1. Spirit Fanfics >
  2. Only a Summer? >
  3. Chapter nine

História Only a Summer? - Capítulo 9


Escrita por:


Notas do Autor


oie, foi mal a demora para postar eu estava sem vontade de escrever e gojitei até apagar a história, mas vamos fingir que nada aconteceu.
Boa leitura, espero que goste <3

Capítulo 9 - Chapter nine


Fanfic / Fanfiction Only a Summer? - Capítulo 9 - Chapter nine

 

Raven’ view:

Já estava de noite e eu havia passado o dia todo em quarto lendo, escrevendo e ouvindo musica e de fato isso já estava cansativo, então fui até a cozinha para fazer meu chá.

Notei que só havia mais um sache na lata, amanha vou sair para comprar mais. Bem, estava lá colocando o sache em minha caneca de agua quente e o mexendo para misturar mais rápido quando Cyborg, que estava na sala, fala:

-Eles chagaram. – e sai andando em direção da garagem.

-Quem chegou? –perguntei confusa segurando minha caneca e levitando até ele.

-Kory e Dick. – respondeu entrando no elevador junto de mim.

-Por que eles vieram? –perguntei e depois tomei um gole de meu chá.

-Promete que não vai me bater? –perguntou.

-Não faço promessas. – respondi. – Fala logo o que você fez. – disse apertando os olhos e o encarando.

-Falei pro Dick que você e o Garfield brigaram e ele disse que a função de líder dele é manter a equipe unida. – respondeu evitando contato visual.

-Você fez o quê?! – perguntei sentindo o ódio tomar conta do meu corpo.

-Suas mãos... Estão pretas. – disse Cyborg apontando para elas, deveriam estar envoltas por poder.

-Você não tinha o direito de fazer isso! Você não pode apenas se mete na minha vida está entendendo? E a irmã do Dick, como vai fazer quando ela nascer hein? –perguntei tentando me acalmar.

-Desculpe, não era minha intenção fazer mal. – disse ele  enquanto as portas do elevador se abriam, mostrando o estreito corredor.

-Tudo bem.-  falei atravessando o corredor levitando enquanto ele vinha atrás de mim.

-Olá! – disse Kory enquanto Dick pegava as mochilas no porta-malas.

-Oi. – falamos em coro. – Não precisavam voltar. – falei os encarando.

-Não tem problema, a Helena vai nascer só daqui a duas semanas por que o médico previu errado. – explicou Dick.

-Okay né. – comentou Cyb absorvendo a informação.

-Querem ajuda para levar as coisas para cima? –perguntei.

-Não é necessário amiga Ravena, mas agradecemos a preocupação. –respondeu Kory ajeitando a mochila nas costas.

 

Garfield’s view:

Eu estava deitado em minha cama olhando para o teto e pensando em como fazer a Ravena deixar eu explicar a situação quando meu celular começa a vibrar.

 

Cyb

Dick e Kory chegaram, vai pra garagem.

 

E foi o que fiz, peguei o elevador e caminhei tranquilamente pelo estrito corredor até a garagem.

-Oi. –falaram Kory, Dick e Cyb ao me verem.

-Oi. –falei vendo que todos me olhavam, mas meu olhar ainda estava preso em uma menina pálida de cabelos roxos, que apenas me olhou com tristeza e raiva e voltou seu olhar aos dois que tinham acabado de chegar. –Como foi a viajem? – perguntei me aproximando deles.

-Tranquila tirando a chuva de Gotham. –respondeu Dick.

-Que bom. – disse Ravena. – Bem, eu vou subir. Tchau. – disse abrindo um portal e passando por ele.

-Que merda você fez? –perguntou Dick assim que ela desapareceu.

-Eu não nada! – respondi.

-Então porque brigaram? –perguntou Kory me olhando nervosa com os braços cruzados

-A Tara apareceu dizendo que me amava enquanto eu tirava o lixo, eu apenas a ignorei, mas ela me puxou  e beijou e Ravena só viu essa parte da conversa. – respondi.

-Por experiência própria sei que Ravena não muda de opinião muito fácil. – disse Kory.

