História ONE SHOT - YUTA (NCT) - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Neo Culture Technology (NCT)
Tags Hentai, Nct, Nct 127, Yuta
Visualizações 646
Palavras 1.374
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Hentai
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Então pessoal esse é meu primeiro One Shot então me desculpe se ele estiver muito pequeno, pretendo melhorar mais mas pra isso preciso da ajuda e apoio de vocês:3
Saranghaeyo♥️

Capítulo 1 - Single Chapter


Fanfic / Fanfiction ONE SHOT - YUTA (NCT) - Capítulo 1 - Single Chapter

Lá estava eu fazendo mais uma consulta no hospital em que eu trabalhava, na verdade seria a última do meu expediente. 

 

Obrigada Dra. - Minha última paciente sai da sala após sua consulta.

 

Suspiro e me espreguiço logo me levantando e indo levar os relatórios das minhas consultas. No meio do caminho encontro ele, Nakamoto Yuta um médico excelente mas ele tinha seus defeitos como de roubar meu coração desde da primeira vez que nossos olhares se cruzaram, mas infelizmente soube que ele era casado então logo perdi as esperanças mas aquela vontade de provar seus lábios ainda mantinha dentro de mim. Sua esposa era a diretora do hospital, algum deslize meu com Yuta e serei imediatamente demitida. 

 

 

- Boa noite Dra. S/n. - se pronunciou escorando seus cotovelos no mediano balcão a nossa frente.

 

- Boa noite Dr. Yuta. - soltei um sorriso fraco.

 

Assinei algumas coisas e fui em minha sala para pegar minhas coisas para mim ir de encontro a minha casa. Pego minha bolsa e deixo meu jaleco delicadamente dobrado em cima de minha mesa, pego minhas chaves em minha gaveta e saio da sala a trancando. Após me virar acabo dando de cara com Yuta, que estava com um pequeno sorriso em seu rosto.

 

 

- Ah, oi de novo. 

 

- Oi... - sorri sem graça.

 

- Deseja ir tomar alguma coisa comigo? - o olhei surpresa, logo ele? Oque sempre me evitava por conta de sua esposa ciumenta.

 

- É claro. - respondi um pouco nervosa mas tentando disfarçar o máximo.

 

- Vou pegar minhas coisas e assim podemos ir. - assenti e fui para o balcão da recepção para esperar o mesmo lá. 

 

 

[...] 

 

 

Agora eu me encontro em um bar com um copo de café em minhas mãos, Yuta estava do meu lado tomando um copo de whisky. Estávamos em um silêncio até o mesmo quebrar-lo.

 

 

- Então S/n, mora aqui na Coreia desde de quando? 

 

- Desde os meus 17 anos, vim aqui a procura de um faculdade melhor. - tomei um gole de meu café logo o olhando. - E você?

 

- A três anos atrás vim morar aqui porque fui transferido do hospital em que eu trabalhava no Japão. Aqui é realmente bom. - sorriu.

 

- E sua esposa?

 

- Nos conhecemos aqui, foi aí que eu a pedi em casamento. - sorriu novamente mas agora seu sorriso se desfez quando olhou para mim.

 

- Algo de errado Dr.?

 

- Não é que eu.... 

 

- Você....

 

- A verdade é que não estamos mais juntos. - arregalei meus olhos mas disfarcei tomando meu café e logo depois o olhando surpresa.

 

 

- Nossa, oque aconteceu? 

 

- Não estava dando mais certo, ela é muito ciumenta. - respirou fundo. - E eu também estou gostando de outra pessoa. - engoli seco e depositei minha mão em seu ombro.

 

- Fez o certo, não é bom mentir para as pessoas. 

 

Yuta rapidamente me olhou nos olhos e sorriu assentindo. Já estava tarde então ele se ofereceu a me levar até meu apartamento que ficava próximo aonde estávamos. Entramos em seu carro e seguimos caminho. Chagando em frente ao meu apartamento sai de seu carro e o Yuta fez o mesmo vindo em minha direção. 

 

 

- Obrigada pelo café. - sorri. 

 

- Disponha. - Me virei para entrar mas sou puxada por Yuta que me virou me fazendo o olhar confusa. - Desculpa...

 

 

 

Sem demora alguma Yuta selou nossos lábios, sem pensar duas vezes cedi, nossas línguas lutavam por espaço. O maior aproximou mais nossos corpos e infelizmente pela falta de ar nos separamos. 

 

 

- Desculpa, eu sei que eu não devia ter feito isso mas... - o beijei novamente mas agora com mais intensidade.

 

 

- Você fala demais. 

 

Yuta segurou em minha cintura e selou nossos lábios novamente mas interrompi o beijo.

