História One Night - Capítulo 27


Escrita por:

Postado
Categorias Justin Bieber, Sara Sampaio
Personagens Justin Bieber, Sara Sampaio
Tags Chefe, Drama, Fanfic, Justin Bieber, Romance
Visualizações 405
Palavras 2.220
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Ficção, Romance e Novela
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


perdão pela demora em atualizar a fanfic. Ultimamente estive ocupada demais, a mente cheia demais e quando finalmente consigo me animar para escrever o cap, o app me inventa de apagar TUDO TRÊS MALDITAS VEZES. Espero que gostem, comentem e até o próximo.

Capítulo 27 - Capítulo vinte e quatro


Montreal, Quebec, Canadá

Dias depois...

Amanda Clark

Faltava dois dias para o meu casamento com o Justin que acontecerá neste sábado. Não podia estar mais feliz, estava realizando o sonho de me casar e agora terei este momento com o homem que amo. Justin e eu estamos cada vez mais afastados, mas tenho a consciência de que ele ultimamente anda ocupado demais para se preocupar com toda a preparação do nosso casamento. Porém sei que após o sábado seremos o casal mais feliz de toda a Montreal. Meu pai diariamente ia para mim querendo saber detalhes da minha convivência com o meu noivo, apesar de não ser uma das melhores menti para o meu pai alegando estar tudo perfeitamente bem.

Neste momento encontro-me sentada de frente para a extensa mesa localizada no jardim escolhendo com atenção o sabor, recheio e aparência do bolo para a festa de sábado. Experimentava alguns dos diversos sabores a minha frente, todos estavam deliciosos dificultando ainda mais a minha escolha. Meu casamento precisa ser perfeito, e será. 


-- Quero exatamente este sabor que acabei de experimentar, o n° 12. -- o representante do buffet anotava todas as minhas exigências em um caderno de anotações contido em suas mãos. -- O bolo deverá conter cinco andares, ambos de cor branca iluminados com luzes de Led e diversas flores em torno destes andares para combinar com a decoração do ambiente. Entendeu?


Ao ouvir a confirmação do homem começo a experimentar os doces que deveriam ser servidos durante toda a festa, mas de manera alguma podia exagerar ou corria riscos de engordar alguns quilos e o vestido poderia não caber em meu corpo. Sem dúvida alguma o meu vestido é incrivelmente lindo, havia experimentado pela última vez no dia anterior para os últimos ajustes. Estava totalmente ansiosa para o meu casamento, finalmente subirei no altar para dizer o tão esperado "sim" e aceitar Justin como o meu legitimo esposo. A ansiedade dominava cada extremidade do meu corpo, queria saber o lugar onde Justin escolheu para a nossa lua de mel. Será Paris? Cancun -- México -- ? As praias do Caribe ou alguma cidade pacata da Europa?

Quando menos espero avisto Justin ao longe vindo em minha direção. Vou até ele envolvendo meus braços em volta do seu pescoço enquanto demoradamente selava nossos lábios. Normalmente ele não chega em casa neste horário, mas não ouso reclamar um segundo sequer, pois cada minuto ao lado do meu noivo é especial para mim de uma forma absurda. 


-- Esqueci alguns papéis no escritório. -- ele diz, automaticamente meus lábios se tornam em um bico. Só espero que receba toda a atenção necessária após o casamento. -- O que é tudo isso? -- Justin direciona seu olhar para a mesa atrás de mim juntamente ao homem que estava representando o buffet da festa de nosso casamento. 


-- Estive escolhendo o nosso bolo, os doces, o que será servido no jantar, etc. Sei que ultimamente anda ocupado demais com a empresa, portanto estou a frente de toda a cerimônia e a festa, tudo bem para você, amor? 


-- Vou para o escritório, em seguida voltarei para a empresa. Até mais tarde. -- ele sela nossos lábios me fazendo sorrir, me afasto vendo-o dar as costas para mim e seguir para o interior de nossa casa. 


Já perdi a conta de quantas noites estive excitada só em lembrar-me do corpo de Justin sem os seus ternos de costume. Vez ou outra o vejo sem camisa, uma visão privilegiada do seu corpo, mas eu quero e preciso de mais. Quero tocá-lo, senti-lo e afirmar que ele é meu. Somente meu e de mais ninguém. 

Aparentemente Justin é o tipo de homem tradicionalista que se propôs a deitar-se comigo após o casamento, como comanda a tradição. Para mim isto é besteira, mas irei esperá-lo ansiosamente até a noite da nossa lua de mel. Ele precisa saber que será o meu marido em dois dias, seremos um casal, iremos compartilhar como foi o nosso dia e desta forma farei ele esquecer todo esse contrato idiota. Justin irá me amar da mesma forma que o amo incondicionalmente. 

