1. Spirit Fanfics >
  2. Only the brave >
  3. Capítulo IV: Show and Tell

História Only the brave - Capítulo 8


Escrita por:


Notas do Autor


Primeiro queria dizer pra todos se cuidarem e cuidarem também de seus familiares principalmente os avós e as pessoas que fazem parte do grupo de risco (eu faço e isso é uma merda) o mais importante fiquem em casa pra não passar essa porra pra quem você ama, fiquem seguros.

Segundo eu demorei pra postar esse capítulo por que tive um bloqueio criativo que não passava de jeito nenhum e quando passou minha criatividade fluiu de uma maneira que tive três versões diferentes antes dessa final que mais me agradou ele é bem pessoal, espero que gostem.

Capítulo 8 - Capítulo IV: Show and Tell


Fanfic / Fanfiction Only the brave - Capítulo 8 - Capítulo IV: Show and Tell

                        Honeymaren pov

Eu nunca tinha visto Rapunzel assim com medo até sua própria sombra ela não parava de olhar pra trás enquanto andávamos pelos corredores do colégio junto com Anna, saímos do refeitório assim que a briga começou quando Adam deu um soco no rosto de Flynn e estou até agora sem entender o porquê, seja lá o que ele tenha feito foi algo bem grave pra Rapunzel não conseguir sair do lugar fazendo com que Naveen nos ajudasse a tirá-la de lá. O barulho ensurdecedor indicando que é a hora de voltarmos para nossa rotina entediante de aulas parece tirá-la de seu transe mas ainda sim ela não fala nada, decido deixar Anna a sós com Rapunzel afinal eu preciso ir pra aula.

-Ann você pode levar ela até o quarto sozinha é que agora tenho cálculo avançado, se você precisar de cobertura eu falo com a Mulan ou com outra pessoa da nossa turma pode ir tranquila.

-Obrigada Maren pode ir qualquer coisa eu ligo pra uma de vocês.

-De nada, tchau R espero que dê tudo certo viu. -Abraço as duas antes delas seguirem o caminho até os corredores dos quartos.

A turma de cálculo avançado é mais cheia do que parece, eu sempre pensei que essa escola fosse cheia de riquinhos que não se preocupam com nada além de quantas bolsas Channel tem no armário porém muitos aqui serão donos de empresas multimilionárias e pra isso é preciso saber além do básico. Logo atrás de mim estão Ariel e Eric os dois são os mais espertos dessa escola e estão em literalmente todas aulas avançadas possíveis eles sim tem inteligência e caráter o suficiente para comandar qualquer coisa que quiserem, a maioria da turma acha que não mereço estar aqui eles me observam de perto porque é como eu pareço e não o que eu penso. Em toda aula é isso os caras brancos e privilegiados sempre jogam aviãozinhos de papel ou aquelas bolinhas com cuspe em meu cabelo, dessa vez decido abrir o bilhete idiota que cai ao meu lado.

"Você não pertence a esse lugar vadia caipira não importa o número de piranhas ricas e de professores que você transou esse nunca vai ser o seu lugar, volte para sua fazenda."

Jogo o papel de volta no chão e logo sinto aquela merda de novo minha velha amiga ânsia de vômito tento controlar tudo até que sinto as lágrimas molhando minhas bochechas, eles estão dizendo mais palavras cruéis, e sim, elas quebram meu coração porque eu estou aqui me esforçando pra caralho. Não escuto nada ao meu redor além de zumbidos mas logo sou despertada pela voz de Ariel.

-Senhor Banners, eu posso levar a Honeymaren até a enfermaria, ela não está se sentindo bem desde da hora do almoço mas insistiu em vir pra aula mesmo eu dizendo pra ela voltar pro quarto.

-Claro senhorita Ariel a acompanhe e caso precise a leve de volta para o quarto não darei falta a vocês.

