História Oneshot bem merda - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Visualizações 3
Palavras 2.246
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ficção Adolescente, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Não tenho criatividade para um título

Capítulo 1 - Capítulo único



Queria que a vida fosse mais fácil, mas... não é, a vida é difícil e em cada oportunidade que ela tiver de te derrubar ela irá fazer isso. Eu vou contar a vocês a história de como a vida me derrubou, e como eu me levantei com a ajuda de uma pessoa muito especial... Eu vou contar a história de Alice, a minha história... Nem toda Alice vive no "país das maravilhas"...



=============================



...Acordada mais um dia... Infelizmente... A merda, tenho que ir pro infern- ops, colégio

Saio da cama e vou ao guarda-roupa ao lado da mesma, meu quarto é bem pequeno, a cama fica canto o guarda-roupa logo ao lado e ao lado do mesmo fica uma mesa velha de madeira podre, que não serve pra nada, só está lá, existindo... Igual a mim... Me pergunto... Quando a minha vida começou a dar errada... Há... Lembrei...


                   Flashback on


—Mamãeeeeeeeeeeeeee, vem aquiiiiiiiiiiiiiii __ tava esperando minha mãe vir até aqui no meu quarto, meu quarto é tão bonitinho, tenho uma cama toda rosa muito linda, minhas cortinas são rosa, minha parede é rosa, é tudo rosa muito lindo, ah esqueci de me apresentar, desculpe, me chamo Alice hoje é meu aniversário de 8 anos e eu amo muito a minha vida, minha mãe é linda e sempre cuida de mim, papai também, mas ele trabalha muito -faz um biquinho muito fofo- mas eu amo ele e amo a mamãe, nossa família é muuuuuuuuuito feliz__

—Oi meu amorzinho, o que houve?? __minha mamãe perguntou ( amo muito ela )__

—me ajuda?? __ pergunto abrindo meus braços pra mostrar minha roupa, como hoje é meu aniversário, eu estou vestida com um vestido rosa de princesa ( rosa é minha cor favorita) mas eu não estava conseguindo arrumar o vestido -faz biquinho- por isso chamei a mamãe__

— é claro meu amor __ fala já se abaixando pra me arrumar já que eu sou menor que ela, quando ela terminou, arrumou meu cabelo e... Eu fiquei muuuuuuuito lindaaaa tô parecendo uma princesa de verdade, ameiii, minha mamãe é a melhor__ agora vamos descer meu amor, todo mundo tá esperando a princesa aparecer, não pode se atrasar __ diz sorrindo __

SIM, vamos __ falei pulando, ela segurou minha mão e fomos até lá embaixo, meu quarto é no segundo andar, quando chegamos no final da escada tinha um monte de gente lá, todos me deram parabéns e eu agradeci, cantaram parabéns e comemos o bolo, depois disso as crianças foram brincar ( incluindo eu) quando estávamos brincando um dos meninos chutou a boneca que eu estava brincando, pro meio da rua e eu fui lá pegar__

FILHA... __ mamãe me empurrou para o outro lado da rua, ouvi o barulho de uma batida muito alta e depois pessoas gritando, em meio a esses gritos ouvi o papai__

—amor, amor acorda... Por favor... __ depois disso ouvi ele chorar, eu não sabia o que estava acontecendo, ainda não tinha levantado e nem queria, estava com medo... Finalmente criei coragem para olhar pra trás__

mamãe? Mãe!!!!!!!!!  __ eu corri até ela e comecei a chama-la mas ela não respondia, papai estava no chão encolhido enquanto chorava, mamãe estava no chão com sangue ao seu redor sujando todo meu vestido, mas eu não me importava, só queria que minha mãe me respondesse...

Depois disso... Ouve o enterro, meu pai não falava comigo e eu tinha que me virar com tudo, depois de um tempo ele não ficava mais em casa e quando estava, estava sempre bebendo, quando mamãe se foi parece que toda felicidade foi junto...


                Flashback off


...Quando percebi já estava chorando... Merda de vida... Depois do meu "pai" começar a beber ele começou a me bater e culpar pela morte da mamãe, mas ele tinha razão, foi culpa minha... Há é, o inf- colégio, tenho que me arrumar.


                    Autora  pov.


