História One Night - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Dele Alli, Mesut Özil, Olivier Giroud
Tags Harry Kane, Tottenham
Visualizações 77
Palavras 1.953
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela
Avisos: Álcool, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


A categoria Harry Kane está demorando demais para chegar, então decidi postar antes da categoria e depois eu adiciono.

Boa leitura!

Capítulo 1 - Everything has changed


Fanfic / Fanfiction One Night - Capítulo 1 - Everything has changed

 

 - Home sweet home! - Foi a primeira coisa que falei assim que sai do avião e pisei em solo inglês. 

 Há quatro anos deixei Londres para seguir meu sonho e ir estudar Geologia na Noruega, mais como um hobby, já que eu amava esse assunto e gostaria de saber mais sobre isso. Na época eu estava começando uma carreira como modelo, mas abandonei, porque não era aquilo que eu queria, era o que minha mãe queria. Até cheguei a fazer algumas campanhas na minha adolescência, mas aquilo estava me fazendo mal, então quando acabei o ensino médio, decidi seguir meu coração e fazer algo que eu amava, que era a Geologia.

 Minha decisão de me mudar para a Noruega causou alguns problemas na minha família, porque minha mãe não aceitava de jeito nenhum e meu pai me apoiou em cada passo que dei. Lembro até hoje a última coisa que ouvi da minha mãe antes de partir que foi “Se você realmente for, não precisa voltar nunca mais.” 

 Durante meus anos longe de casa, não vi minha mãe nenhuma vez e meu pai conseguiu me visitar apenas duas vezes no meu primeiro ano na faculdade, porque  a rotina dele não se encaixava com os meus dias livres, mas nos falávamos quase todos os dias por facetime.

 

 Assim que cheguei em frente a minha antiga casa, respirei fundo antes de apertar a campainha, era tão bom estar de volta, mas ao mesmo tempo eu estava tão insegura. Quando a porta abriu, pude ver meu pai e acabei jogando a bolsa que estava na minha mão para poder abraçá-lo o mais forte possível.

 - Pai, eu senti tanto a sua falta! - Acabei derramando algumas lágrimas, que ele logo enxugou e depositou um beijo na minha testa.

 - Também senti muito a sua falta! Você está tão linda, já é uma mulher. - Ele pegou minhas malas e nós entramos para casa.

 - Cadê a mamãe? - Perguntei quando entramos e não vi ninguém ali.

 - Ela está na casa da Kim organizando as coisas para a festa de natal de amanhã. - Kim era uma grande amiga da minha mãe, que morava na nossa rua, a muito tempo e elas passavam o natal juntas todo ano desde que eu era um bebê. Cada ano era na casa de uma. - Você vai amanhã, né?

 - Não sei, pai, você sabe que eu nunca gostei dessa data.

 - Juliet, a última conversa que você teve com a sua mãe não teve um final feliz, então acho melhor você começar a tentar agradá-la para fazê-la esquecer de tudo e entender o seu lado. Sua mãe é uma pessoa difícil de lidar, você sabe disso.

 - Eu sei, mas faz tempo que eu não vejo todo mundo, será que eles não vão me achar uma penetra.

 - Claro que não, você sabe que a família Kane te ama. 

 - Todos menos o Harry, o chato da família.

 - A última vez que vocês se viram, ainda eram dois adolescentes imaturos, você tinha 17 anos e ele 19, talvez agora vocês possam ser amigos.

 - Aquele garoto me irritava demais, ele implicava com tudo! Nunca vou esquecer o dia da festa de natal que ele jogou um balde de água em mim enquanto eu dormia.

 - Mas você se vingou e jogou um balde de água com gelo no dia seguinte. - Rimos.

 - Nós éramos crianças horríveis!

 - O Harry está diferente agora, está bem mais maduro. Quem sabe amanhã vocês não se entendem, ele é um cara bonitão, super simpático e está solteiro.

 - Pai, você está tentando me empurrar para o Harry? Sério? Acho que você ficou louco enquanto eu morava na Noruega.

