1. Spirit Fanfics >
  2. One Month To Win You Over - Chaelisa ( G!P ) >
  3. Dia 4

História One Month To Win You Over - Chaelisa ( G!P ) - Capítulo 29


Escrita por:


Notas do Autor


Se vocês quiserem saber quem representa o Sunan, é só pesquisar Lay Talay.
E dá para ver que eu sou apaixonada por Citrus, né? Sei lá, eu sou xonadinha na Mei :"v

Boa leitura.

Capítulo 29 - Dia 4


Fanfic / Fanfiction One Month To Win You Over - Chaelisa ( G!P ) - Capítulo 29 - Dia 4

Rosé estava sentada, encostada na cabeceira da cama. A loira já havia roído quase todas as suas unhas. Ela já estava ficando sem esperanças em Lisa... novamente. Ainda estava de madrugada, ela não tinha conseguido dormir...

- Será que eu não estou perdendo meu tempo?

Por outro lado, Lisa havia acabado de acordar. Ela não ouviu o que Rosé disse, mas se virou para a loira.

- Bom dia... Rosé.

Rosé a ignorou e continuou olhando para o nada. Lisa suspirou e se sentou ao lado dela, abraçando seus joelhos.

- Falou sério ontem? Eu estou te afastando?

Rosé a ignorou novamente. A loira começou a morder seu polegar.

- Não vai me responder?

Rosé apertou seu polegar mais forte. Ela queria responder Lisa, mas estava tentando dar um gelo nela.

- Você vai machucar o seu dedo!

Lisa puxou o polegar de Rosé, fazendo a garota se virar para ela.

- Para com isso...

A tailandesa a puxou para um abraço. Lisa apertou Rosé contra ela e rodeou seus braços em volta do pescoço dela, deixando a loira confusa. Agora, as duas estavam ajoelhadas na cama, com Lisa abraçando Rosé.

- Me desculpa... - disse Lisa.

"Do nada?", pensou Rosé.

- Me desculpa por ter dito coisas horríveis para você... - Lisa apertou Rosé mais ainda. - Eu sinto muito... - ela deu uma pausa. - Podemos... recomeçar? Na amizade?

"Será que ela está mentindo?", pensou Rosé.

- Por favor...

Lisa ficou aguardando a resposta de Rosé, mas ela não dizia nada. Quando ela foi se afastar da loira, Lisa foi puxada para um abraço.

- Tá. Podemos recomeçar.

Lisa abraçou novamente Rosé, deitando ela na cama. As duas ficaram abraçadas, até que adormeceram. Hank e Louis haviam entrado no quarto, vendo as duas dormindo juntinhas. Então, eles subiram na cama e cobriram as duas. Depois disso, os dois voltaram para a sala.

Pela parte da manhã, Anong havia acordado mais cedo do que o normal. Ela fez suas higienes e foi ver como as meninas estavam. Entrando no quarto, a mulher quase chorou de felicidade.

- Isso! - ela sussurrou, socando o ar. - Elas estão com roupas?

A mulher se aproximou lentamente da cama, olhando por debaixo das cobertas.

- Tá, ainda estão vestidas. - ela se afasta. - Se a Lisa fizer alguma merda para cima da Rosé... Mariana vai cantar...

A mulher saiu do quarto, voltando para o dela. Gentilmente, ela foi acordar Sunan.

- ACORDA!

O homem se assustou, caindo da cama.

- VOCÊ É LOUCA?! - ele se levanta.

- O sol já nasceu na fazendinha.

- Por que me acordou? - ele olha para o relógio. - São seis da manhã.

- Pretendia dormir até quando?

- Ahn, até umas dez horas? - ele cruza os braços. - Mulher... eu estou com muito sono.

- Ninguém mandou beber.

- Eu não bebi.

- Um passarinho me contou que ontem você ficou embriagado.

- Embriagada é você que fala com passarinhos.

- Está insinuando que eu sou da sua laia?

- Você é louca... - ele foi até o banheiro.

- Ninguém mandou se casar comigo. - ela seguiu Sunan.

- Eu me casei com você, porque te amo. Mas você é louca.

- Obrigada.

Mais tarde, na hora do almoço, Rosé e Lisa estavam conversando, enquanto Anong fazia a comida. De longe, Sunan observava as duas cochichando e rindo.

- O que vocês duas tanto falam? - perguntou Sunan. Elas se viraram para ele. - Estavam quase se matando no último dia de aula.

- Nos acertamos. - disse Lisa.

- Entendo...

Sunan fixou seu olhar em Rosé, que desviou o olhar. E adivinha? Anong viu isso e bateu na nuca dele com a Mariana.