Enquanto ela me tira da sala e seguimos pelos corredores fico me questionando Por que é tão difícil de enxergar? sou como eles, eles são como eu. nós somos imperfeitos e humanos, e eles me tratam como uma aberração de circo ou uma vadia de esquina que só está aqui por dinheiro a minha vontade de vomitar acabou de reaparecer mas eu preciso me controlar na frente de Ariel ela pode sem querer acabar contando algo pra Rapunzel que vai chegar como um jatinho na Elsa e eu não quero preocupar ela com minhas idiotices, tenho certeza que esse caminho não é o da enfermaria e sim do pátio que fica ao ar livre pelo menos não estamos em um banheiro porque se eu estivesse em um agora mesmo minha alma sairia pela minha boca junto com o almoço. Ela para de andar e senta em uma das mesas.

-Dá pra me dizer porque estamos no pátio e não na enfermaria, se eu estivesse mesmo sentido algo poderia estar morrendo agora mesmo e seria sua culpa.

-Se você estivesse mesmo passando mal nós estaríamos na enfermaria o que não é o caso e você não morreria por isso eu acho, a questão é que tenho notado algum tempo que o Gaston e os idiotas tem implicado com você se quiser conversar sobre isso é a hora já que o Banners acha que estamos na enfermaria.

Fico encarando minhas unhas antes de pensar em uma resposta que faça Ariel acreditar que isso não me afetou.

-bom eu não acho necessário falar sobre um idiota como o Gaston ele só tá assim por que eu não quis sair com ele tipico de hétero, mas quero conversar sobre outra coisa que tá me fazendo me sentir estranha, quando você não consegue mais ficar nem com as pessoas que te faziam bem e até os papos delas te dão nojo, isso é um sinal de que você tá destruída o suficiente?

-Emocionalmente sim, nem preciso perguntar quem te faz se sentir assim pra saber que são as suas amigas da turma de moda, aquelas garotas são piores que a Cassandra e pra ser pior que ela tem que ser a maior escroto do mundo. -A menção a Cassandra ser uma péssima colega de quarto e uma pessoa pior ainda me faz gargalhar, Ariel sorri ao me ver mais animada.

-Olha Honey elas nunca tiveram que batalhar por algo como um lugar na melhor escola ou um sapato novo já que tudo que elas querem é sempre entregue em uma bandeja de ouro só por elas terem um status social e muita grana, eu nunca tinha percebido isso até conhecer a Tiana e você que são duas garotas maravilhosas que estão sempre lutando pra alcançar seus objetivos sem ajuda de pais ricos ou tudo que o dinheiro pode comprar.

-Isso tudo é uma merda as vezes eu acho que não vou conseguir mas não quero desistir eu já abri mão de tanta coisa por outras pessoas, é estranho eu não estar falando isso pra minha melhor amiga ou pra garota com que eu transo e tenho sentimentos que talvez não sejam correspondidos, e sim pra garota que eu só falo festas e no almoço por causa dos amigos em comum sem querer te ofender.

-Você tá falando comigo porquê precisa de uma visão de alguém que esteja fora da sua vida e do seu ciclo de confiança Honeymaren, é uma coisa normal do ser humano pedir conselhos de um desconhecido que talvez posso ajudá-lo por esse motivo que existem os psicólogos e você não me ofendeu.

Nós ficamos em silêncio por alguns segundos observando os outros alunos que estavam no pátio até Ariel pegar um maço de cigarro com um dos garotos do terceiro ano que contrabandia pra toda a escola, não sei como ele ainda não foi pego.

-Não sabia que você fumava.

-Eu não fumo na frente de muita gente só que o dia de hoje tá sendo uma merda no meu sapato então preciso disso e maioria do meu grupo fuma menos a Elsa, Bella e Tiana elas está certas já que isso é uma merda pra saúde enfim você quer um? 

