História Only Mine - Capítulo 20


Postado
Categorias One Direction
Tags Harry Styles, Larry, Liam Payne, Louis Tomlinson, Niall Horan, Zayn Malik, Ziam Mayne
Visualizações 141
Palavras 1.860
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção Adolescente, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Gravidez Masculina (MPreg), Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi meus amores ❤
Bom, um breve aviso aqui: nesse e nos próximos capítulos vão ter cenas de violência infantil, tortura e tudo mais... Então quem não gosta é só não ler, mas lembrando que são momentos importantes da vida do Zayn, ok?
Bom, avisos dados... Boa leitura amores ❤

Capítulo 20 - Capítulo 19


Fanfic / Fanfiction Only Mine - Capítulo 20 - Capítulo 19


~ Em um passado não tão distante...

_ Papai, eu não quero ficar aqui com a vovó! – resmungou o menininho com um enorme bico nos lábios cheinhos, arrumando a alcinha da mochila do Batman que carregava em suas costas.

_ Meu amor... – o homem suspirou, agachando-se em frente ao filho de forma que ficassem da mesma altura, acariciando os cabelos negros do menor. _ Papai não pode cuidar de você agora, então você vai ter que ficar com a vovó Elise por enquanto. Vai ser legal! Você vai ver! – ele sorriu, piscando um olho em cumplicidade com o filho.

_ Mais olha só se não é o meu netinho mais lindo do mundo! – uma senhora, de cabelos negros e curtos e de estatura mediana, apareceu pela porta da casa em que os Malik’s estavam. _ Então você é Zayn Malik, não é meu bem?! – a mulher estendeu os braços, esperando até que o neto viesse para seu colo.

_ Esse é meu príncipe, Elise! – Yasser sorriu, vendo a mulher abraçar apertado o seu pequeno, deixando um beijo em sua bochecha corada em vergonha. _ Zee, diga oi para sua avó.

_ Oi vovó. – ele murmurou baixinho, brincando com seus dedinhos de forma envergonhada.

_ A gente vai se dar muito bem bebê, você vai ver! – ela sorriu.

_ Bom, Elise, eu já depositei metade do dinheiro em sua conta, no fim do mês eu deposito o restante, como foi combinado. Mais tarde um dos meus homens virá trazer as compras do mês e tudo que Zayn precisa, ok? – ele esticou os braços para pegar o filho de volta, suspirando enquanto o abraçava apertado.

Yasser amava o filho e estava sendo duro deixá-lo assim, mas era preciso! Zayn tinha que ter uma infância “normal” até a idade de treinamento, pois Yasser queria fazer do filho o melhor de todos. Havia também o fato de que algumas coisas complicaram nos seus negócios e algumas ameaças o faziam temer pela vida de seu pequeno, então, mesmo que ele achasse dar conta de controlar tudo, era melhor que o garoto estivesse afastado e com sua identidade preservada, assim ele poderia tirar uma preocupação de seus ombros.

_ Papai não tá te abandonando, tá filho? – ele falava olhando firme para os olhos claros do seu menino. _ Eu te amo, amo muito, mas por agora é melhor e mais seguro que você fique aqui, sim?

_ Tudo bem papai, eu também te amo! – Zayn abraçou o pai, sentindo-o abraçar tão forte quanto.

_ Se cuida filho e prometa se comportar, sim?

_ Eu prometo papai!

_ Eu te amo, meu amor! – ele beijou os cabelos negros do filho, sorrindo para ele em seguida.

_ Eu também te amo! – e assim o garotinho foi deixado no chão, andando de volta até onde a avó estava, segurando sua mão enquanto via o carro de seu pai ir embora dali.

_ Agora somos só eu e você, querido! – falou a mulher em puro deboche, sorrindo vitoriosa enquanto puxava o garotinho para que entrassem.

... x ...

_ Vovó, eu estou com fome! – o garotinho resmungou, deixando um dos carrinhos que brincava de lado.

Já era de noite e Zayn não havia comido nada desde que saiu de casa ainda pela manhã, tudo que ele fizera o dia todo fora brincar com seus bichinhos e carrinhos enquanto sua avó o olhava de maneira estranha, na opinião do bebê.

