História Only fools do what i do. - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Neo Culture Technology (NCT)
Personagens Jungwoo, Mark, Personagens Originais, Taeil, Taeyong
Tags Jungwoo, Jungwoo X Taeyong, Jungyeong, Mark, Menção Twice, Nct, Taeil, Taewoo, Taeyong
Visualizações 8
Palavras 3.243
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Ficção Adolescente, Fluffy, LGBT, Romance e Novela, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


@minhyungsze eh meu tt
eu amo a krystal tbm dona dos labios mais podres de chique da coreia
sm deixa meu nct descansar e da um comeback pro fx

Capítulo 2 - 2016


2016

   Este foi um ano confuso para Jungwoo. Durante o ano todo, ele tinha odiado a escola e tudo o que envolvia ela. Ele odiva ir na escola, odiava as pessoas de lá, já que todos caçoavam dele por sua condição social. Logo no início do segundo ano letivo, Jungwoo tinha mudado de sala e, consequentemente, de lugar, passando a sentar  na penúltima cadeira da fila da porta. Mas isso apenas durante a primeira semana de aula, já que na segunda Krystal, uma das garotas mais ricas da escola tinha voltado da sua segunda viagem a Paris. Eles brigaram, já que segundo a menina, aquele ela o lugar dela, e que se ele não saísse de lá imediatamente ela teria que mudar de cadeira, algo que não queria fazer (tinha deixado isso bem claro) poruqe se não o corpo dela seria “contamidado por germes bolsistas”.
   Na escola, Jungwoo também tinha perdido o interesse por estudar, mas ainda o fazia para orgulhar Taeil. Mas, como todos sabem, a má vontade é inimiga da perfeição, e, por isso, Jungwoo quase pegou recuperação duas vezes. Ambas foram porque seus professores erram a soma das notas. Pelo menos ele ainda era o melhor da classe em matemática, tanto que sua professora tinha pedido para ele corrigir as provas do primeiro ano, já que ela estava muito ocupada com o aumento que teve na sua carga horária.
   Na família, as coisas tinham melhorado, mas só financeiramente. O casamento de Taeyeon e Taeil tinha trazido muitos benefícios nesta parte, mas só nessa parte.
   O casamento dos dois tinha sido lindo de ver, uma festa digna de um príncipe. Tinham casado em um campo e se beijaram na momento mais bonito do pôr-do-sol. A festa tinha cerca de 100 convidados, a maioria sendo membros da igreja de Taeyeon e pastores. A esposa tinha bancado tudo, desde os salgadinhos até o banco que tiveram que comprar porque a festa era a oar livre. Taeil apenas contribuim nos convites, a única parte que Tayeon deixou ele ajudar, já que sengundo ela, ele era “pobre de mais para comprar as coisas bonitas”.
   Jungwoo tinha se dado super bem  com Taeyeon nos primeiros meses após o matrimônio, ela tinha se oferecido para pagar a escola do menino e comprar roupas novas para ele. Jungwoo acabou recusando tudo, mas recebeu de presente uma compra de materias didáticos novos da mulher. 
   As coisase começaram a piorar logo depois disso, quando Taeyeon e Taeil tiveram a primeira briga por causa dos gastos descontralodos daquele mês. Taeyeon tinha comprado materiais novos para os três filhos, e tinha comprado tudo, sem deixar que nenhum usassem uma caneta sequer do ano passado. Quando Taeil viu o preço daquele presente, ficou louco e foi tirar satifações. Como podia ela gastar tanto dinheiro sendo que agora tinha assumido a dívida de Taeil junto com ele? Taeyeon retrucou falando que o dinheiro era dela, que Taeil era louco por brigar com a única pessoa que ama ele, que  se ele quisesse, essa seria a última coisa boa que ela iria fazer por aquela família, que Taeil tinha humilhado ela falando essas bobagens e que não tinha culpa se ele devia milhões. Essa foi a primeira vez que a loira se descontroulou.