-Sério que você tá oferecendo cigarro pra uma garota de 17 anos? - Eu estava meio incerta em relação a Ariel ela parecia ser tão séria e focada e é sobre toda essa merda de julgar sem conhecer que me deixa assim.

-Querida você tem 17 e transa mais em uma semana do que eu em um mês, além de que você precisa de mais álcool do que um carro. Olha eu sou uma pessoa que não gosta de incentivar vícios principalmente o cigarro isso aqui é uma prisão mas sei quando alguém precisa relaxar e as vezes uma tragada nisso é melhor do que você encher o cu de álcool e tirar a roupa no iate do seu namorado no meio de uma festa da empresa dos seus sogros, só pra deixar claro uma última questão meu relacionamento tá indo super bem.

-Você é engraçada, acho que já passamos tempo o suficiente na "enfermaria" eu vou pro meu quarto.

-Não, se eu fosse você voltava lá e colocaria aquele mimadinho do Gaston e bando de gados dele no lugar certo ou seja abaixo de nossas solas vermelhas super caras.

-Você tem razão.

Ariel me entrega um chiclete de menta pra disfarçar o cheiro de cigarro e me conta de um acordo que ela tem com a enfermeira que depois vai usar esse favor para me ajudar, assim que entramos na sala todos os olhos se viram para nós enquanto ela está dando alguma desculpa ao senhor Banners. A aula foi seguindo normalmente até o momento em que o professor começar a falar sobre as carreiras matemáticas que antes eram constituídas só por e agora tem mulher e era óbvio que o Gaston e o seu circo iriam dizer algo machista.

-Senhor me desculpa atrapalhar seu raciocínio mas esse tipinho é mole e sensível demais para fazer o trabalho de um homem. -Que porra, já era de se esperar que ele fosse dizer algo escroto mas isso não vai ficar assim.

-Saber sentir e expressar as emoções melhor é uma de muitas qualidades que nos fazem superior ao seu tipinho,Todo mundo é tão mole, todo mundo é tão sensível nessa escola pra não te enfrentar só porquê você é um riquinho prepotente e egocêntrico que acha que tudo pode ser comprado com o seu dinheiro até mesmo as mulheres. -Ele me encara incrédulo enquanto o resto da turma ri e cochicha enquanto o senhor Banners nos observa em silêncio afinal o que ele poderia falar mesmo gostando do dinheiro dos pais desse idiota todos nessa escola concordam que ele é a própria caçamba de lixo.

-Não vou tolerar que você uma pobre caipira me ofenda desse jeito. -Ele estava vermelho juro que se pudesse sairia fumaça de sua cabeça.

-Eu te ofendi? Você está pondo palavras na minha boca e está analisando demais todas as palavras que eu digo, você pode manter seus costumes, pode ficar com sua máscara. Há um mundo inteiro lá fora e você está vivendo uma peça onde pode fazer as merdas que quiser e sempre vai ter seu pai para encobrir elas e os seus amigos idiotas para aplaudir, foda-se o seu auditório, eu acho isso muito chato. Agora que eu acabei com a sua marra pode se sentir ofendido a vontade. -Recebo um joinha de Eric e palmas de Ariel enquanto dou um sorriso vitorioso por finalmente ter conseguido dizer tudo o que estava entalado na minha garganta. Ele até tentaria revidar mas é interrompido pelo professor, ainda bem menos tempo ouvindo Gaston falar merda. 

A sirene da prisão toca mais uma vez no dia essa é a hora em que nós temos um intervalo de meia hora pra tomar um banho e se preparar para as aulas opcionais como artes, moda e luta tem outras que eu não procurei saber já não são do meu interesse corro até o meu quarto afinal tenho meia hora pra me arrumar e arrumar minha pasta de croquis a professora Victoria não admite atrasos ou falhas perceptíveis ela é uma versão frustrada da Miranda Priestly mas é uma boa professora, o bom dessa aula é que ela acha o uniforme da escola muito antiquado e fora de moda então deixa todas usarem roupas comuns ou seja roupas de alta costura.

