História Only you - Jay Park imagine - Capítulo 49


Escrita por:

Postado
Categorias AOA, CrystaL Clear (CLC), DEAN, Dok2, G-Dragon, GRAY, IU, Jay Park, Kim Hyun-Jung "Hoody", LOCO, Simon D., Zico
Personagens DEAN, Dok2, Elkie, Eunbin, G-Dragon, GRAY, Jay Park, Jimin, Kim Hyun-Jung "Hoody", Lee Ji-eun "IU", LOCO, Personagens Originais, Seunghee, Simon Dominic, Sorn, Yeeun
Visualizações 246
Palavras 1.939
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Ficção, Fluffy, Hentai, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Voltei depois de muito tempoooo
@Camzjimin estava me cobrando
Digam "obrigado" a ela.

Capítulo 49 - Jay fofo


Fanfic / Fanfiction Only you - Jay Park imagine - Capítulo 49 - Jay fofo



Todos resolveram que deveríamos "comemorar" na casa de Jay, pensei que apenas eu e ele tínhamos algo para comemorar de fato.


Levaram bebidas e bobageiras para comer, eu estava sentindo Sooyoung e Simon mais próximos que o comum e eles foram os primeiros a sair.


Jay: Vem cá, senta aqui. - Ele bateu em sua coxa enquanto segurava uma garrafa de Soju na outra mão.


S/n: Estou muito bem aqui. Não tem problema. - Ele sorriu malicioso e me puxou sutilmente para seu colo.


Uma de suas mãos foram parar em minha coxa acariciando ali.


Ugly Duck: Tô indo embora.


Elo: Ué por que? 


Ugly Duck: Porno eu vejo em casa, até amanhã. - Ele se levantou e saiu.


Rindo os meninos sairam ficando apenas Hoody.


Hoody: Não tenham juízo e não vão dormir cedo - Piscou e saiu nos deixando sozinho.


S/n: Por que não disse, "Está cedo"? - Falei olhando por cima do ombro.


Jay: Eu estava louco para que eles fossem embora. - Ele deixou a garrafa de Soju em uma cômoda rente ao sofá.


Em um movimento rápido ele me deitou no sofá e ficou por cima de mim, prendi minhas pernas em sua cintura sentindo as carícias de seus lábios em meu pescoço, Jay abaixou a alça de minha regata com a boca e mordeu meu ombro. Senti suas mãos descerem pela minha barriga e pararem em minha virilha, fazendo-me arfar.


S/n: Tira logo esse shorts. - Ele riu em minha pele e subiu seus beijos até meu lábios.


Nosso beijo era necessitado e cheio de luxúria, meus dedos se entrelaçaram em seus cabelos puxando os fios sem dó fazendo com que ele sorrise em meus lábios. Aquele sofá estava me proporcionando ótimos momentos, mas eu ainda preferia a cama.


S/n: Você prefere que eu tire sua roupa aqui ou lá no quarto? 


Jay: Faria diferença se eu falasse? - Sorri e foi o suficiente para ele entender.


Ele me pegou em seu colo e caminhou comigo cegamente até seu quarto, Jay abriu a porta e não se deu o trabalho de fechar, me colocou na cama tirando a camisa em seguida.


Mordi o lábio observando seu abdômen tatuado e perfeitamente definido.


Jay: Sou tão irresistível assim? - Disse já próximo aos meus lábios.


Senti suas mãos desabotoar meu shorts e em seguida joga-lo longe, ele me observou por um tempo e depois sorriu, beijando e mordendo meu pescoço.


Jay: Calcinha de renda S/n? Estava preparada para ser fodida? - Jay depositou um chupão logo a baixo de meu queixo. Gemi baixo.


Jay: Estava com saudades de foder comigo, hun? - Suas mãos passaram pela minha coxa depositando um tapa que me fizera arquear as costas.


S/n: Pra que tanta tortura, Jay?


Jay: Acho que já te falei que quanto mais longa a tortura, mais gostoso é o sexo. - Mais um  chupão marcou minha pele, dessa vez próximo ao ombro.


Jay: Você gosta muito dessa blusa? - Antes que eu o respondesse, ele rasgou a minha blusa com grande facilidade.


Fiquei apenas de lingerie, ele fazia com que meu quadril encostasse um pouco mais em seu corpo. Ele retirou o meu sutiã e o jogou em algum lado do quarto, e enquanto ele me torturava com sua boca vez ou outra mordiscando o local, me senti insentivada a tirar seu cinto, sem muito esforço eu o soltei e Jay me ajudou a tirá-lo. Parando oque fazia e me dando total liberdade de desabotoar sua calça mas, quase que de imediato, ele me interrompeu pegando meus braços e colocando a cima da minha cabeça. 

