História One night ... Consequences? - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Hinata Hyuuga, Sasuke Uchiha
Tags Drama, Gêmeos, Gravidez, Romance, Sasuhina
Visualizações 554
Palavras 2.429
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Desculpem por ontem eu revolvi sair de última hora com a minha irmã e eu tinha revisado nem metade do capítulo e nem feito a capa. Eu cheguei em casa hoje 5hras da manha eu não bebi e nem dei PT por isso eu estou a poder escrever e a usar meus computadores, só passei mau por conta de um problema no estomago.
OBRIGADOS PELOS MAIS DE 40 FAVORITOS FICO FELIZ QUE GOSTEM DA FIC E PELOS COMENTARIOS FIQUEI SUPER HIPER MEGA FELIZ!
Qualquer erro me avisem e boa leitura.

Capítulo 2 - I do not understand the boys!


Fanfic / Fanfiction One night ... Consequences? - Capítulo 2 - I do not understand the boys!

I do not understand the boys! - Não Entendo os Garotos!

Já se passaram dois meses desde aquele memorável esquecido dia! Vi Sasuke algumas vezes na faculdade, mas ele agiu como se nada tivesse acontecido, agradeço a Deus por ele não se lembrar ou não me reconhecer, pois seria difícil encarar Karin a ruiva maléfica acabando com a minha paz justo agora que ela esqueceu da minha existência.

Ultimamente ela parece me ignorar, eu estou adorando isso, pois assim eu finalmente comecei a ter a minha tão sonhada paz universitária – mesmo ela sendo só meia paz, já que o meu pai está a me pressionar para que eu volte para casa.

Não comentei com as meninas sobre esse pequeno incidente disse a elas que eu tinha apagando em um canto um pouco esquecido da casa, é assim de acordei vim embora. A fato de eu ter transado com o Uchiha aos poucos está sendo esquecido por mim.

Mas só de vez em quanto eu ainda tenho alguns pequenos relances de memoria, são só algumas partes como a gente se pagando na sua porta... As suas mãos rasgando a-ah!

- Aaah! – coro ao lembrar-se dos meus pequenos fleches de recordação.

Contudo ultimamente eu não estou a me sentir muito bem esses dias, sinto os meus seios ficarem doloridos e mais sensíveis, penso que deve ser o meu período que está a chegar. Pois um dos meus avisos biológicos não muito agradáveis são que os meus seios doem, você nem encostar que dói – em momentos como esse que ser menina não e nenhum pouco legal, na verdade é muito ruim!

Só que hoje não é o meu dia acordei sentindo fortes náuseas e tonturas, minha colega de quarto nem ao menos se importou – sendo sincera ela não é muito fã minha, pois pro minha causa ela acabou por não conseguir entrar no grupo da Karin. As pessoas que entram no grupo dela são as que têm dinheiro, as que são populares e gostosas; infelizmente eu não tenho nenhum desses requisitos! O dinheiro é do meu pai e não meu ninguém na escola sabe quem eu sou e bem isso eu acho que nem preciso comentar sobre o último requisito.

 Penso se devo ou não ir para a faculdade, hoje terá uma longa palestra é exaustiva sobre o nosso futuro e as consequências que as nossas escolhas nós trazem basicamente será uma tortura psicológica das grandes. Nem sei o porquê deles fazerem a gente assistir esse tipo de palestra uma vez a cada dois meses! Tipo só uma vez por ano é o suficiente, não há motivos para fazer com que a gente assista assim todo o bimestre!

Pego uma das minhas blusas que cabem duas de mim, calço os meus velhos tênis pretos e pego a minha mochila lilás desbotada, acho que preciso comprar uma nova com urgência, já que essa está rasgando embaixo. Saio de meu quarto é a passos moles vou até a quadra, estou cansada e com muito sono.

Todos os alunos já se encontram acomodados em seus lugares, minhas amigas se encontram sentadas mais a frente junto com seus respectivos namorados, sinto uma pontada de inveja delas terem arrumados alguém para lhes fazer companhia, enquanto eu estou aqui esperando um milagre.

Já tem até um filme para a minha situação! Um ser de sorte que nem eu está para nascer, ri com o meu pensamento.

Vago procurando um lugar para me sentar, todos os lugares à frente e ao fundo já estão ocupados e os do meio também. Sinto outra tontura apoio em uma das paredes para que eu não vá com a cara para o chão. Vejo algumas cadeiras sobrando ao fundo, sento na que fica perto a saída, quero sentir o máximo de ar fresco que poder o meu estômago está me trair novamente, pois não quero colocar todo o meu humilde café da manhã pra fora. Meu café foi um pão com mortadela e uma caixinha de suco de uva – acordei um pouco tarde.

Vejo uma cabeleira avermelhada se aproximar de mim, juntamente com um Uchiha que eu estou a evitar recentemente. Encolho-me no banco e coloco meus fones de ouvido, tento me focar na musica que estou a fingir escutar.