Assim que chego na sala sou puxada por Drizella e seu grupo são o segundo mais popular do colégio elas perderam o posto de primeiro pelo simples motivo Drizzy como os mais íntimos a chamam e o própria secretaria do diabo as outras são só meras assistentes, em todas aulas elas sempre vem falar sobre formas de ganhar um pouco mais de dinheiro ou tirar mais fotos e fazer fofocas sobre vadias que elas não conhecem.

-Eu achei tão desnecessária a briga no refeitório tipo a Rapunzel é uma sonsa primeiro ela termina com o cara e agora quer se fazer de vítima de algo.- a falta de empatia de Drizzy não me assusta ela já disse coisas piores

-Que isso fique aqui entre nós mas vocês não acharam que o Flynn tá um puta gostoso depois que voltou. - Anastasia e seu péssimo gosto pra caras

-Concordo irmãzinha e é por isso que eu vou investir já que você quer o Gaston.

-E falando nele soube que vocês brigaram na aula de matemática Honeymaren é verdade? -Tava até demorando para Anastasia me colocar nessa roda.

-Sim eu briguei ele é bem escrotinho e incapaz de ouvir uma mulher, boa sorte você vai precisar de o pau dele for do mesmo tamanho do cérebro.

chamando a atenção da professora assim que ela entra na sala junto com a assistente Verona que ajuda as modelos que fazem parte da aula de hoje, uma das garotas Stacy ganhou um pouco de peso desde da última vez que a medimos e Drizzy não a poupou de seus comentários ridículos e eu já senti na pele a força que isso tem, por esse motivo acabo me atrapalhando com meu projeto e não o finalizo bem. A professora Victoria chama minha atenção na frente da turma inteira.

-Mostre e diga o por que você veio Honeymaren, eu sei de muita gente que merece estar no seu lugar e não admito mais um erro como este se não você está fora.

-Sim senhora. -Minha voz sai um fio já que não é a primeira vez no dia em que alguém diz que não mereço está aqui.

Quando a aula acaba vou direto para meu quarto e pela primeira vez no dia choro como uma idota e vômito todo o meu almoço, durante esse tempo fico pensando se eu fosse como essas garotas que fazem tudo errado e mesmo assim conseguem tudo o que querem só por ter pais ricos ou pais e nem isso eu tenho. meus pais morreram em um acidente de carro quando eu tinha sete anos e meu irmão mais velho Ryder tinha dez, ficamos com nossos avós na fazenda deles no interior de indiana era um lugar bom de se viver poderia dizer que tive uma ótima infância apesar de tudo só que não foi bem assim, Yelena e Matias meus avós fizeram tudo que um casal de fazendeiros poderia pra criar duas crianças órfãs e sempre agradeço a eles por isso. Foi depois da morte dos meus pais que eu desenvolvi meu primeiro transtorno alimentar fiquei sem comer por 3 dias inteiros quando alguém levava a comida até meu quarto eu fingia que estava comendo e depois a jogava pela janela para os animais que ficavam soltos aquela sensação da dor de perder meus pais tinha passado e dando lugar a fome aquilo virou um vício toda vez que eu ficava triste com alguma coisa eu parava de comer, ao oito anos eu descobri através de uma reportagem na tv que laranja inibe o apetite e ajuda a emagrecer decidi juntar o útil ao agradável desde então venho comendo laranja em dias estressantes a bulimia surgiu assim que uma garota do grupo popular que eu fazia parte na minha escola no fundamental disse assim poderia comer o que quisesse sem se preocupar com o depois. É bem difícil esconder das pessoas que você não está comendo ou está com algum problema mas foram anos praticando e agora eu consigo mudar o foco de não me alimentar direito pra outras coisas dependendo da pessoa que está comigo no momento a primeira vez que fiz isso foi com a coitada da minha avó ela sempre me dava doces quando eu brincava então toda vez que eu não queria comer eu dizia a ela que precisava de lápis novos pra desenhar os modelos ou de tecidos pra fazer vestidos pra as minhas bonecas e conforme os anos foram passando consequentemente para mim, eu sei que tenho um problema só que não posso me livrar dele do dia para noite então vou deixá-lo aqui ele não me fez mal até agora.

