História One shots Marvel. - Capítulo 14


Escrita por:

Visualizações 113
Palavras 1.599
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Fantasia, Hentai, LGBT, Misticismo, Universo Alternativo, Yuri (Lésbica)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Pansexualidade, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Beeeeninas, turupom?
Hoje um capítulo com nosso senhor estarque.
E esse cap se passa numa linha temporal diferente, pq acreditem, no próximo a4 isso vai rolar.
Nos vemos lá em baixo.

Capítulo 14 - Bad habit


Fanfic / Fanfiction One shots Marvel. - Capítulo 14 - Bad habit

Mais uma vez pega, por que sempre comigo? Estou sentada na cadeira a frente de Tony Stark, que me encara com as mãos a frente da boca. Eu o encaro a mais de 30 minutos,  e ele ainda não disse nada. Eu fui pega tentando fugir da base dos vingadores, mais uma vez. Eu já não aguento mais viver debaixo das regras desses caras, eu queria poder fazer o que eu quiser com meus poderes. Minha paciência já está no limite,  e stark percebeu,  pois finalmente se pronunciou. 

- então seu cabelo muda de cor mesmo? - perguntou se reencostando em sua cadeira.

 -conforme meu humor,  isso mesmo - afirmei revirando os olhos. 

- desculpe, eu não tive a oportunidade de olhar de perto o relatório sobre seus poderes. - ele disse com desdém dando um sorrisinho cretino,  e olhando a lixeira ao lado, então vi ali minha ficha. Eu fiquei possessa,  se ele não me quer aqui,  pois bem,  eu também não quero. A raiva tomou posse de mim,  e quando olhei neu reflexo na janela de vidro ao meu lado,  mesmo distante,  pude ver meu a cabelos em vermelho fogo, vivo. 

- se você não me quer aqui,  por que ainda me prende aqui?  - disse entre dentes e ele riu - eu não quero ficar aqui,  só me deixe ir. - falei tentando me acalmar. 

- você pensa muito pequeno,  criança - ele disse colocando os cotovelos na mesa, descançando o queixo nas mãos. - me conte sobre seus poderes - pediu de forma irônica e isso me irritou mais um pouco - uma ficha não me mostra nada,  eu quero saber,  ver ao vivo - ele pediu ainda me olhando. 

Eu não sabia ao certo o que ele queria, mas ele tinha uma ficha,  por que ele só não leu? Então num piscar de olhos,  eu era a réplica exata de Tony Stark. Ele me olhou incrédulo, e se remexeu na cadeira. No segundo seguinte,  eu era o capitão Rogers. Ele sorriu e abaixou a cabeça,  eu voltei a minha forma, e ele ainda sorria. 

- isso foi incrível,  o que você é?  - perguntou atento. 

- Metamoforga - ele juntou as sombrancelha,  um sinal claro que confusão - minha mãe,  era uma cientista muito curiosa, ela adorava testar coisas,  eu fui uma dessas coisas. - falei por fim e ele assentiu. 

- isso é muito bom,  então você muda sua forma,  cor dos cabelos e o que ma... - fomos interrompidos por Natasha romanoff, e eu tenho que admitir,  eu tinha uma queda por ela. Ela entrou na sala,  e trocou breve palavras com o stark,  e logo saiu da sala dando um sorriso pra mim. Virei para frente,  e stark me olhava sugestivo,  de primeiro não entendi,  e então ele olhou para meu cabelo.  Droga!  Virei meu rosto lentamente para a janela,  e ele estava num tom de rosa,  quase magenta,  essa droga me entrega. Limpei a garganta e voltei minha atençao a stark que tinha uma sombrancelha arqueada e ria baixinho. 

- qual a pergunta mesmo? - tentei sair só assunto,  mas em vão. 

- Natasha,  sério? - riu-se - até o banner seria uma opçao menos arriscada. - bufei irritada. - mas voltando aos negócios,  o que mais temos de poderes em você?  - apontou o dedo para mim,  enquanto se levantava e circulava a mesa,  sentando -se na mesma,  poucos centímetros ao meu lado. 

- telecinésia, clarividência, e magia no geral. - falei me sentindo incomodada com a aproximação dele.  Não posso negar,  ele é bonito,  a barba delineada,  aquele cavanhaque ridículo,  mas que era seu charme. Tony Stark é um cara bonito,  mas tão egocêntrico, por Deus! 

- isso é interessante - disse me tirando de meus devaneios - você seria uma grande arma - ele disse ficando de costas para mim,  encarando a paisagem da grande janela.

- creio que não,  não consigo acessar minha clarividência a meses - falei me encostando na cadeira - o máximo que consigo,  é ter visões durante o sono. Mas nada que se diz respeito a mim. - falei e ele me olhou. 

- suas visões não dizem respeito a você?  Como assim?  - perguntou interessado. 

- é,  basicamente eu tenho visões de partes distintas desse universo,  pessoas aleatórias,  inclusive com aquele seu amigo thor, ele devia ter cuidado com o irmão dele, vejo Asgard em chamas - falei e Tony se virou completamente pra mim. 

- você é muito interessante - ele me analisou com seus olhar,  de cima a baixo,  aquilo foi um flerte?. 

- você não sabe o quanto,  Sr. Stark - falei olhando em seus olhos, e ele mantinha os dele nos meus. Sorri. 

