1. Spirit Fanfics >
  2. One step away from death - KIM TAEHYUNG - BTS >
  3. CAPÍTULO TRÊS

História One step away from death - KIM TAEHYUNG - BTS - Capítulo 3


Escrita por:


Capítulo 3 - CAPÍTULO TRÊS


- Eu não acredito que colocou tudo a perder Sn Min. - Andava de um lado para o outro. Ele pediu para que eu fosse ao seu escritório para obviamente me dar bronca. 

- Sn Kang. - O interrompia.

- Fica calada. - Para se andar batendo as mãos na mesa me assustando e me encarando. - Você fez mal Sn Min, muito mal!! - Puxa seus cabelos para trás tentando não estourar. - Eu deveria ter colocado a Aisha em seu lugar, ela é mais experiente. Você ficou dando em cima daquele cara para nada e adivinha igualzinha sua mãe!! Foi assim que eu nunca mais quis vê-la!!

- Porque você se importa mais com seu trabalho e reputação. - Dizia pensativa. Suspiro profundamente fechando os olhos decepcionada.

- Não, Sn. - Tentava se aproximar.

- Irei me retirar. - Vou até a porta e assim que a abro vejo Taehyung prestes a bater nela. Ele me encara como se estivesse com pena e eu logo reviro os olhos esbarrando em seu ombro o empurrando um pouco para trás. 

Vou até a mesa de Félix sentando no banco reserva.

- Sn, filha... - Meu pai vinha até mim seguido de Taehyung. - O que está fazendo? 

- Esse é- Interrompo Félix.

- Não havia nada de interesse no celular dele, a única coisa que iríamos precisar era de sua agenda. - Falava apertando vários botões. - O próximo lugar que ele irá é em uma festa de gala localizada ao centro da cidade ao lado da prefeitura, ele foi um dos convidados especiais do dono da festa. - Dizia os mostrando o local da festa.

- Shong Lee, 27 anos dono da Power Lee, uma das empresas mais requisitadas entre o mundo. - Mostrava o homem.

- Sn, por que nos mostrou isso agora, assim eu não poderia ter-

- Gritado comigo e falado verdades que não queria? É suspeitei. - Levanto. Vejo Aisha chegar. - Bem, a festa será amanhã a noite, Félix irá estar em seu mesmo posto, Aisha e Taehyung irão estar dentro dali, e eu vou invadir o último andar da mansão.

- Precisamos de uma senha que está no anel de Yang Han, ele irá dar passagem a porta do cofre onde Sn colocará a senha e irá pegar a que está lá dentro.  - Félix falava.

- Que no caso é nossa segunda chave para o cofre chefe. - Concluo.

- Tá mais, pq eu? Esse não é meu cargo! - Aisha dizia sem entender.

- Bem, Aisha... você é mais experiente! - Olho para meu pai. - Eu vou descansar agora.... - Saio dali.

Para minha surpresa iria estar no mesmo quarto que Taehyung. Não me importava muito com a ideia então não falei nada.







Havia acabado de tomar um banho e estava de roupão cetim preto e langerine da mesma cor quando Taehyung entra ali. 

- Deveria ter contado antes. 

- Por que? Por que se importa? - Dou de ombros rindo nasal.

- Não. Porque foi um ato hipócrita. - Sentava em uma poltrona ali. - Deixou a todos desesperados.

- Obrigada pela preocupação. - Me jogo na cama. - Eu apenas queria saber a verdade de meu pai. Queria que ele fosse sincero.

- Não confia em seu pai? - Me olha torto.

- Eu confiava. - Olho para a janela observando o sol se pôr. - Não sou filha única. Tive um irmão. Ou tinha... Ele sempre cuidava muito de mim...

- Não estou interessado em suas historinhas. - O ignoro.

- Eu tinha 5 anos e ele 7 quando nossos pais tiveram uma briga feia, eu não sabia o motivo até minutos atrás.... - Taehyung prestava mais atenção em mim. - Eu fiquei com minha mãe, meu irmão com meu pai.... Quando eu e minha mãe fomos o visitar, adivinha? Meu pai vendeu meu irmão, isso após me prometer e prometer a minha mãe que iria cuidar dele. Sabe pq ele vendeu ele? - Olho para o mesmo. - Ele estava quase a falência. - Me sento.