   Se descontrolou porque no meio da briga que estava tendo com o marido na cozinha, Chaeyoung, a irmã mais nova, tinha descido para pegar suco e uns biscoitos. Essa menina não parava de comer nunca. Comia quando nervosa, com medo e quando odiava as situações e passou a comer o dobro quando Taeyeon passou a morar com eles. 
   Quando Chaeyoung chegou na cozinha e Taeyeon viu a menina, ela já começou a gritar. Gritou sobre como Taeil não sabia educar os filhos, todos os filhos deles eram um bando de mal agradecidos que não tinham nem dito obrigado pelos presentes, que eles nunca iam tratar ela como tratavam o pai, porque com ela, a coisa era diferente. Se não entende uma vez, entende na outra com chinelo.Gritou que em briga de homem e mulher não se mete a colher, frase que levou Chaeyoung a namorar um cara que batia nela quando maior e achar normal. Chaeyoung só queria biscoitos e se hidratar, e saiu do sei quarto para isso. Mas, no fim, subiu para seu quarto com uma dor e a coxa roxa, e acabou se desidratando mais ainda lá mesmo. Essa foi a primeira de muitas que o sangue de Jungwoo ferveu aquele ano.
   Esse foi um ano confuso porque, apesar de estar odiando a escola e perdendo o interesse em estudar, e sua vida familiar ter piorado efetivamente, a sua vida fora desses lugares estava perfeita. Ele saía para festas todos os finais de semana, e ia com Taeyong ainda por cima. 
   Fazer as pazes com Taeyong foi algo bem mais fácil para Jungwoo do que ele tinha pensado. No final do ano passado, Jungwoo ainda estava mal com isso. Ele ia para várias festas, indo algumas vezes em três festas no mesmo dia, voltando para casa apenas no nascer-do-sol do outro dia. Adorava ir em festas, mas no final de todas ele sempre mandava uma mensagem com alguma merda para Taeyong, parecia um ritual, porém Taeyong sempre respondia. Ele escrevia que tinha se arrependido, que nunca mais iria fazer isso e que ainda gostava dele. “Repare que você ainda não dizia que me amava, mas eu já te dizia” “Mas só quando estava bêbado, o que não é nada melhor” foi um diálogo que tiveram algum tempo depois. 
   De tantas mensagens em vão que haviam trocado, Taeyong cansou e foi até a casa de Jungwoo, que, talvez por sorte ou por azar, não estava em casa. Quando foi atendido por Taeyeon, simplesmente disse que iria fazer um trabalho, desculpa que foi aceita rapidamente pela mulher, que o deixou entrar com uma cara nada agradável. 
   Taeyong subiu até o quarto de Jungwoo, e esperou cerca de meia hora até a pessoa com quem queria falar chegar. Jungwoo viu Taeyong e não falou nada, apenas largou suas coisas e sentou na cama, e fez um sinal com a mão para que ele falasse. Jungwoo ainda estava bravo com Tae, poxa, ele sabia que não estavam namorado (só aceitou isso depois daquela maldita mensagem), mas eles não ficavam com outras pessoas à meses. 
   O agora moreno explicou que  apesar de ter ficado com Momo, ainda gostava dele e que devia ganhar uns pontinhos pela honestidade. Jungwoo queria muito  ficar bravo com ele, mas Taeyong era tão fofinho falando, tanto que ele nem escutou nada, apenas nos gestos que Tae fazia e o jeito que brincava com o botão do casaco, já que estava nervoso. Além do fato que Jungwoo também era idiota e trouxa por Taeyong, por isso perdoou ele de primeira.
   Ficaram conversando a tarde interia, sobre a vida, as notas e como Jungwoo tinha perdido o interesse em estudar. Taeyong achou engraçado que a pessoa que estudou dois anos para comseguir uma bolsa integral tinha perdido o interesse em estudar e mesmo assim continuava com os notas maiores que a dele. 
   Naquela noite, eles foram para uma festa, algo que Jungwoo passou a adorar fazer naquele ano. Toda festa que ia, milhares de pessoas, meninos e meninas, queriam ficar com ele, mas Jungwoo nunca queria ficar com nenhum, tanto porque não gostava de ficar com tanta gente quanto porque ainda gostava -muito- de Taeyong. Ele se sentia um cafetão com tanta gente em seus pés. Ele era popular nas festas, nem parece que na aula tratavam o menino como lixo, Taeyong, Yeri e Sicheng eram os únicos que não faziam isso.