Agora eu estou na cidade grande vivendo meu sonho tudo bem que tem esses merdas tentando me abater e estão conseguindo mas só de estar aqui eu deveria estar feliz, mas não consigo sair da cama me estressando com as vozes gritando na minha cabeça em momento assim lembro de como eu era muito nova para ver a verdade no colo da minha avó, afogada por seu perfume ingênua demais para me importar com as palavras que ela sussurrava enquanto penteava meu cabelo.

                 Flashback on

                 Indiana, 2010

-Nana isso não é justo as meninas da escolinha estão dizendo que eu não merecia ganhar o prêmio do show de talentos só porque o Ryder me ajudou e deu um trabalhão e nem descansamos direito, os pais delas sempre contratam aquelas pessoas ricas pra ensaiar junto com elas isso sim não é justo nana. 

-As pessoas vão dizer que nós não merecemos aquilo que conquistamos então trabalhe duro e se você precisar de um descanso, alguém vai tomar o seu lugar. Apenas se lembre não deixe eles foderem seus sonhos, Honey , não deixe eles tentarem.

-Tá bom nana e eu não vou contar pro vovô que a senhora disse palavra feia, obrigada conversar comigo te amo muitão.

-Sei que você não entendeu nada do que eu disse querida mas espero que um dia você se lembre dessa conversa e eu também te amo muitão florzinha.

                 Flashback off

Eu sinto saudades da minha família junta de novo de como Ryder sempre cuidou mim e fez de tudo pra que eu não sentisse muita saudade da mamãe nos primeiros dias ele estava sendo forte por nós dois, as vezes no meio da noite o barulho de seu choro me acordava mas eu não levantava pra falar com ele queria que soubesse que eu o achava um herói e ainda acho sinto falta de sua voz é um bom momento depois de um péssimo dia escutar uma voz que me lembra de casa. A foto de meu irmão aparece enquanto o espero atender a chamada.

-Alô. -A voz rouca de meu irmão se faz presente e me trás uma sensação boa como se eu estivesse em casa de novo.

-Alô, Ryder espero não ter atrapalhado você e seu gatinho já que você tá com a voz falhando.

-Eu não estava fazendo nada demais beehoney sabe que ainda são sete da noite e eu só faço as minhas coisas importantes depois da dez.

-nossa só foi eu me mudar que você agora respeita os horários porque me lembro bem de quando eu tinha 13 anos de você pagando um boquete pro filho do senhor Johnson da fazenda ao lado e isso foi que horas mesmo, ah lembrei as quatro da tarde Ryder. - O meu tom irônico logo foi bem recebido por meu irmão e logo escuto sua risada do outro lado da linha.

-Você não pode me culpar beehoney, eu era um adolescente cheio de hormônios e ele era super gato, e além do mais como eu saberia que você iria aparecer no celeiro pra pegar sei lá o que mas foram bons tempos apesar de tudo enfim eu sei que você não ligou só pra saber e relembrar da vida sexual do seu irmão favorito, o que tá pegando?

-Nada eu só tive um dia cansativo com muitos trabalhos e como não consegui ir visitar vocês no feriado, senti falta de casa e decidi te ligar como estão a nana e o vovô?

-Eles estão bem perguntaram de você hoje e como estava seus estudos e sua namorada branca e rica então mostrei a última foto que você postou no Instagram e a vovó disse que ela precisa tomar um sol já que com todo o dinheiro que ela tem poderia comprar uma praia particular - a risada se faz presente mais uma vez é uma sensação tão boa dessa vez até eu sou contagiada minha avó tem essas coisas de sempre falar tudo que vem a cabeça eu certamente herdei isso dela.

