1. Spirit Fanfics >
  2. One Piece - Ondas pretas e brancas >
  3. Nunca confiei em nicks de números

História One Piece - Ondas pretas e brancas - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Eu volteiiii... Talvez para ficar, não tenho certeza

Também não sei como será a aparência do protagonista ainda, mas fiquei com muita vontade de criar essa história. (Estou realmente com muitas ideias.)


Ah sim, Nick é abreviação de nickname que é o nome da pessoa em um certo aplicativo/rede social. Só para quem não sabe mesmo

Capítulo 1 - Nunca confiei em nicks de números


[Você foi assassinado]

“Droga, perdi de novo!” Era triste, dedicar tanto tempo para conseguir uma classe boa apenas para acabar morto na primeira noite.

“Já me cansei desse jogo.” Não vou perder mais duas horas testando minha sorte, é melhor jogar outra coisa.

Fecho o Town of Salem e olho para o horário indicado no canto inferior direito do meu monitor.

O cansaço então me bate forte.

Já eram duas da madrugada e eu ainda estava acordado, se não dormir logo vou acabar ficando sonolento pelo resto do dia...

Nah, eu posso viver com isso.

Olho para a minha coleção de jogos da STEAM em busca de algo para perder mais tempo. Tinha tantos e tantos jogos diferentes, eu realmente não sabia o que escolher.

Ser um viciado de jogos indeciso é muito problemático em horas assim, mas é como eu sou no fim das contas.

Eu perco horas para escolher um jogo, deixo vários vídeos abertos pois não consigo escolher qual ver primeiro e até mesmo perco semanas para começar a escrever alguma coisa pois não consigo decidir continuar as que já criei ou fazer novas.

Eu, Nathan Oliveira, aceito minhas imperfeições sem nenhum problema. Afinal, nada é perfeito certo?

...

Que desculpa merda... Eu realmente devia parar de ter essas divagações retardadas.

*DING*

Ahn? Uma notificação da STEAM? De onde isso veio, eu não estava baixando nada.

Procuro na minha coleção de jogos por algo novo e vejo que não tinha nada de diferente, então eu finalmente percebo a aba que abriu sozinha.

A aba de amigos.

“Alguém me mandou mensagem essas horas? Eu com certeza vou bloquear esse cara.” Entro na aba para descobrir que não reconhecia o idiota que me mandou mensagem, sério o nick do cara era um monte de números.

Abro o bate-papo desse cara e vejo oque ele me mandou, torcendo que não fosse um spam.

- Você gostaria de participar de uma experiência nova?

“Estranho, mas parece um spam para mim.” Era isso o que eu pensava porém algo no fundo da minha mente me dizia que eu devia prosseguir e responder essa pergunta.

E como todo bom adolescente na madrugada e sem nada para fazer, eu aceitei o que meu cérebro pediu e respondi o spam.

- Sim

Espero que não seja uma propaganda ou... *DING* Mas já respondeu? Nem apareceu o sinal dele estar digitando.

-Ótimo, então vamos começar. Se você fosse para o mundo de algum anime, qual seria?

Agora ele está falando como um ROB em um começo de uma fanfic ruim. Bem, não é como se eles existissem mesmo, então deve ser algum amigo meu que escreve fanfics e está sem ideia para começar sua história.

É... Isso é bem mais provável.

Ele deve ter me perguntado sobre um mundo de anime bom para começar uma fanfic... Se for isso, eu acho que esse serve.

- One piece seria interessante.

*DING* Eu recebi uma resposta um segundo depois de mandar a minha. O que significa que ele está colando frases feitas já prontas de antemão para várias pessoas diferentes; ou seja, SPAM.

- Obrigado pela resposta (olhe na sua carteira da STEAM)

Fecho o bate-papo e fixo os olhos no valor disponível na minha carteira virtual, devia estar apenas cinco reais mas agora estava cinquenta. Esse cara me deu cinquenta reais de graça, para responder perguntas simples.

