História One More Weekend - Capítulo 9


Escrita por:

Postado
Categorias Seventeen
Personagens Jeon Wonwoo, Kim Mingyu, Lee Jihun "Woozi", Soonyoung "Hoshi", Wen Junhui "JUN"
Tags Fluffy, Meanie, Mingyu, Seventeen, Svt, Wonwoo, Yaoi
Visualizações 53
Palavras 1.214
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Fluffy, LGBT, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


oláaaa, voltei um pouco tarde dessa vez, mas perdoem, eu estava com um bloqueio criativo fodido e pode ser que esse capitulo esteja bem bosta... ELE É UM POUCO MAIS PEQUENO, porque é mais um daqueles que eu pensei que não iria postar... Ledo engano, agora vou postar tudinho.... Então eu tenho uma enquete pra quem estiver lendo e preciso da ajuda de vocês!!!!

Capítulo 9 - .saturday


Fanfic / Fanfiction One More Weekend - Capítulo 9 - .saturday

 

 

Tão imersos naquele momento que quando perceberam, os rostos estavam perto – perto demais – e o Jeon suspirou, Mingyu por outro lado tomou folego e então delicadamente antes que o outro pudesse se dar conta, o moreno tocou seus lábios com os próprios lábios. Se beijaram, não de maneira carinhosa ou terna como o costumeiro; dessa vez era como um beijo necessitado, era um misto de prazer e desejo. Mingyu comandava aquela dança conforme suas línguas se moviam ritmadamente sobre a outra, as mãos ágeis do mais alto abraçaram o Jeon como se nunca mais fossem o soltar; e não iria. Enquanto as línguas brigavam, brincavam, se conheciam, o Kim arfava entre o beijo e Wonwoo suspirava. Podiam sentir seus fôlegos se indo segundo por segundo enquanto lutavam para prolongar aquilo o máximo que podiam. Wonwoo levou as mãos até o ombro do mais alto, o trazendo ainda mais para próximo de sí, e Mingyu se colou ali, as destras do mesmo foram delicadamente para a cintura de Wonwoo desesperadamente o apoiando na cama, os corpos estavam tão colados que tanto Wonwoo quanto Mingyu podiam sentir tudo, tudo roçar, trepidar. E aos poucos, gradualmente os movimentos foram sessando e o beijo se encerrando. O ar se fazia necessário!

 

Estava tudo tão bom, tudo ótimo. Deveria continuar assim, mas não, para a infelicidade de Wonwoo o celular de Mingyu começou a tocar; trazendo-o de volta para a realidade. O Sábado estava chegando ao fim.

– Seu celular... – Wonwoo disse baixo. – Não vai atender?

O barulho continuava.

– Hm... Certo... – Mingyu parecia um pouco desnorteado, e até um pouco sem expressão. Ele pegou o celular e olhou cuidadosamente para o identificador, os olhos piscaram algumas vezes antes de desligar a chamada; número desconhecido. Desligou!

– Por que não atendeu? – Wonwoo o observava confuso, apesar de ter visto claramente os números sem nenhum nome. Mingyu suspirou e quando foi para guardar seu celular o papel do cinema então rolou para fora de seu bolso, o Jeon alcançou aquilo rapidamente e o ficou encarando.

– De quem era o número? – Ele repetiu.

– Eu não sei... – Mingyu respondeu baixo.

– De um número desconhecido então... – Wonwoo disse retoricamente.

– É. – O outro concordou sem ter muito mais a dizer.

Wonwoo encarava Mingyu, que não sabia muito em o que estava acontecendo, tudo o que ele via era o mais velho parado ali, estático, enquanto encarava aquele papel.

– Isso... – Mingyu gentilmente colocou as mãos sobre a mão que Wonwoo segurava o ingresso. – Quando chegar a próxima semana, eu quero ir... Bom, eu não quero outra pessoa; eu realmente quero ir com você hyung. – Disse em um tom baixo, sem retirar as mãos das mãos do outro.

 

Mingyu não sabia bem como aquilo havia afetado Wonwoo, mas ele parecia tão atordoado, tão perdido em meio a tudo que andava acontecendo. O mais velho caiu sentado para trás e fungou, o silêncio não durou antes mais do que isso; o celular de Mingyu voltou a tocar. Droga!

 

– Atenda. – Wonwoo disse claramente incomodado.

– O quê? 

– Atende Mingyu! – Ele ergueu a voz assustando um pouco o outro. Wonwoo se levantou rapidamente e pegou o dvd no chão. – Eu vou devolver isso então você pode atender a ligação. 