Sim, Zayn era um bebê. Apesar de ser extremamente inteligente, esperto e com um linguajar de uma criança mais desenvolvida, Zayn ainda era apenas um bebê de três anos e oito meses.

A senhora, que observa atentamente todo o comportamento do menino, estava comendo um sanduíche que parecia delicioso, mas ao ouvir a reclamação do menor ela simplesmente parou, deixando o lanche pela metade. Com um sorriso diabólico em seu rosto, jogou o resto do sanduíche no chão sujo da sala, perto de onde o garotinho estava, este que apenas a olhou em pura confusão.

O som de tapa ecoou pelo cômodo, fazendo um Zayn assustado, com os olhos lacrimejantes e bochechas com um tom novo de vermelho, levar a mãozinha trêmula até a bochecha que ardia com o golpe que recebera, deixando algumas lágrimas escapar enquanto olhava com medo para mulher que sorria após o acertar.

_Isso é tudo que você tem pra comer por hoje, então aproveite, peste! – ela  se aproximou do rosto do bebê e apertou seu queixo com força, fazendo-o olhar diretamente para ela. _ Eu não gosto de você, na verdade, eu odeio você! Por sua culpa a minha filha morreu e você está cheio de sangue do demônio do seu pai correndo em suas veias... – ela sorriu, soltando o queixo de Zayn com força e dando alguns tapinha em sua bochecha ardida, trazendo mais lágrimas ao menino por estar apavorado com aquilo. _ Mas não se preocupe querido, eu vou te livrar disso!

E assim ela se levantou, deixando a criança sozinha para trás... Sozinha, chorando e implorando para que Trisha aparecesse ali e o levasse daquele lugar!

Ele estava com tanto medo!

----- X -----

_ PA-PARA VOVÓ! – o menininho gritava, encolhido no chão com as mãos protegendo sua cabeça. _ AAAAAIIIII PA-PARA!

_ VOCÊ É UM DEMÔNIO! UM DEMÔNIO QUE MATOU A MINHA FILHA! – a mulher gritava ensandecida, acertando com força o cinto na criança de, agora, quatro anos. _ VOCÊ VAI PAGAR PELO QUE FEZ! FILHO DO DIABO!

O couro do cinto batia na pele clara do menino deixando-a vermelha no mesmo momento, espalhando várias marcas daquela por toda pele da criança. Zayn chorava de dor, gritava e pedia para avó parar, não aguentava mais aquelas surras que nunca pareciam ter fim.

Quando cansou, a mulher parou de bater no menino, deixando-o jogado no chão enquanto ia até a cozinha pegar aquela faquinha especial de ponta bem afiada, voltando para sala e se ajoelhando em frente ao corpo trêmulo da criança.

Elise puxou o short do menino de forma que ele ficasse apenas com a cuequinha que vestia, pegando a faca e cravando na pele do tronco da coxa da criança, onde outras marcas já estavam cicatrizadas ali.

_ Por favor vovó... Nã-não machuca! – o menino pediu baixinho, mordendo os lábios para aguentar a dor de mais uma cruz sendo desenhada em sua pele.

_ Você sabe que merece isso! Sabe que foi o culpado pela morte da sua mãe! – a mulher pegou o menino no colo, abraçando e balançando enquanto sorria satisfeita, ao passo em que lágrimas deixavam seus olhos. _ Deus é tão bom que me permitiu livrar você de todo sangue de demônio que corre em suas veias por causa do seu pai, assim você poderá ir pro céu quando tudo acabar, mas tem que pagar por todos os seus pecados aqui... Você quer ir pro céu, não quer? – ela falava doce, pegando o vidro de álcool em suas mãos.

Soluçando e tentando respirar normalmente, Zayn apenas concordou, sabendo que merecia aquilo por ter matado sua mamãe, pelo menos fora disso que a mais velha o convenceram. Por conta disso, Zayn não contava a ninguém sobre o que acontecia naquela casa, pois ele temia que Deus fosse odiá-lo caso ele contasse como sua avó disse uma vez...Não queria ir para o inferno!

