1. Spirit Fanfics >
  2. One Night >
  3. O desconhecido

História One Night - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Olá, pessoal!
Me chamo Ihorrany, e essa é uma das minhas primeiras histórias. Bem, eu já escrevi uma história aqui, porém, por motivos pessoais, excluí.
Isso já faz 1 ano, e depois não escrevi mais nada. Acabei de voltar com essa, então perdoem os erros.
Sem mais delongas, espero que gostem! ♡

Capítulo 1 - O desconhecido


Horas antes..

Deitada sobre minha cama, ainda com o uniforme da escola, pego-me pensativa. Hoje foi um dia exaustivo e longo, só uma boa noite de sono para me regenerar. As provas do semestre estão acabando, e logo, logo irão começar as férias- mal vejo a hora- falo para mim mesma. Saio do mundo da lua, quando sinto meu celular vibrar sobre a cama. Quase pulo quando vejo três chamadas perdidas da Bianca, minha melhor amiga.

- Poha, s/n! Não pode me atender, não? 

- Desculpa, Bianca. Eu estava ocupada.- falo mentindo.

- ok, acredito.. mas enfim, eu e as meninas vamos pra balada hoje, e você vai junto. E nem inventa mimimi, eu falei que você ia com a gente.

-Bianca, tenho que estudar pras provas

- Garota, você só sabe estudar! Você vai, sim! Vou te tirar desse quarto, nem que eu te arraste pelos os cabelos. - rimos com seu comentário. 

- tá bem, Bianca. Eu vou.

- com certeza você vai, falei até com o seu pai. Esteja pronta às 20:30, passo ai pra te pegar. 

- Espera,ele deixou?!- pergunto desacreditada, porém não tenho resposta. 

...

Horas depois.. 

Após o belo vacuo que levei, fiquei mechendo no meu celular. Vi que estava todo mundo animado para a tal "balada", nem parecia que estávamos em semanas de provas. Depois de muito tempo procastinando, vou tomar banho. 

...

Termino o banho, e vou para meu quarto. Escolho um vestido curto e apertado, de cor vermelha, faço uma make básica, nada muito exagerado. Seco meu cabelo com um secador, definindo ainda mais os cachos. E por fim, passo um perfume, que ganhei à pouco tempo no meu aniversário de 18 anos.

Desço as escadas, com dificuldade por causa do salto- odeio esse troço- falo pra mim mesma. já na sala, dou de cara com meu pai. Ele me olha, e não consigo distinguir suas emoções.

- você está linda, filha. - ele fala todo orgulhoso- está parecida com sua mãe. 

-obrigada, papai- respondo feliz.

É um milagre ele falar sobre ela, ela morreu há dois anos e desde então, moro sozinha com meu pai. Ninguém superou a morte dela, ela era uma pessoa cheia de vida, que contagiava o lugar com sua alegria. Eu e papai somos os que mais sofremos com essa dor. 

Depois de um bom tempo nos olhando, creio que ele está pensando o mesmo que eu, na mamãe. Somos interrompidos pelo o som de buzina, que tenho certeza que é a Bianca. Saio para fora com o papai, e ele acena para ela. 

- vamos s/n?- ela fala, dentro do seu carro. Bianca é uma garota de 18 anos, com pouca idade ela dirige com o carro dos seus pais, não consigo nem pensar se esse carro fosse dela, não iria parar em casa.

-claro!- respondo imediatamente. Dou um abraço no meu pai, e entro no carro.

..

Chegando na balada..

Estava tudo uma loucura, eu e Bianca entramos e encontramos a Clara e a Lisa, como combinado. Eu sabia que todos estavam bastante animados para a festa, mas não imaginei que metade da cidade iria estar nessa boate. Passamos um bom tempo dançando, as meninas estavam loucas, ambas bebendo muito. Depois de tanta insistência da Lisa, eu bebi também. Sou uma pessoa muito caseira, a mais quieta desse quarteto. Mas por hoje, eu resolvi mudar um pouco, tentar entrar na onda das meninas. 

Depois de muito tempo, eu via tudo girar, eu estava chapada. Não só eu, as meninas também. Só achei estranho quando Clara falou no meu ouvido "vou ao banheiro, ja volto". Insisti para ir junto com ela, mas ela dizia que não precisava, até quando saquei o que ela ia fazer. Clara foi ao banheiro e ficamos só nós três. 

- agora entendi porque Clara queria vim muito a essa festa- fala Lisa toda atrapalhada. Rimos com seu comentário, Lisa sendo Lisa.

- Não vou julgar, também tenho esquema marcado aqui também. -fala Bianca 

- ahh, danadinha! Por isso você queria tanto vim- falo brincalhona

-claro, s/n. Vai dizer que você não vai ficar com ninguém?- fico sem resposta, porque realmente eu não iria ficar com ninguém.- não acredito s/n! 

- qual é o problema? Só quero curtir.- respondo 

-você precisa se soltar mais- fala Lisa- você ja tem 18 anos 

-eu sei..-falo toda sem graça

Um bom tempo se passou, até quando um garoto chega bem perto do meu ouvido e pergunta "quer dançar?- olho para as meninas e elas acenam com a cabeça pra mim, com um sinal de "sim". Chego perto do ouvido dele e respondo "claro". Ele me puxa pela cintura e começamos a dançar uma música calma. Ele não restira a mão da minha cintura, embora estivéssemos bem próximos. 

- é a primeira vez que vem aqui?- ele pergunta

-sim, não sou muito de sair de casa.- respondo, com minha cabeça próxima a seu ouvido. 

-entendo, suas amigas encheram seu saco, né?- pergunta rindo. 

-sim, kk- respondo sorrindo.

Após esse diálogo rápido, ele aproxima nossos corpos, e consigo sentir seu perfume chicotear meu olfato. Ele era bastante charmoso, e aparentava ser legal.

A música acaba, e ele me solta. Volto para perto das meninas e começo a beber novamente. Depois de várias e várias doses, já  estou louca e um pouco tonta. Mas eu só queria mais uma dose de Vodka.

Começa uma música animada, e eu e as meninas dançamos muito. Confesso que já estou completamente louca, e só quero mais. Avisto o garoto que eu tinha dançado mais cedo vindo em minha direção. É automático eu começar a dançar com ele. 

- qual é o seu nome, mesmo?- pergunto

- Me chamo Ander, e o seu? 

- s/n 

E de acordo com o ritmo da música eu rebolava, era uma música sensual e eu via que Ander estava gostando disso... Ander por sua vez, estava gostando disso. Até quando ele me puxa para mais próximo de si. 

Ficamos numa troca de olhar, até quando sinto ele aproximar seu rosto do meu. Eu sabia o que ele ia fazer, então apenas deixo rolar... Era um beijo lento, com puxões de cabelo e uma mão boba.  Eu estava amando aquilo, e quando ele parou, eu queria mais. E nem tô falando de beijo. 

Ficamos nos olhando, até quando ele se aproxima do meu ouvido e diz: "vamos para o carro?" Respondo de imediato, "claro". 

...










Notas Finais


Vocês gostaram? Eu continuo?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...