1. Spirit Fanfics >
  2. One Night Stand - Frans >
  3. Namorados

História One Night Stand - Frans - Capítulo 32


Escrita por:


Notas do Autor


Hey hey bolinhos, tudo bem?

Boa leitura
Desculpe todo e qualquer erro!

{Lavem as mãos e passem álcool em gel)

Capítulo 32 - Namorados


Capítulo trinta e dois – Namorados

Visão Frisk

-O que? Não... – neguei

-Eu estava... Apenas olhando a garganta dela...

-É que minha garganta tá doendo um pouco sabe? – dou um riso nervoso assim como Sans

Acho que não foi uma boa apresentação a minha sogra. Não deve ser muito legal ir dormir e acordar com seu filho enfiando a língua na garganta de sua funcionária.

-É sério isso?! – nos encara – Sans. Carro agora! – mandou

Ele se levanta e destranca minha porta, Mettaton parece tão tenso quanto nós. Assim os três saem de minha casa, assim que a porta de fecha, sinto como se um peso fosse tirado de mim

-Você tá bem? Está pálida - Chara me olha de forma preocupada

-Acho que sim. Estou meio assustada, não esperava me apresentar assim – dou um riso sem graça - E estou meio estranha faz um tempo, essa surpresa não ajudou - ri

-Quer ir ao médico? – pergunta – Sabe, você pode estar esperando uma criança

-Eu não estou – a encaro – Vamos trabalhar logo, só te peço isso – me levanto do sofá

Caralho! Levantei rápido demais! Acho que tudo desligou. Fechei meus olhos por um momento, esperando assim meus órgãos se “religarem

--Tem certeza que está bem? – perguntou

-Total! Eu só vou para o hospital quando eu estiver quase morta! – a encaro – agora vamos ir para a cafeteria, não quero sair de lá muito tarde, até porquê, não quero passar meu sábado a noite trabalhando igual a uma escrava

-Certo – suspirou pesado - Vá se arrumar

Visão Sans

10:20 da manhã

Casa dos Skeleton's

Mamãe tem estado tensa desde que me viu com Frisk no sofá. Estávamos apenas nos beijando, para que tanto choque?! Mettaton está em silêncio, assim como eu. Nenhum de nós dois tem coragem para pedir para a mulher parar de andar em círculos pela sala. Mas alguma providência precisa ser tomada, certo?

-Mamãe?... – a chamo com receio e vejo a mulher parar de andar e nos encarar

-Mettaton, suba agora. – vejo o garoto subir as escadas de forma apressada

-Eu não te entendo – me levanto do sofá – Você diz que eu preciso seguir meu coração e ficar com quem amo. Mas quando faço isso você fica irritada! 

-Sans, me escute – me encara – Frisk é uma ótima garota, ela é simpática, alegre, divertida, linda , cuidadosa, ela é perfeita, mas estou preocupada com ela, não quero que ela fique com alguém como você, ela merece alguém melhor - colocou a mão em meu ombro

Isso doeu. Muito bom ser motivado pela minha mãe

-Espera, que? – vejo a mulher rir

-Então... Quando vai trazer ela para apresentá-la direito... Sabe, sem estar trocando saliva com ela

-Você muda de personalidade muito rápido – murmuro – Eu queria sair com ela hoje, por ser um final de semana, mas ela irá trabalhar

-Entendo – a mulher sorriu – Eu acho que posso dispensá-la por volta das 16:40 da tarde. De qualquer forma, precisamos conversar sobre sua faculdade. Você tem faltado demais, não queremos que seu pai venha aqui brigar contigo, certo?

-Eu não quero fazer faculdade – suspirei – eu não me encaixo nisso, eu apenas quero ser livre sem esses estudos inúteis - me sento no sofá

-Sans... – me olhou preocupada – Esqueça, okay?! Eu irei para a cafeteria agora. Por favor arrume a casa. Se não vai fazer faculdade pelo menos arrume aqui – beijou minha bochecha e saiu

Isso aconteceu tão rápido... Acho que meu cérebro travou...

Em menos de uma hora ela aceitou Frisk, tirou sarro de minha cara, chamou Frisk pra almoçar aqui, Liberou Frisk mais cedo e saiu para trabalhar. Acho que preciso de um tempo para que minha mente volte ao normal...

Visão Frisk

Horas mais tarde

-Você tem certeza que está bem? – Chara me vê sentada no chãoda dispensa

-Eu estou! Só estou resfriada okay? Me deixe aqui um pouco – apoio minha cabeça em minha mão. Aqui está cheio hoje, então tive que me esconder na dispensa para tentar parar com essa dor de cabeça

-Toc Toc? – ouço a voz de Sans

-Quem é? – pergunto olhando em direção a porta

-Quersa

-Quersa quem?

-Quer sair comigo? – abriu a porta da dispensa

--Eu não sei – dou um suspiro – Minha cabeça está doendo muito – reclamo

-O que houve? – Fechou a porta atrás de si e se sentiu no chão junto comigo

-Minha cabeça está doendo, eu acho que estou ficando resfriada – deito minha cabeça em seu ombro – Se eu melhorar até a noite eu saio contigo, okay?

-Não se preocupe, eu não vou te forçar a sair comigo – sorriu – Sua irmã está insistindo tanto em você estar grávida que eu já estou quase acreditando. Você fez algum teste? Sabe não usamos camisinha, só usamos uma vez

-Eu não tenho tempo de ir a farmácia

-Eu passo lá e te levo na sua casa, tudo bem?

