História Only Mine - Kim Namjoon - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Big Bang, Jay Park
Personagens G-Dragon, Jay Park, Jeon Jeongguk (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Tags Bts, Kim Namjoon, Rap Monster
Visualizações 87
Palavras 1.431
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Ecchi, Famí­lia, Festa, Hentai, Luta, Mistério, Policial, Romance e Novela, Suspense, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá, realmente espero que esteja bom, me dediquei e aqui está, espero do fundo do meu coração que vocês gostem, espero que meu trabalho tenha válido a pena.
Perdoem os errinhos e divirtam-se lendo💜

Boa Leitura amores!

Capítulo 1 - Chapter 1



É segunda-feira de novo, ainda falta muito para o próximo final de semana.

E eu já estou exausta

Uma manhã fria, combinando com meu sentimento. Música calma no volume certo, as ruas estão congestionadas, o dia ainda não acabou.

Olho o horário no meu celular rapidamente, coloco no banco ao meu lado soltando um longo suspiro.

Não há fim para o que eu tenho que fazer, e isso continua se acumulando com meu cansaço.

Depois de longos minutos chego na minha cafeteria preferida, o aroma do café percorre todo local. A brisa primaveril vem até mim, o calor do sol derretendo o ar ainda frio.

Sou acordada dos meus devaneios ao sentir vibração do meu celular indicando uma ligação, suspiro fundo e atendo.

- Alô?

- Mariah, desculpe incomodar você nesse momento - diz o delegado.

- Vai direto ao assunto, não quero que meu café esfrie.

- Super paciente você, mas apenas queria informar sobre a denúncia que acabei de receber.

- Denúncia? O que houve dessa vez?

- Uma mulher ligou dizendo sentir um forte odor na casa vizinha, preciso que compareça agora na delegacia.

- Claro, estou indo imediatamente Seth.

Encerro a ligação sem ao menos esperar alguma resposta do mesmo, levanto e retiro uma certa quantia de dinheiro do bolso da calça colocando sobre a mesa, saindo rapidamente do estabelecimento.

Abro a porta do meu carro logo adentrando, coloco o sinto de segurança a minha volta e giro a chave do carro na ignição o ligando.

Chego na delegacia depois de poucos minutos já que a mesma fica perto da cafeteria, saio do carro e entro no local.

Vou direto para sala do delegado, sendo comprimentada pelos meus caminho.

Nesses últimos três meses as denúncias sempre são parecidas, alguém liga para delegacia alegando sentir um forte odor na casa vizinha. Vou até o local com alguns policiais e encontramos o corpo da vítima, saio do local deixando outros polícias vigiando o lado externo do imóvel. Quando volto na companhia da perícia o corpo já não se encontra mais no local, nenhum policial viu alguém entrar ou sair da casa. É incrível como as coisas acontecem de forma rápida e ágeis, porém no local que se encontrava o corpo sempre é deixado uma foto ensanguentada da vítima já sem vida.

Eu tento chegar ao assassino e quando sinto estar próxima de descobrir algo de alguma forma volto para onde estava como se eu fosse um boomerang.

Me aproximo da sala do delegado que se mantinha aberta, entro encontrando o mesmo conversando com alguns polícias que certamente irão comigo. Todos voltam sua atenção para mim, me deixando um pouco desconfortável com tanta atenção.

- Mariah, chegou rápido - diz Seth quebrando o silêncio.

- Esse é o meu trabalho, não faço mais que minha obrigação. - digo cruzando os braços.

- Certo, eu vou passar o endereço que me deram da residência e vocês já podem ir - passou a mão no cabelo, pegou um papel anotando o endereço.

Depois de ouvir algumas informações que foram passadas saímos da sala, fomos até o carro de polícia.

- Hoje quero fazer diferente - Olhei para os quatro policiais que me acompanhavam - Já avisei a Gabrielly sobre o acontecimento, ela está indo nesse exato momento. Assim não perderemos tempo, quero evitar ao máximo que o corpo da vítima desapareça. - Todos concordaram e entraram no carro, como sempre fui dirigindo.

- Tenho quase certeza que todos esses casos são causadas pela mesma pessoa, não acha Mariah? - Perguntou Hiroto que estava ao meu lado.

- Você está certo, acho o mesmo - respondo aumentando a velocidade do carro.

Depois de alguns minutos chegamos no local, o imóvel era simples porém muito bonito. Saímos do veículo já encontrando o pessoal da perícia na porta, me aproximo e conversamos rapidamente sobre o assunto.

Entramos na casa, vasculhando a mesma com cautela. Estranho não encontrar nenhum vestígio de sangue no andar de baixo, subo as escadas acompanhada pelo Hiroto e uma das minhas amigas que faz parte da equipe de perícia.

Ao adentrar o quarto que pelo corredor podia sentir um forte odor, me deparo com um gato morto em cima da cama.

