1. Spirit Fanfics >
  2. One Night >
  3. Remembrance

História One Night - Capítulo 3


Escrita por:


Notas do Autor


Boa leitura!

Capítulo 3 - Remembrance


Los Angeles, 1987.

- Fala que porra anda te incomodando, McKagan!

Axl, com toda a sutileza que jamais tivera, esbravejou, parando de cantar a melodia. Duff piscou os olhos, atônito. Era a quinta vez que errava a nota da música, e o ruivo lhe lançava o olhar que claramente demonstrava sua vontade de esganá-lo.

- Como?

Perguntou, tentando se fazer de desentendido. O ruivo impetuoso cruzou os braços, fuzilando-o com os olhos. Izzy começou a prestar atenção na confrontação do amigo de infância, temendo uma possível alteração drástica de humor. Slash bagunçou os cabelos e deu de ombros, acendendo um cigarro. Steven era o único que parecia alheio a tudo, imerso em seu universo particular. Os cinco ensaiavam sem parar desde o início da manhã, e estavam exaustos. O fato de o loiro errar constantemente as notas somente servia para intensificar o incômodo que se instalava aos poucos no local.

- Não banque o bobo pra cima de mim! - Axl gritou, dando alguns passos na direção de Steven. - Se você errar essa maldita nota mais uma vez, eu vou enfiar as baquetas do Steven no seu...

- Ei, se acalmem! - Izzy se postou ao lado do vocalista, cortando-o. Axl o encarou, zangado. - O que você tem, cara?

O moreno questionou, calmamente. Sempre tivera a personalidade mais pacífica e tranquila no grupo de amigos, e definitivamente era ele o elemento que impedia os rapazes de iniciarem uma discussão a cada cinco segundos. Era Izzy quem os impedia de perder o foco e estragar tudo.

- Eu não tenho nada!

Respondeu rápido demais, mais alterado do que planejara. Suspirou, passando a mão nos cabelos.

- Olhem, eu só estou cansado. Não precisa dar um chilique, Axl.

O baixista olhou para o ruivo, o qual se encontrava tão vermelho quanto à cor de suas madeixas. Estava prestes a explodir. Izzy mantinha-se próximo dele a uma distância segura, caso Axl resolvesse transformar a discussão em uma briga física. Afinal, quando se tratava do Rose, tudo era possível.

- Não sei não, Duff, você anda bem aéreo ultimamente.

Slash comentou, querendo provocá-lo. Sabia que havia alguma coisa perturbando o amigo, e não descansaria até descobrir o que era.

- O Duff está apaixonado! - Steven cantarolou, sorrindo de orelha a orelha.

O loiro franziu as sobrancelhas, indignado. Era bem verdade que Steven vivia feliz e alegre dentro do seu mundinho pessoal de drogas e bebidas, mas aquilo era demais. Até para o baterista.

- Cala a boca, Adler!

Gritou, largando o baixo ao seu lado. O ensaio do dia estava claramente cancelado agora.

- Ah, então é isso? - Axl moveu a cabeça para trás, assimilando a informação. - Resolva seus problemas de relacionamento na cama da próxima vez, McKagan. Não é minha culpa se você não consegue arranjar uma boa foda.

Duff massageou as têmporas. O comentário de Steven fizera tudo piorar em questão de segundos. Não tinha cabeça para aturar as provocações dos companheiros de banda hoje.

- Não tem nada a ver com isso! Hoje foi um dia cansativo e puxado. Apenas isso. Amanhã estarei novinho em folha para o ensaio, garanto a vocês.

Forçou um sorriso amarelo, tentando convencer não só aos outros, como também a si mesmo. Ele não costumava errar tanto as notas das músicas. Porém, durante os últimos dias, era quase como se ele não conseguisse se concentrar completamente no que executava. E isto estendia-se dos ensaios, até tudo o que ele tinha o hábito de fazer em sua rotina.