- Meu Deus, mulher!

- Não está vendo que está assustando a menina?

Rosé riu anasalado, recebendo mais um olhar de Sunan.

- Mãe... - Lisa se levanta. - Eu e a Rosé poderíamos ir à praça? Depois do almoço.

- Podem.

- Claro que não. - Sunan se levanta. - Só se forem com o Louis.

- O Louis está de férias... - disse Anong. - As duas vão e ponto final.

- Amor, não vou deixar as duas sozinhas.

- Vai sim. Elas vão levar os bichinhos delas e ficaremos aqui... confiando nas duas...

- Mas...

- Sem mas. Apenas deixe que as duas se soltem como lindas gazelas ao pôr do sol.

Enquanto Sunan e Anong discutiam, Lisa e Rosé saíram de fininho da cozinha. A tailandesa levou a garota até o quintal, onde se deitaram na grama.

- Acha que eles vão deixar a gente sair? - perguntou Rosé.

- Não sei... tomara que sim. - Lisa deu uma pausa. - Rosé... posso te fazer uma pergunta?

- Já fez uma...

- Não, idiota. Posso fazer ou não?

- Pode.

- O seu lance com a Billie... ainda está rolando?

- Sobre isso... - Rosé se sentou na grama. - Foi apenas uma brincadeira. Somos apenas amigas.

- Entendo...

"ISSO!", pensou Lisa.

A tailandesa puxou Rosé para se deitar ao lado dela. Os rostos das duas estavam quase coladinhos, a diferença era que Rosé estava para um lado e Lisa para o outro.

- Por que resolveu recomeçar? - perguntou Rosé.

- Não fazia muito sentido eu brigar com você.

- Então... - Rosé vira um pouco seu rosto, tendo visão de Lisa. - Resolveu ser minha amiga... para se desculpar?

- Também... - Lisa se vira.

Agora, os rostos das duas estavam quase colados. Rosé tinha visão da boca de Lisa e Lisa tinha visão da boca de Rosé.

- Rosé... - sussurrou Lisa.

- Fala...

- Você está deitada aonde o Hank urinou.

Rosé se sentou na grama, enquanto Lisa ria. A tailandesa se sentou também, ainda rindo.

- Por que não me avisou? - Rosé faz um biquinho.

- Queria ver até onde você ia.

Rosé revirou os olhos e retirou sua camisa, fazendo com que Lisa parasse de rir. Enquanto a loira tentava achar a mancha da urina de Hank, Lisa tentava desviar seu olhar do abdômen de Rosé, falhando miseravelmente.

- Onde manchou?

- Rosé... era brincadeira.

Rosé olhou para Lisa, que se virou de costas, permitindo que Rosé pudesse colocar sua camisa novamente.

- Já colocou a camisa?

- J-Já...

Lisa se virou, completamente vermelha. A garota se desculpou e voltou a se deitar na grama. Lentamente, Rosé se deitou ao lado dela.

- Foi mal... - disse Lisa. - Eu não deveria ter feito isso.

- Tudo bem, não precisa se desculpar.

As duas ficaram olhando para o céu nublado da cidade. Alguns pássaros voavam para o Sul, enquanto o vento batia contra eles. Lisa fechou seus olhos, aproveitando essa leve brisa. Por outro lado, Rosé observava a menina.

- Rosé...

- Fala.

- Eu nunca te contei algo...

- O que foi?

Lisa se sentou no chão, seguida de Rosé. A tailandesa se virou para a loira, com um sorriso sapeca nos lábios.

- Você me batia igual galinha...

- Oras, sua...

As duas se levantaram e começaram a correr pelo quintal. Enquanto Rosé corria atrás de Lisa, a garota ia rindo. Foi quando começou a garoar. Elas já estavam ficando encharcadas.

- Volta aqui, Lisa!

- Batia igual galinha! - cantarolou Lisa.

Rosé conseguiu alcançar ela pelas costas, a pegando pela cintura e a levantando.

- Fala que eu sou galinha!

- É uma galinha!

As garotas iam rindo da cara uma da outra, enquanto Rosé rodava com Lisa nos braços. Da janela da cozinha, Sunan viu a cena. Se não fosse por Anong, o homem iria lá fora brigar com as meninas.

- Deixe elas, homem. Ou você dorme no sofá...

- Nossa...

Em um deslize, Rosé acabou caindo com Lisa em cima dela. Mesmo assim, as duas continuavam rindo.

- Minha mãe vai me matar...

- Vai me matar também. É bem possível que fiquemos resfriadas...