   No final da festa, que não era bem final, era só os amigos de Jungwoo saindo daquele ambiente e indo passear na rua, bêbados para caralho, deu merda. Taeyong tinha bebido tanto que não conseguia controlar o próprio corpo. Via as coisas turvas e caminhava bambo, indo de uma lado para outro. Não tinha se machucado tantas vezes porque os amigos sempre os pegavam antes de cair no chão ou o álcool anestesiava a dor. 
   O moreno estava caminhando bambo quando tropeçou numa pedra que estava no meio da rua e caiu. Caiu para o lado, batendo a cabeça no asfalto, fazendo um machucado que logo começou a sangrar. Yeri, que era a pessoa mais perto de Taeyong naquelr momento, não percebeu, pois estava ocupada demais sentada na rua e vomitando. Apenas Sicheng, que estava segurando o cabelo da amiga e falando para ela que não merecia o Sehun, seu ex-namorado, que ela fez certo de ficar com o Jaehyun,, afinal aquele merda com cabelo loiro tinha traído ela com a Sooyoung e termidado com Yeri naquele mesmo dia, terça-feira passada. Afirmou que a fase do filme com sorvete tinha que acabar de uma vez, já que o mesmo não aguentava mais ver Simplesmente Acontece comendo sorvete de baunilha. Ela tinha que parar com isso, porque um dia ia achar alguém que tratasse ela como o Yuta trata ele.
   No meio dessa confusão de vômitos, lágrimas e gritos no meio de uma rua deserta, Jungwoo foi correndo ver como Taeyong estava. Viu o machucado e, porque estava alterado por causa da grande quantidade de soju no corpo, começou a rir. Jungwoo sentou junto com Taeyong, que levou a mão até o machucado e tirou-a de lá com os dedos sujos de sangue, mas mesmo assim riu, porque era o mais bêbado de lá e porque Jungwoo estava o fazendo. Com os dois sentados no chão e rindo feito loucos, Yeri e Sicheng se juntaram a eles, mas deitando do lado dos amigos e rindo também. Depois disso, só se sabe que o sangramento de Taeyong parou.
    A manhã seguinte a este dia tinha sido maravilhosa. Jungwoo acordou na casa de seu quase namorado (Taeyong contou que eles dormiram na rua e que um policial acordou eles no meio da madrugada. Nada de grave aconteceu porque eles eram menores de idade, mas o oficial ameaçou ligar para o responsável de cada um. Sorte que ninguém lembrava a senha do celular de tão bêbados. O policial deixou passar dessa vez, mas disse que se visse qualquer um dos quatros aprontando de novo, ira levá-los para delegacia.), tinha dormido de conchinha com ele. Se estivesse sóbrio, aquela seria um de suas melhores noites de sono. Soube disso pois após acordar tinha ficado um tempão abraçado em Taeyong, o observando dormir. “Como ele é lindo” era o único pensamento na cabeça de Jungwoo.
   Aquela poderia ter sido a manhã mais agradável do ano, com a temperatura e a posição perfeita, só faltava um livro. Mas, como nada na vida é um mar de rosas, foi obrigado a sair de sua manhã confortável para atender o celular. Era seu pai. Se espreguiçou um pouco, atendeu e saiu do quarto correndo, não queria acordar Taeyong, ele parecia um anjo dormindo.
   Disse alô para Taeil e viu que não era ele, e sim Taeyeon. Que ótimo, a demônia estragou sua manhã dos sonhos. Ela ligou e já começou a berrar perguntando onde Jungwoo estava e o porquê dele não ter mandado pelo menos uma mensagem avisando que iria passar a noite fora. Jungwoo retrucou falando que antes mesmo de sair tinha avisado o pai que iria voltar só no dia seguinte, e, que se houvesse mudanças nos planos, iria avisar, por isso não se preocupou em ligar. Mas Taeyeon não quis saber,gritava cada vez mais perguntando onde ele estava, que iria buscá-lo nesse exato instante. Ficou tão brava por não estar no controle e por Taeil não tê-la avisado, que xingou-o de irresponsável e pai desnaturado.