-Tipico da nana e o seu Matias está tomando os remédios direito, olha Ryder eu espero que com a faculdade, trabalho e o seu namorico você não esteja esquecendo de cuidar dos nossos avós.

-Pode ficar tranquila beehoney tô cuidando deles direito mas você como os dois são teimosos querem continuar trabalhando na colheita como se fossem jovens felizmente com o dinheiro que eu ganho com trabalho consegui contratar mais alguém pra ajudar o vovô agora ele só fica supervisionado não tá fazendo o trabalho pesado e tá tomando os remédios sim, a vovó mataria ele se não estivesse.

-Que bom maninho tô muito orgulhosa por você quando tiver algum feriado local idiota por aqui eu arranjo um jeito de ir ficar com vocês, se cuida fala pra nana e vovô que eu mandei um abraço e manda um beijo pro seu namorado também.

-Se cuida também beehoney, vou dar seus recados direito e pode apostar que vou beijar muito o meu homem e vou fazer isso assim que você desligar.

-Eca Ryder poupe me dos detalhes sórdidos enfim beijos te amo até amanhã.

-Também te amo até amanhã.

Assim que desligo o telefone Anna finalmente entra no quarto ao lado de Elsa, as duas não parecem muito bem afinal quem estaria o dia de hoje foi um caos completo pra todos nós só que de formas diferentes.

-Então casal eu sei que o dia de hoje foi uma merda pra todas nós e é por isso que vou dormir com a Tiana pra vocês aproveitarem o meu quarto sozinhas, de nada.

-Valeu Ann

Ela pega o pijama e os itens de higiene e sai do quarto sobrando apenas Elsa e um silêncio nada agradável a tensão pairava sobre nós mesmo que tudo que aconteceu hoje não tenha nada haver com o nosso caso, meu celular apita sinalizando uma nova mensagem de Ryder que continha uma foto de nossos avós que ele tirou hoje fico feliz em saber que eles estão bem não percebo que estou sorrindo até a loira perguntar.

-O que é que tá te fazendo sorrir tanto? Algum meme sobre a Donatella Versace que eu não vou entender.

-Não, é o Ryder ele mandou uma foto da nana e o vovô faz um tempo que não via uma já que os dois odeiam isso. - Seu corpo tencionou assim que citei o nome do meu irmão, ela sorri tentando disfarçar isso

-Que bom fico feliz por você e eu sei o que se passa na sua mente Honey o que aconteceu não vai afetar a gente fica tranquila isso não é problema nosso.

-Eu sei e já que você tá aqui por que a gente não aproveita. -Digo já me sentando em seu colo e a beijando eu não quero fazer nada hoje mas preciso distrai-la de algum jeito, ela separa o beijo e me coloca a seu lado na cama.

-Honey tudo bem se a gente não transar hoje? eu só quero tomar um banho e dormir, foi tudo tão cansativo.

-Tudo bem, nós podemos pelo menos tomar banho juntas e dormir de conchinha.

-Claro você pedindo isso com seu biquinho e cara de filhotinho como eu negaria, vou colocar a banheira pra encher.

Elsa me chama 15 minutos depois com a banheira cheia de espuma e sais de banho, Sento em seu colo e finalmente relaxo sentindo a água morna sobre meu corpo.

-Quer conversar sobre o dia de hoje?

-Não e você?

-Também não só vamos ficar aqui aproveitando a companhia uma da outra e relaxando.

Ficamos assim até água esfriar e logo após nos trocamos e eu finalmente pude deitar entre os braços dela e dormir ouvindo o som de sua respiração.


Notas Finais


SE PRECISAR SE ISOLEM NA PORRA DE UM CASTELO DE GELO IGUAL A ELSA MAS NÃO SAI DE CASA CARALHO


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...