Provavelmente era a pressão em decorrência da maior quantidade de shows que estavam fazendo, ponderou. Com o lançamento do álbum e a contratação de Alan Niven como empresário do Guns N’ Roses, a banda, ainda que em passos lentos, tornava-se mais conhecida e comentada entre o público jovem de L.A, o que consequentemente aumentava a ansiedade e nervosismo dos cinco jovens diante de tal reconhecimento não apenas dos fãs, mas também da mídia.

- Eu acho que o Steven tem razão. - Slash se pronunciou, colocando mais lenha na fogueira. - Você tá assim por causa de mulher.

- Bem, já faz um tempo que você anda meio distraído, Duff. Desde...

Izzy parou por um momento, tentando se recordar.

- Desde aquele dia que você perdeu a chave da Hell House e apareceu na manhã seguinte com uma infecção intestinal!

Exclamou, assentindo, provando para si mesmo que estava certo.

- É verdade! Você se recusou a contar pra gente o que tinha acontecido. Agora não dá mais pra fugir. Fala logo!

Axl tinha o típico sorriso de quem iria aprontar estampado na face. Duff se controlou para não socar o rosto do albino. A lembrança de Izzy seria a sua ruína.

- Aconteceu que eu comi a porra de uns burritos estragados numa barraquinha, que junto com tudo que eu ingeri de vodka no Rainbow, além dos cigarros que eu consumi, me fez passar mal!

Fez uma careta de dor ao falar sobre aquela noite, algumas semanas atrás. Tivera uma febre forte e vomitara por dias, devido aos exageros que cometera. Também havia a parte na qual ele tinha vomitado bem na hora da transa, mas isso ele preferiu ocultar.

- Ui, ela ficou irritadinha.

Slash deu risada. O baixista tinha ficado bem estressado com todos os questionamentos. Com certeza havia mais ali.

- Você não ficaria tão desatento só com uma coisinha dessas. Vamos, Duff, conta pra gente a história toda!

- Fala, Duff! Fala, fala, fala, Duff!

Steven começou, fazendo com que os outros três entrassem no coro. O loiro bufou, vendo que não encontraria escapatória. Os conhecia o suficiente para estar ciente de que não desistiriam assim tão fácil. Apesar disso, não queria contar. Era frustrante e humilhante.

- Merda. Se eu contar, vocês me deixam em paz?

Perguntou, olhando-os. Os quatro concordaram, sérios e enfim quietos.

- Teve uma garota, sim. E não, eu não estou apaixonado nem nenhuma dessas merdas.

Fitou severo o baterista, que abrira um enorme sorriso, o qual murchou no momento seguinte em que pronunciou tais palavras. Preferiu parar por aí. Já era muito mais do que eles precisavam saber.

- E?

O loiro insistiu. Nenhum deles havia se convencido da explicação vaga de Duff. Ele parecia esconder algo importante. Os rapazes assemelhavam-se às garotas fofoqueiras do ensino médio, loucas para descobrir sobre o boato mais quente.

- Como assim, “e”? Foi o que aconteceu, e ponto. Parem de agir como um bando de garotinhas curiosas!

Tentou disfarçar. É claro que eles iriam continuar o importunando. Desviou a atenção para o chão. Talvez não manter contato visual surtisse algum efeito positivo.

- Cara, você só disse o óbvio.

Axl revirou os olhos, impaciente.

- Que você passou mal a gente já sabe, até porque nós tivemos que ser as suas babás. Fala a porra da história toda de uma vez!

- Que merda! Eu vomitei, tá legal? Eu vomitei em cima da garota bem na hora da transa!

Levantou os braços, irritado. Não adiantava esconder. Eles iriam forçá-lo até que sucumbisse. Encarou-os, emburrado. Por mais incrível que parecesse, eles não esboçaram nenhuma reação. Menos mal, pensou. Preferia o conforto do silêncio ao invés das brincadeiras e zombarias estúpidas.

- Você vomitou?!

O cacheado exclamou, em choque. Não conseguia acreditar no que havia acabado de escutar. Era surreal. A frase do guitarrista bastou para fazê-los começarem a rir loucamente. Ótimo. Comemorara cedo demais.