   Jungwoo não aguentou escutar uma coisa dessas. Sua relação com seu pai era igual a dos brasileiros com o Brasil: ninguém pode falar mal, só eu. Falou para Taeyeon que ela não tinha nada a ver com a história, e, que não importava o que ela achava, Taeil era um ótimo pai, um zilhão de vezes melhor do que ela jamais seria como mãe, e desligou o telefone.
   Voltou para o quarto e viu que Tae já tinha acordado. Desceu a escada rezando e de dedos cruzados para que ele não o tivesse visto discutindo com sua madrasta nem tivesse acordado por causa dos gritos dela. Porque, sinceramente, Jungwoo tinha certeza que estava surdo de um ouvido.Suas presses tinham falhado, a primeira coisa que Tae tinha falado quando viu Jungwoo tinha visto aquela mulher gritando perto de casa.
-
   Seis meses depois daquele dia maravilhoso que Jungwoo teve com Taeyong, na manhã em que foram juntos para escola abraçados já q estava frio, Jungwoo apanhou. E por motivo mais fútil não poderia ser. Ele tinha apanhado por tirar uma nota maior em matemática do que Krystal, a menina que não gostava dele e era a aluna influciada a ser educadora pelos professores por suas excelentes notas, o que era um mistério, porque coitada, era burra, mas em nível extremo. Jungwoo dizia que ela só era bocarbetinha para a vida e Yeri (sim, eles se juntavam com Sicheng para falar mal de Krystal. Yeri odiava a menina com todas as forças desde o último ano do jardim de infância, em que Krystal pegou a boneca da Pucca de Yeri da mesa dela e deixou uma quantia de dinheiro no lugar. Sicheng só não gostava dela pela fieldade que tinha com os amigos e porque tinha que retribuir as vezes em que os três bruxos líderes da Sonserina [uma das coisas que os juntou foi o amor a leitura] se juntavam para contar e rir ds merdas que Chanyeol, seu ex, fazia) dizia  que ela pagava os professores para passar, só não sabia como. Sempre insinuou que com sexo, porque a Krystal podia ser uma puta encubada, mas sua mãe era descente. Jungwoo sempre foi muito curioso do porquê Yeri e Sicheng defenderem tanto a família materna de Krystal. 
   Jungwoo tinha apanhado no final da aula daquele diga, logo após dobrar a esquina e passar a seguir seu caminho sem Sicheng. Krystal estava  com suas outras três amigas, Victoria, Sulli e Luna, já preparada pro bote, já que é isto que cobra faz. (palavras de Yeri e Taeyong [sim depois desse dia, eles viram os quatros líderes da Sonserina]) Jungwoo tinha colocado os fones e estava olhando para baixo, era muito desastrado e sempre acaba pisando em algum buraco ou pedra. Quando ele passou pela Krystal, não percebeu sua má intenção e, como uma pessoa educada, apenas disse acenou para as quatro amigas. Krystal ficou furiosa pela falta de atenção que recebeu, o que agravou ainda mais a surra.
   Quando Jungwoo virou a outra rua, foi quando o grupi partiu para o ataque. Luna puxou Jungwoo pela mochila, ato que acabou derrubando o menino para trás. Victoria chutou a perna de Jungwoo que já estava no chão, e Sulli pisou no seu estômago. Krystal foi a última das garotas a agir, dando-o um chute que o virou para lado, para que ele pudesse se contorcer de dor. Guspiu na cara dele e falou que como um bolsista que vejo de escola pública ousava tirar uma nota maior que ela, uma menina intelgente. Apostou que Jungwoo era burro como uma porta no ínicio desse ano, e com a nota do menino sendo mais alta que a dela, tinha perdido. Contou da aposta para Jungwoo e completou acrescentando que ele apenas conseguiu a bolsa dando para o diretor (as pessoas falam o que fazem – disse Sicheng quando Jungwoo contou o ocorrido para os amigos) e que agora já era acostumado, já que virou a cadelinha do Taeyong. 
