História One Shot de Jomilly - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Tags Sexo, Yuri
Visualizações 148
Palavras 1.320
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Orange, Yuri (Lésbica)
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Oi, oi, sei que eu estava sumida, mas estou passando aqui pra deixar essa one maravilhosa pra vocês, espero que gostem.

Capítulo 1 - Capítulo Único


Era um sábado, o sol já estava se pondo e eu estava apenas dando um role pela cidade, quando passei pela casa de Emilly e resolvi dar uma paradinha ali. Bati palma e gritei, porque sou dessas e sua mãe apareceu rindo, para logo abrir o portão para mim e saiu me avisando que sairia e não tinha hora pra voltar. Eu apenas falei um “Se cuida tia” e tranquei o portão para logo passar pela porta da frente que estava aberta e me deparei com uma Emilly super folgada, jogada no sofá com um pote de sorvete na mão. Ela nem havia percebido minha presença ali... seus olhos verdes estavam vidrados na televisão e ela riu suavemente. Meu olhar desceu para o seu corpo e eu pude notar que a mesma estava apenas com um top preto e uma calça de moletom cinza, me dando uma boa visão de seu maravilhoso corpo. Eu poderia ser uma maníaca por ter aqueles pensamentos em relação a ela, até porque a mesma tinha apenas treze anos e eu já havia completado meus dezoito há pouquíssimo tempo... mas era um pouco errado... ah, foda-se, quem liga para o que é certo ou o que é errado?

- Toc toc... – Fiz um barulhinho de quem bate na porta e Emilly olhou para mim, para logo sorrir largo me olhando.

- Joy... – Disse ela baixinho e se levantou deixando seu pote de sorvete sobre a mesinha, para logo vir até mim e me abraçar forte.

- Hey little girl... – Sussurrei em seu ouvido e ela tremeu levemente em meus braços, pude ver seu braço se arrepiando e eu soltei uma risada baixa.

Ela me empurrou de leve e voltou a se deitar com seu pote de sorvete, me sentei ao lado de seus pés e olhei para a TV, ás vezes disfarçando e olhando para o seu corpo, alguns minutos depois eu a vi sorrir com malícia e ela me fitou.

- Gosta do que vê? – Perguntou ela me olhando para logo passar a língua em seus lábios.

- Ah claro... e como gosto... – Falei baixinho a fitando.

- Então por que está aí parada ainda? – Arqueou as sobrancelhas e deu um sorriso sugestivo.

Pisquei algumas vezes me dando conta do que ela havia dito e quando fui me deitar sobre a mesma, ela me afastou e se levantou para logo sair dali rebolando indo para a cozinha.

- Bitch... – Murmurei e a ouvi gargalhar alto.

Me levantei indo até ela e vi a mesma terminando de fechar o freezer, para logo se virar para mim e piscar. A mesma passou por mim e eu a segui entrando em seu quarto com ela. Fechei a porta e me aproximei dela rapidamente segurando a mesma pela cintura, para logo encostá-la na parede. Segurei suas mãos apoiando as mesmas sobre sua cabeça e me inclinei depositando leves chupões em seu pescoço. A menor suspirava baixinho e tentava se soltar, mas em atitudes falhas. Continuei segurando seus punhos com uma mão e com a outra deslizei pela lateral de seu corpo dando alguns apertos arrancando arfadas baixas da morena.

- Joy... – Sussurrou ela e seus olhos esverdeados encontraram os meus.

- Sim baby...

- Sem tortura... – Pediu ela e eu sorri descaradamente.