Depois de se arrumar, Alice saiu de seu pequeno quarto a passos lentos... oh é mesmo esqueci de falar que depois da morte de sua mãe, eles se mudaram para um lugar mais isolado, onde ninguém poderia ouvir os gritos de raiva de seu pai e seus gritos de dor e agonia...- Depois de abrir e fechar a porta de seu quarto bem devagar, começou a andar de fininho para sair do inferno e ir para outro, andava em silêncio pois não queria em hipótese acorda seu pai, senão iria sofre as consequências, sem nem mesmo ter feito algo, e isso não poderia acontecer, seu corpo continua dolorido pela surra que levou ontem por pura vontade de seu pai, quando estava irritado ele simplesmente descontava nela, em algumas partes de seu corpo ainda estava roxo, que ela tentava ao máximo esconder, pois não queria que alguém descobrisse e usasse isso contra si, se você está se perguntando porque ela não informa a polícia, ela já informou, mas ninguém acreditou, quando seu pai descobriu, quase a matou, foi por pouco... Ops, enquanto eu falava ela já saiu de casa sem seu pai ver, desculpe... Assim que fechou a porta de sua "casa" fora correndo para longe daquele lugar horrível onde havia cheiro de bebida, vômito, sangue e muitos outros, logo chegou a frente do colégio já que ficava a menos de uma quadra de distância, Alice só ia a aquela merd- maravilhoso colégio pois quer se formar e sair logo de perto do ser que á atormenta, também conhecido como seu pai, entrou naquele lugar e foi direto pra sua sala, não queria ser motivo de zoação novamente, pois sempre era por ser a anti-social da sala, mas fazem isso mais por inveja pois Alice é linda, seus cabelos são marom escuro e chegavam até a metade de suas costas e eram meio enrolados, seus olhos eram cor de mel, pele clara, tinha 1,70 de altura (puxou sua mãe), logo a mesma chega na sala e se senta na última fileira da janela, o melhor lugar possível, estava um silêncio tão agradável na sala, mas logo ele é quebrado pela porta sendo aberta por um garoto desconhecido, não que ela conhece os garotos da sala, ela só tinha uma boa memória e lembrava quem eram as pessoas em sua sala, o garoto desconhecido estava olhando para ela, e logo segue em sua direção, era um garoto bem bonito, olhos marrom escuro, cabelo da mesma cor, pele mais bronzeada, provavelmente 1,75 de altura, eu um sorriso deverás fofo em seus lábios.

— posso me sentar aqui? __ apontou para carteira em frente Alice, a mesma somente deu de ombros, e o garoto logo se sentou e virou para trás, mais expsificamente para Alice __ oi eu sou o Goku __ falou o garoto, Alice não aguentou e deu uma risadinha deverás fofa, "Goku" corou com esse feito__ q-qual seu nome??? __ falou ainda corado__

—Alice, prazer em te conhecer Goku __ ao falar acabou por soltar outra pequena risada__

—a-ah eu só queria puxar assunto __ disse ainda corado__ meu nome é Rafael, mas pode me chamar de Rafa __ disse com um sorriso fofo nós lábios__

— haha ok __ falou rindo um pouco mais, depois disso eles conversaram sobre coisas aleatórias tipo comida favorita e essas coisas, uns 15 minutos depois começou a chegar outros alunos na sala e estranharam o garoto novo, logo depois o professor chegou e mandou o garoto se apresentar, todos ficaram em cima dele perguntando coisas, algumas horas depois já era hora do intervalo, como Alice era a "anti-social" ela sempre ficava sozinha e simplesmente foi para seu cantinho, mas logo o garoto novo, agora Rafael ou Rafa estava ao lado dela__

— oi de novo __ disse Rafa um pouco corado__

—oi hehe_ então eles começaram a conversar até que ele fez um pergunta não muito agradável...__

—como é sua família? __Rafa perguntou tão inocente, não sabia o que se passava em sua casa, não perguntou por mal __

—ah... B-be- triiiiiiiiiiiiiiiin__ por sorte o sinal tocou indicando o fim do intervalo, os dois voltaram juntos pra sala, quando entraram muitos olharam confusos a sena deles conversando já que Alice era anti-social, o restante da aula foi normal, logo tocando o sinal para o término das aulas, Alice já arrumava seu material para dar o fora daquela merd- maravilhoso colégio, quando Rafa a chamou__

—A-Alice q-quer tomar sorvete c-comigo?!?!? __ perguntou nervoso e envergonhado__

— claro , porque não, quando? __perguntou um pouco corada__

— a-agora, se você quiser __ respondeu a última parte um pouco mais baixo devido ao medo de ser rejeitado e a vergonha por dizer tal coisa__

—ok __depois disso eles saíram da sala e foram tomar sorvete, eles estavam tão entretidos que nem perceberam que horas era, só perceberam ao ver o céu já escuro, Rafael ofereceu de levá-la até em casa mas obviamente ela recusou, mas ele continuou insistindo até que ela teve de ceder, foram até a casa de Alice e se despediram, quando Alice ia entrar se lembrou de seu pai e que ele provavelmente estaria uma fera, mesmo assim entrou ainda que com receio e tudo que ela viu foi sua casa vazia, literalmente, não havia nada somente as coisas que não poderiam ser levadas, como a pia e coisas com encanamento, procurou na casa toda e não achou nada, somente seu quarto estava intacto__ Ele foi embora... E-ele foi... __ ela começou a chorar mas de felicidade, finalmente ficaria livrer daquele monstro, poderia fazer oque quisesse__ finalmente... Finalmente... Obrigado... Obrigado mamãe e... Rafael, você deve ser o anjo em minha vida... Muito obrigado... __ ela não conseguia mais parar de chorar, naquele dia ela dormiu com um sorriso no rosto e lágrimas de felicidade nos olhos...

