História Only Angel (H.S) - Capítulo 14


Escrita por:

Postado
Categorias Harry Styles
Personagens Harry Styles, Personagens Originais
Tags Ceo, Doença, Drama, Harry Styles, Londres, Paixão, Romance
Visualizações 45
Palavras 3.935
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Literatura Feminina, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


IMPORTANTE

> ATENÇÃO CAPITULO PROIBIDO PARA MENORES DE 18 ANOS!!!

> POR FAVOR, LEIA AS NOTAS FINAIS PORQUE LÁ EU CONVERSO COM VOCÊS, ENTÃO LEIAM AS NOTAS FINAIS AMORES!

> BOA LEITURA!!!

Capítulo 14 - Ameaças


Fanfic / Fanfiction Only Angel (H.S) - Capítulo 14 - Ameaças

- Drake estou de saída, tem certeza de que tudo bem eu sair mais cedo? Questiono ao meu chefe e amigo.

Ele me encara com uma expressão entediada.

- Sim querida, vai lá. Eu irei fechar mais cedo e Suki e Carl irão ficar comigo até lá. Responde e me enxota com as mãos.

- Vai lá atrás do seu bonitão, gostosão e sexo de pernas. Emenda me fazendo rir.

Mas penso que ele tem total razão, Harry era tudo isso e muito mais.

- Tudo bem. Até amanhã. Saio da cozinha cantarolando e mandando beijos.

Penso em andar até a estação, mas demoraria muito de Kennington até o centro, então peço um Uber.

Ao parar na frente do imponente prédio da Styles torço para que Harry esteja na empresa porque adoraria ver seu rosto surpreso assim que me visse. Fazia três dias que não nos víamos e estava com saudades, ele era tão ocupado, trabalhando sem parar inclusive no fim de semana.

Logo que atravesso as portas de vidro a recepcionista me barra, quase reviro os olhos, mas paro a sua frente com um sorriso.

- A senhorita tem hora marcada? Questiona assim que digo que vim ver o senhor Styles.

- Não, mas pode telefonar para Vivian sua secretária, ela me liberará. Respondo ganhando um olhar cético, mas a funcionária faz o que pedi.

Conforme ela fala com Vivian seu olhar passa por mim com um misto de curiosidade e ciúmes.

- Ela disse que está liberada e não precisa parar na recepção mais.

Sorrio me sentindo satisfeita e me pergunto se são ordens do Harry.

- Obrigado. Digo e me dirijo para o elevador.

Assim que as portas se abrem encontro algumas pessoas e uma delas é Isobel, ela sai do elevador me encarando com o semblante de raiva mascarado com indiferença. Faço questão de empinar meu nariz e entrar no elevador.

Não era minha culpa que ela criou expectativas em relação ao Harry e elas não foram correspondidas.

O elevador se abre e encontro Vivian parada a minha frente em um terno polido cinza e um sorriso gentil.

- Olá senhorita Davies, como vai? Indaga educadamente e sorrio.

- Olá Vivian, vou bem e a senhora?

- Bem, o senhor Styles está no escritório em uma reunião. Gostaria de esperar ou posso avisa-lo que está aqui? Questiona e penso.

Não queria atrapalha-lo no serviço então irei esperar.

- Se incomoda se fizer companhia a você? Sugiro a ela ganhando um sorriso.

- De modo nenhum, na verdade, estou curiosa sobre a senhorita. Venha, vamos bater um papo. Diz e a sigo pelo corredor.

Ela se senta em sua mesa e coloca as mãos embaixo do queixo me fazendo sorrir de lado.

- Isso é uma entrevista? Pergunto divertida e ela dá de ombros.

- Não, eu só estou curiosa sobre a mulher que conquistou Harry. Eu trabalhei para o pai dele desde que ele era um menino e depois me tornei sua assistente, o conheço mais do que a maioria. Comenta me dando essa informação e constato que ela pode não ser somente mais uma funcionária.

Me inclino no balcão de mármore branco e dou um sorriso esperto.

- Bom, eu contos os meus se contar os seus. Falo arrancando uma risada contida.

- Feito.