De volta a mesa, faço minhas últimas exigências acompanhando o homem de aparência asiática até o portão da saída. Os minutos se passaram tão rápidos que ao verificar as horas em meu celular, percebo que já era o período da tarde. No interior da casa sento-me no sofá lendo as notícias publicadas por algumas revistas locais online sobre o tão famoso e bem sucedido empresário, Justin Bieber que se casará no fim de semana com Amanda Clark.

Não podia esconder o meu sorriso, muito menos a minha felicidade. Justin queria um casamento íntimo para os familiares, alguns amigos e poucas pessoas da imprensa, mas é o nosso casamento. O meu sonho sempre foi ter uma cerimônia luxuosa seguida de uma festa badalada com o fim de toda a imprensa publicar eleger ao casamento do ano.

Depois de ler diversas publicações, sinto-me enjoada por estar naquela casa sozinha. De forma alguma iria conversar com os empregados ou os seguranças do meu noivo, precisava fazer compras, mas me recordo que realizei esta ação no dia anterior. Sem opção decido ir até a empresa do meu noivo, sorrio decidida. Ele vai gostar de me ter sentada em seu colo enquanto tenta se concentrar nos seus afazeres.

[...]

-- Acha mesmo que eu preciso ser anunciada para entrar na sala do meu noivo? Daqui a dois dias serei dona desta empresa, querida. Farei com que você seja a primeira funcionária ser despedida. -- me esbarro no ombro da secretária do Justin que se achava no direito de impedir a minha entrada, mas antes de seguir o meu caminho me viro para olhá-la. -- Não preciso ser anunciada, aprenda!


   A medida que caminhava, os meus saltos se chocavam sobre o extenso piso completamente branco sem uma mísera sujeira sequer em nenhum dos cantos. Deposito leves batidas na porta do escritório do meu noivo, abro a mesma em seguida percebendo que ele não estava só, pois do lado de fora pude ouvi-lo conversando com alguém. Ao adentrar no escritório tenho a visão de Freya que se mantinha de cabeça baixa parecendo estar ocupada demais com os papéis espalhados sobre a mesa do Justin.


-- Espero vê-la em nosso casamento, Freya. -- sorrio deixando minha bolsa sobre o siga próximo. Ao lado do Justin, selo nossos lábios sentando-me em seu colo tratando de envolver um dos meus braços em volta do pescoço dele. -- Não é amor?


-- Sim, ficaremos contentes caso possa comparecer, Freya. -- assenti positivamente concordando com as palavras ditas por ele.


-- Farei o impossível para ir, Amanda. Obrigada pelo convite. -- observo a mesma se levantar. -- Foi bom revê-la, com licença, sr. Bieber. 


   Sozinha com o Justin em seu escritório, permaneço sentada em seu colo acariciando levemente a nuca dele com as minhas unhas pintadas de vermelho. Graças ao meu tom de pele, a cor combina perfeitamente comigo.


-- O que está fazendo aqui? -- pergunta Justin sem desviar a atenção de seu trabalho. 


-- Não tinha nada para fazer em casa, portanto, aqui estou. -- sorrio entusiasmada. -- Gostou amor?


-- Claro!


Freya Moore

   Sai daquela sala o mais rápido possível antes que não conseguisse controlar as malditas lágrimas que neste momento já caiam livremente por meu rosto deixando-me com pensamentos torturantes por toda a minha mente. Saber que o homem que amo subirá ao altar daqui a dois dias com uma mulher na qual não ama é terrível, torturante, uma droga de emoção inexplicável. A cada dia que se passa o meu amor por Justin apenas aumenta, havia dito que não compareceria em seu casamento. Por mais que tenha concordado, no fundo sabia que ele estava descontente por não ter a minha presença ao seu lado.

   Desde pequena sonhava em me casar com o homem que amo. Um casamento simples a beira da praia ou em um jardim botânico, mas percebo que este sonho fora interrompido da pior forma possível. Na última semana Justin e eu nos aproximamos cada vez mais, ora iria jantar com ele em algum restaurante, ora prepara o nosso jantar em minha casa ou em seu apartamento. Por mais que estivesse feliz ao lado dele, sentia uma sensação ruim quando acordava ao seu lado depois de uma noite intensa entre nós. Gostando ou não do Justin, Amanda não merecia ser traída desta forma. Sinto-me mal por ela, me sentiria usada caso estivesse em seu lugar e descobrisse uma traição como esta. 

   Elimino os vestígios de lágrimas do meu rosto ao ouvir batidas na porta, respiro fundo ajeitando-me na cadeira murmurando: "entre" em seguida. A porta é aberta, por ela é revelado a imagem de um homem moreno, alto e incrivelmente forte de todas as formas possíveis. Naquele momento senti minhas pernas trêmulas, não pude deixar de observar a beleza que aquele homem no qual desconhecia, possui. 


-- Deve ser Freya Moore, certo? -- aquela voz rouca adentra minha audição fazendo-me estremecer sobre a cadeira.