_ AAAAAAHHHHH! – o grito veio rasgando em sua garganta quando a ardência infernal se apossou do seu corpo assim que o álcool entrou em contato com o recém corte em sua perna.

_ Tá tudo bem querido, Deus se agrada disso!

E o menino chorou... Chorou por não entender o porquê de Deus querer aquilo para ele... Ele não queria que ela morresse!

_ Me-me desculpe vovó! .... E-eu não queria que a ma-mamãe mo-morresse!

Mas a mulher não deu ouvidos, largando o neto ali, machucado e com medo no chão, enquanto ia até seu quarto se limpar do sangue daquele imundo!

Yasser iria pagá-la por ter tirado sua filha de si!

----- X -----

_ VOVÓ! – Zayn gritava enquanto batia na porta daquele quartinho, amedrontado por estar sozinho ali. _ ME TIRA DAQUI!

No porão daquela casa, Elise guardava alguns dos santos e imagens de Jesus que ela tanto adorava, mas que perdera a fé quando perdeu sua filha. Afinal, ela pediu! Ela pediu, orou e rezou para todos os santos que conhecia, fez promessas e tudo mais só para que nada de ruim acontecessem à sua menina... Mas aconteceu! Ela não tinha mais a filha ali e com ela toda sua fé se foi... Ela não acreditava em mais nada!

Então, todas as imagens de santos, quadros que retratavam a crucificação, crucifixos e imagens de Jesus que ela tinha foram deixados naquele quartinho onde Zayn estava agora. Aquele lugar era assustador e Zayn odiava ficar ali. Em todo lugar, apenas uma lâmpada que emitia uma luz bem fraca servia como iluminação, dando um ar ainda mais macabro ao recinto.

_ VOVÓ! – ele chorava, juntando os joelhos próximo ao peito e abraçando-os, descansando a cabeça ali para chorar livremente, com medo de estar naquele lugar.

_ Você vai ficar aí essa noite, orando e pedindo perdão para o nosso salvador por todos os seus pecados, meu amor! – ela murmurou sorridente para a porta trancada. _ Boa noite Zayn! – deu três chutes na porta só para assustar o garotinho, ouvindo com prazer os gritinhos assustados que ele soltou.

_ NÃO VOVÓ! ME- ME PERDOA... ME TI-TIRA DAQUI! – ele chorou, deitando no chão encolhido e de olhos fechados, negando-se a olhar para aquelas imagens que lhe davam arrepios.

Naquela noite Zayn orou, pediu desculpas por ter matado sua mamãe e pediu para Deus que tudo aquilo acabasse e Trisha o tirasse dali... Ele só não queria mais estar ali!

~ X ~

_ Zayn... – Liam murmurou baixinho, deixando que uma lágrima caísse de seus olhos após ouvir tantas barbaridades que o namorado sofreu... Era muita crueldade!

Zayn suspirou, apertando a mão do namorado em busca de conforto. Liam enxugou as lágrimas e engoliu o nó que se formou em sua garganta, aproximando-se do moreno até que estivessem com os rostos bem próximos. Com cuidado, ele beijou os lábios machucados do mais velho, com uma delicadeza que quase não deixava os lábios se tocarem.

_ Eu sinto muito por tudo isso! – ele murmurou baixinho, as bocas ainda próximas e os olhos conectados... Agora ele podia entender o que era tudo aquilo que ele via nos olhos dourados do namorado! _ Sinto mesmo!

_ Ainda tem mais Lee, mas eu não consigo mais contar por hoje, podemos apenas dormir? Eu não quero mais lembrar disso! – ele suspirou cansado, dando mais um beijo no namorado antes de puxa-lo pelo braço para que se deitasse em seu peito, ainda que aquilo doesse por conta de seus machucados.

_ Tudo bem baby! – ele deixou um beijo no peito de Zayn, bem onde ele podia ouvir o som ritmado do coração dele. _ Outro dia você me conta, huh?

_ Boa noite Lee! – deu um beijo no topo da cabeça do menor.

_ Boa noite Zayn!

E assim eles dormiram, nem se importando que estavam dividindo a mesma cama, mas tão aquecidos quanto nunca estiveram.


Notas Finais


Bom, é isso!
Até breve mores ❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...