Meia hora depois descobri que Vivian era um anjo em forma de gente, ela me deu muita coisa sobre Harry sem nem perceber e é claro que me crivou de perguntas, mas nada desconfortável.

Estava contando sobre minha irmã e Rob quando dois homens viraram o corredor, tinham maletas em mãos e usavam ternos caros. Vivian se levanta e os cumprimenta, ganho olhares de interesse e sinto uma cutucada no braço.

- Vai lá. A senhora me dispensa com um sorriso esperto e aceno.

- Foi bom conversar com você Vivian. Digo pegando minha bolsa e blusa.

- O mesmo Florence e não se preocupe, eu não ouço nada. Diz perspicaz me fazendo corar e sigo para o corredor, mas antes de virar o corredor falo:

- Mas iria ouvir o que?

Ela ri e ando até a porta preta batendo em seguida.

- Entre. Harry diz do outro lado e abro a porta encontrando-o tirando o paletó e arregaçando as mangas da camisa de botões.

Suas tatuagens aparecem e quase pergunto onde conseguiu elas, mas apenas adentro a sala e nossos olhares se encontram.

Harry franze o cenho surpreso com a minha presença e sorrio fechando a porta.

- Florence? Aconteceu algo? Questiona se aproximando de mim e nego largando a bolsa e blusa no sofá.

- Não, eu só resolvi sair mais cedo do trabalho e vir ver você, não nos vemos desde o fim de semana. Comento parando a sua frente.

Um sorriso de lado surge em seus lábios e ele circula minha cintura com os braços me trazendo para o seu calor.

- Concordo que é tempo demais sem vê-la pessoalmente. Responde e abaixa o rosto beijando meu pescoço.

Fecho os olhos com saudade dos seus lábios em mim e seguro em sua nuca.

- Estava com saudades. Deixo escapar sentindo seus beijos e mordidas em meu pescoço e mandíbula.

Ele ronrona e desce suas mãos para a minha bunda.

- Estava é? De mim ou do meu pau? Solta me fazendo sorrir.

- Dos dois. Forneço arrancando uma risada baixa.

- Tão exigente. Comenta e nos encaramos.

Abaixo meu olhar para sua boca rosada e mordo meus lábios fazendo seus olhos verdes descerem para a minha boca.

- Eu também senti sua falta Mon Cher. Diz a mim antes de abocanhar meus lábios em um beijo cheio de saudade e necessidade.

Me agarro a ele massageando seus ombros e braços fortes.

Sua língua brinca com a minha me fazendo sentir um gosto de café com hortelã, sua cintura esmaga a minha mostrando que ele já estava duro com nosso beijo.

- Porra, eu adoro quando usa saia, fica mais fácil me esgueirar. Fala entre o beijo mordendo meus lábios e amassando minhas pernas nuas.

- Sim. Respondo segurando seu rosto e querendo mais beijos.

Harry nos movimenta e sinto a sua mesa atrás de mim, suas mãos sobem minha saia enquanto seus lábios ainda devoram os meus. Sua mão alisa minha calcinha já encharcada e ambos gememos quando ele a coloca de lado e acaricia minha entrada.

- Tão molhada. Geme e desce os beijos pelo meu busto.

- Por você. Respondo ganhando uma mordida no pescoço.

Seu dedo alisa meu clitóris me fazendo gemer seu nome e sua mão amassa meu traseiro, abro mais as pernas para ele. Seu dedo médio desce e adentra meu canal me fazendo querer toca-lo também, por isso puxo sua camisa e desabotoou seu cinto, Harry comprime sua ereção em minha cintura.

- Quer dois? Questiona me penetrando com seu dedo e gemo assentindo.

Abaixo o seu zíper e gemo mais quando ele introduz mais um dedo acariciando aquele ponto de prazer.

Abaixo suas calças e cueca fazendo seu pau saltar duro em seu estomago.

Ele ronrona em meu ouvido quando o pego nas mãos e sua boca morde meu lóbulo.

- Quero ele, quero. Peço não conseguindo falar direito devido a magia dos seus dedos.

- Quer o que? Hã? Questiona me fodendo com seus dedos.

