História Only A Memory - Capítulo 11


Escrita por:

Postado
Categorias Black Pink
Personagens Jennie, Jisoo, Lisa, Rosé
Tags Amizade Colorida, Amor, Chaesoo, Drama, Jenlisa
Visualizações 114
Palavras 2.133
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), FemmeSlash, Ficção Adolescente, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yuri (Lésbica)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 11 - Segredos expostos


Rosé ficou muito chateada quando soube que Lisa estava morando com Jennie em seu apartamento, e finalmente, aceitou que sua história com ela havia terminado. Assumiu seu namoro com Jisoo para os amigos que tinham em comum e jurou a si mesma que se apaixonaria perdidamente por Jisoo.
    Lisa soube que sua ex e Jisoo estavam juntas através de uma amiga, Jaira, que elas tinham em comum.

— Eu sempre desconfiei que elas se gostavam, mesmo quando Rosé ainda estava com você porque as vi se beijando aquela noite na festa do Jin. — Falou Jaira.
— Não… Você deve ter se confundido. — Disse Lisa e se lembrou de quando viu Rosé beijando aquela garota na festa. Lisa ficara arrasada e voltara para o campus onde encontrara Jisoo muito chateada. Será que fora por causa disso? Lisa precisava tirar essa história a limpo.
— Olha… Eu não estava tão bêbada assim. — Jaira disse. — Tenho certeza do que vi, se eu não disse nada na época, foi porque eu não queria me meter em confusão por isso, também, logo depois de elas se beijarem, a Jisoo fugiu, chorando. Acho que a Rosé deve ter dado um fora nela, sei lá. — Jaira deu de ombros.

Lisa saiu correndo. Procurou por Jisoo até encontrá-la a caminho da biblioteca.

— Lisa? Oi? — Jisoo sorriu e em troca recebeu uma bofetada.
— Foi você, sua infeliz! Por quê? — Lisa perguntou magoada.
— Do que está falando? — Perguntou Jisoo, mas, no fundo, sabia que Lisa havia descoberto toda a verdade.
— Por SUA causa, eu me separei da Rosé e acreditei que ela era uma traidora, mas a traidora sempre foi você, sua falsa! Como pode fazer isso comigo? Pensei que fossemos amigas! — Lisa disse elevando a voz enquanto vertia lágrimas involuntárias.
— Não venha me chamar de traidora quando foi você que tirou a Rosé de mim, primeiro. — Falou Jisoo elevando a voz, revoltada.

Rosé se aproximava, mas nenhuma das duas percebeu, uma vez que estavam concentradas na discussão que se seguia.

— Não me olhe assim, Lisa! — Jisoo falou com raiva. — Eu te falei que era apaixonada por uma amiga minha… Nunca te passou pela cabeça que essa amiga era a Rosé? Eu só te apresentei a ela porque achava que você tinha uma queda por mim, pela forma como me tratava, queria que Rosé sentisse ciúmes e se tocasse que me perderia se não me desse uma chance, mas VOCÊ estragou tudo, tirando ela de mim!
— Eu não sabia que você gostava dela, se soubesse, jamais teria saído com ela, porque, ao contrário de você, eu não sou uma falsa! — Falou Lisa. — Quando eu te falei aquela noite que a vi beijando outra garota, você tinha de ter me dito que a garota era você, mas em vez disso, o que você fez? Se fez de desentendida e deixou que eu rompesse com ela. E não foi só isso! Toda vez que ela me procurava para tentar se explicar, você me aconselhava a não ouvi-la! E eu, como uma estúpida que sou, ouvia você!
— Eu não me arrependo do que fiz! — Disse Jisoo. — Além do mais, devia me agradecer, porque é graças a isso que você está com Jennie! Não entendo do que está reclamando! No fim das contas, você não amava tanto assim a Rosé porque a esqueceu rápido demais!
— Como você se atreve? — Lisa levantou a mão para dar outro tapa em Jisoo, mas esta agarrou seu pulso e o afastou.
— Não me toca! Estou avisando! — Jisoo disse, nervosa.
— Isso é verdade? — Rosé disse se aproximando, as lágrimas queimando suas faces.

Jisoo a olhou por instante, mas não teve coragem de encará-la. Preferia morrer a fazê-la sofrer daquela forma.

— É claro que sim! Jisoo é uma falsa! — Lisa disse. — Talvez, se você tivesse sido menos paranoica em relação a Jennie, tivesse percebido a cobra que dorme ao seu lado! — Lisa se afastou.
— Lisa? Espere? — Chamou Rosé, mas Lisa não voltou. Rosé foi até onde Jisoo estava e a agarrou pelos ombros a sacudindo com ódio. — Por que você fez isso? Por quê?
— Porque eu te amo! — Jisoo disse, chorando.
— Isso não é amor! — Rosé a soltou e recuou, decepcionada. — Você era a pessoa que eu mais confiava no mundo. Eu sei que me apaixonaria por você, mas depois disso… — Rosé balançou a cabeça.
— Me perdoa, Rosé? Por favor? — Jisoo pediu, desesperada.
— Não. Você está morta para mim. — Rosé disse antes de ir. Jisoo a seguiu, chorando o tempo todo e implorando por seu perdão, mas foi ignorada.