   E que voz...


-- Sim, sou eu. -- levanto-me de forma a cumprimentá-lo. -- Você deve ser... -- aceno para que ele pudesse dizer-me o seu nome. 


-- Ethan. Ethan Clark.


   Clark. Este sobrenome lembra-me alguém. Clark. Amanda. Amanda Clark. Ele é parente dela?


-- Sou o primo de Amanda. Deve conhecê-la. -- sorrio fraco concordando positivamente. 


-- Por favor, sente-se! -- aceno para que Ethan pudesse se sentar na cadeira giratória de frente para a minha, sento-me em seguida. -- O que o trouxe aqui?


-- Como deve saber, o casamento de Amanda acontecerá no próximo sábado. Cheguei faz pouco tempo de Manhattan e gostaria de presenteá-la com alguma jóia, lembro-me que ela é fascinada. -- ele faz uma pausa curta. -- Pode ajudar-me? 


-- Desenhei alguns pares de brinco para ela usar durante a cerimônia e a festa, conheço basicamente o gosto dela. Alguma sugestão em questão? 


-- Imaginei uma pulseira de ouro com minúsculas pedras de diamante. Ela irá gostar. 


  Sorrio forçado tentando não demonstrar a dor emocional que sentia nesse momento. Procuro uma folha de papel limpa juntamente ao meu grafite que normalmente utilizo para desenhar os croquis, em pouco tempo iniciei todo o processo na frente de Ethan que continha o olhar fixo sobre cada movimento meu. Vez ou outra ele opinava pedindo para que eu corrigisse alguns detalhes, minutos mais tarde finalizo o me trabalho com a minha assinatura no fim da folha entregando-a para ele.


-- Vou pedir para que a Nora leve o senhor até a ala responsável pela personificação da peça. Como é um presente para a noiva do dono da empresa, acredito que no final do dia de amanhã poderá vir aqui buscar. -- digo enquanto arrumava os papéis espalhados por minha mesa.


-- Não aparento ser tão velho desta forma, chame-me por Ethan. -- ele levanta-se, faço o mesmo olhando para sua mão estendida em minha direção. 


   Toco sua mão como um amigável aceno, mas Ethan me surpreende depositando um beijo molhado em minha pele. Neste momento a porta é aberta revelando a imagem de Justin, sem demonstrar suspeitas recolho a minha um tanto sem graça. 


-- Ethan, percebo que já conheço Freya. 


   Era impressão minha ou Justin não havia gostado de um dos membros da família de sua noiva? Ele está insinuando algo ou de fato encontra-se com ciúmes? 


-- Ouvir dizer que Freya é a melhor designer de jóias da província de Quebec. Merece mais reconhecimento. -- Ethan sorri olhando para mim logo para Justin. -- Espero encontrá-la novamente, Freya. Até mais, Justin.


   Com a saída de Ethan, resta apenas Justin e eu na minha sala. O louro fecha a porta trancando-a, vem em minha direção com passos firmes e calmos envolvendo suas grandes mãos em torno do meu corpo magro. Engulo seco ao ser encostada na parede, minhas mãos encontram-se com o seu peitoral tentando afastá-lo de mim, mas que força eu tenho contra o desejo e amor que sinto por este filho da mãe? 


-- Percebeu a forma que aquele desgraçado olhou para você? Ele estava desejando-lhe, Freya. Desejando-lhe. 


   Visivelmente Bieber estava irritado com o Ethan, não percebi malícia alguma em um simples beijo nas costas da minha mão. Minhas suspeitas estão certíssima. Justin está com ciúmes.


-- Eu vou soca-lo, caso ele tente se insinuar ou tocar em você. Anote isso. -- rio baixo beijando seus lábios rapidamente. -- Estar achando graça, srta. Moore? 


-- Não é todos os dias que o meu chefe fica com ciúmes de mim. -- rio mais uma vez fechando brevemente os meus olhos ao sentir suas mãos descendo para minhas nádegas apertando-as. 


   Os dedos ousados e habilidosos de Justin erguem o tecido de minha saia lápis trazendo-a para cima de modo a deixá-la curta. Ergo o meu pescoço deixando-o exposto para ele, em segundos seus lábios convidativos e molhados beijam a minha pele enquanto sua língua percorria por toda a área causando-me um arrepio incomum em meu corpo.


-- Justin, por favor... Não aqui. -- sussurro com a mísera consciência que ainda me restava.


-- Eu amo você, Freya Moore. Não suporto a ideia de vê-lo com outro, desculpe-me por fazê-la passar por isto.


   Sem dizer nada colo nossos lábios demoradamente, com minhas mãos em seu rosto acaricio pedindo permissão para minha língua adentrar sua boca. Em instantes pude sentir sua boca quente, nossas línguas misturando-se e o desejo aumentando. Eu o amo.









Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...