Abro a boca encontrando seus olhos e rebolo em seus dedos, mas Harry me traz de volta da nevoa de luxuria com um tapa na coxa.

- Responde querida.

- Quero seu pau, na minha boca. Respondo subindo e descendo minha mão pelo seu pau.

Seus olhos ficam escuros e vejo ele já começar a desenhar toda a cena em sua cabeça.

- Se quer então pegue. Me desafia ainda me comendo com seus dedos.

Sorrio e mordo o lábio, tiro seus dedos de mim a força e já sinto falta, mas tiro minha camisa de uniforme e depois meu sutiã, Harry como um adorador dos meus seios lambe sua boca e abocanha um.

Gemo puxando seus cabelos e sua cabeça, ele me olha com um bico que é substituído por um sorriso com covinhas assim que eu o empurro para a poltrona.

Ele se senta ficando confortável e me ajoelho a sua frente, seus olhos me observam feito um falcão esperando meus movimentos.

- Você vai gostar disso. Prometo quando seguro seu pau e o estudo de perto.

Eu já o tive dentro de mim, mas nunca prestei muita atenção então era a hora para estuda-lo.

As veias saltavam e sua cabeça tinha um corte por onde escorria o pré gozo, ele era suave e lisinho, suas bolas inchadas eram depiladas e só continha pelos acima na virilha.

Era lindo.

Masturbo-o e o encaro, Harry tinha a mandíbula travada e os olhos vidrados em meus seios.

Dou um puxão duro fazendo seus quadris rebolarem, me volto para seu pau a minha frente e molho meus lábios. Testo primeiro abocanhando sua cabeça e chupando, Harry geme e agarra meus cabelos com força, lambo o liquido que vaza e chupo mais uma vez. Lambo todo ele sentindo um gosto amargo e sabonete, desço para suas bolas e chupo uma depois a outra.

- Cristo. Ele geme apertando mais meus cabelos em seu punho.

Volto para a cabeça lambendo e abro bem a boca procurando relaxar os músculos da minha boca, então vou o colocando aos poucos em minha boca arrancando um ofego.

Sinto-o bater na minha garganta e respiro pelo nariz descendo-o todo, fico ali por um segundo antes de subir novamente. Gemo chupando a cabeça novamente e volto a descer. Harry parece se segurar, mas move o quadril para foder minha boca.

- Essa sua boca do caralho. Ele amaldiçoa e olho para ele encontrando-o com a boca aberta e as bochechas coradas.

Sinto minha garganta arder conforme subo e desço do seu pau e o solto ganhando um gemido de protesto.

- Não.

- Sim. Digo rouca e junto meus seios colocando seu pau no meio.

Harry revira os olhos quando sorrio diabólica.

- Fode. Sussurro dando permissão e seus quadris começam a estocar entre meus mamilos.

Harry agarra meu rosto em suas mãos e encara meus olhos fodendo meus seios, ele para deixando a cabeça bem perto da minha boca e lambo a mesma sabendo que é isso que ele quer.

- Vou gozar. Diz baixo dando mais duas estocadas fortes e sei o que dizer para que ele venha.

- Vem no meu rosto.

Seus olhos se arregalam e ele geme gozando pelo meu busto e rosto.

Ele treme e cai na poltrona ofegante, um pouco suado também.

Agarro em suas pernas e sorrio satisfeita sabendo que eu o deixei daquele jeito.

- Você me matou querida. Diz e olha para mim ainda com seu esperma pelo rosto.

- Morreu feliz. Provoco ganhando um sorriso orgulhoso.

Harry coloca as calças e se levanta me ajudando a fazer o mesmo, ele analisa seus restos em mim e alisa meus cabelos.

- Vamos limpa-la e depois eu quero come-la direito como deve ser. Conta me levando para o banheiro, então o sigo com um sorriso no rosto.

***

Meus dedos se movimentam com rapidez e graça alcançando todas as notas necessárias enquanto toco Fantaise de Chopin. Não presto atenção em nada ao meu redor quando toco, as notas e o piano são a única coisa na qual eu ouço e vejo no momento em que me concentro em tocar.

