História Only - Capítulo 16


Escrita por: ~

Postado
Categorias Dylan O'Brien, Kaya Scodelario, Ki-Hong Lee, Paolla Oliveira, The Maze Runner, Thomas Sangster
Personagens Ava Paige, Caçarola (Frypan), Harriet, Minho, Newt, Personagens Originais, Sonya, Teresa, Thomas
Tags Ação, Amor, Aventura, Dylan O'brien, Elizabeth, Kaya Scodelario, Minho, Newt, Only, Paolla Oliveira, Romance, The Death Cure, The Maze Runner, Thomas, Thomas Sangster
Visualizações 18
Palavras 1.657
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Ficção, Ficção Científica, Luta, Mistério, Romance e Novela, Sci-Fi, Suspense, Violência
Avisos: Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oiii, pessoal, tudo beeemmm? Eu sei que eu sumi, peço desculpas de coração. Maasss, foi por um bom motivoo...
Vou deixar um link muito importante para vocês darem uma olhadinha (p.s. só vão saber sobre o que é se verem o link hahahaha) mas olhem e curtam, vale a pena!♥
Espero que goxtem do capítulo, que eu atrasei um pouco por cause do conteúdo do link.
Obrigada pela atenção e boa leitura.♥

Capítulo 16 - She's back!


Fanfic / Fanfiction Only - Capítulo 16 - She's back!

Pulou, mas não a tempo de ficar em pé completamente na aeronave, segurando-se na borda. Thomas e Newt a ajudaram a subir, e Vince logo deu a partida.

Elizabeth viu o Cruel se desmoronar, deixando uma construção cheia de foto naquela montanha. Jogou-se no chão, fechou os olhos, descansando enquanto sua respiração estava afobada, falha e rápida. Seu coração palpitava aceleradamente, puxando o máximo de ar possível. Ela abriu os olhos lentamente, vendo ali o rosto de Thomas, Brenda e de seu lindo loiro a encarando.

—Descansada?—Brenda perguntou.

—Talvez.

—Certo... agora dá pra explicar essa mértila de você estar viva?!—Minho se exaltou.

—É uma longa história...—ela se sentou.—... e eu não quero contar ela duas vezes. Explico tudo na base.

—É, agora vem aqui!—Alex saiu de seu acento ao lado de Vince no piloto e se aproximou da amiga, a puxando para um abraço apertado. Assim que se soltaram, ela direcionou um olhar à todos ali, como um agradecimento.

—Elizabeth...—disse Harriet.—... bem vinda de volta.

—Obrigada.—Liza respondeu.—Obrigada à todos vocês, por virem atrás do CRUEL sem mim. Mas ainda não acabou, e já que eles fugiram, vão se instalar novamente em outro lugar, vamos ter que ir atrás deles.

Disse como uma verdadeira líder nata, trocando olhares com todos no recinto. E sentou-se ao lado de Newt. A próxima meia hora se passou, e eles conversaram sobre coisas aleatórias, principalmente sobre o CRUEL.

***

Chegando no Braço Direito, Matt e mais dois companheiros saíram do esconderijo enquanto vinham receber o helicóptero que Vince pousara.

—Estão todos bem?—Matt perguntou. Ficou olhando a porta aberta, e viu uma silhueta feminina sair, seus olhos se arregalaram e ele ficou estupefato. Como era possível? Uma garota saía, não qualquer garota, Elizabeth.—E-Elizabeth?

—Eu mesma.—ela andou até ele, o garoto fez uma continência, como cumprimento, a tratando como sua general, uma amiga antiga, seus olhos se encheram de lágrimas.—Cuidou da segurança pra mim não é?

—Dei o meu melhor.

—É o suficiente pra mim.—sorriu.—Obrigada.—ela se dirigiu à entrada, sendo seguida pelos outros.

Ela caminhava pelos corredores, sendo vista como algo impossível de se acontecer, como uma lenda, maior do que já era. Elizabeth, a lenda. Olhos se arregalavam, os garotos e garotas jovens ficavam pasmos, boquiabertos, espantados... surpresos abriam caminho para a mulher que passava, trajando seu uniforme preto e os coldres vazios, com apenas uma arma na cintura. Enquanto andava, nem precisou desviar das pessoas, pois abriam passagem enquanto não acreditavam no que viam. Estava viva.   

Ela passou pelo corredor, chegando até o salão principal, ainda sendo seguida pelos amigos, passou pelo salão e foi até a sala dos mapas. Chegando lá, Logan estava fazendo uma reunião com alguns  dos jovens  mais bem preparados.