- quantos anos você tem? - ele perguntou indo ate a porta. 

- 24 - respondi ouvindo o barulho do trinco se fechar. Por que ele trancou a porta?. 

Stark virou pra mim e sorriu,  e eu já estava meio que sorrindo,  se o que vier pela frente,  é o que imagino, isso vai ser fantástico. 

- diga-me Mandy, qual sua orientação sexual?  - ele já estava de volta a sua cadeira sentando-se nela. 

- pansexual,  Sr. Stark,  por que da curiosidade?  - perguntei,  eu já sabia onde isso tudo iria dar. Tony é um ser egocêntrico,  mas irresistível a qualquer gênero. 

- vi que se interessa pela agente romanoff - seu sorriso aumentou,  se ele quer entrar nesse joguinho,  então vamos. 

- oh,  sim,  ela é muito atraente - afirmei cruzando as pernas - porém, não me limito a ninguém. - tirei meu casaco jogando ao lado de minha cadeira. 

- gosta de aventuras,  Mandy?  - em seus olhos brincava um brilho libertino,  que eu já vi muitas vezes.

- eu amo aventuras - falei me levantando circulando a mesa e sentando na mesma - ainda mais aquelas que nos deixam boas memórias - o puxei pela gravata,  seus olhos estavam fixos em meu decote,  ele engoliu seco e eu sorri,  meu joguinho estava funcionando. 

- gosto da sua atitude - ele se levantou da cadeira de supetao,  ficando entre minhas pernas,  eu ainda segurava sua gravata. - posso confiar que nada vai sair dessa sala? - ele olhava da minha boca aos meus olhos.  Sorri enrolando mais um pouco sua gravata em minhas maos, aproximando nossos rostos um pouco mais. 

- e por que sairia? - falei passando meus lábios de leve nos dele. - posso ser uma boa garota,  Sr. Stark - falei soltando sua gravata e  abrindo os botões de sua blusa social,  deixando eu peitoral exposto,  homens mais velhos são tão excitantes. 

- isso é um problema,  minha Mandy - ele abriu o zíper do meu cropped,  o retirando de mim em seguida,  liberando meus seios. - eu gosto das garotas más - ele beliscou meu mamilo me fazendo revirar os olhos.

Aquela bolha de sedução em que estávamos era quente, gostosa e tão excitante,  as mãos de Tony estavam massageando meus seios, e não quebravamos o contato visual. Levei minhas maos ao seu cinto,  o desfivelando.  Ele estava sem cueca,  facilitando meu trabalho.  Coloquei seu membro para fora,  o estimulando. Ele se inclinou lambendo meus mamilos, segurou as laterais da minha saia e calcinha, o ajudei a retirar as mesmas, e então me segurou pela cintura,  me colocando na ponta da mesa, passava seu membro em minha entrada,  me deixando ainda mais molhada.  Ele se posicionou em mim,  me penetrando lentamente,  ele me olhou nos olhos, e começou a se mover, ele mordeu meu labio, e gemeu rouco. Eu estava tão molhada que conseguia ouvir o barulho macio em cada estocada que ele dava. Tony me beijou ferozmente, eu rebolava meu quadril contra sua pélvis,  senti cada centímetro dele indo e voltando em mim.  Eu gemia manhosa em seu ouvido,  e ele gostava. Eu já estava perto do meu orgasmo,  e ele saiu de mim,  protestei o puxando pela camisa,  mas ele me desceu da mesa me colocando de costas pra ele, meus seios estavam amassados sobre a mesa gelada, ele segurou meus braços em minhas costas,  e me penetrou forte.  Soltei um grito de prazer,  Tony beijou minhas costas,  e continuou metendo,  eu rebolava sobre seu pau,  ele gemia tão rouco,  me fazendo gemer também. Minhas pernas fraquejaram,  e eu senti meu orgasmo,  tomando conta de cada centímetro. Me derramei sobre Tony que com mais 4 estocadas fortes e fundas,  também gozou. Ele saiu de dentro de mim,  se jogando na cadeira,  ofegante. Tomei fôlego e coloquei minhas peças de roupas no lugar,  e arrumei meu cabelo pelo reflexo da janela,  que estavam laranja vivo. Olhei para stark,  que já tinha colocado seu pênis dentro da calça,  mas ainda estava com a camisa aberta e a gravata em seu pescoço,  sem o nó. 

- eu já posso ir?  - perguntei indo em direçao a porta. 

- para seu quarto sim,  do centro de treinamento,  nunca mais.  - olhei incrédula para ele que sorriu - eu seria idiota se deixasse uma aventura dessas passar sem alguns repetecos - ele ia fechando os botões de sua camisa. 

- não preciso estar aqui pra conseguir isso - pisquei pra ele,  e me virei abrindo a porta - você pode me encontrar quando quiser,  Sr.stark - sorri maldosa e ele apenas negou com a cabeça. Fechei a porta e segui o corredor dando de cara com Natasha que sorriu para mim cordialmente,  eu retribui,  e quando passei por ela,  ela disse para que só eu pudesse ouvir "grite menos, a sala não é a prova de som" Eu ri internamente,  será que alguém ouviu? 







Notas Finais


Espero que tenham gostado, COMENTEM galera, e dêem favorito se gostaram, até a próxima ❤❤🌼🌸


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...