   Jungwoo era uma pessoa pacífica, tinha pensado em só apanhar em silêncio, porque, honestamente, elas não iriam bater forte e depois levantar, talvez gemer um pouquinho de dor e ir para casa como se nada tivesse acontecido. Taeyeon ira surta se soubesse que uma das bocas que sustentava com dinheiro “vindo da bênção de Deus” se meteu em um briga. Não importava o motivo, nem se ele não tivesse batido e que fosse a vítima,, Jungwoo sabia que se ela descobrisse que ele estava numa briga, iria apanhar em casa, o que não era um problema, já que Jungwoo tinha uma resistência enorme à dor, mas Taeyeon iria falar merda para caralho, e isso Jungwoo não aceitava. Ele não aceitava que ninguém falasse merda, e isso foi exatamente o que Krystal fez. 
   O menino levantou furioso, mas mantendo a postura e começou a falar algumas coisas para Krystal. Disse que ele não namorava o Taeyong (mesmo que isso doesse e ele desejasse isso mais que muita coisa. Principalmente ficar na mesma cidade que Krystal) e que ele era gay mesmo, e o namorado dela podia comprovar isso se ela perguntasse à ele sobre a noite passada. (Quando Jungwoo contou isso na aula, Yeri  ficou tão orgulhosa pela atitude do amigo que no outro dia trouxe-lhe um presente)
    Após ouvir a audácia que Jungwoo disse, Krystal saiu de lá batendo os pés o mais rápido possível. Estava 1x0 para as pocs.
-
   Um mês depois, em agosto, Jungwoo tinha sido convidado por Yeri e Sicheng para ir para um grande evento geek da cidade, que acontecia de dois em dois anos. O ingresso do evento era muito caro, e não iria pedir dinheiro a Taeyeon, tinha que mostrar que era independente e que não precisava dela. Ele fazia isso desde o dia que ela estragou a conchinha dele com Taeyong e acordado ele a gritos. Jungwoo iria negar o convite, apesar de querer muito ir, quando descobriu que as pessoas de Cosplay não precisavam pagar. 
    No dia do evento, Jungwoo acordou super animado. Pegou sua fantasia de Frodo que tinha ganhado de Taeil no seu aniversário de 14 anos. Mesmo sendo de dois anos atrás, a fantasia ainda estava intacta, Jungwoo guardava ele como um troféu e era a única roupa que não deixava Mark pegar emprestado, mesmo o menino implorando para usar ela. Ficaram sem se falar por doze dias quando Mark foi convidado para uma festa à fantasia e pediu a fantasia de Frodo para Jungwoo, que não emprestou. Mark acabou indo de homem de lata.
    Chegou no evento com o Cosplay maravilhoso. Sua maquiagem estava digna de uma da do filme. (Sicheng o elogiou muito por isso, tanto que pediu para que ele o ensinasse alguns truques porque iria no show da QueenB mês que vem).
    Jungwoo recebeu vários elogios e foi encorajado a entrar no concurso de fantasia que teria. Ele se inscreveu porque sabia que se não fizesse ele mesmo, a Yeri o faria. No concurso, ficou em terceiro lugar, e como estava sendo anunciado do terceiro ao primeiro lugar, Yeri estava preparada para atacar o tolete de merda que tinha tirado o primeiro lugar do amigo. 
   O primeiro lugar foi anunciado, e era o cara com o Cosplay de Sam, também de Senhor dos Anéis. Jungwoo teria ajudado Yeri se não tivesse a impedido. O Sam era Taeyong. Todos sabem que Frodo e Sam deviam ficar juntos, pelo menos era o que Jungwoo pensava. Porque Taeyong não contou que estava vindo? 
    Aquele evento foi especial para Jungwoo porque seu casal tinha se tornado real, Frodo tinha começado a namorar Sam. Jungwoo tinha começado a namorar Taeyong. Também foi especial porque tinha perdido metade de suas economias para Mark, que tinha apostado com o irmão que ele era gay ainda no ano passado. 

 

 


Notas Finais


views em 4 walls e icc


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...