Em um movimento ágil Jay me prendeu na cama, deixando-me completamente sem ação. 

S/n: Não Jay, pode me soltar daqui... agora!

Jay: Mais tarde, agora eu preciso provar você. - Seus beijos desciam de meu pescoço até minha barriga lentamente, me fazendo arfar.

Suas mãos seguraram minhas pernas as abrindo, ele apertava minha coxa enquanto distribuía beijos na parte interna da minha perna.

S/n: O que você quer? Quer que eu implore? - Perguntei com dificuldade. 

Jay: É uma opção, quem sabe eu não fico comovido. 

S/n: Por favor, por favor Jay me foda. - Ele sorriu em minha pele, e eu rezei para que fosse de aprovação. 

Senti seus dedos tocarem minha pele com uma leveza que deixava tudo mais erótico, suas mãos se detiveram em minha intimidade a massageando sutilmente enquanto eu segurava meus gemidos ao máximo. Não daria mais esse gostinho a ele. 

Antes que eu fechasse os olhos eu pude vê-lo me observar com um sorriso malicioso no rosto. Céus aquele homem estava me matando!. 

Mordi o lábio inferior enquanto seus dedos precionavam meu clitóris e o massageava ao mesmo tempo, naturalmente, eu mexi meu quadril procurando por mais contato e ele fez questão de me segurar para que eu não me movesse.

Senti seus lábios em minha virilha e em seguida entraram em contato com minha intimidade, era como se eu estivesse em outro mundo, apenas um grunhido baixo escapou por meus lábios enquanto Jay fazia questão de que eu sentisse toda e qualquer coisa com o mínimo de detalhes possível. 

S/n: Merda... - Minha voz saiu arrastada.

Ele continuava com seu trabalho de tortura em meu corpo, e era como se houvesse pequenos focos de fogo sobre mim, era uma sensação boa. Sua mão apertou minha coxa sem dó, praticamente me obrigando a arquear o corpo e gemer baixinho.

S/n: Jay... por favor. - Cerrei minhas mãos em punho.

Ele parecia não me ouvir, senti seu dedo indicador brincar com a minha entrada e me penetrando em seguida acompanhado de sua língua. Eu estava ficando maluca com suas carícias e ele parecia se divertir com minha dificuldade em manter minha sanidade intacta.

Seus movimentos eram lentos e calmos, sem pressa, era isso que estava me matando.

Logo suas estocadas ficaram mais precisas e rapidas, eu gemi alto e mexi o quadril procurando mais contato então Jay resolveu deixar sua tortura completa movimentando sua língua em meu clitóris e mordendo levemente em seguida. Senti sua mão livre subir pela minha barriga até meu seio onde ele começou a massagear com uma precisão absurda me fazendo arfar.

S/n: Park Jaebeom... - Sussurrei sentindo meu corpo chegar ao limite.

Meu corpo tremeu violentamente enquanto eu chegava ao meu ápice com um gemido alto, Jay retirou seu dedo de mim e eu abri os olhos tendo a visão de Jay levando o dedo a boca o limpando. Então ele me soltou e me beijou em seguida me fazendo sentir meu gosto, Jay deixou seu corpo pesar sobre o meu me fazendo sentir seu membro duro.

Era minha vez.

Me virei ficando por cima dele, com alguma dificuldade eu desabotoei sua calça e ele me ajudou a tira-la. A Calça foi deixada de lado junto com a cueca. Me sentei sobre seu membro e fui descendo aos poucos, ele gemeu em meus lábios e eu não me mexi enquanto o beijava. Ele receberia a tortura de volta.

Suas mãos foram para o meu quadril tentando me mover mas sem sucesso, ele apenas se rendeu, me beijando de forma rápida e cheia de malícia. Estava ficando cada vez mais difícil para mim pois estava muito exitada, suas mãos percorriam meu corpo enquanto ambos soltavamos gemidos abafados.

Rebolei em seu colo e então ele se afastou de mim e agarrou minhas coxas apertando com força, apoiei minhas duas mãos em seu peito continuando com o que fazia. Vez ou outra soltando gemidos altos.

Jay: Me-merda S/n! Aah você vai me ma-matar. - Joguei minha cabeça para trás enquanto eu o ouvia gemer.

Jay formava frases sem nexo, me perguntei quanto tempo exatamente ele passou de molho. Sem sexo. 

