1. Spirit Fanfics >
  2. One's and shortfics: Selections Dofia >
  3. Hawái - Part II

História One's and shortfics: Selections Dofia - Capítulo 3


Escrita por: fckszombie

Capítulo 3 - Hawái - Part II


Sofia’s POV 


– Senhorita Carson? Sofia?! Sofia! 


Levantei a cabeça no susto, eu havia dormido sentada, debruçada sob os últimos relatórios que analisava. Rose estava bem a minha frente, com um copo de café e com roupas diferentes, só então que percebi que realmente havia passado a noite ali. 


– Céus! De novo! — murmurei desgostosa aceitando o café 


– Isso não é saudável Sofia — ali percebi que Rose estava sendo minha amiga, não minha secretária, e me desarmei — achei que estava bem, soube do noivado… Mas acabar de chegar de viagem e acordar no escritório, bem, não é bem uma mensagem de felicidade que me passa não. 


– Ela tem me ligado, muitas vezes — admiti e sabia que não precisava citar nomes para que a mulher soubesse de quem se tratava 


– Não conversou com ela desde a última vez? 


– Da última vez que ela me pegou aos beijos com Sabrina no estacionamento? Não! Não tenho coragem de ouvir o que ela certamente tem para me dizer 


– Talvez ela só queira acertar as coisas 


– Ou talvez só queira me dizer que vou queimar no fundo do inferno! — despejei um pouco de uísque dentro do café e tomei alguns longos goles 


– Isso deve ser horrível ! 


– É, é mesmo… eu não acredito que estraguei tudo com Dove por ser uma covarde 


– Eu estava falando do café batizado 


– Oh … — senti meu rosto corar 


– Vá pra casa Sofia, tome um bom banho, durma algumas horas e pense um pouco a respeito, talvez não seja tarde demais para vocês duas. — dei um sorriso de lado — eu dou conta das coisas aqui enquanto estiver fora 


– Obrigada 


– Sempre as ordens.


Depois que Rose me deixou, eu terminei de analisar as pendências e realmente deixei a empresa, estava um caco, precisava dormir. 


Assim que abri a porta de casa, dei de cara com Sabrina aparentemente pronta para sair, suspirei e fechei a porta atrás de mim 


– Oi — murmurei, passando direto por ela depois de dar-lhe um beijo na testa 


– Oi? É a única coisa que tem pra me dizer depois de passar a noite fora de casa? 


– Olhe para mim Sabrina — abri os braços, dando alguns passos para trás enquanto a olhava — onde acha que passei a noite?


– No escritório? — ela deduziu, eu baixei os braços e lhe dei as costas, caminhando até meu quarto — sinto muito Sofi, é que você não me deu notícias, eu liguei pra você e não consegui falar, e depois do horário de expediente não conseguiria falar com ninguém da empresa, estava prestes a ir atrás de você, eu só estava preocupada — suspirei pesado e caminhei até ela, deixando um beijo sobre seus lábios e segurando seus braços 


– Eu sei, me perdoe… Tinha muita coisa acumulada, eu perdi a noção 


– Tudo bem, vou preparar algo para você comer, vá tomar um banho


– Você não precisa preparar nada, peça para a Ashley, e venha para o banho comigo. — pedi e ela sorriu com certa malícia. 


– As vezes eu acho que você apronta pensando na reconciliação 


– Você sabe que sim, mi cielo, agora vá… te espero na banheira! 


Eu não pude reclamar daquela manhã, me rendeu um bom sexo e boas horas de sono, mas ainda no período da tarde daquele dia, eu estava novamente enfurnada naquele escritório.



– “Mi Cielo” sério Carson? — tomei um puta de um susto ao reconhecer a voz, agradeci estar sentada, ou não podia garantir que meus joelhos não fraquejariam — o que mais usa com ela que usava comigo? 

 

– Senhorita Carson, eu juro que tentei segurá-la, o segurança que está de plantão é novato, não sabia que ela estava barrada… 


– Não se preocupe Rose — acalmei a jovem que parecia desesperada — o que faz aqui Dove? 


– Precisamos conversar, você não atende, não me responde, eu não tive opção! 


– Senhorita Carson…? — Rose permanecia atrás de Dove sem saber o que fazer 


– Está tudo bem Ro, deixe-nos e por favor garanta que não seremos interrompidas


– Sim senhora! 


– Não te atender, nem retornar não é uma resposta muito clara Cameron? 


– Isso é sério? Quer dizer… que merda você está fazendo Sofia? 


– Me desculpe? 


– Nós não estávamos num bom momento, eu tenho consciência, mas daí a você me aparecer namorando com outra sendo que sequer havíamos terminado definitivamente? Pelo menos na minha cabeça!? 