—Vocês preparam daqui, daqui e aqui...—Logan dizia.—... e vocês vão por...

Elizabeth adentrou a sala, os olhares se voltaram completamente para ela, a garota morta estava viva. Assim que Logan viu que todos olhavam para a entrada rapidamente dirigiu seus olhos para lá, notando que alguém ali estava, então olhou completamente para a batente. Não era possível, mas se bem que, nada no momento era possível. Nem mesmo ela estar ali, e viva.

—Elizabeth?—seus olhos se encheram de lágrimas, mas elas não caíram. Elizabeth correu até ele, abraçando-o com força.

Logan era mais do que o simples cara que a ensinou tudo o que ela sabe, Logan era como um pai, Mary foi como uma mãe, e Vince como um tio. Eles eram sua família, junto aos clareanos, e muito mais do que o CRUEL jamais pode ser.                 

—Como?—ele perguntou.

—É uma longa história.

—Então é melhor começar a falar.—Vince entrou na sala, e Liza se aproximou dele, o abraçando também, abraçando Vince como nunca fizera.

—Ta, agora explica essa mértila?—Minho pediu, nada docente, mas com ternura no olhar.

—Ta, vou explicar...

Ela se sentou no banco mais próximo, enquanto todos os seus amigos, todos os clareanos a olhavam, mas ela só se importava com o olhar de Newt e de sua família. Respirou fundo, antes de começar a falar.

—Eles sabiam, sabiam que eu tava com vocês. Com o Braço-Direito. Mas eles não podiam achar a nossa localização porque eu desativo o meu uniforme, mas mesmo depois de todo esse tempo, desde que o Thomas entrou no labirinto, desde que a Mary começou o Braço Direito, eles sabiam sobre mim.—abaixou o olhar.—Eles colocaram um rastreador no meu uniforme, e esse rastreador ativou de algum jeito quando nós nos aproximávamos do deserto alguns dias atrás.

—Como eles conseguiram colocar essa coisa lá?—Brenda perguntou.

—Quando eu fiquei pra trás no CRUEL, antes de votar, eles precisavam desinfetar o uniforme pra caso trazer alguma amostra do vírus.—Brenda assentiu.—O rastreador ligou e eu não consegui tirar, então eu tomei uma decisão... eu iria me afastar enquanto Vince fazia as compras, iria tirar o rastreador e quebrar, depois a gente iria sair do deserto e continuar com tudo, mas ai eu vi que... se tudo continuasse do mesmo jeito vocês não iam se motivar, não iam lutar! Então eu mudei o caminho, eu me dei um tiro, com uma matéria chamada tetrodoxina B, isso diminuí a pulsação à um batimento por minuto. O CRUEL já estava a caminho, e o meu coração estava cada vez mais parado. Vocês foram embora, como eu tinha planejado, e o CRUEL me achou.

—Espera... você planejou tudo o que aconteceu?—Thomas questionou.

—Mais ou menos.—ela balançou em cabeça, formatando um "sim" hesitantemente.—Enfim, assim que o Vince trouxe vocês de volta pra cá, o CRUEL chegou e convenceu o médico do deserto a me levar pro CRUEL. Eles tiraram a tetrodoxina B do meu sangue, e fizeram uma transfusão. Depois disso eu fui punida porque Janson descobriu que eu estava com vocês no deserto. Mas a questão é, eles sempre souberam que eu estava trabalhando com o Braço Direito.

Vince e Logan trocaram um olhar frustrante, como se esperassem que isso fosse acontecer a qualquer momento. Elizabeth estava com torcicolo no pescoço, dor de cabeça e no corpo, precisava descansar. Mas é claro, perguntas viriam primeiro, e ela estava tão disposta a falar quanto os clareanos de ouvir.

—Mais uma coisa...—disse Brenda.—... quando a gente tava no CRUEL, era só acabar com a Paige e pronto. Mas você não deixou, disse que elas eram sua fa-mí-li-a.—enfatizou a última palavra, dizendo-a pausadamente.—O que tem a dizer sobre isso?

—Preciso falar alguma coisa?!—Elizabeth rebateu.—O meu irmão morreu, a minha tia morreu, a única pessoa viva que ainda tem alguma coisa no meu sangue é a Teresa. Teresa e eu somos as últimas da nossa família.