Soltei seus braços e passei as mãos por de trás de suas coxas dando um impulso para tirá-la do chão e ela envolveu minha cintura com suas pernas, seus lábios colidiram diretamente com os meus, sua língua aveludada adentrando minha boca me fez perder os sentidos e nossos corpos se chocaram contra a parede. Soltamos uma risada baixa e ela afastou seu rosto do meu, logo me sentei na beira de sua cama e meus lábios foram diretamente para seu busto, minha língua tentando penetrar o vale de seus seios, enquanto ela se remexia sobre mim gemendo de forma contida. A mesma segurou meu cabelo e afastou meu rosto dali, para logo se desfazer de seu top, deixando seus seios livres para mim. Não perdi tempo e literalmente caí de boca ali, chupando e mordiscando com força deixando ambos vermelhos e sensíveis. Deitei seu corpo sobre a cama e deslizei meus lábios por sua barriga depositando algumas mordidas ali e desci sua calça de moletom, logo tirando a mesma. Levantei meu olhar e a vi se escorando em seus cotovelos, enquanto me fitava. Dei um sorriso de canto e abaixei sua calcinha, para logo serpentear minha língua por seu clitóris, o chupando lentamente em seguida e ela jogou a cabeça para trás soltando um gemido alto. Introduzi um dedo em sua entrada e comecei a estocá-lo de forma lenta, enquanto minha boca percorria seu abdômen deixando marcas de chupões ali. A garota acima de mim gemia de forma contida e forçava minha cabeça contra o seu corpo rebolando e pedindo por mais. Comecei a dar estocadas fundas subindo meu corpo e beijei seus lábios abafando seus gemidos. Sua mãe havia saído, mas outra pessoa podia chegar ali a qualquer momento... e ouvi-la. Tirei meus dedos de dentro dela e ouvi a mesma resmungar afastando seus lábios dos meus para me fitar com aquela imensidão esverdeada.... encostei minha testa na sua e sorri me perdendo no verde de seus olhos, mas voltei a vida quando senti seu tapa estalar em meu braço e ela resmungar dizendo que eu estava com roupa demais. Suspirei e me levantei desfazendo de minhas roupas. Quando voltei para a cama, ela me fez deitar e ficou por cima dando um leve selinho em meus lábios e sua mão desceu por meu corpo até chegar em minha intimidade e eu fechei os olhos arfando baixo quando seus dedos começaram a estimular meu clitóris rapidamente. Mordi meu lábio com força e abri meus olhos para encontrar os seus me fitando, sua expressão era de prazer enquanto eu tentava não gemer muito alto para não chamar a atenção dos vizinhos. Nunca se sabe né? Quando senti sua mão abandonar meu corpo, soltei um grunhido baixo e ela sorriu de forma depravada, logo levantando minha perna e se sentando ali no meio delas roçando sua intimidade de forma lenta na minha. Fechei os olhos agarrando sua cintura com firmeza e comecei a acompanhar seus movimentos sutis. Abri os olhos aos poucos a tempo de vê-la jogar a cabeça para trás mordendo seu lábio inferior com tanta força, que por um segundo me perguntei se ela não havia se machucado, mas tão logo esqueci. Inclinei meu quadril para cima e ela começou a rebolar com mais força, seu corpo tremia sobre o meu. Logo um gemido alto escapou por seus lábios cheios e seu orgasmo molhou o meu sexo, fazendo deslizar com mais facilidade. Soltei um gemido rouco quando ela deu uma leve quicada e voltou a rebolar, seu clitóris roçando no meu enviando palpitações para o meu ventre, que tão logo liberou o meu tão esperado orgasmo e com ele veio um gemido tão alto, que até eu mesma me assustei. Emilly apenas me olhou com uma expressão de surpresa e sorriu, para logo se deitar sobre mim. Beijei o topo de sua cabeça e fechei os olhos com a respiração ainda ofegante. Senti sua mão deslizar pelo meu corpo lentamente, enquanto sua respiração quente e entrecortada batia em meu peito. Sua mão alcançou meu seio direito e ela deu um aperto um tanto forte ali me arrancando um gemido baixo. Meus seios eram o meu ponto fraco. Eu mal havia recuperado minhas forças quando senti sua língua deslizar por meu mamilo já rígido mais uma vez, sua mão foi de encontro a minha intimidade e ela soltou uma risada maliciosa.

- Mas já está molhada outra vez? – Sussurrou ela com uma voz rouca em meu ouvido e eu a encarei. Ela apenas sorriu com malícia e me penetrou com dois dedos. E lá vamos nós de novo...

É hoje que eu não saio andando daqui...


Notas Finais


Eai? O que acharam? Aprovada? Até a próxima, beijos.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...