Não aguentei mais, comecei a fazer movimentos vai e vem rapidamente. Agora não só a minha coxa, mas agora minha barriga, eram apertadas por suas mãos. A dor era de puro prazer e eu podia confirmar isso enquanto gemia alto e manhosa.

Ele me virou e ficou em cima de mim continuando com suas estocadas, me permiti arranhar suas costas lentamente fazendo o fazendo arfar. 

Jay: Sentiu falta disso, hun? - Ele acelerou suas estocadas em mim atingindo meu ponto G.

S/n: Jaebeom... - Falei baixo entre gemidos. - De-de novo. 

Seu membro pulsava dentro de mim enquanto eu sentia suas estocadas ficarem cada vez mais rápida, ele gemia em meu ouvido de forma rouca e isso só deixava tudo mais prazeroso. Senti seus lábios descerem de meu pescoço até meu ombro, onde ele deixou uma mordida forte que com certeza resultaria em uma marca dolorida amanhã.

Suas mãos prenderam as minhas a cima da minha cabeça.

S/n: Jay... - Gemi manhosa.

Jay: Ah S/n... tão apertadinha. 

Depois de algumas estocadas eu pude sentir seu líquido quente dentro de mim, ele continuou até que eu chegasse ao meu ápice e então o senti sair de mim.

O olhei confusa enquanto ele ficava de joelhos.

Jay: Fica de quatro pra mim. 

Eu obedeci, fiquei de quatro e impinei para ele. Seu membro dava pinceladas em minha intimidade me fazendo gemer, podia sentir que ele estava mais excitado que eu então não conseguia entender o porquê daquilo.

Ele me penetrou sem avisos me fazendo gemer alto, segurou em minha cintura ditando os movimentos que iam cada vez mais forte e preciso dentro de mim. Ele gemia meu nome rouco, enquanto eu mordia os lábios com força.

Jay: Geme pra mim S/a. 

Suas estocadas ficaram lentas e fundas, de modo que, eu praticamente enlouquecia. Fiz o que ele pediu, foi involuntário e os gemidos escaparam de meus lábios o incentivando a ir cada vez mais rápido com suas estocadas. Senti uma de suas mãos acariciarem minhas nadegas e, em seguida, um tapa me fez arquear as costas e gemer baixinho.

S/n: Jay... Eu vou... - Podia sentir meu corpo chegar novamente ao limite.

Cheguei ao primeiro, ele continuou até que chegasse ao dele, seu líquido quente me invadiu me fazendo rebolar em seu membro. Ele se retirou de dentro de mim e se deitou de travessado na cama me puxando rapidamente, seu peito subia e descia rapidamente por conta da respiração acelerada.

S/n: Ah meu Deus. - Falei entre suspiros.

Jay: O que?

S/n: Estava querendo me deixar sem andar? 

Jay: Era esse o plano. - Ele riu. - Senti falta disso.

S/n: Safado. 

Jay: Estou dizendo que senti falta do calor do seu corpo comigo, não só do sexo S/n. - Seus dedos acariciaram meus cabelos.

S/n: Jay Park, sendo fofo? 

Jay: Eu tenho minhas surpresas. 

Eu ri sendo acompanhada por ele.

Jay: Um banho?

S/n: Aish não quero me levantar. 

Em um movimento ágil ele se levantou e me pegou no colo me jogando sobre o ombro, eu ri com a atitude dele enquanto Jay me carregava pelo quarto até seu banheiro. Estiquei as mãos e apalpei sua bunda, pude ouvi-lo rir baixinho.

Jay ligou a torneira da banheira e ajeitou as coisas enquanto me segurava sobre seu ombro.

S/n: Você está malhando bastante não é? 

Jay: Por que?

S/n: Está me aguentando.

Jay: E você está gorda? - Ele me tirou de seu ombro e me colocou na banheira, o choque térmico era relaxante.

S/n: Estou. Muito gorda. - O observei pegar as toalhas e colocar por perto e entrar na banheira em seguida. 

Jay: Eu chamo de gostosa, gorda não. - Ele acenou para que eu fosse para perto dele.

Me encostei em seu peito, enquanto ele passou as mãos pela minha cintura entrelaçando nossos dedos.

Jay: Onde você estava escondida?

S/n: Como assim?

Jay: Acho que agora entendo porque nunca achei ninguém que me completasse até agora. Você ainda não tinha atravessado o oceano, do Brasil até aqui.

Meus olhos marejaram.

S/n: Eu te amo.

Jay: Eu também te amo, Jagya. 

Ele beijou minha bochecha e eu pisquei para afastar as lágrimas.

Eu nunca mais o magoaria de novo.


Notas Finais


Um hot bem ruinzinho maaans....


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...