Thomas sentiu um baque atravessar sua espinha, um arrepio percorrer seu pescoço enquanto seu coração palpitava rapidamente ao ouvir aquele nome. Teresa e Elizabeth? Da mesma família? Impossível... bem apesar de alguns traços de Teresa serem visíveis em Elizabeth, como a estrutura corporal, e alguns pequeníssimos detalhes dos rosto, nunca Thomas imaginaria Elizabeth e Teresa na mesma família. Até faria sentido por Teresa e ela estarem no CRUEL, mas mesmo assim, isso é uma surpresa e tanta para Thomas.                     

—Ela é sua... sua...—Thomas gaguejou.

—Minha prima.—Liza completou. Aquilo não era uma novidade para ninguém, exceto é claro, para Thomas e seus amigos. Para eles sim, aquilo era uma surpresa.

—Você nunca mencionou nada assim.—Caçarola falou.

—Isso não importa.—ela exclamou se levantando. Essa atitude surpreendeu Minho, deixando-o mais curioso sobre ela.—O que importa agora é que o CRUEL ta fraco, sério, vocês atacaram a maior base deles, eu sugiro que ataquemos agora.

—Você perdeu a razão.—Logan disse simplesmente, concluindo que ela estivesse louca por vingança.—Todos queremos vingança contra o CRUEL, mas não desse jeito Elizabeth. Vá descansar. E vocês...—apontou para todos que ainda estavam na sala.—... voltem ao trabalho!

Assim que Logan deu a ordem, eles obedeceram, foram siando da sala um a um e de vagar. Elizabeth sentou-se novamente derrotada, sabia que Loagn ainda a faria perguntas junto à Vince e Alex.

—Você!—Vince chamou por Thomas.—Você fica.—isso surpreendeu Thomas tanto quanto a todos na sala. 

—Logan, se não atacarmos agora...

—Elizabeth Parkeson!—ele a chamou atenção.—Por hoje é só. Vá para o seu quarto e durma.

Ela lhe direcionou um olhar estranho, como se nunca esperasse ser excluída de uma conversa como aquela. Olhou para ele e saiu batendo pé. 

Não importa quanto tempo levaria, ela iria convencer Logan a lutar contra o CRUEL, e sim, agora era a melhor hora para isso.

***

A noite caiu, já passavam das nove, e a garota se preparava para ir dormir, e quando digo isso quero dizer que usava roupas folgadas e preparava uma arma para seu coldre da cintura.

—Oi.—alguém bateu na porta, e ela sorriu dando permissão para que entrasse, enquanto dobrava uma coberta.—Melhor?              

—Sinceramente... não.—baixou o olhar.—O Logan precisa entender que...

—Que você ta estressada?—ele se aproximou.—Que você quer que o CRUEL caia mas que ta se deixando levar pela raiva do Janson?

—Eu não to me deixando levar pela raiva!—falou um pouco mais alto do que deveria, aquele que estava em sua frente apenas arqueou as sobrancelhas.

—To vendo.

—Newt... eu, eu to com muita raiva do CRUEL, e com muito ódio do Janson não só pelo o que ele fez comigo, mas pela Teresa também, ele fez a cabeça dela. Então sim, eu quero vingança, mas...

—É melhor você descansar hoje, e falar com  o Logan amanhã.

—Ele quer lutar, mas não acha que agora seja a hora certa.

—Talvez ele só quisesse uma brecha, talvez só estivesse esperando o CRUEL ficar mais fraco enquanto o Braço Direito cresce.—ficou ao lado dela.

—Talvez.—se rendeu.

Eles riram, enquanto se aproximaram ao mesmo tempo em um abraço apertado. Newt não queria que aquele abraço acabasse nunca mais, queria que aquele momento durasse para sempre a ponto de tê-la só para si.

—Promete uma coisa?—pediu com ela ainda em seus braços.—Não morre mais.

 Ela soltou um sorriso abafado e como resposta juntou seus lábios aos do loiro. Agora ele sabia, Elizabeth não iria embora nunca mais.          

       


Notas Finais


Eeeee aí? Como ta o casalsinho? Auunt eu achei lindo escrever esse caítulo, e vai ser mais lindo ainda LER OS COMENTÁRIOS DE VOCÊS!

Segue aqui o link daquela surpresinha que eu faleeei:

Link: https://www.youtube.com/watch?v=8bbfiowSRIs

Espero que vocês goxxtem e usem disso para compartilhar a história!
Até a próxima!♥


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...