Quando era criança me lembro de me sentir frustrada por meus dedos serem menores demais para alcançar certas notas e por isso eu errava muito, mas eu não desisti, passei cada minuto do meu dia depois da escola me aperfeiçoando e ás vezes me esquecia até de comer. Minha mãe ficava no sofá lendo seu livro e me observando, não sabia se ela queria manter um olho em mim para ver se estava mesmo empenhada nas aulas de piano ou se somente gostava da música, mas era uma das lembranças mais dolorosas que tenho dela, porque toda vez que olho para o sofá e não a vejo e sinto a sua falta.

Meu humor muda e resolvo mudar para Beethoven, no entanto, noto um movimento a minha esquerda e penso que pode ser Syd apenas de passagem, mas vejo um sapato de salto alto e ergo meu olhar encontrando Rob ao lado da pessoa que menos esperava na minha casa. Isobel Turner.

A encaro sem parar a música e franzo o cenho me questionando o que ela veio fazer aqui, mas eu já sei o motivo. Harry.

Paro a música e encaro Rob.

- Isobel veio falar com você. Ele diz sorrindo e sei que ela deve ter inventado alguma desculpa de merda para poder entrar.

Digo a mim mesma que posso manda-la embora e não me estressar, mas a curiosidade é mais forte.

- Tudo bem. Respondo e me levanto da banqueta.

Rob acena e dá adeus a Isobel antes de subir.

Isobel me encara e depois analisa a sala, seu olhar para no piano e depois se volta para mim.

- Nunca imaginaria que toca piano, um instrumento de classe e muito menos que fosse boa nisso. Comenta tentando me insultar e quase sorrio.

- Pois é, muitas pessoas não aparentam ter classe, enquanto outras aparentam, mas não tem nenhuma. Jogo a fazendo sorrir maldosa.

Ficamos em silencio e ela anda pela sala com seu vestido chique e saltos de quinze centímetros.

- Sabe, eu não queria estar aqui, mas não resisti, tive que vir e conversar com você. Fala me fazendo cruzar os braços e me escorar no piano.

- Ah é? E o que precisa conversar comigo? – questiono, mas emendo – Não, deixe-me adivinhar. Você veio aqui me dizer que Harry merece coisa melhor, no caso você, que ele me traiu ou melhor, que ele tem uma esposa secreta e filhos. Debocho a fazendo sorrir de escarnio.

- Não querida, eu vim aqui para dizer que se não deixar Harry eu irei divulgar um vídeo dele fodendo uma menor. Responde fazendo meu corpo todo travar.

Encaro Isobel tentando entender o que ela disse.

Harry dormindo com uma menor? Nunca. Me digo que ela estava jogando comigo.

- Mentirosa. Acuso já tencionando.

Isobel sorri maldosa.

- Não, é verdade. A um ano mais ou menos, nós fizemos um ménage, eu fiz um jogo com ele e escolhemos uma moça linda em um bar para transar, mas acontece que essa menina era menor, tinha dezessete anos. Harry não sabia até depois do ato, ele ficou furioso então eu cuidei da menina, mas sabe, eu filmei tudo. Conta me fazendo ficar enojada.

Me questiono como uma mulher dessas pode ser tão cruel. Se essa história for verdade mesmo, ela seria capaz de acabar com a carreira do Harry só para me tirar de perto dele?

Faço careta e me aproximo dela apertando as mãos em punho.

- Se divulgar esse vídeo, se ele for verdadeiro, vai acabar com a carreira do Harry, tudo isso só pra ficar com ele? Acha mesmo que ele vai te querer quando souber o que está armando? Questiono querendo muito dar na cara dela.

Isobel sorri e dá de ombros.

- Não, eu sei que não tenho chances, mas é como diz o ditado, se ele não pode ficar comigo então não ficará com mais ninguém. Além do mais Harry se acha superior a todos, só porque é o dono da STYLE, ele me humilha sempre que pode então eu irei dar o troco. Explica me deixando com ânsia de vomito e tão enojada.

- Você é uma puta. Acuso me controlando.

Ela ri e nega.