- Por que contou isso para um desconhecido? - Sentava ao meu lado.

- Você não é um desconhecido. É Kim Taehyung, um dos melhores espiões de meu pai. Quase 500 casos resolvidos. Tentei me aprofundar mais... mas eram as únicas informações...

- Você realmente é uma louca. - Solto uma risada nasal. Acho que era isso que ele queria, pois até sorriu. Fraco. Mais sorriu. - Por que queria saber mais sobre mim?

- Desde o momento em que te vi fiquei interessada. De verdade. Pensei que nunca iria me apaixonar por alguém de terno. - Solto uma risada soprada e o mesmo apenas me olha surpreso. - Eu sei, sou bem direta. - Sorrio. 

O mesmo permanece calado apenas a me encarar. Nossos olhares se aprofundaram um ao outro. Agora meus corpo havia se tornado imã, me aproximava cada vez mais, e mais dele. E assim nossos lábios roçam um no outro. 

- Sn. - Saía de perto de mim e bufo. - Não posso lhe corresponder.

- Aish por que não? - Levanto intrigada.

- Porque não Sn, não insista. - Suspirava frustado.

- O que houve? Por que está me recusando.

- Olha, PARE DE INSISTIR NISSO E CUIDE EM SEU TRABALHO! - Me assusto com seu tom de voz. - Nossa relação é proficional e nunca ultrapassará isso. - Sai dali sem mais nem menos.

- Mais... O que deu nele? 









- Ele adentrou. - Félix avisava a Taehyung e Aisha que já estavam lá dentro. - Sabem do plano não é?

"- Sim, eu me aproximo e pego o anel, passo para Taehyung que tem que rapidamente ver a senha e me entregar de volta para que eu o entregue discretamente."

- Isso. Está pronta Sn? - Me olha. - Sn! - Saio da transe. Estava a pensar do porque da alteração estranha de Taehyung esta manhã. Ele não pode se ficado daquela forma sem motivos. Ninguém havia me rejeitado. - Hey... - Segura em meu ombro me fazendo o olhar.

"- Tá tudo bem?"

Taehyung falava ao outro lado.

- Será que dá pra eles acelerarem o processo? Não temos muito tempo. - Falo saindo do carro.

Escalo ali e ao passar pela janela onde a festa ocorria via Aisha esbarrando em Yang Han. Suas mãos eram ágeis que logo pega o anel dele sem que perceba, Taehyung passa por suas costas dando a Aisha chance de lhe passar o anel, e Aisha começa a atuar o ajudando a achar o anel.

Subo para o seguinte andar adentrando e parando.

"- Tudo certo."

Dizia Taehyung.

"- Está pronta Sn?"

Félix falava em seguida.

- Há vários guardas aqui. - Sussurro.

"- Se esconda antes que te vejam!!"

- Já era Félix, estão todos a minha frente. 

"- Sn saia daí." 

- Por que não atacar? - Respondia Taehyung que agora estava preocupado.

"- Sn, nós não queremos um alguém morto, saia daí imediatamente!"

Alterava sua voz.

TAEHYUNG ON

"- E quem é você para me dá ordens?"

A mesma soltava uma risada nasal. Estava sem dúvidas de que estava brava.

- Sn, não temos um plano de ataque!! 

"- Eu tenho.... ataque!" 

De repente ouço barulhos de pancadas repentinas. Não se sabia quem estava apanhando e eu estava mais preocupado do que deveria. Há anos não sentia um embrulho na barriga e medo de perder alguém.

AISHA ON

- Onde será que está. - Estava ao chão junto a Yang Han ainda a "procurar" o anel. 

- Estamos ficando sem tempo! - Sussurrava para os outros. 

Eram tantos barulhos de pancadas que não poderia mais ouvir ninguém. 

TAEHYUNG ON

"- Ah!"

Ouço um barulho de choque e um gemido de dor vindo de Sn.

- Sn!! - A chamo e ouço mais alguns barulhos de pancadas.

SN ON

- Aish... - Via meu braço cujo havia levado choque de uma arma de choque. Tiro a luva e via que logo estaria roxo. - estou bem. - Avisava a todos que suspiram. Caminho até a porta do tal cofre discretamente. - Qual a senha?