 

 

- Vamos subir. - falei baixo rente ao seu ouvido. 

 

 

Peguei em sua mão e fui entrando indo em direção ao elevador, ficamos aos beijos no elevador até chagar em meu andar então saímos e entramos em meu apartamento já nos jogando no sofá, Yuta estava em cima de mim atacando meu pescoço, eu gemia baixo mas minha vontade era de gritar ali. Finalmente estou a sentir seu corpo junto ao meu. Yuta coloca sua mão esquerda em meu quadril logo apertando me fazendo arfar e morder seus lábios.

 

 

- Yuta.... - gemi seu nome após sentir seus lábios quentes tocarem abaixo do meu pescoço acima de meus seios.

 

Yuta rapidamente tirou meu casaco junto à minha camisa branca e meu sutiã, atacou meus seios agora, enquanto brincava com um lambia e chupava o outro me fazendo revirar os olhos de tanto prazer. Então o mesmo desceu sua boca a barra de minha calça e antes de tirá-la me olhou sorrindo malicioso, desceu minha calça junto à minha calcinha e deu um selinho em minha intimidade me fazendo soltar um gemido alto e abafado. 

 

Sua língua passeava para cada canto de minha intimidade, minutos depois gozei em sua boca e o mesmo aproveitou para sugar meu clitóris. Após isso empurrei o maior sentando em seu colo e beijando seu pescoço, tiro sua camisa e desço meus beijos para seu membro logo acariciando por cima do tecido de sua calça. Tirei a mesma junto com sua box já pegando em seu membro e passando minha pequena mão por sua coxa, sem demora alguma lambi apenas em cima para o provocar, coloco seu membro todinho em minha boca, escuto seus gemidos e sinceramente eu estava ficando ainda mais excitada.   Yuta então prende meus cabelos me ajudando e algum tempo depois ele goza e mesmo sendo nojento engoli tudo, não queria falhar e sim deixar meu Oppa cada vez mais excitado. 

 

- Hora de cavalgar. - me levantou me sentando em seu membro e após senti-lo todo dentro de mim soltei um gemido alto, na verdade nem gemido foi e sim um grito.

 

- Tão G-grande.... - gemi abraçando seus ombros já rebolando em seu colo.

 

 

Começo a “pular” em seu colo, nossos gemidos se misturavam naquele ambiente, Yuta apertava minha cintura a cada cavalgada minha. Estava cansada então parei e Yuta sendo um bom homem me deitou e começou a me estocar rapidamente, tão rápido que eu não podia nem respirar. Tempo depois gozamos juntos então gememos alto, Yuta saiu de dentro de mim e se sentou em meu lado enquanto tentava regular sua respiração, me sentei ao seu lado também e peguei sua camiseta a vestindo. O maior me colocou em seu colo novamente e selou nossos lábios em um beijo calmo e delicado. 

 

- Você agora sabe quem é a pessoa que eu amo? - Me olhou sorrindo de lado.

 

- Acho que não... - me fiz de desentendida.

 

- Então terei que te mostrar de novo. - me beijou mas agora com maia intensidade.

 

 

 

E assim foi minha noite e de Yuta, fizemos amor a noite inteira. Eu agora tenho certeza que eu o amo e nunca vou o deixar sozinho. 

 

 

Três anos depois....

 

 

- Dra. S/n é uma emergência, venha agora na sala 25! - a secretaria do hospital me ligava para me avisar da emergência que eu era responsável de cuidar.

 

Desliguei o telefone rapidamente e peguei oque seria útil para poder atender meu paciente que precisava de ajuda o mais rápido possível. Chegando na sala abro a porta e vejo que estava tudo escuro então decido acender as luzes, vou até o interruptor e quando acendo as luzes vejo meu noivo parado no meio da sala com um buquê e uma pequena caixa vermelha, alguns dos médicos estavam ali nos olhando com lindos sorrisos em seus rostos. Me aproximo de meu noivo já com lágrimas em meus olhos, o mesmo me entrega o buquê e me dá um beijo logo depois se ajoelhando e erguendo a caixinha vermelha.

 

 

S/n... Você aceita casar comigo? - perguntou abrindo a caixinha que dentro havia um lindo anel dourado. 

 

CLARO! - O puxei pelo seu braço e o beijei e logo depois o abracei.

 

Meu noivo colocou o anel em meu dedo logo me beijando novamente, todos ali aplaudiam.

 

 

Te amo. - disse segurando em minha mão.

 

Também te amo, Yuta. - o abracei novamente.

 

 

 

 

 

 

 

 

 


Notas Finais


Espero que vocês tenham gostado:3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...