Melhor SPAM de todos.

Espere, não posso me afobar, isso ainda pode ser algum trote.

Ninguém da dinheiro para um cara aleatório sem nenhum motivo. Além que não tem como transferir dinheiro diretamente pela STEAM, então como esse cara me deu 45 reais?

Então eu me lembrei, sim havia um jeito.

‘Ele deve ter comprado as cartas que eu deixei a venda.’ Cartas, na plataforma STEAM existe uma mecânica em que ao jogar bastante um jogo você pode conseguir cartas e vendê-las por pequenos preços como 10 centavos e se pegar uma carta rara pode vende-la por 1 real.

Mas como eu sou munchkin acabei vendendo todas as minhas cartas com valores acima de 10 reais esperando que algum idiota comprasse elas.

Acreditem ou não isso funcionou várias vezes, e agora parece que ele usou isso para me dar todo esse dinheiro.

Não era nada muito especial no final, mas eu consegui dinheiro fácil de um cara com números no nickname. E com isso eu posso finalmente comprar o jogo indie que eu queria.    

Entro na loja e procuro por ‘Bendy the ink machine’, depois aperto no primeiro resultado sendo levado para a página do jogo.

Quase 40 reais por um jogo indie, ainda dói um pouco mas eu quero muito jogar esse jogo. Sério, eu não perdi meses fugindo de spoiler para não jogar no final.

Realizo a compra com sucesso e volto para a minha coleção de jogos querendo acompanhar o download do começo ao fim.

Só 500 megabytes, é vai ser rápido menos de uma hora.

‘Arrhhhh’ Bocejo enquanto sinto o cansaço batendo com mais força do que antes.

É melhor eu dormir para conseguir jogar direito depois. Também posso deixar o computador baixando o jogo e atualizando os restantes.

Saio da minha cadeira giratória e pego meu celular, colocando para desperta daqui a poucas horas. Depois eu me deito em minha cama empurrando meu rosto no travesseiro.

Era tão bom, essa sensação de conforto e cansaço me dominando, eu nem conseguia deixar meus olhos abertos por mais de um minuto.

...

Começo a me afogar na escuridão deixando que minha mente entrar no seu modo de descanso. E assim, eu durmo logo em seguida.

XXXXXXXXXXXXXX

 

Acordo deitado em um local áspero, abro meus olhos sonolentos e vejo o céu azul e as árvores que me rodavam.

Eu estou eu uma floresta? Isso não fazia sentido em muitos níveis.

Belisquei minha bochecha para ver se era um sonho e sinto a dor de ter a pele torcida. É, não era um sonho.

Me levanto e olho para as minhas roupas, eram as mesmas que eu tinha quando fui dormir: uma short preto que ia até o joelho e uma camisa cinza. Ainda estou no meu corpo, uma coisa boa pelo menos.

Como minhas lembranças dos acontecimentos anteriores tinham voltado eu facilmente deduzi o que tinha acontecido.

Eu fui transportado para o mundo de One Piece por um cara com números no nick. Esse absurdo era a única coisa que fazia sentido levando em consideração  tudo o que ocorreu anteriormente.  

Isso tinha implicações horríveis, eu realmente devia estar surtando agora. Mas não, eu apenas fiquei lá em pé observando a paisagem e pensando logicamente sobre tudo o que eu devia fazer.

Eu já sabia que não adiantava nada reclamar agora, eu precisava focar na coisa mais importante do momento.

Sobreviver.

Estou em um mundo onde piratas assassinam pessoas sem dó nem piedade e para melhorar os mocinhos da marinha fazem o mesmo só que com mais autoritarismo e apoio sistêmico.

Isso sem contar os monstros marinhos e os superhumanos que comeram frutas mágicas.

Esse mundo era muito, mas muito fudido. Eu não sei como o planeta não tinha sido destruído ainda.

