História One-Shot: Meu Amor por você - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags One-shot
Visualizações 53
Palavras 1.536
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Esporte, Famí­lia, Festa, Lemon, Poesias, Shoujo (Romântico), Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Pessoas como eu amam fanfics como essa
Bom, para vocês:
__
B
O
A
__
L
E
I
T
U
R
A
__

Capítulo 1 - ...Sempre vou te amar...


Fanfic / Fanfiction One-Shot: Meu Amor por você - Capítulo 1 - ...Sempre vou te amar...

Daniel Felipe, esse é meu nome, tenho 17 anos, moro na cidade de Belo Horizonte, Minas Gerais, estudo em um colégio interno, estou começando um novo ano escolar, ano passado fiquei em um quarto sozinho, mas pelo que a nossa "querida" diretora disse, vai ter vários novatos e com isso, terei um companheiro ou uma companheira de quarto, já ate imagino, como vai ser chato, ter que aturar alguém todos os dias, ter que dividir o banheiro, o espaço que usa, só de pensar já me causa dor de cabeça, mas acho que vou mudar de quarto, então o quarto de duas pessoas deve ser maior, eu espero. 

Me arrumo e vou para minha nova sala apos guardar minhas coisas no meu armário, como sempre, chego depois de pouquíssimas pessoas, umas três e as vezes quatro. Me sento no fundo no canto, olhando fixamente a parede, sem nenhum minimo motivo, apenas estava com vontade de ignorar os outros alunos que estavam na sala, que por enquanto não tinha nenhum novato ou novata, nossa, acho que disse cedo demais ou melhor, pensei cedo demais. 

Entraram três garotos na sala, o primeiro era alto, mais ou menos minha altura, os outros erem um pouco mais baixos

Fiquei observando eles se sentarem no chão ao lado da mesa do professor, aquele primeiro garoto, o mais alta, era bonito, ate demais. Ouso a porta se abrindo e vejo o professor, ele olha os três garotos com uma cara de tipo "levantem-se agora!", esse era o professor mais aterrorizante dessa escola, por que? Pois esse professor não pode ver qualquer erro e parece que vai matar alguém. Bem, logo os novatos se levantaram.

Professor: Apresentem-se -sua voz era grossa, era de se dar arrepios.

Hygor: Oie! Sou Hygor!

Arthur: Sou Arthur Andrade

Victor: Kolé! Meu nome é Vitor Henrique

Professor: Bem...deixe-me ver -pensa por um tempo e vejo ele olhar para mim- Victor, você ficará ali! -aponta para a carteira ao meu lado. Vitor me olha sorrindo-

Victor: claro professor -vem até a mesa ao meu lado e senta, se vira pra mim me olhando com a cabeça jogada um pouco para o lado, com um sorriso demasiado fofo para mim, sorriu fraco para ele e volto a olhar a parede. 

Enquanto estava distraido ouso o som de algo caindo no chão, um lapis, olho para Victor que vai para debaixo da mesa, da MINHA MESA, ele me olhou e riu ao ver eu um pouco vermelho, ele apóia o queixo na minha cocha ajoelhado na minha frente me olhando com um olhar de malícia, eu estava morrendo de vergonha daquele cara entre as minhas pernas. Um tempo depois ele sai de lá e volta a se sentar na cadeira. Abaixo a cabeça fechando as pernas com certeza estou corado, de uma maneira que eu nunca estive. Eu? Daniel Felipe corado? Isso não é possível. 

A aula passou rápido, ate demais. Sai da sala e fui ao patio pois a diretora estava mandando todo mundo ir pra lá. Ao chegar lá ela estava lendo um lista de nomes. De dois em dois, ate eu ouso me nome.

Diretora: Daniel Felipe e Victor Henrique Estarão no quarto 12, venham pegar as suas chaves. 

Ao ouvir isso eu simplesmente paraliso, eu teria que ficar no mesmo quarto que ele? Ele? Por que ele?. Sinto meu rosto avermelhar novamente, vou correndo para o local onde estava diretora e pego a chave. Ela me olha confusa.

Diretora: esta com febre? Vocês esta muito vermelho. 

Merda! Por que ela foi falar isso no microfone, logo ouso uns gritos agudos girando coisa como "ele ta assim por causa de novato!" ou "eu shippo" e claro, com essas vaca falando isso, lógico que meu rosto virou uma pimenta bem vermelha. Puxo o máximo de ar que consigo me acalmando, e vou andando calmamente para o quarto, olho pra trás e Victor estava correndo atrás de mim tentando me alcançar, paro do nada o olhando e pelo jeito ele não conseguiu controlar sua velocidade e não conseguiu parar, ele tromba em mim e eu apenas o seguro contra meu peito, após um tempo com ele parado se apoiando no meu peito ele se afasta sorrindo, ele entra no quarto e eu faço o mesmo, e o que eu pensei era verdade, o quarto é três vezes maior que o meu, mas....mesmo assim, apenas um banheiro mas ok. 

Victor: eh...Daniel, vc quer tomar banho primeiro?