- Obrigado pelo apoio, pessoal. Realmente, muito reconfortante da parte de vocês.

Falou, irônico. Como se não bastasse, teria de aturar as piadas intermináveis sobre o incidente por um bom tempo. Não obteve resposta. Somente mais risos. Altos e incontroláveis.

- Se vocês não pararem de rir, eu vou embora e deixo vocês aí...

- Calma, Duff.

Izzy colocou uma mão na barriga, esforçando-se para controlar a respiração. Slash, Axl e Steven lutaram para cessar as risadas.

- Olha, não foi tão ruim. Poderia ter sido pior.

Stradlin tentou consolá-lo, se compadecendo.

- Você podia ter broxado.

Axl sugeriu. O loiro grunhiu, querendo evitar a conversa.

- Podia ter gemido o nome de outra.

Foi a vez de Slash.

- Podia ter sido espancado pelo ex-namorado dela.

Steven completou.

- Uau, vocês ajudaram bastante. Bom, já que está tudo esclarecido, vamos ao Rainbow? Preciso de vodka.

Cortou, antes que iniciassem mais uma série de opiniões não solicitadas. Tirou seu maço de cigarros do bolso e colocou um entre os lábios, procurando o isqueiro.

- É uma boa ideia. Meu período de abstinência já se esgotou.

Axl falou, concordando. Duff acendeu o cigarro e abriu a capa para guardar o baixo. Os outros também se apressaram em organizar os instrumentos. Já começava a anoitecer, e o bar provavelmente encontrava-se cheio àquela hora.

- Sim, vamos ao Rainbow! Faz muito tempo que não vamos lá!

O baterista exclamou, contente, aprovando a ideia.

- Fomos lá anteontem, Ste.

Izzy o relembrou, não compreendendo o exagero do loiro.

- Como eu disse: faz muito tempo que não vamos lá!

Steven tomou a frente, indo em direção à saída do estúdio improvisado.

- Sabe, Duff, acho que sei qual é o seu problema.

Slash se aproximou do mais alto, a expressão concentrada e sem nem um traço de malícia na voz. McKagan o fitou, confuso, sem compreender o que o guitarrista queria com aquela conversa.

- Hum?

Limitou-se a murmurar, sem dar muita importância. Provavelmente era mais alguma bobagem.

- Você tá desse jeito porque não conseguiu finalizar o serviço, entende?

- Aonde você que chegar, Slash?

Foi direto ao ponto.

- É como se você tivesse fracassado. Por isso você tá desconcentrado e sem foco. Você só precisa transar com essa garota. Aí os seus problemas acabam. É simples.

Sorriu, como se aquela fosse a coisa mais lógica do mundo.

Duff processou as palavras do amigo. De tudo que ele ouvira no dia, até que a ideia do moreno fazia sentido. Talvez se ele transasse de uma vez com Kate, a sua desatenção se findasse. Entretanto, lembrou-se de que não possuía o seu telefone. Além do mais, a loira nem ao menos o procurou, e isso indicava que muito provavelmente não queria nem vê-lo. Quer dizer, com o reconhecimento que a banda estava adquirindo, ela poderia muito bem procurá-lo se desejasse. Não é?

Subitamente nervoso, abortou a sugestão irracional de Slash. Ele não iria correr atrás de uma garota que não conhecia direito só para terminar uma maldita  transa. Ele apenas precisava relaxar um pouco.  Talvez até encontrasse uma groupie no bar.

- Slash, a única coisa que eu preciso fazer é descansar um pouco. Logo teremos um show, e eu estarei devidamente pronto e ensaiado. Agora pare de dizer bobagens e vamos, a ruiva escandalosa já deve estar impaciente.

Sem esperar respostas, Duff saiu do estúdio, deixando um Slash duvidoso para trás.

 

 

 

 


Notas Finais


Nesse capítulo optei por focar mais na visão do Duff sobre os fatos, pois estava meio vago.
Espero que tenham gostado!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...