Além de mesmo eu que não vi todo o anime, já sabia que dependendo de onde eu estou agora é bem possível que minha chance de sobrevivência seja baixa.

Pior, se eu estiver no novo mundo, minha chance de sobrevivência é quase zero.

Eu sou um viciado em computador com algumas tendências sociopatas leves e um pouco de cérebro, não um lutador. Por isso só existia uma coisa que podia me salvar agora.

Poder.

E só existe uma fonte de poder fácil que pode ser encontrada em uma floresta.

É você já sabe a resposta. Está na hora de caçar uma akuma no mi.

Se o deus que me mandou aqui for como os das antigas fanfics que eu li é bem possível que eu ache uma até que facilmente.

Afinal, ele deve ter me colocado nessa floresta em especifico por algum motivo, certo?

É mais confortável pensar assim do que imaginar que o imbecil escolheu por dunidunitê.

Começo a caminhar pela mata com cuidado, torcendo que não tenha algum tipo de animal selvagem por essa áreas. Morrer para um javali seria muito vergonhoso.

Minutos passaram, eu já tinha caminhado por uma boa distância enquanto procurava por qualquer fruta estranha presa nas árvores. Sem sucesso.

Meu corpo sedentário estava ficando rapidamente cansado por isso eu paro um pouco para respirar, eu realmente preciso começar a me exercitar se quero sobreviver aqui.  

Bem, por que não começar e já caminhar bastante agora? Afinal, Não tenho muito o que fazer.

Espero que essa ilha não seja muito grande...

(2 Horas depois)

Eu realmente preciso beber alguma coisa.

Já caminhei por um bom tempo e não encontrei nem um ser vivo, exceto plantas.

Eu também encontrei algumas frutas que deixei no bolso, mas não provei nenhuma delas por medo de serem venenosas. É claro, nenhuma dessas frutas tinham redemoinhos na casca, então não eram akuma no mi.

Parece que não será tão fácil achar uma quanto eu pensei, pelo menos o título de frutas lendárias faz mais sentido agora.

*CRACK FUUSH FUUSH*

Capto sons de galhos quebrando e folhas se movendo, algo vivo estava claramente se aproximando.

Me escondo atrás da árvore mais perto e espero torcendo que não fosse um guepardo ou uma onça. De preferência nenhum carnívoro seria bom.

*FUUSHH FUUUSHH*

Estava cada vez mais perto, talvez estivesse seguindo meu cheiro? Ou era apenas uma coincidência ele vir exatamente para onde eu estava?

“Mas Dayu...”

“Cala boca Akio, o capitão mandou irmos rápido se lembra? Quer acabar morto?”

Vozes... Só podem ser pessoas. Pelo contexto posso facilmente deduzir que são piratas, e provavelmente de força baixa o suficiente para terem medo de seu capitão.

“Só que não encontramos nada nesse lado da ilha, não é melhor ir para o outro lado?” A voz era masculina e um pouco mais aguda do que o normal, como de um estereótipo de capanga irritante.

“Nós falamos que íamos explorar esse lado então iremos fazer isso, ou você quer falar para o capitão que não cumpriu o que tínhamos combinado?.” Já a outra voz era masculina e mais grossa, como de um cara razinza e briguento.

Ouvindo as vozes parecia que eu estava ouvindo um desenho que eu assisti antigamente de dois ratos que criam planos malignos.

“Verdade Dayu, ele não gostaria nada que fizéssemos isso.” Certo, então o Pinky em questão deve se chamar Akio então por eliminação o Cérebro é o Dayu. Nomes de pessoas claramente japonesas mas que por algum motivo estão falando em português?

“É bom que um idiota como você tenha entendido, agora pare de reclamar e me siga corretamente. Não queremos nos perder nesse lugar.” O som estava muito perto, esses caras já estavam exatamente onde eu passei. Então se eu esperar um pouco é bem possível que eles não me percebam e...