 - Não estou tentando fazer nada. Agora vai para o seu quarto, você deve estar cansada da viagem.

 - Estou e falando nisso, preciso da sua ajuda para achar um apartamento para eu morar.

 - Depois do feriado de ano novo nós vemos isso, ok? - Assenti e subi para o meu quarto.

 Tudo continuava do mesmo jeito que eu deixei antes de me mudar. Minha escrivaninha tinha algumas das minhas apostilas e cadernos do ensino médio, minha prateleira tinha meus livros favoritos e na parede ainda tinha meus pôsteres da Avril Lavigne e do Ed Sheeran.

 Comecei a mexer em algumas coisas no meu guarda roupa e milhares de lembranças começaram a me invadir, era bom estar em casa. Eu estava morrendo de saudades dos meus amigos antigos, da minha família, dos meus gatos e, claro, de uma boa xícara de chá.

 Após meu momento nostalgia, deitei na minha antiga cama e dormi que nem um bebê, eu estava extremamente cansada por conta da viagem e só acordei no outro dia com o barulho de batidas na porta.

 - Bom dia, Juliet! - Era a Mary, ela trabalhava para a minha família desde quando eu era bem pequena, ela além de faxineira, foi uma ótima babá para mim durante bastante tempo.

 - Mary! - Abracei a senhora que estava na minha frente. - Quanto tempo! Você está bem?

 - Estou ótima! Você também pelo jeito, está mais linda do que nunca.

 - Obrigada! - Falei um pouco sem graça, porque não sei muito bem receber elogios.

 - Vim te chamar para ir tomar café da manhã, fiz um prato bem inglês para matar a saudade de casa.

 - Aí que delicia! Só vou me trocar e já vou. - Ela assentiu e saiu.

 Eu apenas fiz minhas higienes matinais, coloquei uma roupa confortável e fui para a sala de jantar. Lá encontrei meus pais tomando café da manhã.

 - Bom dia! - Minha mãe falou um pouco seca.

 - Bom dia, mãe! Eu estava com saudades. - Depositei um beijo em sua bochecha e em seguida fiz o mesmo com o meu pai.

 - Decidiu se você vai hoje com a gente para a casa dos Kane? - Meu pai perguntou.

 - Vou sim, só preciso sair para comprar uma roupa bem rápido, antes que todas as lojas fechem para a véspera de Natal. Quer me acompanhar nas compras, mãe? - Perguntei, pois sabia que aquele era o passatempo preferido dela e seria uma boa forma de tentarmos recuperar nossa relação.

 - Pode ser!

 

 Após o dia de compras com a minha mãe, ela ficou um pouco mais simpática comigo, mas ainda parecia estar com um pé atrás. Nos divertimos bastante, compramos roupas, sapatos e tomamos um café da tarde juntas.

 Quando chegamos em casa, já estava tarde, então já fomos nos arrumar para a festa de Natal. Tomei um banho bem relaxante, fiz uma maquiagem não muito pesada, coloquei minha roupa e fui me encontrar com os meus pais que já estavam prontos na sala. 

 Assim que chegamos na casa da família Kane, apertamos a campainha e Kim veio nos atender.

 - Juliet, como você está linda! - Me abraçou. - Eu estava com saudade. Como foi na Noruega?

 - Obrigada! Foi ótimo, mas eu senti muita falta de casa, Londres sempre será o melhor lugar do mundo para mim.

 - Vamos entrar e você me conta tudo o que aconteceu com você durante a faculdade.

 Kim pegou minha mão e me guiou até a sala, onde encontrei varias pessoas que eu costumava a ver com frequência antes de me mudar, mas o que me chamou atenção foi um cara loiro sentado no sofá com um copo de champanhe nas mãos. Eu tinha a impressão de que o conhecia de algum lugar, mas não lembrava de onde. Ele era bem alto e tinha um físico perfeito.

 - Pat, Harry, venham ver quem voltou para Londres. - Kim falou e Pat, seu marido, e o cara loiro vieram até nós. Só então me liguei que aquele era o Harry, mas ele estava extremamente diferente.