– Não sou responsável pelo que se passa em sua cabeça Dove, você deixou claro que não via um futuro para nós, isso não é um término? Porque para mim me parece um — engoli a seco quando ela caminhou até a frente de minha mesa, espalmando as mãos sobre o mogno polido 


– Você está convencendo a si própria, Sofia? Nesse seu teatro barato? Pare de mentir, postar uma foto com ela usando o apelido que sempre me chamava? Da próxima vez você me marca! 


– Dov… — ela me interrompeu antes que eu pudesse rebater 


– Não, você é inacreditável! Eu sei que ela te trata bem, que é louca por você… mas isso não muda o fato de que eu cheguei primeiro! Ela pode te fazer bem Sofia, mas não te ama como eu te amo! — engoli a seco e virei minha cadeira em direção às janelas, tentando fugir de seu olhar — a propósito, parabéns pelas férias no Havaí, maravilhosas fotos no Instagram, enganou bem seus seguidores, aparentemente não te falta nada… — ouvi o barulho de seus saltos, e pedi a todos os céus que ela não estivesse caminhando até mim — foi para que eu visse como você está bem? Isso te faz mal Sofia, você não pode comprar amor! 


– Vá embora Dove, você não precisa disso — quando senti minha cadeira ser virada com força, soube que estava perdida 


– Olhe nos meus olhos e diga que o que tivemos acabou! — não tive essa coragem, quando tentei levantar o olhar dei de cara com seu decote, definitivamente aquilo não facilitava minha vida, então só fechei os olhos. Por tempo o suficiente para sentir Dove agarrar com força a gola de minha camisa, me puxando pra cima, fazendo-me ficar de pé — olhe pra mim, sem distrações Carson … — droga! Ela havia percebido, senti meu rosto esquentar com o flagra e depois de suspirar encarei seus olhos, que inferno, eu não encontraria aqueles olhos em nenhuma mulher na face da terra — diga-me que não sente mais nada por mim e eu vou embora 


– Eu… — estava disposta a dizer, por mais que soubesse que seria minha maior mentira contada, mas não tive coragem, Dove suspirou, mas não me largou 


– Você sabe que depois de mim, não haverá mais amores Carson, o que tivemos foi único… nos tornamos uma só, por favor não estrague isso! 


Sem me dar tempo de resposta, Dove atacou meus lábios num beijo urgente, cheio de sentimento e saudade, eu não pude e nem quis fazer nada além de retribuir. 


Era fato, Dove estava certa, não importava o que eu buscasse, muito menos em quem, eu jamais encontraria algo parecido com o que tinha com ela. 


Não sei em que momento nos perdemos uma na outra, mãos já exploravam corpos sem pudor, nossas bocas já conheciam muito bem aquele encaixe perfeito de lábios e línguas, eu já estava completamente excitada e tinha certeza que Dove não estava diferente, mas num estalo de realidade, eu percebi o que estava prestes a fazer quando a loira já estava sentada em minha mesa com as pernas rodeando a minha cintura. 


– Isso é loucura Dove, o que estamos fazendo?


– Loucura é o que você está prestes a fazer amor — sua voz era rouca, denunciando sua excitação — sabe que não adianta procurar, você não vai encontrar isso em outra! 


Nossas respirações estavam ofegantes, meu coração palpitava em meus ouvidos como tambores, eu não podia fazer aquilo com Sabrina! 


Afastei-me de Dove como se a mulher tivesse me dado um choque. Caminhei até o armário e me servi de uma dose de uísque puro, tomando num gole só e arrumando minhas roupas, assim como meu cabelo. 


– Saia daqui Dove, o que tivemos acabou, eu não posso fazer isso com Sabrina! Eu não … ela não merece. 


– E eu mereço? 


– Dove… por favor! — engoli a seco quando me virei e dei de cara com ela novamente — não torne mais difícil!


– É difícil porque você sente algo por mim Sofia, do contrário não hesitaria tanto!  Não cederia a esse ponto, não faça isso. — implorou 


– Dove… vá embora.  — novamente lhe dei as costas, é mesmo diante do ruído e da batida estrondosa na porta, eu não olhei em direção a sua saída por minutos.


Eu estava perdendo o amor da minha vida por uma decisão errada.


(...)


– Você veio! — Paulina foi quem me recebeu na porta da casa de nossos pais.


No final do expediente minha irmã me ligou, chamando para um jantar de família, e depois do encontro com Dove aquela tarde, voltar para casa, para Sabrina, era a última coisa que eu queria.


– Eu vim — lhe dei um beijo na testa — que saudade meu amor! — nós nos abraçamos apertado 


– Eu também estava com saudade irmã, difícil te encontrar fora daquela empresa! 