*BIP BIP BIP*

Esse barulho... O barulho de um despertador. E só tinha um despertador que eu conhecia com esse exato barulho...

O meu despertador de celular.

“Que som é esse Dayu?”

“Não sei, mas parece vir de trás daquela árvore.”

Coloco a mão no bolso e tiro o celular que estava apitando, eu não tinha percebido que ele estava em meus bolsos droga.

“Sabemos que você está ai, se renda agora ou iremos abrir fogo.” Disse Dayu, era claro que eu não conseguiria fugir disso facilmente. Eu nem tenho poder suficiente para brigar normalmente, imagina com armas de fogo?

Espera... Eu tenho meu celular. Talvez eu possa improvisar um pouco. Entro na tela inicial e procuro um aplicativo especifico.

‘SONS DE ANIMAIS’. Achei, esse mesmo. Eu tinha baixado para saber que onomatopeia de som de animal escrever em minhas histórias e por ser bem leve eu nem pensei em desinstalar.

Agora isso vai ser útil como o inferno. Abro o catálogo de animais e vejo o maravilhoso leão. Espero que isso funcione.

“Nós vamos contar até três, se não aparecer começaremos a atirar.” Esses idiotas realmente...

“1” Aumento o volume para o máximo. É, vai ser isso ou nada.

“2”

*GRRRRAAUUURRRRR!*

Um rugido de leão soou de meu telefone mais alto do que eu esperava, mas ainda não era tão forte quanto um rugido real. 

“Isso foi... Um rugido de leão?”.

“Dayu, mas essa ilha não estava livre de animais perigosos?”

 Parecia que eles realmente caíram nisso, que idiotas.

“Impossível, essa ilha tinha sido catalogada como uma das mais pacificas do East Blue, não tem como ter leões aqui...”

*GRRRRAAUUURRRRR!*

 Aperto o botão mais uma vez e deixo o som sair novamente igual ao anterior, é uma pena não ter mais variedade nesse catálogo.

*BAM* Algo caiu?

“Tantos assim... Temos que ir agora Akio! Não temos munição suficiente para lidar com uma alcateia.”

“Certo, só espera eu organizar as frutas que eu deixei cair e...”

*GRRRRAAUUURRRRR!* Eu aperto o botão novamente enquanto também bato meus pés no chão fazendo parecer que algo grande se aproximava.

“Não temos tempo idiota, vamos agora!”

“Ahh, espere por mim!”

Depois disso eu consegui ouvir passos indo embora correndo, esses caras eram realmente burros.

Após alguns minutos de espera para ter certeza que não tinha ninguém por aqui, eu saio de trás da árvore e vou para onde os idiotas estavam.

Tinha um saco no chão com frutas dentro, além de algumas delas estarem esparramadas pelos local. Elas eram realmente bonitas e de várias cores.

Pego o saco e começo a coletá-las, se eles estavam levando elas é bem possível que sejam comestíveis.

Depois de pegar todas as frutas eu me preparo para voltar a exploração, de preferência pelo caminho contrário do qual os piratas foram, mas então eu vejo um ponto preto no chão perto de um arbusto.

Parece que eu esqueci uma. Eu pego a fruta e sinto um sentimento estranho , é como se ela me pedisse para comê-la.

A fruta tinha uma casca preta cheia de espirais com pontos brancos no meio, era realmente uma fruta bonita e interessante.

...

‘Espera, espirais?’

Meus olhos arregalavam enquanto eu olhava atentamente para a estranha fruta.

A fruta que mudaria minha vida para melhor.

A minha própria Akuma no mi.

Imagino que poderes ela me dará... Espero que não seja algo como uma zoan de porco...

Bem estou sem melhores opções agora, então terei que confiar na sorte.

Abro a minha boca e levo a estranha fruta para dentro... E então um sentimento veio com tudo.


Notas Finais


Hmm, que akuma no mi será essa
Posso garantir que não estava no anime pelo menos


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...