1. Spirit Fanfics >
  2. Onee-shoots sobre qualquer coisa >
  3. Cap 3

História Onee-shoots sobre qualquer coisa - Capítulo 3


Escrita por:


Capítulo 3 - Cap 3


Esse capítulo é um presente especial para a minha amiga que está fazendo 14 anos hoje! Ela pediu porque ela amou a minha fanfiction de O deus e a Profeta, e ela shippa muito o casal Wari e Bills, esse capitulo é da primeira vez deles, então aproveitem o capítulo, seus safadinhos.

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

O dia estava mais pacifico do que nunca, era uma linda tarde, perfeita para tirar um tempo para si. Era oque Awori fazia naquele momento, ela lia um bom livro, e como foi proibida de sair com Whis e o deus da destruição, por uma certa "desobediência", no caso, comer alguns dos últimos chocolates do senhor Bills, isso era uma das várias coisas que conseguiam tirá-lo do sério, depois do Goku falando merda e das broncas do Whis. Mas aquele dia em particular estava deixando Bills com um misto de tédio e irritação por não ter nada para fazer. Não podia comer, porque Whis saiu para comprar mais comida, e ele, não tinha nada para comer, a não ser um pote de picles azedo e um pequeno compartimento de molho picante, mas isso eram comidas que a Wari gostava e pediu e ele não. Ele não podia dormir porque ele tinha um pequeno problema... e era justamente esse problema que estava deixando ele mais inquieta e irritadiço. Ao se aproximar do sofá ele viu Wari lendo um livro e considerou a ideia de (ler um livro? Não). Mas de conversar com ela, por mais que estivesse de mau-humor e com aquele "probleminha", ele não tinha mais opções, e talvez a Wari pudesse distrair o mesmo de sua inquietação, então ele sentou ao seu lado e debruçou as mãos no sofá e abriu um olho para observar Wari em sua leitura, ela parecia estar tão concentrada no seu afazer que nem deveria ter notado ele ali, então ele resolveu quebrar o gelo com uma pergunta.

- Oque está lendo?

Sem desviar os olhos do livro ela respondeu com aquela expressão de serenidade.

- É um livro de romance, se chama orgulho e preconceito, porquê?

- Porque estou entediado e não tenho nada pra fazer então vim aqui conversar com você para ver se o tempo passa mais rápido.

- Bem, isso faz mais sentido, você não parece que é do tipo que lê.

Agora ela conseguiu prender a atenção de Bills, ele já estava irritado e ela só estava colocando fogo na lenha, se ela não tomasse cuidado, um planeta iria ser responsabilizado por algo que não cometeu, mas Bills ao invés de retrucar e dar um fim no comentário um tanto sincero, resolveu dar continuidade àquela conversa e ver até aonde aquilo iria parar.

- Então você pensa que eu sou do tipo que faz oque? Mocinha.

Ela olhou pra ele com um sorriso inocente e fechou o livro se virando para ele pensando em como poderia dizer, mas já teve uma ideia do que falaria.

- Bem... "Velhote", o meu ver, você parece ser do tipo preguiçoso que só come e dorme e age como um gatinho manhoso quando não fazem oque você pede.

Ela disse aquilo com aquele sorriso inocente e sem medo do que ele poderia fazer, ela pensava que Whis ainda estava em casa e que qualquer coisa que ele pudesse fazer era só chamar o ser azulado de cabelos brancos.

Errado

Em circunstâncias normais, o Bills se irritaria com oque ela disse e quebraria algo só de raiva, ou apenas sairia batendo pé, ou quem sabe começaria uma discussão.

Mas não era o caso

Ele estava com um probleminha, e esse probleminha não estava fazendo o Bills raciocinar direito no momento, então alguns segundos depois de ele ser insultado, ele deu um sorriso de canto e partiu para cima de Wari ficando por cima dela e deixando ela completamente perplexa e sem palavras por tal ato repentino. Apenas olhava para ela com aquele sorriso sedutor e a pobre Wari só se perguntava oque raios havia dado nele hoje. Foi então que ela percebeu. O rosto meio corado, as pernas tão cruzadas, o mau-humor, a inquietação...