-Enfim, é bom arrumar um jeito de se explicar logo. – disse Dick.

-Eu já disse isso à ele. – disse Cyb.

-Não disse nada. – falei tentando me lembrar de quando ele deveria ter dito isso. – Bem, só se falou na sua cabeça.

-Ah, sei lá então. – disse ele.

-Vamos subir vocês vem junto? –perguntou Dick entrando no estreito corredor junto de Kory.

-Vamos. – respondemos em coro.

 

Raven’s view:

Eu estava tranquila em meu quarto sentado no “sofá” que há em minha janela e lendo, quando ouço uma batida em minha porta. Duvido muito que seja Garfield, pois não me procurou o dia inteiro e não iria me procurar agora.

-Quem é? –perguntei virando a página de meu livro.

-Kory, sua amiga. – disse a mesma do outro lado da porta.

-Pode entrar – falei.

-Oi amiga Ravena. – disse a mesma entrando no quarto com uma tigela em mãos.

-Oi. – falei enquanto ela se sentava em frente à mim.

-Trouxe para você. – disse me entregando a tigela com sorvete o me fez dar um leve sorriso. É tão fofo o jeito que Kory se importa comigo e cuida de mim.

-Obrigada, mas eu não tô com fome. – falei olhando a tigela.

-Tem que comer sabia? Cyborg me disse que você não foi nenhuma vez lá embaixo buscar comida. –  comentou.

-Mas eu acabei de tomar chá, realmente não estou com fome hoje. – disse devolvendo a tigela à ela.

-Okay então. - disse olhando com tristeza para a tigela.

Despois disso conversamos um pouco sobre o que tinha acontecido na casa enquanto eles estavam fora e o motivo por eu e Garfield termos voltado.

-Você já pensou em deixar ele explicara a situação? –perguntou Kory me fazendo pensar na possibilidade. Mas será mesmo que tem o que explicar?- Bem, já está tarde, eu vou pro meu quarto e te deixar em paz. – disse Kory depois de um breve olhada no celular.

-Boa noite Kory. – falei enquanto ela caminhava até a porta.

-Boa noite Rae. –disse a mesma passando pela porta.

-Hey. – disse antes que ela fechasse a mesma. – Obrigada.

-De nada. – disse finalmente fechando a porta.

Realmente depois disso eu me deitei em minha cama e dormi pesadamente até de manhã, eu estava casada e sentia falta de dormir em minha cama, mas não posso negar que senti falta de seus braços ao redor de mim enquanto dormia.

-Bom dia. – falaram em coro assim que apareci na cozinha.

-Bom dia. – respondi pegando uma xicara de café.

 

Dick’s view:

-Algum de vocês vai sair hoje? –perguntou Cyborg enquanto tomávamos café.

-Eu vou sair e comprar chá. – respondeu Ravena.

-Eu precisava comprar mais proteína de soja. – comentou Garfield. – Por que a pergunta?

-Curiosidade ué. – respondeu Cyb.

-Vocês poderiam ir juntos então. – sugeriu Kory.

-Ah... Okay, saio às dez para poder pegar o metrô. Não se atrase. – disse Ravena se levantando de sua banqueta e lançando um olhar mortal para Garfield enquanto pronunciava a ultima frase.

-O-okay. – disse ela com um pouco de medo.

-Vou me arrumar. – disse a mesma saindo da cozinha.

-Por que vocês adoram me colocar em frente à morte? –perguntou  o mesmo.

-Eu não fiz nada. – falamos eu e Cyb em coro.

-Seria um bom momento para tentar explicar as coisas, não? –perguntou Kory.

-Kory minha querida eu acho que você não entendeu. – disse ele respirando fundo. – Ela não em deixa explicar!

-Eu falei com ela ontem à noite e ela parecia disposta à te escutar. – comentou a garota de cabelos vermelhos.

-Okay... Okay! – disse parecendo um louco. – Mas se eu morrer a culpa vai ser de vocês!

 

Garfield’s view (10:00a.m):

-Pronto? –perguntou Ravena com cara de paisagem chegando na sala.

-S-sim. – respondi.

-Então vamos. – falou começando a caminhar para o elevador.