 Pat veio até mim, falou que eu estava linda e logo foi conversar com os outros convidados, me deixando sozinha com o Harry.

 - Oi! - Falou um pouco envergonhado, pude notar que sua voz estava bem mais grossa, e sexy, agora. - Você está... diferente!

 - Você também, não é mais aquele garotinho chato que ficava o dia todo me perturbando na escola. - Ele riu.

 - Como você está? Como foi na Noruega? 

 - Eu estou ótima! Foi tudo muito incrível, tive experiências inesquecíveis, mas senti muita falta daqui.

 - Imagino, eu mal consigo passar um mês longe de Londres. Eu amo esse clima “ruim”, a agitação e a elegância londrina.

 - Eu também. - Ficamos em um silêncio constrangedor por um tempo até que eu decidi falar algo. - O que você fez durante esses anos?

 - Bom, você não foi a única que seguiu seus sonhos, eu segui os meus e agora estou jogando no Tottenham. - Ele sorriu.

 - Sério? Isso é incrível, parabéns! Eu lembro que você sempre era o primeiro a ser escolhido quando jogávamos futebol na escola. - Rimos.

 - E você costumava a ser a última das meninas. - Me provocou rindo.

 - Tava demorando para você começar com as suas chatices. - Revirei os olhos.

 - Fica esperta, porque pode ser que eu jogue algo em você mais tarde. - Lembrou do balde de água e nós rimos.

 - Lembre-se que eu sou vingativa e mais criativa que você. - Dei uma piscadela para ele, que riu.

 - Eu lembro bem disso.

 Novamente ficou um silêncio constrangedor, mas dessa vez eu decidi dar uma desculpa para sair dali. Fui me sentar onde os meus pais estavam e ele foi para o quintal.

 - Como foi a conversa com o Harry? - Meu pai me perguntou baixinho quando sentei ao seu lado.

 - Normal, ele continua o mesmo idiota de sempre. 

 Alguns amigos antigos do Harry chegaram e vieram me chamar para ir beber com eles na área da piscina, eu aceitei, já que estava há bastante tempo sem um bom porre.

 Ficamos conversando e bebendo por um tempo até dar 00:00 e todos começarem a desejar feliz natal uns aos outros.

 - Feliz Natal, Juliet! - Harry me deu um abraço e eu pude sentir seu perfume amadeirado invadir minhas narinas. 

 - Feliz Natal! - Me separei do abraço, que estava sendo um pouco mais longo do que deveria. - Vou lá dentro desejar um feliz Natal para os meus pais.

 - Ok!

 Fui até a sala onde meus pais estavam e fui seguida por Harry, que foi falar com os seus pais. Enquanto eu falava com o meu pai, percebi que Kim e Harry estavam olhando para mim sorrindo. Fiquei um pouco sem graça com isso, então logo voltei para a área da piscina. Muitos dos amigos do Harry já estavam bem bêbados e era até engraçado de ver. Eu ainda estava sóbria, mas quando Harry voltou para onde estávamos, comecei a beber bastante, porque eu estava um pouco envergonhada.

 O pessoal começou a jogar alguns jogos e em um deles me desafiaram a beijar o Harry. Eu já estava bêbada e ele também, então não me importei, fomos até um canto e o beijei. Era para ter sido apenas um beijo rápido, mas ele me apertou contra seu corpo e aprofundou o beijo. Os amigos dele, ao perceberem voltaram a jogar e nos deixaram sozinhos.

 Harry subiu um pouco meu vestido e apertou minha bunda um pouco forte, acabei deixando um gemido escapar entre o beijo e isso o deixou animado. Senti que algo dentro da sua calça decidiu dar sinal de vida, coloquei minha mão por dentro da sua cueca e fiquei impressionada com o que senti.

 - Vamos lá para cima? - Falou meio ofegante no meu ouvido e eu apenas assenti.

 


Notas Finais


Música do capítulo: https://youtu.be/w1oM3kQpXRo

Espero que tenham gostado x


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...