História Tragédia - Bambam - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Got7
Personagens BamBam, Youngjae
Tags Bambam, Got7, Youngjae
Visualizações 115
Palavras 994
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela
Avisos: Insinuação de sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


1- História clichê que raramente faço porém triste.

2- Primeira vez que escrevo com o Bambam e ele é o último integrante que estava faltando.

3- Linguagem completamente simples então se reclamarem não darei ouvidos. (Me sentindo muito grossa falando assim T.T).

4- Acho que é isso KKKKK

Fiquem com o capítulo. xx❤️

Capítulo 1 - Inconsciente.


— Ele era para estar aqui comigo. — choro nos braços de Youngjae.

— Ele está em um lugar melhor... — me envolve em seus braços.




Eu vou pedir seu pai para namorar você.

É arriscado BamBam você sabe que sou discreta.

Eu quero fazer as coisas certas.

— Eu não sei.

— Confia em mim. — ele lança seu lindo sorriso.

Bambam e eu nos conhecemos no projeto de intercâmbio. Ná época ele queria aprender português e eu tailandês. Não havíamos combinado, tanto é que nos conhecemos através de amigos em comum.

Eu sou mais nova que ele e espero que meu pai aceite seu pedido. Papai é um homem bastante rígido e vive me vigiando no colégio militar, onde o mesmo tem acesso pois é aposentado do serviço. BamBam faz aula de português na minha escola, quando papai o viu não gostou muito, mas com o tempo foi deixando a insegurança de lado.

Minha mãe faleceu a uns anos atrás e papai não sabe lidar com essa minha “puberdade”, ele não gosta de nenhum garoto que se atreva a se aproximar de mim, ele deixa bem claro. No meu aniversário de treze anos ele me perguntou o que eu queria de presente e eu não estava com nada em mente, então brinquei com ele pedindo um dinossauro. O pai falou que era impossível então eu o pedi para namorar, falei como se eu quisesse nada até porque eu não queria um namorado. Deu meu aniversário e meu pai apareceu com o esqueleto de brinquedo enorme na porta do meu quarto. Muito engraçado capitão.

Eu sempre fui muito discreta com tudo que faço. Na minha sala eu sou a líder junto com mais duas pessoas.

Sempre gostei de liderar e servir a pátria por isso eu quis ir para uma escola militar. De começo meu pai negou alegando que era para a minha segurança, mas eu o enchi de orgulho quando eu mostrei minhas medalhas por tudo que fiz. Eu amo meu pai. Ele tem um jeito chato e mandão, mas eu sei que isso é proteção. A maneira de como ele olhava minha mãe e cuidava dela era tão especial, ele tem medo de me perder como a perdeu, mas isso não vai acontecer pai.


Está vendo como foi fácil? — ele gargalha.

— Você fez nas calças.

— Agora, você, seu pai e eu sabemos do nosso pouco tempo de união.

— Não fala assim. — bato em seu peito com os olhos marejados de lágrimas.

Hey, está tudo bem. — ele lança um grande sorriso.

Bambam sempre fora sorridente desde que o conheci. Ele conseguiu entrar para a faculdade local e vira e mexe ele me visita no meu colégio. As garotas vivem dando em cima dele, e meu melhor amigo Youngjae que também faz faculdade fica falando que vamos nos casar. Meus amigos são todos mais velhos que eu, só eu a pirralha adolescente que tem que ficar vigiada. (Embora que tenho 18 anos.)


Senhora qual será a cor da gravata do senhor Kumpimook Bhuakul?

Vermelho. Ele adorava vermelho.


Enfim, Bambam tinha pedido meu pai para me namorar. Na época meu pai não sabia sobre seu estado de saúde. Durante meses Bambam fez coisas absurdas para agradar meu pai, até que o velho cedeu.

Meu tempo com Bambam foi precioso. Foi somente nós dois. Foi único. Não consigo compartilhar com ninguém.



O que está pensando? — mecho em seu cabelo.

Estou na casa de Bambam. Ele alugou um lugar simples, porém bem aconchegante para morar.

Estou pensando em como viverei sem você. sento em seu colo.

Você continuará saudável. — ele me lança outro de seu belo sorriso.

Continuo mexendo em seu cabelo e vejo que os fios saem aos poucos entre meus dedos. Bambam está perdendo cabelo e está cada vez mais magro, sua pele está extremamente pálida e oleosa, mas não deixando de ser macia.

É a última semana Bambam. — digo chorando e o abraçando forte.

Eu estou bem. — olha no fundo dos meus olhos e me beija.

BamBam. Eu quero fazer sexo com você. — o mais velho me olha confuso.

Eu quero transar com você. — ele arregala os olhos querendo falar “tem certeza?” pelo menos foi o que entendi de sua expressão facial.

Meu amor eu não quero te tirar uma coisa que não poderei retribuir futuramente.

Você é idiota? Eu não te terei mais Bambam. Eu quero te sentir, quero te guardar. Eu sei que sou mais nova que você isso não importa agora. Ninguém sabe do nosso relacionamento sem ser meu pai e Youngjae. Por favor.

Ele pensa por uns segundos e me pega no colo me colocando em cima de sua cama macia. Eu mesmo o beijo esperando algum tipo de mão boba, que não aconteceu.

Bambam...

Você tem a absoluta certeza? Eu não quero te decepcionar. Meu corpo não é o mesmo de antes.

Eu tenho a absoluta certeza BamBam. Você dentro de mim será a melhor recordação que terei de você. — passo a mão em seu rosto.

— Eu não sei se devo pequena. — olhou mais uma vez no fundo dos meus olhos. — Eu não quero te tirar algo tão precioso.

— Eu superei todas as vezes que você ficou com aquelas lindas garotas. Eu sei que não sou melhor que elas, sei que não tenho um corpo bacana, mas você é meu agora, não?

Antes do nosso namoro, Bambam sempre fora mulherengo. Quando ele falou que gostava de mim eu nunca acreditava, pois ele era sempre brincalhão me fazendo duvidar.

Não fale assim de seu corpo, você é perfeita é a minha única mulher.

— Então me prove. — segurou mais forte meus pulsos e voltou a me beijar.

— Eu devo conseguir fazer isso somente uma vez. — falou em tailandês massageando meu pé direito.

— Nós não vamos fazer sexo. Nós vamos fazer amor. — respirei fundo com suas palavras.



— Minha querida? Vamos embora. Amanhã será ainda mais doloroso. — a senhora Bhuakul me tira de meus pensamentos e vamos para casa.


Notas Finais


😘🤞🏾


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...