-E então como você está? –perguntei tentando puxar assunto.

-Bem. – respondeu. Curta e Grossa. Okay, acho que Ravena regrediu alguns messes em relação conversar com os outros. Nesse momento o elevador se abriu e começamos à caminhara até a estação de metrô em silencio.

Entramos no metro e estávamos de pé nos segurando nas barras quando pela primeira vez desde que saímos de casa, Ravena começou a falar.

-A loja onde compra suas coisas é onde? –perguntou.

-Ah, perto da cafeteria onde nós lutamos antes da viajem. – respondi.

-Okay, então é perto da loja de chá também, nos encontramos em frente ao banco depois que comprar suas coisas. – falou ela e depois o metrô parou fazendo várias pessoas descerem.

Comprei minhas coisas e fui encontra-la em frente ao banco, ela estava lá, com uma sacola em mãos e mexendo em celular encostada à uma parede.

-Oi. – falei me aproximando.

-Oi. – disse ela. – Vamos logo, o próximo metrô para perto da Torre sai daqui a vinte minutos, são dez até lá e mais uns cinco até chegarmos à plataforma.

-Okay. – falei começando a andar ao seu lado. – Sabe bastando sobre os metrôs de Jump City né. – comentei.

-Eu gosto de agir como ser humano de vez em quando sabe? Sem abrir portais ou algo do gênero, então aprendi a pegar o metrô para ir à loja de chá, biblioteca, livraria e coisas do gênero. – explicou ela.

De fato o que Ravena disse aconteceu e chegamos apenas cinco minutos antes de  o metrô partir, mas dessa vez estava mais vazio e havia vários lugares vagos.

 

Raven’s view:

Estávamos sentados no metro e tudo estava bem tranquilo até que o garoto verde ao meu lado teve a brilhante ideia de tocar naquele assunto.

-Sabe Ravena, eu queria te explicar o que aconteceu na casa aquele dia e...

-Moça. –interrompeu uma mulher.

-Sim? –perguntei.

-Pode segurar meu corvo um pouquinho? –perguntou a mulher.

-Como é? –perguntei intrigada. Como assim eles permitem corvos no metrô? Quer dizer: Por que caralhos essa mulher tem um corvo?

-O meu corvo, pode segura-lo um pouco? É só para eu poder arrimar minha mochila.

-C-claro. – falei ainda absorvendo a informação. O corvo saiu do ombro da mulher e pousou em minha perna.

-Quer sentar no meu lugar moça? –perguntou Garfield.

-Obrigada. – disse ela sentando-se enquanto ele ficava à minha frente.

-Não há de quê. – disse ele. Até parece que é um Lord.

-As alças da minha mochila estão desiguais sabe? Fica difícil de andar assim. – disse a mulher tentando puxar assunto.

-Claro que sei. – falei e quando olhei para Garfield ele estava tirando uma foto minha com o corvo em minha perna.

-Palhaço. – mexi meus lábios enquanto ele tirava a foto.

-Muito obrigada moça. – disse a mulher se levantando. – Vamos Steve. – disse ela olhando para o corvo que saiu da minha perna e foi para o ombro dela.

-De nada. – falei enquanto Garfield sentava-se novamente ao meu lado.

-Olha como você fica bonita emburradinha. – disse ele me mostrando a foto.

-Idiota. – falei abaixando o celular.- Mas essa definitivamente foi a coisa mais estranha que aconteceu comigo em um metrô, e olha que uma vez um bêbado achou que eu era do MIB e pediu para eu chamar o Will Smith. – disse o que nos fez rir e por um momento eu desejei que  tudo estivesse bem de novo.

-Incrível. – disse ele depois de recuperar o ar.

-Garfield. – chamei.

-Sim? –perguntou ele me olhando com seus lindos olhos.

-Eu deixo você me explicar o que aconteceu, mas só quando chegarmos em casa. Não aguento mais fiar brigada com você. – falei e vi seus olhos brilharem e um sorriso alegre crescer em seu rosto.

-Okay. – disse ele feliz.

-Okay. – falei também sorrindo.


Notas Finais


espero que tenha gostado, até mais


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...