Me aproximo da cama logo percebendo que o bichano não tinha nenhum ferimento ou vestígio que o sangue que manchava o tecido branco da cama seja dele.

- Mariah, tem uma foto aqui - Gaby fala  olhando a fotografia perto do gato.

Hiroto chamou todos para o quarto, a perícia começou a executar o seu trabalho. Assim que tudo foi examinado até os últimos detalhes possíveis, saímos da residência questionando o porquê desse felino no local - o gato com pelos brancos, muito lindo por sinal - resolvi acompanhar a perícia, minha curiosidade falou mais alto no momento.

Os policiais que estavam comigo voltaram para delegacia, mandei eles contarem oque aconteceu. Gaby e eu não ficamos conversando sobre o nosso trabalho, mas sobre nosso Dorama favorito... atitude que não combina com nossos cargos, fazer oque? Também somos humanas.

- Então Gaby, para onde vai mandar esse gato? - digo mudando totalmente de assunto.

- Acho melhor o animal ser examinado por um veterinário, ele poderá dizer a causa da morte. O resto vai para o laboratório.

- Oh sim, faz todo sentido - ela ri

- O pouco que eu consegui ver a foto não e do animal - me olha pensativa - Acho que a foto é de um homem.

- Assim que descobrir de quem se trata, avisarei a Safira para saber exatamente tudo sobre a vítima - ela apenas assenti sorrindo fraco.

|•••|

Já no laboratório depois de deixar o gato para ser examinado pelo veterinário que faz parte da equipe da Gaby.

- Bom, já coletei as amostras de sangue que tem na foto - fala se virando olhando para mim - Vou mandar para o banco de sangue, eles vão tentar descobrir de quem pertence esse sangue.

- Mande mais rápido possível, mas agora você já consegue olhar a foto com mais clareza? - Levanto e me aproximo da mesma.

- Um pouco, porém se você quiser olhar coloque luvas - falou apontando para uma caixinha que possuía luvas descartáveis, faço o que ela pediu.

- Agora posso ver? - ela assenti - Okay

Ao olhar a foto percebo que realmente ela estava certa é um homem, aparentava ter uns vinte e dois anos apenas. Seus cabelos pretos e seu olhar indesifravel, trajava roupas escuras. Deixando o mesmo um homem misterioso, coloco a foto no local e retiro minhas luvas, jogando elas no lixo que estava próximo.

- Então o que achou? Ele não me aparece familiar - fala me olhando atentamente.

- Acho que se trata de alguém reservado, não sei explicar.

- Bom, vou levar as amostras para o Simon - fala pegando os materiais.

- Ele trabalha no banco de sangue, certo? - perguntei

- Sim, você ficará aqui?

- Acho que não, posso levar a foto para Safira descobrir de quem se trata?

- Claro, você me faria um grande favor - fala já saindo do laboratório.

- Então tá - coloquei novamente outra luva e peguei a foto, colocando a mesma dentro de um saquinho.

|•••|

Após chegar ao local desejado, adentro o mesmo indo direto para onde Safira ficava.

Dei duas batidinhas na porta que logo foi aberta pela ruiva com um sorriso largo no rosto ao me ver.

- Olá Safira, como está? - a mesma dá passagem e eu entro na sala.

- Estou bem, trouxe a foto Mariah? - pergunta colocando uma mexa do seu cabelo atrás da orelha.

- Sim, aqui está - entrego o saquinho para mesma que caminha até sua mesa que tinha vários equipamentos sobre ela.

- A foto não está danificanda, isso é ótimo - sorri fraco e se sentou em frente do seu computador.

- Espero que ache algo, não vejo a hora de capturar esse maldito criminoso.

- Calma, como uma ótima profissional você sabe que as coisas não funcionam assim - fala observando a foto e mexendo em algo no computador.

- Eu sei, eu sei - suspiro fundo e sento ao seu lado observando oque a mesma fazia.

Se passaram algumas horas e eu já tinha andado por toda extensão daquela sala por me cansar de ficar sentada.

- Dylan - Ouvi Safira falar com ela mesa, voltei a sentar ao seu lado.

- O que você está dizendo? - pergunto olhando para mesma que mantinha sua atenção vidrada na tela do computador.

- O nome da vítima é Dylan - finalmente olhou para mim sorrindo.

- Até que enfim, descobriu mais alguma coisa?

- Sim, ele tem vinte e cinco anos, nasceu em Busan - falou lendo as informações - Ele tem um melhor amigo, que incrusive está á trabalho aqui em Londres.

- Qual o nome dele? - pergunto realmente curiosa.


- Kim Namjoon


Notas Finais


•É isto, amores 💜
•Espero não ter decepcionado vocês, comentem oque acharam.

|•Ainda não está escolhido o dia que vou atualizar a fanfic, provavelmente será uma ou duas vezes na semana.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...