Bills estava no cio

e Wari havia se tornado sua presa

- Gatinho manhoso, querida? É porque você não conhece meu outro lado~

- S-seu outro lado?

Ele acenou com a cabeça e aproximou o rosto do ouvido dela para que somente ela ouvisse.

- Sim~ meu lado pervertido~

Wari parecia que iria explodir de tão vermelha que estava, sabe se lá oque deus(ou no caso oque o próprio deus) iria fazer com ela, ela não pode lutar ou responder, pois, sua boca foi silenciada pelos lábios gélidos de Bills, oque era apenas um selinho puro e inocente foi tomando um rumo mais pecaminoso, uma dança entre às duas línguas foi se formando, Bills não se limitava em ficar em apenas na boca dela, ele queria mais, muito mais. Então ele enfiou a língua áspera na garganta dela, fazendo com que ela quase engasgasse, mas tudo oque é bom tem que acabar, então ele desfez o beijo, deixando que apenas um fio de saliva conectasse os lábios de ambos, que permaneciam ofegantes, tentando se recuperar desse ato fumegante, mas Bills não estava satisfeito, ele queria mais, muito, muito, muito, mais. Ele iria começar a brincar com ela, então ele dedilhou até a borda da blusa de Wari, enfiando sutilmente o dedo por debaixo da borda, puxando para cima, ameaçando arrancar a mesma fora. Wari estava tão envergonhada que se recusava a ver tal ato, cobrindo seus olhos com suas enormes orelhas de coelho, ela não pode ver Bills cortando sua blusa ao meio, deixando ela seminua na parte de cima. Bills apenas se deliciava com a visão, lambendo seus lábios, ele decidia oque queria fazer com os fartos seios da coelha cósmica. Resolveu pegar um e apertou de leve, desencadeando uma reação em cadeia na pequena, fez com que as orelhas se espetassem soltasse um gemidinho baixo, ele não poderia estar mais satisfeito, a vontade de fodela naquele momento era grande, mas ele tinha que se controlar para que obtivesse sucesso em seu joguinho mental, então lentamente foi lambendo com aquela língua áspera o bico do mamilo dela, fazendo movimentos circulares, bem lentos e precisos, isso estava deixando a Wari louca, ela se contorcia e tentava fazer ele parar com isso, mas uma parte dela queria que ele continuasse e não parasse mais. Ela estava tão úmida na parte íntima, mas ela se recusava a ressaltar esse fato para o Bills, ela não queria se sentir submissa a ele mas eu acho que era um pouco tarde demais pra isso já que ela estava a gemer seu nome conforme ele ia lambendo o bico do seu seio.

-M-meu deus, Me faça sua por favor!~

Bills não podia estar mais feliz, seu charme finalmente fez efeito e Awori já estava enfeitiçada, Excitada, para ser mais exata, então já que ele estava cansado de brincar com os mamilos dela, ele foi beijando o pescoço dela e fazendo uma trilha de beijos, do peito, a barriga, e finalmente parou em frente a calça da Wari, olhando sua intimidade com desejo, ele estava louco para rasgar a calça dela mas ele tinha que se controlar, o seu joguinho ainda não tinha chegado no seu ápice, então para dar continuidade ele lentamente foi tirando a calça dela, junto da calcinha. Wari, a coitada estava tão Vermelha que chegava a dar pena, ela apenas engasgo com o próprio gemido e só olhava as ações do Bills com o olho entreaberto, observando ele aproximar o rosto de sua vagina, aberta pelos dedos dele, arregalando os olhos ao ver que ele iria colocar sua língua dentro de sua buceta lisa e rosinha.