- Não duvido de nada. Vamos entrar?

- Vamos.

As duas se levantam e vão até a varanda da casa. Lisa pegou duas toalhas e deu uma para Rosé. Antes de entrarem dentro de casa, Anong apareceu na porta.

- Ferrou... - murmurou Lisa.

- Vocês se molharam?

- Não. É suor.

- Muito engraçadinha, mocinha... - Anong estreitou seus olhos. - Eu nunca vi jovens que ficavam brincando na chuva...

- Nạ̀n pĕn pherāa khuṇ kæ̀... (Isso é porque a senhora já é de idade...). - sussurrou Lisa.

- Eu ouvi mocinha... - ela cruzou os braços, sorrindo. - Entrem para dentro.

- ATCHIM! - espirrou Rosé.

- E sem praça para vocês, okay? Apenas amanhã.

- Tá... mãe.

- Entrem.

As duas obedecem. Elas foram para o quarto de Lisa, sem que Sunan percebesse. Lisa disse que iria primeiro e depois Rosé poderia ir. A loira apenas concordou com a cabeça. Quando Lisa entrou no banheiro, Rosé pegou seu violão e analisou o desenho que tinha feito.

- Viu, mãe? Estou fazendo o que sempre me pedia...

A garota aproveitou para escrever uma frase nele, uma curta... mas que representasse o que estava sentindo nesse momento.

- Pronto...

Ela guarda seu violão. Foi nesse momento que Lisa saiu do banheiro. Como estava de tarde e elas não poderiam sair, por conta da chuva e de Anong, elas resolveram fazer o que mais gostavam... ver filmes. Lisa estava usando um short de moletom e uma camisa branca, fazendo Rosé sorrir. A loira foi para o banheiro e deixou Lisa ali.

- É complicado se fazer de difícil... - Rosé sorri. - Muito complicado...

Após um tempinho, Rosé já estava limpinha. Anong havia feito brigadeiro de colher para elas, uma receita que aprendeu com uma amiga brasileira.

- Eu nunca comi isso... - disse Rosé. - Será que é bom?

- Não sei... só experimentando para saber.

As duas se olharam e colocaram as colheres na boca ao mesmo tempo. Parece que as duas gostaram do doce, já que estavam sorrindo feito bobas para as colheres.

- Isso é muito bom... - elas disseram.

Enquanto as duas iam comendo, Lisa ia ligando o computador. E de novo, elas discutiram pelo filme.

- Comédia!

- Terror!

- Rosé... - Lisa cruza os braços, com a voz manhosa. - Comédia... por favor.

Mesmo com toda essa tentação, Rosé não caiu.

- Vamos terror... comédia é boa, mas terror é melhor.

- E que filme você quer assistir?

- Annabelle...

- Não! - Lisa interrompeu Rosé. - Por favor não...

- Já que não nos decidimos, que tal anime?

- O que é anime?

Rosé se levantou da cama e foi até a janela, abrindo, deixando que uma vento forte entrasse.

- O que vai fazer? - Lisa se levanta.

- Vou ver se eu voo sem asas. Tchau...

- Não! - Lisa correu até ela, a abraçando por trás. - Quem vai assistir comigo?

- O bicho papão. Tchau...

- Não. - Lisa a apertou mais ainda.

- Você acredita em bicho papão?

- As histórias são bem convincentes...

Rosé fechou a janela e se virou para Lisa. A garota pegou a tailandesa no colo.

- O-o que vai fazer?

- Te levar para debaixo da cama... junto do bicho papão.

- Não! - Lisa se esperneou, enquanto Rosé andava. - Por favor, Rosé! Não!

Rosé começou a rir da garota. Ela deixou Lisa na cama e se sentou ao lado dela, ainda rindo.

- Para! - Lisa bate no ombro dela.

- Hey... Lisa. Olha para trás.

A tailandesa obedeceu. Rosé apertou a cintura dela.

- BU!

Lisa realmente se assustou com aquilo e começou a bater em Rosé com um travesseiro.

- Idiota!

- Tá...

Lisa parou de bater em Rosé e se virou de costas para ela, cruzando os braços.

- Para quem me chamou de criança ontem, você caiu para o mesmo nível, né? - Rosé cutuca Lisa.

- Hm.

- Quer assistir o anime ou não?

- Qual? - Lisa se vira.

- Bem... Jisoo me recomendou alguns.

- Você conversa com a Jisoo?

- Sim. Mesmo sendo estranha, ela é muito engraçada.

- Entendo...