-Não precisa se preocupar, eu não estou grávida. Mas se quer ter tanta certeza, pode comprar – suspirei

-Certo – se levantou e esticou a mão para me ajudar a levantar, eu aceito a ajuda e me levanto

-Voltando ao trabalho... Vai querer comer algo? – perguntei enquanto arrumava minha saia do uniforme

-Olha... – da um sorriso – O que eu gostaria de comer está na minha frente, mas já que não é possível fazer isso agora... Acho que uma torta de limão – sorriu

-Idiota – murmurei e sai da dispensa

-O que estavam fazendo lá dentro? – Mettaton pergunta com um sorriso malicioso nos lábios

-Eu estava com dor de cabeça, e ele foi ver se eu estava melhor – suspiro – Não sou pervertida ao ponto de fazer coisas no trabalho – cruzo os braços

Sinceramente, ele acha mesmo que sou igual a Chara? Eu nunca faria algo do tipo no meu local de trabalho. Mas nada me impede de fazer isso num carro. Cara tenho muita vontade de transar num carro ou numa banheira. Mas eu não digo isso a Sans pelo fato de achar que ele vai negar esse pedido, todo mundo negaria. É um pouco estranho você chegar para seu – recém – namorado e dizer 

“Caralho que vontade de dar pra você no carro, não quer me comer no seu carro não? Não quer me comer na sua banheira?”. Isso é bem estranho

-Mundo chamando Frisk! Repito: mundo chamando Frisk! – Chara bate palmas na minha frente

Ontem a noite antes uma certa pessoa ficar bêbada, ela falou que permitia que Chara trabalhasse, mas apenas no caixa. Então Chara veio

-Frisk, sirva a mesa 12 – pede

-Claro – sorri e pego o pedido

Eu ando até a mesa e entrego, assim volto ao balcão

-Já conversou com a mamãe sobre Azzy? – questionei

-Ainda não. Eu estou com medo da reação dela

-Chara... Quanto mais cedo você dizer, melhor

-Eu sei disso, apenas estou com receio, mamãe já é de idade, e você sabe muito bem sobre o histórico de doenças dela

Mamãe já teve algumas doenças bem graves, Chara sempre teve medo dela voltar a ter essas doenças. Apesar de eu não sentir nada pela mamãe, eu não gostaria de enterrá-la. Querendo ou não, ela ainda é minha mãe – apesar de que ela me trancava em quartos escuros para que eu me acalmasse quando eu tinha uma crise de choro, ou quando o papai me ensinava a “chorar com motivo” – e eu não posso negar ajuda caso ela desenvolva algo sério.

-Podemos conversar sobre isso depois – sorri e vejo a garota assentir

E então, volto ao meu trabalho. Pegando pedidos e servindo, as vezes ouvindo algumas 

Cês não tem noção de como eu queria ser uma branca privilegiada que não precisa trabalhar pois o papai paga as contas, e a faculdade. Eu adoraria fazer faculdade de veterinária, mas não tenho dinheiro suficiente, e nem consigo passar nos concursos que faço. Sinceramente, se eu fosse uma loira de odonto minha vida estaria melhor, mas não! Vamos nascer pobres para precisar trabalhar igual a escravos para no fim do ano achar que poderemos comprar um carro novo, mas quem vai trocar de carro será a filha do seu chefe ou seu chefe. Estou começando a ficar puta com isso. Você já me encheu o saco, branco privilegiado.

{N.A: além desses fdms decidirem viajar o mundo com o Coronga vírus e infectar meio mundo}

Não é o momento certo para xingar os brancos privilegiados, eu comecei falando da minha vida e terminei reclamando de ricos, eu realmente mudei de assunto muito rápido, me perdoem.

De qualquer forma, se eu estiver grávida – o que acho impossível – Sans irá assumir, eu sei que a mãe dele bateria nele caso ele não quisesse assumir, eu também bateria nele, afinal se é homem o suficiente para dormir com uma mulher, tem que ser homem o suficiente para assumir a criança. .

-Aqui está sua torta - entreguei para Sans - Me busque em casa por volta das 16 horas - peço 

-Irei te buscar as 16:30, minha mãe te liberou mais cedo - piscou para mim - nós vamos para uma praia ver o por do Sol. É uma praia que quase ninguém vai, então poderemos ficar a sós - sorriu  

Sozinhos... Numa praia... Com um carro

PARE DE PENSAR MERDA, FRISK! Vocês não vão transar num carro! Nem pense em cogitar a ideia de dizer isso a ele! Por que estou me referindo a mim mesma em terceira pessoa? ISSO É TÃO ESTRANHO!

-Vá de biquíni, é mais fácil para retirar - sorriu 

Sinto minha cara arder

-C-Certo - eu o ouço rir pela minha provável cara de vergonha

Garotos são tão idiotas! Ele sempre me deixa assim em público! Ele sabe que eu tenho vergonha de dizer essas coisas no meio das pessoas, e ele vai lá e diz!


Notas Finais


Heya desculpa sumir! Podem me crucificar!
Eu estava prestando atenção em outras fanfics e acabei esquecendo essa, eu estava adiantando minhas histórias que vou postar esse ano.
De qualquer forma, sobre o Coronga: não esqueçam que isso é uma quarentena e não férias! Por favor não saiam para a rua, não deixem os idosos saírem também! Passem alcu igel, lavem as mãos e não saiam comprando tudo no mercado! Mesmo que eu esteja os alertando, ficar em Pânico não ajudará nada.

Obrigada por ler até aqui! E eu prometo não sumir ein hehe


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...