Ela se senta entre mim e seu namorado, quero ir embora e sentar em outro lugar, mas não se tem mais nenhuma cadeira vaga, é pra piorar o perfume de Karin está a me fazer mau, o cheiro doce enjoativo misturado ao seu odor natural deixa o ar irrespirável. Coloco a manga de minha blusa de frio para cobrir o meu nariz, mas o meu próprio perfume está fazendo com que eu sinta uma forte ânsia. Nem sei como irei sobrevier às próximas horas.

Karin nota meu desconforto por ela ter ao meu lado, ela me lança um olhar e arrebita aquele nariz modificado por plástica – ai que vontade de socar aquele narizinho modificado dela!

 O tempo passa, sempre que penso que o palestrante está por encerrar ele arruma um novo tópico para ser discutido, fecho os olhos tento concentrar em outra coisa, pensar em eu dormindo calmamente em minha cama ou assistindo a uma das minhas sérias favoritas na televisão ou comendo um enorme bolo de chocolate com chantilly e baunilha; em vez de estar aqui ouvindo o mesmo homem de o bimestre passado repetir as mesmas coisas de novo.

 Karin ora ou outra parava para soltar um ar superior, sinto o meu estômago apertar e dar várias voltas, como um carro de formula1. Coloco a mão na boca não posso fazer isso aqui pelo menos não na frente das pessoas. Levanto é saio apresada, deixo minha mochila para trás, corro até o banheiro mais próximo. Choringo ao ver o meu café da manhã todo ter sido colocado pra fora.

Passo um tempo dentro de uma das cabines, tento aclamar o meu estomago, que ainda parece querer colocar o que não tem pra fora. Saio, lavo as minhas mãos e boca – que estão com um forte gosto de ácido. Gesticulo um pouco da alguma da torneira pra tentar aliviar o gosto horrível que se encontra em minha boca.

Assim que chego faço menções de pegar minha mochila e ir até a enfermaria, um dos professores meio que me enquadra e questiona a onde eu fui e o motivo de eu estar tão pálida. Explico a ele que não estou me sentindo muito bem e o informo que vou na enfermaria para ver se lá tem algo para aliviar o meu mau estar. Ele pergunta quem irá comigo, informo a ele que irei pedir para uma das minhas amigas me acompanhar, o professor não parece gostar da minha brilhante ideia, Sasuke e Karin observam a cena toda em silencio – os meus olhos parecem estar querendo se fechar novamente.

- Se você desmaia você acha que uma menina aguentara levar você no colo? – nego – Por isso o Uchiha ira te acompanhar se pudesse eu mesmo te levava, mas se faço isso os alunos começam a se portar mau perante o palestrante – podemos ser universitários, mas ainda temos algumas pessoa que se portam como colegiais e alguns como crianças do primário.

- Sim professor – diz sem humor.

Não rebata o professor, Sasuke parece não aprovar muito a ideia do professor, coisa que eu acho ótimo já que nem eu gostei dessa sugestão! Justo agora quando alcancei o recorde de tempo sem lhe dirigir um olhar que durasse mais do que míseros segundos. Ele suspira revoltoso, tenho a certeza que ele quer voltar para o lado da namorada, pois que menino em sã consciência ira quer me acompanhar em algum lugar? Ele só transou comigo por estar muito bêbado ou por pensar que eu era uma puta qualquer que está louca pra ser fodida.

Caminho a alguns passos de distancia, não quero ficar perto dele. Novamente aquela sensação de mau estar de abate fazendo com que eu quase fosse com a cara no chão, contudo o Uchiha me segura, fico feliz por ele ter feito, pois assim acabei de economizar uma nota com um óculos novo – não tenho condições de pagar mais de duzentos dólares sempre que eles quebram.

- Obrigado – ajeito os meus adorados segundos olhos em minha face.

- Não há de que, agora ande rápido eu quero voltar logo para perto de minha namorada – pronuncia rude.

Educação manda lembranças...

- Sim – corro um pouco para acompanhar o homem que está a andar com certa presa a minha frente.

Chego à enfermaria é vejo que a velha senhora que costuma auxiliar os alunos adoentados não está, suspiro frustrada, queria que ela me desse um remédio para tontura e para enjoo, que está somente a piorar. Passo a mão em minha barriga, respiro fundo tentando fazer com que aquela sensação passe o mais rápido possível.

 Não dá certo, corro para o pequeno banheiro que tem no local, eu já tinha colocado o que tinha pra sair, até mesmo a agua que eu tomei quanto voltava para o ginásio saiu, não entendo como eu ainda estou a passar mau sendo que não tem nada mais no estomago. Sasuke aparece atrás de mim é segura os meus cabelos, solto algumas lágrimas ao sentir a minha garganta arder devido a forte ânsia.

Assim que termino tento me colocar em pé, mas as minhas pernas estão muito moles para sustentar o meu peso. Novamente ele me ajuda pegando-me em seus braços, o Uchiha me coloca na cama, as lembranças de quando acordei em seu quarto vêm à cabeça. Custo a acreditar que ele não tenha se prevenido, sei que transamos por eu ter acordado nua em sua cama e pela enorme ardência em minha intimidade, sem contar a mancha de sangue no lençol, por isso algo assim séria tecnicamente impossível.