– Sofia! — ouvi a voz grave de nosso pai atrás de Paulina, nossa mãe o seguia de perto


Papa, ¡bueno verte! — larguei Paulina para abraçá-lo, em seguida minha mãe e logo estávamos na mesa exageradamente grande de meus pais, jantando e rindo como loucos depois de algumas taças de vinho. 


Muita conversa e pelo menos duas garrafas de vinho depois, estávamos os quatro no deque lateral da casa, ainda bebericando alguma coisa. Eu discutia sobre a empresa com meu pai enquanto Paulina contava empolgada a mamãe alguns detalhes de seu novo livro. 


– Parece que você finalmente se estabilizou na empresa, quero dizer, você tomou excelentes decisões, seus resultados em pesquisa e em números são satisfatórios, você construiu o próprio legado em cima do meu, quando falam nos Carson’s hoje em dia, você e Paulina são as referências, tenho orgulho de você filha!


Gracias, papa…


– Ei! Mas porque no singular? — Paulina interrompe sorrindo 


– De vocês duas, meus amores! — nós rimos — admito que Cameron como seu CFO foi uma surpresa agradável, ele tem trabalhado muito bem!


– Cam é ótimo! 


– Você parece ter tudo sobre controle, só resta organizar sua vida amorosa — cuspi o vinho que tomava na hora com a surpresa da mudança de assunto, mamãe e Lina explodiram em gargalhadas enquanto eu tentava me recompor 


– Mas do que você está falando? Sabrina é ótima! 


– E eu não disse o contrário, mas ela não é a mulher que ama mi hija… 


– Você não superou a Dove, Sofia, só precisa admitir pra si mesma, porque todo mundo já sabe — Paulina 


– Do que você está falando!? Isso não é verdade! — rebati


– Oh filha, tem certeza que não? É só você parar pra pensar no padrão de mulheres que se envolveu depois dela — minha mãe disse com tanta naturalidade que eu a olhei pasma 


– Loiras, baixinhas, olhos claros! Céus Sofi, olha para a Sabrina! — Lina 


– Mas que história é essa agora? Sabrina não tem nada a ver com a Dove! 


– Porque demorou tanto a dispensá-la quando ela foi ao seu escritório hoje? — Minha irmã perguntou como quem pergunta sobre o tempo, clara e desinteressada 


– Como você sabe que ela esteve lá?


– Quem você acha que a levou? Eu sabia que ela estava barrada, tal como sabia que haviam novatos na segurança 


– Paulina, porque infernos você fez isso? — vi quando meus pais sorriram e juntaram-se num canto da varanda, tomando suas bebidas com sorrisos largos enquanto Paulina estava de braços cruzados me encarando de sua cadeira 


– Você cedeu, não? Deslizou!? Se tivesse superado, ela não mexeria com você, estar com Sabrina é um erro Sofi, e você sabe disso… Dove e você tiveram problemas mas ela está sofrendo um inferno sem você 


– Eu não sei o que deu em vocês para serem tão invasivos em minha vida amorosa, queiram vocês ou não eu irei me casar com Sabrina, diga isso a sua amiga — passei mau humorada por minha irmã — eu não quero mais ouvir uma só palavra em relação a isso! 


Sai pisando forte e aquela foi a última noite em que me reuni com minha família antes do meu casamento.


Sabrina e eu passamos semanas preparando tudo, ou melhor, ela preparou, junto a Tanya e Paulina, minha irmã obviamente estava ajudando muito a contra gosto, mas ninguém nunca sequer desconfiaria daquele fato, por mais que eu soubesse que Dove e ela continuavam amigas, ela tratava Sabrina muito bem, e não podia ser diferente, Sabs era uma mulher incrível. 


No grande dia, meu coração estava apertado.


Seria uma cerimônia privada, apenas com os íntimos, nada de negócios ou mídia envolvidos, o grupo de convidados era muito seleto. 


Sabrina estava lindíssima, num vestido branco que abraçava seu corpo e suas curvas com a perfeição de uma peça exclusivamente desenhada para ela, o que de fato, fora. Eu desisti às vésperas de casar de vestido e acabei num terninho branco, mas minha noiva aparentemente gostou muito do que viu, já que desde que pisamos os pés no altar e a cerimônia teve seu início, a mulher estava presa a mim, tal como eu a ela, mas meu coração não estava completamente ali.


E como uma puta de uma brincadeira de mal gosto do destino, Dove apareceu, e quando eu a vi caminhar em nossa direção pelo tapete vermelho que eu passara com minha noiva instantes antes, meu coração parou.


(...)






Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...