era muito talentosa.
Me peguei pensando se seria um dos competidores. Se sim, eu teria pena dos outros, já que essa composição parecia ser maravilhosamente bem elaborada.
De repente, a pessoa se levantou do piano, e foi andando para fora do coreto. Tentei acompanhar com os olhos, para pegar qualquer relance do pianista talentoso, mas não consegui. Estava muito escuro, e eu já não enxergava muito bem com meus 2.5 grau de miopia.
Frustrado, voltei para o escuro de meu quarto, deitando na cama.
O que eu faria a partir daqui? Eu tinha uma boa linha de informações sobre meus competidores. Não que eu pudesse fazer algo sobre isso, mas eu teria de me preparar um pouco a mais para o concurso, se quisesse vencer. Pensando em tudo isso, resolvi mandar uma mensagem pro meu fiel manager.

Baekhyunee: Kris
Baekhyunee: Acho que estou ferrado
Krissy: hmmm
Baekhyunee: To falando sério!!! É outro nível a competição aqui.
Baekhyunee: Não sei mais se posso ganhar
Krissy: Baekkie…
Baekhyunee: Eu sei que sou amador, mas esses caras parecem alto nível
Baekhyunee: E se já cantarem profissionalmente?
Krissy: Baek...
Baekhyunee: E se já forem cantores durante muito mais tempo que eu?
Baekhyunee: Eu vou perder :((
Krissy: Não vai, Baekkie
Krissy: Você é incrivelmente talentoso. Sua voz é potente, marcante e suave. Versátil. Você é um cantor muito peculiar, e tenho certeza que vai ganhar todas as oportunidades que merece. Eu confio em você
Baekhyunee: Okay Kriss, vc me deixou bem gay agr
Krissy: Cala boca, seu imundo
Baekhyunee: Assim ta bem melhor
Krissy: Mas é sério. Eu quis dizer cada palavra
Baekhyunee: Eu sei, eu te amo
Krissy: Tbm te amo, idiota <3
Krissy: Mas não se preocupe, você é ótimo. E vai arrasar
Krissy: Eu n sei pq n confia em mim
Baekhyunee: Vou tentar Kris.
Baekhyunee: Obrigado.
Baekhyunee: Por me aguentar
Krissy: Baekkie, eu aguentaria 50 de vc
Krissy: E olha que vc é bem irritante
Baekhyunee: Idiota
Krissy: Boa noite, Cinderela. Amanhã é um longo dia e vc precisa descansar
Baekhyunee: Você tem toda razão
Krissy: Eu sempre tenho ;)

Sorri. Talvez Kris tinha razão. Talvez eu não me daria mal. Talvez se eu me esforçar o suficiente, eu consigo chegar mais perto de ser escolhido.
Era um desafio, e só contava comigo para obter sucesso ou não.
Mas eu iria provar pra ver.


Notas Finais


Okay
Sim, eu sei
To forçando Baeksoo garganta abaixo
MAS É MAIS FORTE QUE EU!!!
Perdão pelos otp adiantados, prometo não fazer mais isso
Comentários são bem vindos, sempre
Para me xingar no twitter: @grayronstairs


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...