Daniel: pode ir primeiro. Sorri para ele, vai ele para o banheiro e eu me sento na cama. Depois de um tempo, ele sai do banheiro com a toalha pendurada na cintura, coro ao ver seu peitoral, abaixo a cabeça e me levanto, indo para o banheiro, tomo meu banho e percebo que esqueci a toalha. 

Daniel: ai que merda! Isso era para ser um pensamento mas acabo gritando

Victor: o que ouve Daniel?

Daniel: esqueci a toalha

Victor: ah só isso? A porta estava destrancada, Victor entra por ela e me entrega a toalha, abro a boca quase dando um grito, mas ele fica preso na garganta, pego rapidamente a toalha a enrolando na cintura e digo um obrigada rápido. Ele ri, ele riu, RIU DE MIM!!  Ele deve ta me achando idiota. Que homem fica assim depois de o verem nú. SÓ EU? Por que eu...?. Solto um suspiro e coloco uma camiseta e uma bermuda qualquer. E corro e pulo na cama ouvindo risadas de Victor. Acabo dormindo...por sei lá quanto tempo, sei que senti algo pesar sobre minha barriga, e algo segurar meus ombro me balançando fraco de um lado para o outro. Abro os olhos e vejo o rosto de Victor próximo ao meu chamando meu nome, eu estava meio dormindo logo percebo que ele não estava sobre minha barriga, estava esmagando alguem que parecia gostar, claro que eu estava ficando mais duro que tijolo. Levanto rápido o olhando corado. 

Victor:  cara! Temos aula agora, como você conseguiu dormir tanto. Perdemos as duas primeiras aulas

Daniel: foi mal. Você não quer faltar a aula não? Já que perdemos essas aulas, os professores não vão permitir que vejamos a aula

Victor: é. Você tem razão, mas o que podemos fazer? Diz virando a cabeça para disfarçar o sorriso malicioso que deu, ele acha mesmo que eu não percebi? Safadinho.

Daniel:  oque quer fazer Victor? Digo sorrindo com pura malícia, ele me olha fingindo indignada, mas não aguenta e ri, depois de um tempo, decidimos ir a piscina que ficava no jardim atrás do colégio, ficamos lá por umas 4 ou 5 horas, quando voltamos eu recoloco minha roupa, mas ele fica não fez o mesmo.

Daniel: por que não poe sua roupa?

Victor: ta calor. Muito calor. Ele se aproxima de mim me olhando nos olhos, depois de um tempo nos encarando, ele usa cada uma de suas mãos segurando cada lado do meu rosto, em um piscar de olhos, ele junta nossos lábios, explorando cada conto da minha boca, seu beijo era feroz mas ao mesmo tempo amoroso, não sei como explicar, esta amando o gosto de seus lábios, estava amando tudo que havia nele, amando cada canto de seu corpo, tanto externo quanto interno. Nos separamos graças ao ar que nos fez falta, estava os dois ofegantes, completamente corados, sem eu ao mesmo perceber, ele me empurra para a cama segurando meus pulsos logo ficando encima de mim no mesmo local de antes, ele percebeu que o local em que estava sentado estava...como posso dizer...escandaloso, aparentemente, ao perceber ele se movimentava lentamente sobre mim, me fazendo arfar baixo, ainda sobre mim ele ia se abaixando se aproximando perigosamente das minhas partes baixas, seu rosto estava próximo demais delas, eu o observava esperando o que ele pretendia fazer, ele abaixa minha bermuda junto com a cueca, ele fica o olhando o que estava escondido por baixo dos dois, e de repente abocanha meu membro, dando lambidas, chupadas e beijos, eu gemia em coro junto a cada movimento de vai e vem que ele fazia, eu comecei a sentir pontadas de prazer intenso sobre meu membro e acabo...gozando em sua boca, ele engole tudo com um sorriso nos lábios

Victor: que Leitinho gostoso... Mas acho que é hora de ir um pouco mais rápido. Ele tira sua cueca, que no caso era a única coisa que estava usando no momento, e aproxima seu membro da minha entrada, ficou me olhando esperando algum sinal de que podia fazer isso, e recebeu, aos poucos ele foi me penetrando calmamente, para que eu me acostumasse com a dor, quando me acostuml, faço sinal para que ele se movesse, ele no começo dava estocadas fracas, aos poucos, a cada gemido que eu soltava ele aumentava a velocidade, arfando junto a mim, pela cara que ele fez, ele chegou no seu ponto final, ele acaba se desmanchando completamente dentro de mim. Me deixo cair para trás na cama completamente exausto, ele estava deitado ao meu lado no momento, eu deixo a cabeça sobre o peito dele ouvindo seu coração a mil...ate que descido falar o que eu estava guardando para falar a bastante tempo...

Daniel: eu te amo...

Victor: também te amo...e sempre vou te amar Aproximo meu rosto do dele, o dando um beijo rápido e doce, logo nos dois adormecemos abraçados naquela cama de solteiro.


Notas Finais


Espero que tenham gostado desse One-Shot. Ate logo. Bjs S2


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...