- Eu sou é esperta querida.

- Eu não vou deixar que faça nada contra ele, Harry não deixará que nada aconteça, ele vai meter um processo tão grande em você que vai ficar toda borrada de merda, isso se não for pra cadeia. Pessoas como você merecem viver na merda mesmo. Ataco ganhando um sorriso debochado. O que só me deixa mais furiosa.

- Não, eu nasci no dinheiro e vou morrer nele Florence, mas já você, vivendo nessa casa ridícula e vestindo essas roupas, Deus, isso é um pijama de ursinho? Questiona caçoando de mim e sem pensar desfiro um tapa alto no seu rosto.

Sua cabeça voa para o lado e ela ofega, mas eu não acabo ai, pego em seu pescoço e a bato na parede deixando toda a raiva que sinto por ela nesse momento se mostrar.

- Escuta bem o que vou dizer, você vai embora da minha casa e vai esquecer que me ameaçou ou ao Harry, porque senão eu irei bater tão forte na sua cabeça que vai esquecer até seu nome.

Meus dentes doem conforme aperto a boca e Isobel me olha com raiva, ela me empurra, mas parece com receio.

- Nada que faça irá me fazer mudar de ideia querida e pode me ameaçar, só usarei isso contra Harry mais ainda.

- Você me dá nojo e eu vou adorar ver o que ele vai fazer com você. Agora desinfeta daqui. Sussurro andando até ela.

Isobel ajeita as roupas e ergue a cabeça, ela sai da minha casa e antes que ela desapareça pelas escadas pego meu celular para discar ao Harry.

Deus, que mulher louca.

Eu não sabia se era verdade ou não o que ela contou, mas eu precisava avisa-lo.

Chama e chama, mas Harry não atende e bufo frustrada.

- Droga, atende merda. Amaldiçoo alto e começo e disco novamente, mas ele não atende.

- Merda! Xingo e subo as escadas correndo, mas bato em Rob.

- Desculpa, preciso sair. Falo apressada, mas meu cunhado segura em meu braço.

Olho para seu rosto o vendo bem severo.

- Aqui, use meu carro. Diz mostrando as chaves do seu Mercedes.

Franzo o cenho confusa, mas o que ele diz em seguida me faz entender.

- Eu vou querer saber direito que história é essa da Isobel estar te perseguindo, mas as coisas mais urgentes primeiro.

Suspiro e beijo seu rosto agradecida.

- Eu prometo explicar tudo depois. Falo pegando as chaves do carro e subindo as escadas.

- Adicione a lista de conversas a sua falta de classe ao escutar minhas conversas. Grito no caminho e sorrio ao escutar sua resposta.

- Isso é total culpa da sua irmã, culpe ela não a mim!

O caminho para a casa do Harry foi um borrão porque estava com pressa demais e muito agitada tanto que sai de pijamas e pantufas. Assim que saio do carro do Rob e toco o interfone, peço para falar com ele. Era oito horas da noite e sei que ele já deveria ter chego da empresa.

A empregada me deixa entrar e abro a porta apressada, ela vem até mim e diz que Harry estava na academia lá embaixo. Agradeço e desço as escadas com pressa.

A piscina surge e posso ver as luzes da academia acessa, o barulho de socos é ouvido e dou mais uns passos me deparando com Harry em luvas de boxe, calção folgado, tênis e uma faixa na cabeça, seu peito tatuado estava brilhando de suor e gemeria se não estivesse assustada.

Me aproximo devagar observando quando ele soca três vezes e depois se abaixa como se o saco fosse seu inimigo.

Ele não parece perceber-me aqui então me escoro no vidro e apenas assisto.

Ele soca com tanta força e limpa o suor do rosto no braço, respira rápido e vejo seu abdômen torcer e endurecer.

- Florence? Harry questiona parando sua atividade e me avistando.

Suspiro e me aproximo sentindo o cheiro do seu perfume com suor.

- Hey. Digo com a voz tremula.

Harry tira as luvas e pega uma toalha preta secando o suor.

- O que faz aqui? Pensei que fosse ficar em casa essa noite. Comenta curioso e me aproximo o abraçando.