Mas ele com certeza dele ter se prevenido! Ele já fez isso antes mesmo estando chapado de uísque e vodka, então deve ser somente uma virose. Isso é só uma virose.

Ele pega um como de água para eu tira um pouco do gosto amargo de minha boca. Tomo a água segurando um choro, sempre que passo mau sinto vontade de chorar. Sei lá ficar doente sempre foi algo meio que normal, mas eu nunca fiquei assim, nunca passei mau a ponto de precisar ser carregada pra não desmontar no chão.

 O meu único desejo agora é dormir, pois quem sabe tudo isso não passe de um amargo pesadelo.

- Pode dormir, eu ficarei aqui até a enfermeira chegar.

- Obrigado Uchiha.

- Pode me chamar de Sasuke – ele desvia o olhar.

- Está bem... S-sasuke – nem sei por que gaguejei e corei!

Carambolas o que está a acontecer comigo, estou me sentindo tão sentimental de uns segundos pra cá. Deito no fofo travesseiro e adormeço observando as feições faciais do homem a minha frente.

[...]

Acordo é vejo um certo ser babando ao meu lado, a velha senhora se encontra sentada analisando alguns papeis. Espreguiço-me um pouco, já me sinto melhor. A sensação de mau estar e as tonturas aparentemente já passaram, respiro aviliviada em saber que eu estou melhor – mesmo eu só achando.

Levanto-me, tomando cuidado para não acordar o homem próximo a mim. Vou até ela, quero que ela me de algum medicamento ou algo para enjoo que estou a sentir passe, qualquer coisa que pare de fazer com que eu queira colocar tudo que como pra fora.

- Olá!

- Menina Hyuuga que bom que acordou!

- Eu vim aqui para que a senhora me desse algum remédio pra enjoo.

- O garoto Uchiha que contou que vomitastes no banheiro e quase desmaiou no começo da palestra e por pouco não cai no corredor – pera como ele sabe que quase sai começo da tortura psicológica? Ele estava longe de mim ocupado dando uns pegas na namorada.

- A senhora pode me dar algo para que isso passe.

- Não posso lhe dar nada sem antes passar no médico – não sou muito fã de agulhas e nem de hospitais –, não se preocupe pode ser somente a sua glicose baixa ou alguma infecção estomacal. Você comeu algo com gostou ou cheiro estranho nos últimos dias?

- T-tomei um iogurte, mas por ser iogurte é normal ter um cheiro um pouco puxado pro azedo certo?

- Os jovens de hoje não tomam cuidado com a saúde! Por isso que a sua geração está fadada a não viver muito – ele suspira pesado.

Quem diria que um simples iogurte iria me fazer tão mau, mas é que ele parecia estar tão bom e o no seu rótulo mostrava que ele ainda estava no prazo de validade, por isso eu não me preocupei com nada.

- D-desculpa vou tomar mais cuidado na próxima vez.

- É bom, pois não é recomendável que fiques a perder aula desse jeito menina, se quiser pode dormir mais um pouco, mas tome mais cuidado dá próxima vez!

- Sim senhora!

Ela dá um comprimido para que a sensação de mau estar passe e que não volte, a agradeço, a velha senhora recomenda que eu vá um hospital, pois problemas como esse podem se tornar algo serio se não for tratado com devido cuidado. A mesma me disse se caso os medicamentos não resolvessem eu devia procura-la novamente antes de ir de imediato para o hospital.

Sasuke está a dormir calmante ao meu lado, o esquisito que mesmo dormindo ele ainda mantem uma expressão fria e carrancuda, será que ele não sabe sorri não? Ou só o faz perto das pessoas que ele gosta? Sei lá acho que não acho certo me intrometer em sua vida particular, mas eu tenho que agradecer por ele ter cuidado de mim.

Peço para que a enfermeira me dê uma coberta, está a esfriar não quero que ele se resfrie. Mas o que eu não entendo é o porque dele não ter ido embora assim que a enfermeira chegou? Ele parecia tão ansioso para voltar para a namorada, mas mesmo assim permaneceu ao meu lado.

Vai entender o que se passa na cabeça desse garoto, tem horas que é o não me toque e em outro tá preocupado comigo. Não consigo entender ele! Mas fazer o que né vai que é coisa de menino.

 

Deito novamente, aquela gostosa sensação de sonolência vem novamente, penso que posso dormir o dia inteiro sem muita dificuldade, passo mão em minha barriga o meu adorável estômago parou de brincar de corrida, dando assim um pouco de paz e sossego. Adormeço novamente observando o homem que aos poucos está a dominar meu estranho coração.


Notas Finais


Obrigado por terem lido! Caso tenha gostado favoritem e comentem o que acharam do capítulo. Volto dia 25/11, vou ver se nessa semana eu começo o capítulo 7 da fic e se adianta a que eu começei sexta que só tem o capítulo que eu postei escrito!
Bjs é até dia 25/11!!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...