"- 169YAB618*87~0"

- Pronto. Pode devolver o anel. - O cofre se abre. Confiro se não avião laiseres ali dentro e logo entro. A senha estava estampada em um bloco de aço e logo tiro foto e saio dali. Vejo o corredor cujo vários homens estavam ao chão e desço pelo mesmo lugar.

AISHA ON

Taehyung joga para mim o anel e acaba assustando ao homem. 

- Aqui! Achei. - O mesmo pega de minha mão. - Me desculpe novamente.

- Está tudo bem. - Ergue uma sobrancelha.

- Com licença. - Me curvo saindo dali.

Vou para o lado de fora entrando no carro junto a Taehyung.

SN ON

Estava passando a senha para meu pai e para o dispositivo de Félix para que tudo estivesse guardado.

- Levou um choque não é? 

- Estou bem. - Sorrio fraco para o mesmo. E Taehyung e Aisha entram ali.

- Se não cuidar disso pode piorar. - Félix continua falando.

- Deixe-me ver seu braço. - Taehyung estendia sua mão. Logo o ignoro porém o mesmo pega minha mão tirando a luva. - Cuide disso depois.

- E se preocupa? - Solto minha mão do mesmo.

- Não. Só não quero uma garota doente para a próxima missão. - Reviro os olhos e Félix da a partida.







- Aí! Cuidado Félix! - Dizia quando o mesmo encostava o algodão com remédio em meu braço.

- Eu nem se quer toquei em seu braço! - Bufo.

- Vai cuidar dos outros negócios , eu cuido disso. - ia pegando o algodão de sua mão quando Taehyung o pega.

- Pode ir, eu cuido dela. - Se senta a minha frente. E reviro os olhos. - Me de sua mão... - O ignoro novamente e novamente ele pega meu braço. Tento me soltar porém não resisto. Por mau gosto deixo Taehyung cuidar daquilo. Suas mãos eram cuidadosas e leve. Ele se concentrava bem naquilo. O observando deixo escapar um sorriso levemente.

Ele logo pega a faixa e enfaixa meu braço.

- Pronto. Amanhã mesmo deve estar melhor. - Me olha. - Está com raiva de mim não está? 

- Por que estaria com raiva de um desconhecido? - Usava trocadilhos.

- Que eu lembre não era um desconhecido desde que decidiu saber mais sobre mim! - Revirava com suas palavras.

- Exatamente, logo após dizer que gosto de você e você me rejeitar de uma forma infantil! - Ele fica calado.

- Senhorita Min, seu pai lhe chama no escritório. - Um funcionário falava.

- Quantas vezes tenho que dizer, meu sobrenome é Kang. - Passo pelo mesmo.







- Estou orgulhoso de você. - Meu pai falava sentado a minha frente.

- Sério? Não disse isso da última vez. - Sorrio sarcástica.

- Aish, o que quer? Desculpas? Então ok. Me desculpe por ontem.

- Há um bom tempo não acredito mais em suas desculpas senhor Min. - O encaro. 

- O que eu lhe disse quando nos vimos?

- Disse que era pra agirmos como papai e filhinha na festa chata cujo você me puxou. 

- Não estou falando disso, sabe muito bem. Falei para deixar nossas diferenças de lado.

- Se eu fizesse isso... nem meu pai você seria. - Ele suspira.

- Sn esqueça o passado. Lutei tanto para que tivesse uma infância boa. Uma infância feliz!

- Como irei esquecer? Lutou para que eu tivesse uma infância feliz mas tirou a felicidade de mim. Ou melhor... tirou uma pessoa de mim...

- Sn não seja mau comigo, colabore estou lutando para que seja feliz!

- Como??? Como irá fazer isso!?!? - Suspira. - Eu estou cansada, cansada de você.

- Sn, minha filha você está estressada, irei mandar marcarem o spar para você amanhã ok?

- Viu? Esse é seu problema!! SEMPRE QUERENDO ME COMPRAR!! Mas eu te digo uma coisa senhor Min, nossas relações já acabaram a anos, e eu só não paro de lhe ver pois ainda tenho um pingo de consideração por você, pois infelizmente.... você é meu pai.... - Ele fica calado. Suspiro contendo as lágrimas e logo saio dali. Ignoro a atenção que havia chamado e passo por todos sem ligar.










Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...