Rosé juntou suas coisas em uma mala. Não dividiria mais o quarto com Jisoo, não depois do que ela fizera, porque não confiava mais nela. Felizmente, uma colega estava procurando por uma companheira e Rosé se mudou para outro quarto. Ela não foi buscar suas coisas porque não suportaria olhar para o rosto de Jisoo, por isso, pediu que duas amigas fizessem esse favor a ela.


† † †

Lisa contou a Jennie o que aconteceu, e Jennie ficou com medo que Lisa decidisse voltar para Rosé, porém, não disse nada a Lisa, torcendo para estar enganada.

— O que vai fazer agora? Conversar com Rosé a respeito? — Jennie inquiriu.
— Não. Eu acho que não tenho mais nada a dizer a Rosé. — Lisa não queria ter de encarar Rosé e admitir que errara ao não confiar nela.
— Eu acho que você deveria falar com ela. Talvez, haja coisas que precisem ser ditas. — Jennie disse e mordeu o lábio.

Lisa encarou Jennie, incrédula e irritada.

— Você não acha que vou deixar você depois de tudo o que passamos juntas, acha?
— Ah, meu anjo! Eu não quero te perder, mas sei que não posso te prender. — Jennie tocou o rosto de Lisa e alisou sua bochecha antes de lhe dar um selinho. — O amor não pode ser egoísta. Se você ficar comigo, não quero que tenha nenhuma dúvida que me ama, por isso, quero que você encare a Rosé nos olhos e se pergunte se ainda a ama ou se já a esqueceu.
— Eu… — Jennie encostou o indicador nos lábios de Lisa e moveu a cabeça.
— Shh… Não diga nada. Só pense no que eu disse. Sim? — Jennie disse e então abraçou Lisa.


Aquela noite, Lisa mal conseguiu dormir, pensando nas palavras de Jennie, que ela teria de encarar Rosé nos olhos e perceber se a amava ou não. Lisa sabia que Jennie estava certa, que havia coisas a serem ditas e feitas, que um ciclo deveria ser encerrado, mas ela estava com medo. Seria normal?


† † †


Rosé foi até a lanchonete próxima da universidade após receber uma mensagem de Lisa. Rosé mal conseguia disfarçar o quanto estava nervosa. Lisa sabia a verdade. Rosé também. Não havia mais nenhum mal entendido. Será que agora Lisa lhe daria uma chance?

“Muito provavelmente estou sendo estúpida de ainda desejar isso, mas a esperança é a última que morre”, pensou Rosé.

— Rosé… — Disse Lisa ao chegar.

Rosé se endireitou ligeiro e tirou as mãos da mesa, escondendo-as em seu colo para que Lisa não percebesse que elas tremiam.

— Lisa? Oi? Vai querer o quê? Hã… Que tal um capuccino? — Rosé sorriu.
— Pode ser. — Lisa disse e sorriu amarelo.


† † †


Jisoo estava sentada em um banco no jardim da universidade e não percebeu Jennie se aproximando até que ela se sentasse ao seu lado. Jisoo a encarou antes de virar o rosto sem graça.

— Eu não vim julgá-la. — Disse Jennie. — Seria a última pessoa no mundo a fazer isso. Talvez, eu devesse até te agradecer porque se a Rosé e a Lisa não tivessem se separado, eu acho que nunca saberia como é estar apaixonada… É algo lindo, sabe? — Jennie sorriu.

Jisoo enxugou uma lágrima que escorreu do canto do seu olho.

— Eu não devia ter feito o que eu fiz. Fui estúpida! Rosé nunca vai me perdoar.
— Claro que vai. — Jennie disse, segura de suas palavras. — Ela perceberá que, por mais que você tenha interferido, Lisa deveria ter confiado nela. Isso foi um teste de resistência ao amor delas.

Jisoo encarou Jennie, intrigada.
Nada lhe tirava da cabeça que ela era psicopata, e que a história com Seohyun estava mal contada.

— Todo relacionamento passa por testes de resistência e quando o casal supera é porque o amor é verdadeiro, mas quando não supera é um sinal. — Jennie disse. — O meu amor está passando por um desses testes, agora mesmo. Estou confiante que Lisa não me decepcionará.
— Do que está falando? — Jisoo perguntou, confusa.
— Só aceite um conselho? — Jennie tocou o ombro de Jisoo e sorriu de forma tão doce quanto assustadora. — Explore melhor as fraquezas de sua rival na próxima. Não faça armações que possam ser descobertas. Roube a atenção dela apelando sempre para a chantagem emocional. — Jennie tocou o rosto de Jisoo. — Esse rostinho angelical foi feito para ludibriar, mas você não pode ser só doce… Tem de ser doce e sexy, sacou?