 

 Sua voz era tão grave e áspera, que era como se o Jeon ele tivesse erguido uma barreira ali entre os dois e estivesse falando de trás daquele muro. Como se Mingyu fosse um estranho... Tão ríspido.

– Eu vou com v....

– Tudo bem. – O interrompeu. – Eu quero ir sozinho.

 

E então Wonwoo saiu, deixando apenas Mingyu e um vazio enorme; não só naquele cômodo mas também no peito de Mingyu, porque esses últimos dias tinham sidos assim... Sempre que Mingyu depositava sua esperança em Wonwoo, ele as devolvia, como se na cabeça do mais novo isso fosse um tipo de jogo; será que o Jeon estava brincando sobre tudo? Brincando com Mingyu? O moreno se levantou e tentou ligar para o celular de Wonwoo, e não importava quantas vezes o mesmo não atendia, suspirou e andou pela casa, até então ouvir o barulho do celular tocar um pouco mais atrás de sí, onde previamente estavam sentados. É claro, para piorar Wonwoo havia saído tarde e nem mesmo levou seu celular. Ele encarou aquela janela a sua frente, o vento da noite soprava enquanto o sol se punha... A noite estava chegando.

– O que você está fazendo comigo hyung? Mesmo se eu for procura-lo agora...

...

 

 

– Éstou de volta, olá pessoas! – Bohyuk praticamente berrou.

– Na hora certa! – Mingyu respondeu no cômodo em que estava assim que o mais velho abriu a porta. – Obrigado.

– O que houve? – Ele indagou, notando a feição cansada do outro.

 

Mingyu se levantou e então caminhou até a porta onde ele estava.

– Bem vindo de volta. – Disse educadamente, cruzando o garoto e se dirigindo para a porta.

– Hm, sim... – O garoto respondeu meio sem graça. – Onde meu irmão esta?  

– Sobre isso... – O outro suspirou. – Ele saiu, e parece que não vai voltar por agora. Eu estava esperando, mas...

– Todo esse tempo? – O irmão mais velho de Wonwoo arqueou uma única sobrancelha enquanto encarava Mingyu que afirmou apenas com a cabeça. Bohyuk apertou as mãos do garoto e então o encarou por um tempo.

– Eu acho que vou indo... – Mingyu cortou o silencio.

Ele já ia saindo quando Bohyuk pigarreou lá de onde estava, fazendo o Kim se virar para o olhar.

– Desculpa. – Ele falou enquanto caminhava até o mais novo para acompanha-lo até a porta. – Sabe... O meu irmão não é o tipo de pessoa que os outros pensam, na verdade ele é um pouco egoísta e impulsivo, as vezes ele é precipitado e fica achando que entendeu tudo quando na verdade não entendeu... Ele também não é bom em expressar isso, então sabe, desculpa se aconteceu algo.

Ele realmente parecia sem graça pelo mais novo.

Mingyu sorriu e então abriu a porta.

– Isso é um problema. – Ele riu baixo, enquanto saia. Provavelmente isso era um meio problema, mas a essa altura, Mingyu mal conseguia se sentir incomodado afinal isso era o que fazia Wonwoo ser quem era, era tudo muito amável.

...

 

Em contrapartida, do outro lado da cidade; no centro de Seul um outro garoto vagava, sonolento, pelas ruas brilhantes do mercado. O corpo vagarosamente bocejava enquanto andava, até que o corpo desastrosamente esbarrou em alguém fazendo com que os dois caíssem no chão. Ouviu o outro, menor e talvez mais novo, reclamar de si. Mandava Junhui olhar por onde andava, dizia que o mesmo era descuidado. Junhui notou que o garoto falava chinês e então sorriu para o outro, e só esse sorriso foi o suficiente para fazer o humor de Minghao se aquietar. Ficaram ali se encarando, antes do mais novo finalmente ter a coragem de falar com o garoto do qual estava afim há algum tempo. – A-té o-outra hora então. – Disse tocando os ombros de Junhui e passando por ele, Junhui apenas suspirou e continuou andando até estar em seu apartamento. O garoto se sentou na beirada da janela de seu quarto e então olhou as luzes do outro lado, dali podia ver onde havia se esbarrado com o garoto estranho, que falava chinês.

 

Mal sabiam os dois, que a partir do dia seguinte, uma nova semana se iniciava e um novo ciclo para eles. Também. 


Notas Finais


Então eu queria saber se vocês tem interesses em extras, ou pelo menos um capitulozinho Junhao... Eu estive pensando, mas não sei se devo mexer nisso. Então o que acham? Gostaram? Não gostaram? Sabem ou não sabem? Comentem ai embaixo. ♥


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...