Harry tenta me afastar, mas acaba cedendo.

- Querida eu estou suado e fedido. Reclama, mas balanço a cabeça.

Não quero acreditar que Harry possa ter dormido com uma menor de idade ou que Isobel filmou tudo.

- Hey, o que houve? Você está tremendo. Diz e me afasta.

Ele ajeita meus cabelos atrás da orelha e segura em meu queixo me fazendo olha-lo nos olhos.

- Preciso te contar uma coisa. Digo e ele pode ver que é ruim porque tenciona.

Respira fundo e assente.

- Tudo bem, mas me deixe tomar um banho primeiro. Pede e aceno o seguindo para o seu quarto.

Depois que ele toma banho e coloca uma cueca, se encosta no vidro ao meu lado com vista para o jardim. Me questiono como direi a ele, mas assim que o encaro sei que não tem jeito doce de contar o que aconteceu a pouco.

Conforme solto os acontecimentos sua mandíbula vai endurecendo e seu rosto vai se tornando sombrio e mais sombrio, que até mesmo eu fico com medo.

Ficamos em silencio e Harry se vira para a janela perdido em pensamentos, ele não parece ameaçado ou com medo, só parece furioso.

- Harry? É verdade ou ela disse essas coisas para me provocar? Indago baixo com receio de que ele exploda.

Harry aperta as mãos em punho e assente, mas não me encara.

Ofego e me abraço.

- Eu não sabia, somente depois que tive relações com a menina que descobri, mas não se preocupe com isso Florence. Ouço sua voz fria que não era dirigida a mim em semanas.

- Como não me preocupar com isso? Ela disse que vai divulgar o vídeo! Eu sou sua namorada, é claro que vou me preocupar com alguma doida tentando acabar com sua reputação. Protesto o fazendo se virar para mim.

Nos encaramos por segundos, mas é o suficiente para ele abrandar sua raiva e voltar a me olhar com carinho.

- Eu sabia do vídeo. Conta me fazendo abrir a boca surpresa.

- Hã? Digo confusa.

Harry segura em meu rosto nos aproximando, seguro em sua cintura.

- Eu sabia que ela filmou, ela pensou que não vi seu celular encostado na poltrona aquele dia, mas eu vi e depois que ela dormiu eu mexi no celular dela e achei. Eu não exclui porque precisava de provas que ele estivesse lá para um problema no futuro, mas eu falei com meus advogados e eles procuraram a tal menina, ela mentiu pra mim, Isobel mandou que ela mentisse, ela contratou aquela menina Florence, ela fez isso para.

- Ter algo contra você. Termino por ele entendendo tudo.

- Que cobra. Xingo ficando com mais raiva ainda.

- Sim, mas ela não desconfia que eu sei de tudo. Na minha posição tenho que ter cuidado com esse tipo de coisa, Isobel achou mesmo que eu fosse ficar tranquilo sabendo que corri o risco de dormir com uma menor. Ela é burra por pensar isso de mim. Se me conhecesse saberia que não deixo pontas soltas. Conta me fazendo sorrir.

- Ainda bem, Deus, eu fiquei com tanto medo dela te prejudicar. Falo o fazendo sorrir de lado.

Harry alisa meu rosto e bitoca minha boca.

Gemo e abro a boca para ele, então ele adentra entrelaçando nossas línguas em um beijo lento e paciente. O abraço e ele segura em meu rosto.

- Obrigado pela preocupação, mas não há nada para se preocupar. Amanhã eu falarei com os meus advogados e eles resolveram isso, assim como eu irei resolver com a Isobel. Fala me acalmando.

- Você vai demiti-la? Questiono querendo saber.

- Porra sim. Responde com raiva e sorrio voltando a beija-lo.


Notas Finais


> Nossa como a Isobel é má gente, tentando prejudicar o Harry. O que acham que ele vai fazer com ela?

> Florence esmurrando Isobel e mostrando que não tem medo de nada. Achei pouco.

> Rob descobriu tudo, será que ele vai contar pra Syd?

> Obrigado por acompanhar a fanfic e até a próxima!!!

All Love <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...