- Ela me recomendou Kakegurui, One Piece, Hyouka, Citrus, Boku no Hero, Dragon Ball Super e Z, Kanojo Okarishimasu, acho que era isso... Darling in the Franxx, Yarichin Bitch Club, Banana Fish, One Punch-Man, Fairy Tail e Pokémon.

- Nossa...

- Qual quer assistir?

- Eu gostei desse Citrus...

- Quer ver?

- Claro.

Rosé e Lisa colocaram o anime no computador. Lisa pegou seu fone de ouvido e deu um dos lados para Rosé.

E o primeiro episódio começou. Como sempre, Lisa tentava analisar cada detalhe dos personagens. Sinceramente, a tailandesa sentiu uma vergonha alheia em determinados momentos. Lisa estava gostando de assistir o anime, enquanto Rosé estava quase dormindo. Ela se interessou mais ainda, quando Yuzu descobriu que seria meia-irmã de Mei. Os episódios foram se passando. Lisa amou a parte em que elas recebiam uma cama de casal. Lisa pôde perceber, que a Yuzu ficou bem "estranha" ao saber que teria que dividir a cama com a Aihara. As horas foram se passando e Lisa continuavam assistindo, enquanto Rosé dormia. Em outra parte, a tailandesa simplesmente amou o que Matsuri disse. "Amor de verdade não rola fácil como nos mangás, sabe? Quando se ama, deve-se pensar nos sentimentos do outro". Lisa se prendeu àquela frase e ficou com ela na cabeça até o final do anime. Ela realmente chorou quando Yuzu pulou encima de Mei e a garota fez o ursinho beijar ela. Já estava ficando de noite e Lisa ainda estava ali. A garota não gostou como o anime acabou. Ela achava que elas poderiam ter se casado. Ela havia amado Matsuri, Sara, Nina, Mei, Yuzu, Harumi, Momokino... não iria se esquecer tão fácil elas. Mas não foi isso que chamou a atenção de Lisa...

- Quando se ama, deve-se pensar nos sentimentos do outro... - ela sussurra.

Lisa fechou seu computador e limpou algumas lágrimas, logo retirou os fones de ouvido.

- Achei mais duas que são iguais a mim... Yuzu e Mei. Elas... são eu, só que em 2d.

Lisa abraçou seu corpo, suspirando. Ela achava que elas eram iguais, pelo fato de Yuzu ter se se enganado e agora ser caidinha por uma garota. Mei... uma garota que nem sabe se expressar direito.

- Deve-se pensar nos sentimentos dos outros...

Lisa se virou para Rosé, percebendo que ela estava dormindo sentada.

- Eu não sei se a Rosé gosta de mim... mas e se eu não estiver olhando o lado dela? Tipo... amizade?

A garota queria muito ligar para Lauren, só que a garota disse que iria viajar e por isso ficaria sem sinal.

- O que eu faço agora?

Alguém abriu a porta do quarto. Era Anong.

- Garotas?

- Shhh! - Lisa colocou o dedo indicador na boca. - Rosé está dormindo.

- Desculpa... vão querer comer?

- Eu não quero e Rosé está dormindo, então...

- Tá. Boa noite.

- Boa noite, mãe. E por favor, a senhora pode colocar comida para o Hank e para o Louis?

Anong assentiu com a cabeça e fechou a porta do quarto. Lisa pegou seu computador e o colocou na gaveta de sua cômoda.

- É... vou dormir.

A garota ajeitou Rosé na cama e a cobriu. Lisa foi até o banheiro e escovou seus dentes, apenas para retirar o gosto de chocolate que ficou em sua boca.

Depois de fazer suas higienes, a garota desligou a luz do quarto e foi até a cama, se deitou ao lado de Rosé. Ainda estava batendo um vento forte lá fora e a lua trazia uma bela iluminação para o quarto.

Lisa tocou o rosto de Rosé, com a ponta dos dedos. Ela se aproximou e deixou um beijinho na testa dela.

- Olha... - ela sussurrou. - Um selinho rápido também conta como beijinho de boa noite, não é mesmo?

Lisa mordeu seu lábio inferior e se aproximou lentamente de Rosé. Ela parou em frente aos lábios da menina e ficou ali por um tempinho.

- Não seria errado, né? Ela não tem nada com a Billie...

Lisa deu um rápido selinho nos lábios de Rosé e se afastou.

- Não seria errado mais um, certo?

Ela se aproximou novamente e deu mais um selinho nela, só que um pouquinho mais demorado. Depois disso, ela se cobriu e tentou dormir, com o coração batendo freneticamente.


Notas Finais


Desculpe qualquer erro.
Até o próximo capítulo.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...