-B-Bills eu sou sensível ai~

-É Mesmo? Então não pouparei esforços~

Sem mais delongas, começou a lubrificar a entrada com sua língua áspera, Wari gemia mais alto a cada lambida, seu rosto ficava mais vermelho a cada lambida, até que ele a penetrou, fazendo movimentos circulares e batendo contra suas paredes vaginais, não estando satisfeito com o fato de ela ter mordido os lábios para conter os gemidos, ele decidiu fazer algo ousado e a penetrou batendo contra seu útero, ela era apertada, isso era oque deixava a coisa mais excitante, para ir com tudo, ele foi agressivo, já não consegue mais se controlar e agora... ele vai dar tudo de si. Bills continuou o movimento contínuo por alguns minutos e quando percebeu que Wari iria chegar ao limite, ele para bem no meio, lentamente separando sua boca de sua intimidade, deixando apenas um fio de pré gozo,  unindo as partes de ambos, aquilo estava muito silencioso, e só podia se ouvir os gemidos baixos de Wari e o ofego do Senhor Bills. Wari estava confusa e não sabia porque ele havia parado então olhou para o mesmo e tentou juntar forças para formar uma oração, por mais que o prazer não deixasse ela falar, ela queria perguntar.

-P-porque parou?~

- Porque agora vai vir a melhor parte coelinha~

Sem muita cerimônia, ele bruscamente se ergueu e antes que pudesse se aproximar de Wari, ele fechou as pernas e fez um não com a cabeça, tentando resistir ao pecado que era o ato que estava a cometer, mas a luxúria era algo insaciável da parte de Bills, e o seu cio não ajudava ele a raciocinar muito bem, então ele fez oque qualquer animal no cio faria, e continuou sem parar, abrindo as pernas da coelha e se posicionou, ficando por cima, observando seus olhos que estavam com uma expressão de quem estava com o medo a flor da pele, ela queria ele, mas ela também temia o Deus, mas já que o estrago já estava feito, só restaria continuar. Os dois selaram os lábios e as línguas que estavam em total sintonia, Bills aproveitou a oportunidade que ela estava distraída com o seu beijo apaixonante e deslizou a mão até o seio dela, onde o apalpou e começou a massagear, Wari não consegue conter os gemidos entre o beijo e aproveitava para soltalos entre as pausas do beijo para poder respirar, e Bills estava adorando brincar com os mamilos e o peito da coelha, para ele, eles eram tão macios, mas ele não poderia se contentar apenas com o básico, ele queria o pacote completo, então para encerrar sua brincadeira com chave de ouro, ele foi lentamente se levantando e precisamente retirando a calça revelando seu membro ereto, Wari deu um pequeno grito com o tamanho de tal membro.

-Squeack!

- Não se preocupe bebê... eu vou ser gentil com você~

Wari iria confiar nas palavras de Bills e deixaria ele ser seu condutor naquela viagem ao paraíso do prazer. Subitamente, ele se posiciona entre as pernas dela e a penetra com a cabecinha, e Wari soltou um pequeno gemidinho de dor, então ele deixou a mesma se acostumar com a dor, até que se transformasse em prazer, Bills ia a penetrando com uma velocidade impressionante, agora ele gemia também, nesse instante, ambos sentiam sua cota de prazer, Bills queria algo mais, então começou a apalpar e massagear os seios da Gleeful. Depois de alguns minutos naquela posição que o deixava completamente provocado,  então ele pegou Wari e  colocou os dois em uma posição sentada e Wari parecia não entender o motivo.

-O-oque você-Ahn!~

Ele começou a fazer Wari quicar no seu colo enquanto apalpava seus seios, ela revirava os olhos e estava com a língua para fora e com o rosto totalmente carmesin, com as gotículas de suor escorrendo pelo seu rosto, aquilo estava deixando ela totalmente maluca, seu pompom estava completamente espetado e ela estava ficando cada vez mais perto do ápice.

Só mais um pouco

Vai lá!

Estamos quase...

E então ambos gozaram e experimentaram o êxtase, ofegantes e suados, os dois se separaram e começaram a arrumar suas vestes, mas ao se encararem denovo, eles se olharam mais uma vez e voltaram a selar os seus lábios novamente

The end



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...