Jisoo engoliu em seco e recuou com medo de Jennie. Jennie riu ao perceber que deixara a outra desconfortável.

— E jamais ceda a chantagens… — Jennie disse. — Corte o mal pela raiz. — Jennie piscou para ela.

— Ei? Jennie? — Acenou Lisa ao avistá-la sentada no banco ao lado de Jisoo.
— Tenho que ir. O meu final feliz me espera. — Falou Jennie baixinho e riu antes de ir ao encontro de Lisa. Ao se aproximar de Lisa, Jennie assumiu um ar melancólico. — E então, Lisa? Como foi? O que decidiu? — Jennie abaixou a cabeça.
— Eu… Fiz o que me disse e… — Lisa disse e segurou o queixo de Jennie e o ergueu, fazendo ela a encarar, então se aproximou dela. — Eu soube naquele instante que quem eu amo é você, Jen!

O rosto de Jennie se iluminou em um sorriso lindo e Lisa a beijou.


† † †


Rosé deixou a lanchonete chateada depois que Lisa admitiu ter errado ao duvidar dela, mas deixar claro que agora seu coração pertencia a Jennie. Na televisão estava sendo exibido um acidente no noticiário onde uma jovem identificada como Seohyun (a mesma que chantageara Jennie) morrera ao perder o controle do carro e colidir com outro veículo, posteriormente a perícia revelaria que os freios do carro foram cortados, mas por faltas de evidências e suspeitos, o caso seria encerrado.


† † †

 

Quatro meses depois chegou o dia da formatura. Lisa e Jennie obviamente foram juntas ao baile e estavam lindas e felizes.

— Eu amo você! — Jennie sussurrou no ouvido de Lisa.
— Eu te amo mais! — Lisa disse e a beijou, apertando a sua cintura.


[…]


Jisoo estava parada em um canto deprimida. Só não se arrependia de ter ido ao baile porque se contentava em ver Rosé de longe. Sofria vendo ela dançar com rapazes e moças, mas segurava sua onda, tomando um ponche atrás do outro. Porém, quando viu Rosé saindo com um cara do salão sentiu que morreria. A seguiu mesmo sabendo que não deveria, que seria oficialmente uma stalker, mas tacou o foda-se.
    Rosé entrou em um carro vermelho que estava parado no estacionamento e Jisoo não segurou mais as lágrimas. Se virou, decidida a ir embora quando ouviu Rosé gritando.

— PARA! Socorro!

Jisoo não pensou duas vezes e se aproximou do carro, abrindo a porta. Viu aquele imbecil tentando abusar de sua Rosé e sentiu o ódio dominá-la. Agarrou ele e o puxou para fora do carro, então lhe deu um soco, quebrando seu nariz.

— Isso é pra você aprender a tratar as garotas com respeito, seu babaca! — Jisoo disse.
— Ai, meu nariz, sua vadia! — O cara disse com raiva e sacou um canivete.
— Jisoo? — Gritou Rosé saindo do carro apressada.

Foi rápido demais. Quando Jisoo percebeu, já fora ferida na barriga e recuava com dor.

— Não! — Rosé se aproximou dela, amparando-a.

O cara que a feriu, fechou a porta de seu carro, entrou no veículo e fugiu sem prestar ajuda.

— Jisoo? Aguenta firme? Por favor? — Implorou Rosé, chorando. — Eu vou pedir ajuda.
— Não. Não me deixa, por favor? — Pediu Jisoo se ajoelhando e se agarrando a Rosé com força.
— Eu tenho que buscar ajuda ou você vai… — Rosé disse chorando.
— Rosé, eu sinto muito. — Falou Jisoo. — Eu te amo! Me perdoa?
— Sim, esquece isso. Só resista, pelo amor de Deus! — Falou Rosé tremendo.
— Eu sou muito estúpida, mas pelo menos, salvei você. — Jisoo riu mesmo com dor.
— Não fale como se fosse o fim! Não vou deixar você morrer! — Falou Rosé e quis se afastar novamente, mas Jisoo a agarrou com mais força. — Jisoo, não? — Jisoo a beijou. Rosé correspondeu e então recuou, se livrando com algum custo dela. — Eu volto! Juro!

Rosé saiu correndo para buscar ajuda.
Jisoo tentou se levantar, agarrando um carro para se equilibrar, mas só fez manchá-lo com seu sangue antes de sentir sua visão escurecer, e então ela caiu.

— Rosé… Sinto muito. — Jisoo disse antes de perder a consciência.
 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...