==========================

Já havia se passado 1 mês e meio, nesse meio tempo ela arrumou um trabalho de meio período e ganha o suficiente para poder se alimentar, não que precisa-se, pois agora morava com Rafael e seus pais, ela contou tudo oque aconteceu e ele contou aos seus pais que ofereceram de ela morar com eles, agora finalmente ela estava feliz...

=============================

Sete meses depois de virar uma pessoa livre aqui está ela no seu aniversário de 17 anos com a pessoa que ama ajoelhada lhe pedindo em namoro...

— Alice quer namorar comigo?!?!?!?!?! __ perguntou Rafael todo vermelho de vergonha__

— e você ainda pergunta??? É claro que sim __ ela começou a chorar de emoção, seu aniversário agora não era mais um dia de tragédia e sofrimento, agora era de pura felicidade__ eu te amo.

— eu te amo muito mais __ não é necessário palavras pra descrever este momento...

=============================

—SIM!!!!! __ opa, estão confusos? Explicarei, 5 anos de namoro e agora finalmente o tão esperado pedido, na verdade nem foi necessário pedir, quando Rafael de ajoelhou e uma caixa preta pequena ela já respondeu em alto e bom som (lê-se: gritando) mas enfim vamos pular essa parte e ir direto pra cerimônia, no caso 2 meses depois__

— sim, eu aceito __ respondeu Rafael ao padre mas olhando para Alice, o padre faz a mesma pergunta a Alice__

— sim, eu aceito __ falou com os olhos lacrimejando__

— agora por favor, os votos de casamento__ disse o padre__

— Alice, desde o primeiro momento em que eu te vi, eu me apaixonei, e prometi a mim mesmo nunca deixá-la, agora estamos aqui, nós casando, maior do que essa felicidade vai ser quando tivermos crianças correndo pela casa e nós dois abraçados no sofá __ nesse momento Alice já estava chorando e Rafael também__ Alice deixe-me te levar ao país das maravilhas e ser seu chapeleiro maluco para o resto de nossas vidas __ nesse momento todos estavam chorando__

— Rafael, na primeira vez que eu te vi eu pensei "nossa que garoto estranho" __ todos riram__ e foi por esse garoto estranho por quem me apaixonei, você me salvou, no mesmo dia em que você apareceu minha vida mudou, e nesse momento eu descobri que você era meu anjo da guarda, e nesse momento eu descobri que eu precisava de você e ainda preciso, pois você é meu tudo, minha vida, minha alma, meu anjo, meu chapeleiro maluco __ nesse momento ela chorou mais ainda e Rafael também__ vamos ter quantos chapeleirinhos e alicinhas você quiser, porque eu te amo e nunca vou deixar você se afastar de mim, isso é uma ameça __ novamente todos tiram incluindo Alice__ não aceito ir para o país das maravilhas contigo, pois já estou nele tendo você ao meu lado  você é meu chapeleiro maluco, e eu sua Alice, para o resto de nossas vidas.

Logo depois a dama de honra aparece com as alianças, cada um coloca um no outro e finalmente o padre chega na frase final.

—pode beijar a noiva__ o padre diz sorrindo, esse com toda certeza é um dos casamentos mais lindos do qual já participou, logo o noivo segura a noiva e lhe dá um beijo cheio de amor e carinho, esse realmente é um amor verdadeiro.


==============================


5 anos depois, aqui estão eles, no momento mais feliz de suas vidas, os dois no sofá enquanto dois gêmeos correm pela casa, Alan e Felipe que não se desgrudam, fazem tudo juntos, pequenas pestes com 4 anos de idade, mas que não trocariam por nada nesse mundo.

— eu te amo minha Alice __ falou Rafael__

— te amo muito mais meu chapeleiro maluco __ falou Alice beijando seu marido, já faz 11 anos que se conheceram e ainda estão com 27 anos, ainda tem muita coisa pra viverem, mas se estiverem juntos, poderão superar tudo.






                       Fim?







Notas Finais


Se você leu até aqui, muito obrigado, deixem suas críticas e se tiver algum erro me avisem porque eu só vou escrevendo e não presto atenção


~Bye bye~


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...